24 de dezembro de 2011

Celebrando a “condescendência” de Jesus

Celebrando a “condescendência” de Jesus

Joseph Farah
“E, no sexto mês, foi o anjo Gabriel enviado por Deus a uma cidade da Galiléia, chamada Nazaré, A uma virgem desposada com um homem, cujo nome era José, da casa de Davi; e o nome da virgem era Maria. E, entrando o anjo onde ela estava, disse: Salve, agraciada; o Senhor é contigo; bendita és tu entre as mulheres. E, vendo-o ela, turbou-se muito com aquelas palavras, e considerava que saudação seria esta. Disse-lhe, então, o anjo: Maria, não temas, porque achaste graça diante de Deus. E eis que em teu ventre conceberás e darás à luz um filho, e por-lhe-ás o nome de Jesus. Este será grande, e será chamado filho do Altíssimo; e o Senhor Deus lhe dará o trono de Davi, seu pai; E reinará eternamente na casa de Jacó, e o seu reino não terá fim.” (Lucas 1:26-33 ACF)
Milhões de cristãos no mundo inteiro celebrarão amanhã o Natal — indo à igreja, fazendo orações, cantando hinos natalinos e dando presentes uns aos outros em memória do nascimento de seu Senhor e Salvador, Jesus de Nazaré — cujo nome hebraico é Yeshua.
O anjo Gabriel aparece à virgem Maria no quadro "A Anunciação", feito em 1898 pelo artista Henry Ossawa Tanner
A maioria dos cristãos compreende que Yeshua, seu Salvador, não nasceu realmente em 25 de dezembro. Eu suspeito fortemente, embora não possa provar, que Ele nasceu em Nisã 1 — o primeiro dia do ano do calendário hebraico conforme foi estabelecido por Moisés. Isso significaria que o nascimento ocorreu na primavera — quando as ovelhas saem aos campos e nascem os cordeirinhos.
Apesar disso, os cristãos estarão lendo hoje passagens conhecidas do Evangelho de Lucas que descrevem as circunstâncias difíceis de uma virgem que deu a luz — um acontecimento que ocorreu apenas uma vez em toda a história do mundo.
Muitos filmes e livros foram produzidos sobre esses acontecimentos. Mas a maioria tem focalizado — e dá para entender muito bem isso — na obediência e sacrifícios notáveis de José e Maria — ou Yusef e Miriam — para trazer o bebê Yeshua, cujo próprio nome significa “salvação”, ao mundo.
Mas, você já pensou no que essa experiência foi para Yeshua?
Nós todos sabemos como Yeshua se sacrificou por nós no fim de Sua vida mortal — as torturas agonizantes que ele suportou, a humilhação, a morte na cruz. Mas nesta data do ano, eu muitas vezes penso no sacrifício que Ele, o co-criador do universo, fez, temporariamente renunciando à Sua onisciência, Sua onipotência, Seus imenso poder e Seu lugar à direita de Deus, para viver dentro do útero de uma menina judia e para se submeter à proteção de um obscuro carpinteiro judeu.
Ele literalmente renunciou ao céu para vir a um mundo caído de perigo e desilusões. Presumivelmente, Ele até teve de se desprender de sua própria consciência divina para se tornar um vulnerável embrião e bebê recém-nascido. Ele teve de nascer sob circunstâncias tribulosas depois que seus pais fizeram uma viagem de 112 km, andando a pé de Nazaré até Belém.
Ele renunciou a todas as riquezas inimagináveis e sabedoria imensa do universo para nascer num estábulo e colocado num lugar onde os animais bebiam água.
Mas, o que é mais importante, tente imaginar como é sentar-se à direita do Pai celestial contemplando essa ideia de se tornar totalmente vulnerável e, por pelo menos um período de tempo, ficar presumivelmente sem ideia do que aconteceu!
Como todas as outras crianças, Yeshua nasceu sem saber andar ou falar. Quantos de nós estariam dispostos a trocar nossas próprias vidas e estado consciente como seres humanos mortais adultos para reentrar no mundo desse jeito de novo?
É isso o que o nascimento de Yeshua representa para mim. É, em todo aspecto, um acontecimento tão inspirador e sagrado quanto contemplar a morte na cruz e ressurreição de Yeshua.
Muitas vezes falamos e ponderamos a Ascensão. Mas e quanto à Condescendência que ocorreu quando Jesus se tornou, primeiro, um bebê no útero e mais tarde naquele dia em Belém, um vulnerável recém-nascido que seria caçado por Herodes, e no fim sofreria uma horrível morte na cruz?
Os que creem reconhecem o sacrifício de Yeshua feito no Gólgota. Mas, verdadeiramente, precisamos considerar o sacrifício que Ele fez no dia em que voluntariamente renunciou ao céu para nascer de uma virgem. Esse acontecimento poderia também ser chamado de Miraculosa ou Misteriosa Condescendência.
Obrigado, Yeshua!
Traduzido por: www.juliosevero.com
Fonte: WND

11 comentários :

Idevam disse...

Deus Abençoe Vc e sua Família Julio Severo

Roberto disse...

Feliz Natal e um Ótimo Ano Novo a você Júlio e sua família, e a todos os leitores do blog!
Muitas bençãos a todos!

lagarto_200 disse...

dizer que o nome de cristo e Yeshua e errado também porque a origem do nome yeshua e de uma lenda ebraica onde um pregador (alguma coisa proxima a isso) teve um sonho que ele recebia o verdadeiro nome de cristo e etc sendo que ao certo nunca saberemos o verdadeiro nome de cristo e nao devemos nos firmar em lendas mesmo sendo ebraicas o melhor ensinamento e o das escrituras e se me lembro bem de um trecho das escrituras sagradas dis que e pecado crer em lendas ok amigo
fica com o Pai

Anônimo disse...

Lagarto, fiquei curiosa para saber qual então é o nome dado a Jesus no novo testamento. Se não era Yeshua, qual seria? Feliz natal ao Julio, sua família e a todos os leitores do blog.

Julio Severo disse...

Lagarto, embora eu use o nome Jesus, que está perfeitamente correto, o nome de Jesus em hebraico é Yeshua, que traduzido para o grego ficou Iesous, que em português ficou Jesus.

Assim, dizer que Yeshua é lenda é um disparte para toda pessoa que sabe hebraico, porque em Israel eles não dizem JESUS, mas YESHUA.

Espero que esta explicação tenha ajudado você a compreender a confusão que você está tendo com o legítimo nome hebraico de Jesus.

Anônimo disse...

Cuidado Julio, ele pode ser um dos seguidores do YAOHOSHUA um nome cabalístico formado pelos seguidores da cabalada, de fato o nome de Jesus em Hebraico é yeshua, traduzido é como nos conhecemos Jesus

Muitas pessoas acham que o nome original em hebraico sendo pronunciado terá um significado maior, no sentido espiritual, esse tipo de coisa não tem fundamento bíblico, nossa língua é essa, a tradução do nome dele pro grego depois para o português faz-se Jesus, querer insinuar algo mistico em torno do nome em hebraico é coisa da cabala, lagarto espere o inverno passar, e deixe de acompanhar sites conspiracionistas que se baseiam apenas em fundamentos esotéricos da cabala


Ronie Peterson

lagarto_200 disse...

A Organização Yaohushua (ou testemunhas de
Yaohushua) foi criada em Jerusalém por uma
pessoa que se identifica com o nome de Cohanul.
Segundo a lenda dessa seita, Cohanul orou para
saber o verdadeiro nome de JESUS e teve a
resposta em sonho do nome Yaohushua.
Resumindo, temos aqui mais uma fábula Judaica:
”Não dando ouvidos às fábulas judaicas, nem aos
mandamentos de homens que se desviam da
verdade.” (Tito 1:14)

esse trecho fala um pouco sobre. e essas duas formas de nomear que envolvem um pouco a pregação da nova era porque no entendimento deles quando chamamos yeshua nos acostumamos e aceitamos chamar yaohushua também.

Julio Severo disse...

Lagarto, o que você disse ainda não explicou nada, pois independente de grupos heréticos usarem o nome JESUS, isso não significa que o nome JESUS é herético. O nome YESHUA é hebraico e legítimo. Sugiro-lhe separar as coisas. Se um grupo herético usar o nome de JESUS, não pare de usá-lo. Se um grupo herético usar o nome de YESHUA, não deixe de usá-lo.

Jessé disse...

Gostei muito do quadro desse artista sobre "A Anunciação".

Feliz Natal para você, Julio, e família também. Deus estará protejendo vocês sempre.

Um fraterno abraço.

Aprendiz disse...

Mais um texto maravilhoso de Joseph Farah. Parabéns Julio por te-lo publicado.

Feliz comemoração do NASCIMENTO DE JESUS (YESHUA) A TODOS OS QUE CREEM. Que a Paz de Nosso Senhor Jesus esteja sobre os crentes e que muitos descrentes sejam alcançados pelas misericórdias sem fim de Nosso Pai Celeste.

Fabiano disse...

Muito interessante a matéria. Eu até conhecia o nome YESHUA, mas desconhecia a história (origem).
Um FELIZ NATAL a todos.