8 de novembro de 2011

Nigéria rejeita ameaças da Inglaterra e apoia o verdadeiro casamento

Nigéria rejeita ameaças da Inglaterra e apoia o verdadeiro casamento

LAGOS, Nigéria, 7 de novembro de 2011 (HLIWorldWatch.org/Notícias Pró-Família) — Ativistas pró-vida e pró-família na Nigéria estão se mobilizando para dar apoio a um projeto de lei que está no momento sendo considerado no Senado da Nigéria que proibiria o “casamento” de mesmo sexo no país mais populoso da África em meio a ameaças do Reino Unido de cortar assistência se os países não protegerem os “direitos” homossexuais.
“A [organização pró-vida] Vida Humana Internacional da Nigéria está juntando forças com outras organizações pró-vida e nigerianos bem-intencionados para uma mobilização para defender esse projeto de lei”, disse Chizoba Nnagboh, diretor na Nigéria da Vida Humana Internacional (VHI). “Organizações antivida, se disfarçando de organizações de direitos humanos, não estão dando folga, mas estão também seriamente fazendo mobilizações para deter o projeto de lei”.
Um dos principais patrocinadores do projeto, o senador Domingo Obende, recentemente reconheceu que as pressões de um debate mundial sobre o casamento de mesmo sexo estão levando alguns países a legitimar a prática homossexual, enquanto outros estão à beira de fazer isso. Ele frisou que a Nigéria precisa agir muito rápido para que essa tendência não ache um meio de entrar no país. O sr. Nnagboh relatou que o senador Nnagboh exortou o Senado a proibir o casamento de mesmo sexo, que “levará ao colapso da sociedade”.
Uma versão do projeto de lei apareceu diante do Poder Legislativo em 2006, mas nunca foi para votação. O projeto foi reintroduzido em 2008, e passou por duas revisões, mas também nunca foi colocado para votação.
Organizações como Human Rights Watch, Anistia Internacional e a Comissão Internacional de Direitos Humanos Gays e Lésbicos estão pressionando o presidente da Nigéria Goodluck Jonathan a vetar o projeto se o Congresso o aprovar. David Cameron, primeiro-ministro da Inglaterra, recentemente ameaçou cortar assistência de países africanos como a Nigéria que buscam proteger a santidade do casamento no nome dos “direitos humanos”.
O primeiro-ministro Cameron disse que aqueles que estão recebendo assistência do Reino Unido têm a obrigação de “respeitar direitos humanos específicos”. Eliminar as leis que cometem “discriminação” contra a homossexualidade foi uma das recomendações de um relatório interno da Reunião dos Chefes de Governo da Comunidade Britânica de Nações realizada em Perth, Austrália.
Na semana passada, a VHI da Nigéria enviou uma carta de apoio ao projeto de lei que criminaliza o “casamento” de mesmo sexo no Senado da Nigéria antes de uma audiência pública sobre o projeto em 31 de outubro de 2011.
“A VHI da Nigéria deseja declarar que embora respeite todas as pessoas como elas são, não tem de respeitar tal ataque em massa contra tudo o que é sagrado para nós e contra o bem de nossa sociedade”, a carta declarou.
“O ‘casamento’ de mesmo sexo é uma ofensa aos nossos sentimentos religiosos e culturais” e “é um insulto para a instituição do casamento e família”, a carta, assinada pelo sr. Nnagboh, também disse.
David Mark, presidente do Senado da Nigéria, expressou apoio ao projeto de lei na audiência pública.
“Minha fé como cristão abomina isso. É incompreensível considerar o casamento de mesmo sexo. Não consigo entendê-lo. Não dá para se ter parte nisso”, disse o senador, alertando contra o que ele chamou de “importação de uma cultura estrangeira”.
Há uma “forte determinação entre os nigerianos de continuar a preservar a cultura da vida apesar das influências externas que estão trabalhando para miná-la”, disse o sr. Nnagboh. “Os nigerianos têm uma paixão muito especial por preservar a santidade do casamento e a família tradicional, e esse projeto de lei veio para garantir que o casamento de mesmo sexo, que não só é tabu na cultura nigeriana, mas também ofensivo para os sentimentos religiosos dos nigerianos, não crie nenhuma raiz na Nigéria”.
Este artigo foi publicado com a permissão de HLIWorldWatch.org.
Artigos relacionados:
Traduzido por Julio Severo: www.juliosevero.com
Copyright © LifeSiteNews.com. Este texto está sob a licença de Creative Commons Attribution-No Derivatives. Você pode republicar este artigo ou partes dele sem solicitar permissão, contanto que o conteúdo não seja alterado e seja claramente atribuído a “Notícias Pró-Família”. Qualquer site que publique textos completos ou grandes partes de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com em português tem a obrigação adicional de incluir um link ativo para “NoticiasProFamilia.blogspot.com”. O link não é exigido para citações. A republicação de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com que são originários de outras fontes está sujeita às condições dessas fontes.

7 comentários :

Anônimo disse...

Louvado seja Deus, sanidade na Nigéria, e na Hungria, Deus Seja Louvado.

Ronie Peterson

Mirian disse...

Até quem fim um país se opondo a essa abominação chamado "casamento homossexual".

Casamento instituido por DEUS: Homem + Mulher

Casamento instituido por SATANÁS: homem + homem / mulher + mulher.

Eu quero o que é de Deus, não o que é de satanás.

PRESBÍTERO VALDOMIRO disse...

Parabéns ao povo nigeriano, por não aceitar esta aberração do homossexualismo!

Não sei dizer se a Nigéria é um país 100% cristão, mas esta atitude foi muito corajosa (e de um verdadeiro cristão). Os nigerianos agiram exatamente como disse o apóstolo Pedro:

"Importa antes obedecer a Deus do que aos homens" (Atos 5:29)

Se o povo brasileiro tivesse essa mesma postura da Nigéria, certamente não estaria sofrendo os constantes ataques dos homossexuais!

O que está faltando para alguns evangélicos do nosso país é um compromisso sério, ou melhor, obediência à Palavra de Deus para ter segurança na hora de lutar contra os escravos do diabo!

Que este exemplo da Nigéria possa despertar muitos cristãos (e muitas igrejas) do Brasil que ainda continuam dormindo!

"PARA QUE O MAL VENÇA, BASTA QUE OS HOMENS DE BEM NÃO FAÇAM NADA"

silvio ricardo disse...

O mais trágico em torno de toda essa discussão, é que existem pessoas que ainda não conseguem enxergar (talvez porque não queiram mesmo, isto é, covardia) ou não acreditam que esse projeto de "casamento" homossexual é um projeto mundial da Elite Globalista, pois é ela quem está por detrás disto.

É só observar: em todo lugar existe uma pressão maciça e organizada sobre os governos para implantar o homossexualismo como norma geral de comportamento, gostem ou não as pessoas.

E quem é esta tal Elite Globalista?

Simples. São os donos das maiores fortunas do planeta: os caras que financiam todas estas ONGs milionárias que tocam projetos de aborto, eutanásia, liberação das drogas e homossexualismo; os Rockefeller, os Rotschild, os Ford, os Clintons, Georges Soros, os Onassis, Bill Gates e por aí vai.

É essa gente quem dita as regras na política.

Anônimo disse...

A coisa está começando a "ferver" e vai ferver muito mais.

A Àfrica do qual sempre é mostrada pela sua pobreza material, surpreende e mostra uma riqueza moral. Que não existe nos países ricos e nem em emergentes como o Brasil.

A coisa está fervendo e isto é uma má noticia para os "tranquilos" e "acomodados" evangélicos brasileiros.

Pois as atitudes dos africanos podem demonstrar o quanto são:frouxos,covardes,merdas e bundões.

Que as coisas Fervam muito mais na Àfrica. Pois ali os esquerdistas sem-vergonhas que promovem homossexualísmo e aborto enfrentarão uma durrissíma e super inesperada resistência aos seus maus intentos.

Irônia da histôria . Logo á Àfrica aquele povo tão pobre,faminto,coitado,indo contra nós. Dirão eles.

Olha o pensamento dos esquerdistas, como eles veêm os africanos como maltrapilhos,passa-fome,pensarão era só falar em cortar á assistência material.

Que essas nações pobres viriam como cachorro com rabo entre as pernas aceitar suas nojentas imposições.

E quebrarão a cara. Com a recusa destas nações.

Fico a pensar se ameaçassem o Brasil com restrições e retaliações qual seria nossa atitude ?

Pelo que tenho visto(infelizmente) os brasileiros não fariam nenhum esforço grande de rejeição e resistência.

E particularmente nós, evangélicos,poderiamos ceder de maneira vergonhosa. (Gostaria de estar errado,mas vendo as coisas por aqui me leva a essa conclusão)

Quando pensar na Àfrica lembre-se que pobreza material não leva necessariamente á pobreza moral e espiritual.

Nil Soares

Anônimo disse...

Amigo Júlio, que Deus esteja sempre ao seu lado!

Ao ler esse texto, fiquei me perguntando: porque não sou nigeriano, para eu ter orgulho de meu país? Se realmente essa obominação de "casamento gay" for mesmo proibida na Nigéria, vou olhar para os nigerianos com muito mais admiração e uma "inveja boa". Ainda resta nesse mundo, seres humanos digno, honrados, que não aceitam essa anormalidade como normal.
Nenhuma lei no Brasil, vai me "forçar" a aceitar a "união entre dois homens(?)(não são homens, homem sou eu... homem são os que respeitam e gostam de mulher...) como nornmal! E nunca ensinaria a um neto meu, que essa abominação é normal! Sou cristão e temente a Deus.
Deus em sua sabedoria, não fez a mulher por acaso... Este ser abencoado, que é capaz de gerar outro ser humano dentro de si. Qual a finalidade da "união gay"? Qual o objetivo e o futuro? Não existe!
Prabéns ao povo nigeriano! Vejam de onde partiu o exemplo de hora e dignidade humana, para toda a humanidade - de um continente tido como pobre! Que todos os africanos sigam esse abencoado exemplo.
Enquanto essa "republica de bananas" chamada Brasil só nos mete vergonha, com instituições falidas, corruptas, parciais - e com o PT no governo piorou muito mais - nos chega de um país que não vive na mídia internacional o exemplo de diganidade humana, hora e fé cristã.

Um abraço do amaigo baiano,
Lúcio

Anônimo disse...

Nossa quem diria um país como toda ÁFRICA hoje está abraçando a FÉ CRISTÃ EVANGÉLICA,defendendo com unhas e dentes a palavra do Senhor Jesus Cristo muito lindo tá colhendo frutos bons.
Graças a Deus que as igrejas evangélicas introduziram levar o EVANGELHO DE CRISTO que maioria lá do povo estão estão se convertendo de todo coração e abraçando o EVANGELHO DE JESUS CRISTO e deixando de lado era um país berço afro da feitiçaria, bruxaria, ocultismo.
LIBERTANDO ESSE POVO TÃO SOFRIDO QUE SÃO OS AFRICANOS POR TODA MAZELA EXISTE LÁ MAIS A SEMENTE DO EVANGELHO FOI PLANTADA DE UMA FORMA GENUÍNA.
Glória a Deus!!!
Por eles não cederem a chantagem de países os ajudam querendo em troca que eles apoiem o que anti-natural que prática homossexualismo e suas vertentes eu como uma neta de portugueses e brasileira fiquei orgulhosa com os irmãos africanos. Ester Costa!!!!