29 de dezembro de 2011

A maior ameaça às mulheres? A lei islâmica

A maior ameaça às mulheres? A lei islâmica

Diana West
Existe um fato: a segurança das mulheres na sociedade está sob ameaça, mas não pelas propostas ou cantadas indecorosas feitas por executivos esquisitos e ultrapassados. A segurança das mulheres está sob ameaça com a propagação do islamismo na sociedade ocidental, que está aceitando, sem questionar e nem mesmo fazer menção, a misoginia agressiva dessa religião. 
Raras são as notícias e casuais são os vídeos online que confirmem as agressões em massa contra meninas e mulheres que são diretamente atribuíveis às crescentes comunidades islâmicas, em grande parte na Europa.
O real problema não desaparece só porque os meios de comunicação estão de boca fechada. No começo deste ano, a NRK, a televisão estatal da Noruega, fez uma reportagem mostrando que 100 por cento dos estupros em Oslo em 2010, em que os criminosos puderam ser identificados, foram cometidos por “homens de origem não ocidental” — o eufemismo aleijado usado para designar homens muçulmanos na Noruega. Usando como base um estudo divulgado pela polícia de Oslo neste ano, a NRK também mostrou, em sua reportagem, que dos 86 estupros em Oslo contra meninas, moças e mulheres entre 2005 e 2010 em que os criminosos puderam ser identificados, 83 foram cometidos por “homens de aparência não ocidental”. As vítimas, por outro lado, eram predominantemente moças brancas — “norueguesas étnicas”. O que é chocante é que esse escândalo, que coloca em dúvida as políticas de asilo e imigração do governo que aterrorizam as mulheres da Noruega, raramente vai parar nas manchetes.
Até muito recentemente, o silêncio também pairava sobre um fenômeno que ocorre há décadas na Inglaterra: gangues de estupradores —predominantemente muçulmanos, predominantemente paquistaneses — que aliciam meninas muito novas, geralmente de sangue inglês, para se tornarem propriedade sexual para uso pessoal e para prostituição. A crise alcançou agora proporções epidêmicas. De acordo com a Secretaria dos Direitos das Crianças, um número elevado de 10.000 meninas menores de idade podem estar sendo vítimas.
E daí? De acordo com o jornal Telegraph, “depois que um estudo acadêmico revelou que é preciso fazer muito mais para proteger as crianças de exploração sexual”, o governo da Inglaterra decidiu lançar uma “investigação que vai levar dois anos”. Nada de tomar medidas agora para proteger as meninas.
Melhor seguir o exemplo de uma cidade da Sérvia de 6 mil habitantes, onde, depois que cinco muçulmanos afegãos estupraram brutalmente uma turista inglesa, a população da cidade recentemente iniciou uma campanha de protesto. Eles tiraram seus filhos da escola até que, conforme reportagem do jornal Austrian Times, o governo remova completamente 2.500 estrangeiros ilegais de um centro construído para abrigar 120.
Bem-vindo ao mundo, não pós 11 de setembro de 2001, mas pós Theo van Gogh. O assassinato ritualista de van Gogh ocorreu sete anos atrás, neste mesmo mês, bem no coração da Europa. Foi retribuição, disse o muçulmano que o assassinou, pelo filme “Submissão” de van Gogh. O filme retrata a situação difícil das mulheres que vivem debaixo da lei islâmica. Ayaan Hirsi Ali, que escreveu o roteiro do filme, tem vivido desde então sob ameaça de morte por parte de muçulmanos. Ela recentemente abandonou a ideia de fazer uma continuação do filme como “arriscada demais”.
Onde estão agora todas as mulheres para se manifestarem enquanto meninas, moças e mulheres sofrem estupros de homens muçulmanos e estão sob a ameaça da lei islâmica?
Tradução e edição: www.juliosevero.com
Fonte: WND
Artigos sobre o islamismo:

O chocante amor árabe por Hitler

Artigos sobre a Noruega:
Artigo sobre as mulheres da Europa:

6 comentários :

Frau disse...

Ola, bom dia! Aqui na Alemanha, criminoso muculmano nao aparece nos noticiarios, quando muito ainda nublam a cara para nao mostrar. Ja os alemaes se fazem algo contra os muculmanos é toda hora e todo dia estampados na tv. Aqui o silencio ja esta nas raias da vergonha.
Um abraco

Anônimo disse...

A Inglaterra esta arruinada, a decrescência da população Cristã é Critica, os Cristãos de lá estão desaparecendo, vi na reportagem do Holofote.net

http://holofote.net/cai-o-numero-de-cristaos-na-gra-bretanha/

Agora estão se tornando uma nação homossexual submissa, ou uma população de homens e mulheres, fúteis, onde só o crescimento financeiro é o importante, mulheres que não se importam e constituir família, ou em Criar os próprios filhos porque estão ocupadas de mais, masculinisadas, tudo por conta de promoções feministas, homens não tem senso de moral, muito menos de família, se sobrou algum remanescente Cristão por lá, espero que saiam o mais rápido que poderem, porque com tudo o que o governo deles já avançaram, a coisa esta ficando preta, o cerco ta fechando, Que Deus tenha misericórdia daquele povo

(povo Cristão, remanescente)

Abraço Julio

Ronie Peterson

Anônimo disse...

Vamos falar sério CADE O FEMINISMO nesta horas?

Anônimo disse...

A Inglaterra, mais profundamente, e a Europa em geral tornou-se refém do islamismo. No futuro bem próximo os frouxos europeus verão suas mulheres serem abusadas em massa devido a sua imbecil política de tolerância e a idiota cultura do Politicamente Correto.
Deus Salve não só a Rainha, mas a Inglaterra e a Europa!!

AKOGA disse...

Help! Será que dá para parar o trem? Pq eu quero descer.

Cristiano disse...

PROTESTAR É PARA OS KÚMMUNISTAS ADMITIR QUE ELES ANDAM COM BANDIDOS TÃO IGUAI OU PIORES DO QUE ELES.