11 de outubro de 2011

Teologia da Missão Integral


Teologia da Missão Integral

Pode o Evangelho ser usado como mero palanque de uma ideologia?

“A Teologia da Missão Integral é uma variante protestante da Teologia da Libertação”.
— Ariovaldo Ramos, na revista marxista Diplomatique.
Julio Severo
“Deus ouviu nossas orações!” Assim disse uma viúva ao abrir a porta da frente de sua pobre casa e ver, com seu filho, várias caixas de compras de alimentos, roupas e outros produtos. Tudo estava ali, na frente de sua porta, sem identificação nenhuma do bondoso doador. Mas a viúva sabia que, fosse quem fosse, tinha sido um instrumento dAquele que toca os corações para essas preciosas expressões de amor.
Testemunhos semelhantes se repetem em todas as épocas e lugares: em suas necessidades, pessoas oram e recebem bênçãos especiais de doadores desconhecidos. São desconhecidos movidos por Aquele que é amor e humildade, e praticam o amor sem nenhuma ambição de aparecer, conforme Jesus mesmo ensinou:
“Guardai-vos de fazer a vossa esmola diante dos homens, para serdes vistos por eles; aliás, não tereis galardão junto de vosso Pai, que está nos céus. Quando, pois, deres esmola, não faças tocar trombeta diante de ti, como fazem os hipócritas nas sinagogas e nas ruas, para serem glorificados pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam o seu galardão. Mas, quando tu deres esmola, não saiba a tua mão esquerda o que faz a tua direita; Para que a tua esmola seja dada em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, ele mesmo te recompensará publicamente.” (Mateus 6:1-4 ACF)
Essa é a beleza da vida cristã: o amor em ação, em obediência ao Senhor Jesus Cristo, se expressa em humildade. A caridade cristã é uma ação movida por puro amor, nunca por ideologia.

Amor versus ideologia

Mas quando entra a ideologia, entra a imposição e vai embora o amor.
Onde Deus dá a cada pessoa a liberdade de ajudar quem realmente precisa, a ideologia usa a força bruta para tirar dos outros com a desculpa de ajudar os necessitados.
Deus ajuda, mediante seus servos, pelo amor.
A ideologia, mediante seus adeptos, impõe, em nome do amor.
Deus usa as pessoas voluntariamente.
A ideologia faz uso do Estado para obrigar as pessoas.
Essa é a diferença básica entre ideologia e amor inspirado por Deus.
A ideologia gosta de lidar com dinheiro, principalmente dinheiro dos outros. Enquanto na vida cristã cada seguidor de Cristo usa seus próprios recursos para abençoar quem está em necessidade, os adeptos da ideologia usam o dinheiro que é tirado dos outros, muitas vezes pela força. E usam não somente para ajudar quem supostamente precisa, mas também a si mesmos, tal qual fazia Judas.
Judas, o apóstolo que traiu Jesus, era responsável pelo dinheiro que as pessoas voluntariamente doavam para os pobres. Ele usava o dinheiro para ajudar não somente os pobres, mas também a si mesmo, e ainda assim aceitou suborno para trair o Mestre.
A traição ao Mestre pode ocorrer de diversas formas. Quando um cristão só ajuda os pobres com o dinheiro dos outros, vive disso e promove uma ideologia que defende o Estado no papel de tirador do dinheiro dos outros para supostas caridades, o nome de Jesus não é glorificado. É traído.
O que, por exemplo, faria um pastor adepto da Teologia da Missão Integral viajar a Venezuela para dar apoio a Hugo Chavez, por suas políticas supostamente voltadas aos pobres? Por que esse pastor não procurou um bom trabalho a fim de fazer, com o dinheiro de seu suado salário, caridade para os pobres?

Assistência apostólica seletiva

Tanto os adeptos da Teologia da Libertação quanto os adeptos da Teologia da Missão Integral se julgam mais apóstolo do que os doze apóstolos de Jesus. Os primeiros apóstolos tinham na igreja um ministério de caridade não voltado aos descrentes ou à sociedade, nem mesmo a todos os crentes. Era voltado exclusivamente às viúvas que preenchessem certos requisitos:
“Cuide das viúvas que não tenham ninguém para ajudá-las. Mas, se alguma viúva tem filhos ou netos, são eles que devem primeiro aprender a cumprir os seus deveres religiosos, cuidando da sua própria família. Assim eles pagarão o que receberam dos seus pais e avós, pois Deus gosta disso. A verdadeira viúva, aquela que não tem ninguém para cuidar dela, põe a sua esperança em Deus e ora, de dia e de noite, pedindo a ajuda dele. Porém a viúva que se entrega ao prazer está morta em vida. Timóteo, mande que as viúvas façam o que eu aconselho para que ninguém possa culpá-las de nada. Porém aquele que não cuida dos seus parentes, especialmente dos da sua própria família, negou a fé e é pior do que os que não crêem. Coloque na lista das viúvas somente a que tiver mais de sessenta anos e que tiver casado uma vez só. Ela deve ser conhecida como uma mulher que sempre praticou boas ações, criou bem os filhos, hospedou pessoas na sua casa, prestou serviços humildes aos que pertencem ao povo de Deus, ajudou os necessitados, enfim, fez todo tipo de coisas boas. Mas não ponha na lista as viúvas mais jovens; porque, quando os seus desejos fazem com que queiram casar de novo, elas abandonam a Cristo. E assim elas se tornam culpadas de quebrar a primeira promessa que fizeram a ele. Além disso, elas se acostumam a não fazer nada e a andar de casa em casa; e, pior ainda, aprendem a ser mexeriqueiras, metendo-se em tudo e falando coisas que não devem. Por isso, eu quero que as viúvas mais novas casem, tenham filhos e cuidem da sua casa, para que os nossos inimigos não tenham motivos para falar mal de nós. Pois algumas viúvas já se desviaram e seguiram Satanás. Se alguma mulher cristã tem viúvas na sua família, ela deve ajudá-las. Que ela não ponha essa carga sobre a igreja, para que a igreja possa cuidar das viúvas que não tenham ninguém que as ajude!” (1 Timóteo 5:3-16 NTLH)
A ajuda da igreja era seletiva. Todas as viúvas em necessidade não tinham um direito automático de receber assistência. Elas tinham primeiramente de passar por alguns testes de qualificação moral.
Contudo, mais comumente adeptos de teorias cristãs de linha marxista se baseiam na decisão dos primeiros apóstolos orientando toda a igreja judaica a entregar suas propriedades à liderança apostólica. Mas, ao contrário do que uma interpretação de Teologia da Missão Integral (MTI) faria, a intenção dos apóstolos jamais foi transformar a igreja numa mega-agência de caridade para toda a sociedade.
O mesmo capítulo 5 de Atos que fala sobre entregar tudo aos apóstolos fala também sobre apóstolos cheios de poder do Espírito Santo: “E muitos sinais e prodígios eram feitos entre o povo pelas mãos dos apóstolos”. (Atos 5:12)
O verdadeiro Cristianismo pratica caridade para quem realmente precisa e merece, e faz sinas e prodígios no meio do povo: curas, expulsões de demônios, etc. Os adeptos da MTI, que não são conhecidos por sinais e prodígios de curas e libertação no meio do povo, são mais conhecidos por defenderem o papel da igreja como uma força de pressão sobre o Estado em sua ânsia de tirar os recursos dos cidadãos para supostas práticas de caridade sem a seletividade que os apóstolos tinham.

Decisão dos apóstolos: inspiração estatal, ideológica ou meramente eclesiástica?

A decisão dos apóstolos de que todos os membros da igreja tinham que ter tudo em comum tinha como objetivo:
* Deixar os membros pobres e enriquecer os apóstolos, assim como se faz na moderna Teologia da Prosperidade.
* Criar um sistema político para tirar de quem não tem para dar a quem não tem, conforme propõe a Teologia da Missão Integral.
Se você escolheu uma das duas opções, você errou.
O que os apóstolos fizeram não foi um meio de se enriquecer à custa dos membros. E eles também não estavam usando a igreja para criar um sistema político. Foi exclusivamente uma decisão interna, uma decisão voltada apenas para a igreja judaica. Jamais foi intenção deles transformar sua experiência de igreja em teocracia socialista, pressionando o Estado a impor sobre a sociedade uma repartição forçada de bens.
Uma transferência desse sistema para a esfera secular teria de impor certas medidas:
* Todos os cidadãos deveriam se submeter à autoridade dos apóstolos estatais e a insubmissão teria a mesma conseqüência que sofreram Ananias e Safira: a pena de morte.
* Todos os cidadãos deveriam entregar todos os seus bens aos apóstolos estatais.
Mesmo que ousemos considerar a possibilidade dos apóstolos aceitando a secularização de sua decisão particular para sua igreja, transferindo-a para a sociedade, qual seria o resultado?
A igreja judaica dos 12 apóstolos sofreu muito economicamente quando foi atingida por uma grande crise de fome que atingiu todo o Império Romano. Mas as igrejas fundadas e dirigidas pelo Apóstolo Paulo na Ásia Menor e Europa, que também estavam no Império Romano, não só tiveram força econômica para prevalecer sobre a crise de fome, mas até mandavam ajuda para a empobrecida igreja judaica.
Havia uma diferença marcante: Paulo não quis trazer para suas próprias igrejas as práticas dos apóstolos de Jerusalém, que haviam estabelecido tudo em comum. (Veja um estudo mais detalhado aqui.)

Assistencialismo forçado

Se uma grande fome atingir o mundo — e onde há políticas socialistas predominantes, a miséria é inevitável a curto ou longo prazo —, até mesmo as igrejas cristãs serão afetadas, inclusive igrejas dirigidas por apóstolos. Mas escaparão as igrejas que não foram infectadas pela visão que está a serviço de uma ideologia de falsa compaixão.
Vejamos a proposta da Teologia da Missão Integral (TMI) usando como base as práticas dos apóstolos:
A TMI quer que o Estado obrigue todas as pessoas a repartir sua renda para seus programas assistencialistas.
A igreja apostólica usava apenas os recursos da igreja para sustentar a própria igreja, nunca usando esses recursos para assistencialismo no mundo.
A TMI apóia qualquer governo corrupto e sem moral, contanto que faça “assistencialismo”.
A igreja apostólica não tinha nenhuma proposta ou exemplo assistencialista ou político. O que ela tinha era um programa de assistência às mulheres viúvas. Esse programa estipula duas coisas bem claras: O dever de sustentar as viúvas pertence às famílias delas. As que não tinham famílias podiam contar com a ajuda da igreja se preenchessem certas condições de bom testemunho cristão. As viúvas sem bom testemunhos ficavam de fora. Portanto, para ser qualificado para receber a ajuda da igreja, não bastava ser pobre. Tinha de ter bom testemunho.
Entretanto, os adeptos da TMI querem o Estado no lugar tanto das famílias como das igrejas. Embora se classifiquem como cristãos e usem o Evangelho fora de contexto, suas ações mostram que eles estão trabalhando para criar um Estado mais forte, transferindo para ele as responsabilidades que são das famílias e das igrejas.
Sob inspiração marxista, mas com roupagem bíblica estratégica, a teocracia socialista é de longe hoje a forma mais popular e predominante de ação política cristã, onde católicos e evangélicos progressistas pressionam o Estado a impor sobre a sociedade a repartição forçada dos bens dos cidadãos, sob o pretexto socialista de justiça social. Aliás, o Estado teocrático socialista quebra toda separação entre igreja e Estado, removendo das igrejas e suas famílias as áreas da educação, saúde, caridade, etc.
Em nome da compaixão pelos pobres, as comunidades eclesiais de base da Igreja Católica, infectadas com a Teologia da Libertação, pregavam que uma teocracia socialista era plenamente justificável. Com suficientes bases bíblicas da Teologia da Libertação, a CNBB marxista deu o sinal verde para o PT e Lula subirem ao poder. Não muito atrás, os adeptos da Teologia da Missão Integral também sinalizaram para Lula que ele e sua gangue tinham o apoio dos evangélicos para decolar.
Hoje, graças à Teologia da Libertação e à Teologia da Missão Integral, o Brasil tem um Estado cada vez mais socialista supostamente voltado para “os pobres”. E não nos deixemos enganar. Embora a palavra “teologia” apareça frequentemente, o que vale aí é a ideologia. O próprio Ariovaldo Ramos reconheceu, na revista marxista Diplomatique, que “A Teologia da Missão Integral é uma variante protestante da Teologia da Libertação”. E a Teologia da Libertação é a mais importante variante religiosa da ideologia marxista. São duas faces da mesma moeda.
Adeptos dessa teologia, que também se consideram “progressistas”, têm histórico comprovado de ligações socialistas.
Repetindo o que eu já disse sobre evangélicos progressistas:
Eles provocam incontáveis estragos à divulgação do Evangelho, ao pervertê-lo e colocá-lo a serviço de uma ideologia que nada tem a ver com Jesus Cristo. Cada tentativa de se implantar um reino humano dessa ideologia trouxe a manifestação do reino das trevas: matanças, genocídios, mentiras, destruição e horrenda perseguição aos verdadeiros seguidores de Jesus Cristo.

Roubo em nome da compaixão

Em nome da compaixão pelos pobres, o governo teocrático socialista tira de você e de mim muito dinheiro através de políticas vorazes de impostos. Vejamos agora alguns exemplos do uso do nosso dinheiro:
* Meu dinheiro é tirado à força de mim para ajudar o pobre do Fidel Castro e seu pobre governo comunista.
* Meu dinheiro é tirado à força de mim para ajudar a pobre Autoridade Palestina, que precisa perseguir cristãos e ajudar seus pobres grupos terroristas contra Israel.
* Meu dinheiro é tirado à força de mim para ajudar os pobres grupos homossexuais a promover suas orgias, inclusive promovendo o homossexualismo nas escolas públicas.
* Meu dinheiro é tirado à força de mim para financiar grupos pró-aborto a ajudar as pobres mulheres e os pobres médicos a livrarem a sociedades de opressores bebês em gestação.
* Meu dinheiro é tirado à força de mim para ajudar os pobres políticos socialistas do Brasil a viajarem pelo mundo inteiro para se encontrar com amigos terroristas e ditadores.
* Meu dinheiro é tirado à força de mim para ajudar muitos outros tipos de pobres, conforme o governo decidir.
E, já que estamos numa teocracia, todos devem obedecer, sem questionar. Já viu alguém querendo questionar a Deus? Mas, você perguntará, se estamos numa teocracia, onde está Deus no centro? Ah, esqueceram de avisar! Logo que a Teologia da Libertação e a Teologia da Missão Integral se tornam realidade numa nação, há uma pequena mudança de “governo”. O papel meramente simbólico de Deus é discretamente removido e o Estado socialista ocupa o trono! “Ei, Deus! Obrigado por nos deixar usar seu nome para avançar nossa revolução! Obrigado também por nos emprestar algumas partes do teu Evangelho por meio da Teologia da Libertação e da Teologia da Missão Integral!”
Entretanto, não fique chocado: a Teologia da Libertação e a Teologia da Missão Integral garantem que a preocupação central sejam os pobres e, quer a teocracia socialista tenha Deus ou o Estado no trono, muito pouco importa. O que importa é fazer tudo em nome da compaixão e dos pobres!
Jesus Cristo é a favor dos pobres, mas sua compaixão nada tem a ver com o socialismo. Ele nos ensina a amar e ajudar os pobres voluntariamente. Eu e muitos cristãos bem que gostaríamos de fazer mais, mas a teocracia socialista vem sufocando nos cidadãos todos os recursos que deveriam estar disponíveis para atos voluntários de caridade: Imensas quantias de impostos são tragadas pelo Estado, em nome da compaixão pelos pobres, para financiar imensas políticas socialistas, inclusive bolsas-famílias que sustentam um grande curral de eleitores que sustentam a teocracia socialista.
Com o Deus verdadeiro, você tem a opção e o livre arbítrio de ajudar os pobres, o quanto você quiser, do jeito que você quiser, quando você quiser. Com o falso deus da teocracia socialista, a opção e o livre arbítrio são degolados. Quer queira quer não, você e principalmente seu bolso são chamados a contribuir involuntariamente para a revolução teocrática socialista AQUI E AGORA.
Há uma diferença cósmica entre Jesus e o Estado.
Jesus não usa o Estado para enganar os pobres, nem o usa para tirar dinheiro de ninguém, nem o usa para forçar ninguém a perder seu livre arbítrio. Jesus chega até a pessoa e a convida: Você quer me seguir? Você quer ajudar seu próximo?
Mas a teocracia socialista age muito diferente. Seus representantes chegam até você e dizem:
Precisamos ajudar os “pobres”.
Aí você responde:
Legal! Com o que você vai ajudá-los?
Com o seu dinheiro.
Mas eu não posso dar agora…
Não estamos pedindo sua colaboração. Estamos exigindo seu dinheiro.
Peraí. Jesus quer que eu ajude, mas nem ele me obriga a nada.
Por acaso temos cara de Jesus? Entregue imediatamente seu dinheiro. Do contrário, você será preso por insubmissão ao Estado.
Sem opção, você entrega seu dinheiro. Seus bolsos se esvaziam, e os bolsos dos poderosos “a serviço” do Estado “compassivo” se enchem.
Qual é a diferença entre a Teologia da Prosperidade e a Teologia da Missão Integral?
As duas esvaziam seus bolsos. A primeira, no altar da igreja; a segunda, no altar do Estado.
Na Teologia da Prosperidade, você enriquece os líderes da igreja, se você quiser ofertar. Lembre-se: a Teologia da Prosperidade não força ninguém a entrar na igreja e dar dinheiro.
Na Teologia da Missão Integral, você enriquece os líderes do Estado e suas loucuras, quer você queira ou não. Lembre-se: a Teologia da Missão Integral defende uma teocracia socialista onde todos são forçados a entregar dinheiro no altar do Estado.

Estado pecador

Em sua desculpa de ajudar os pobres por meio do aumento incessante e cruel de impostos, o governo comete três pecados:
* Quebra um dos Dez Mandamentos, que exige não roubar.
* Tira do cidadão sua oportunidade de voluntariamente ajudar os pobres.
* Sustenta um populismo pesadamente caro para se solidificar no poder.
Jesus ensinou bem claramente em Mateus 6 que cada homem — jamais o Estado — tem a responsabilidade e opção de ajudar diretamente os pobres. E Jesus ensinou também a forma de dar: sem que ninguém saiba.
Por mais que queiram os adeptos da Missão Integral ou os adeptos da Teologia da Libertação, o governo não consegue cumprir esses dois ensinamentos, por um motivo bem simples: é dirigido às pessoas da igreja, não ao Estado.
Quando o Estado entra na esfera da igreja, para cumprir o papel de seus membros, o resultado é perversão. Enquanto o homem ou a mulher que ama Jesus ajuda os pobres com seus próprios recursos pessoais, o Estado que não ama Jesus tira os recursos dos cidadãos à força e, bem diferente do que Jesus mandou, faz propaganda e publicidade aos quatro cantos do mundo de toda migalha que dá, fazendo trombetas tocarem sobre si e se fortalecendo num populismo oportunista.
Provavelmente, o governo gaste, do dinheiro do povo, tanto em migalhas aos pobres quanto em propaganda para manter sua imagem de “protetor dos pobres”.
Imagine agora o cenário: Um homem está determinado a seguir a orientação de Jesus de ajudar os pobres. Assim, ele vai até seu vizinho e diz: “Entregue-me seu dinheiro!” Diante da recusa do vizinho, o homem o ameaça, finalmente conseguindo a grana. Com o dinheiro em mãos, ele divulga para a cidade inteira que ele vai ajudar os pobres. Pega uma parte boa do dinheiro e dá aos jornais, para fazerem muita propaganda da generosidade dele. Pega outra parte do dinheiro e dá aos seus amigos homossexuais, para que possam farrear à vontade. Pega outra parte do dinheiro e dá para sua amiga que tem um trabalho de defender o aborto. Dá outra parte para outros amigos. Pega um pouco para si e, finalmente, para não ser injusto com seu populismo, espera os jornalistas, as câmaras, TVs, rádios, etc., para entregar sua “ajuda” aos pobres.
Essa é a caridade sem Deus.
Essa é a caridade estatal.
Como é que alguns cristãos foram se meter nisso?
Eu creio que Jesus Cristo deu aos cristãos a autoridade e o poder de realizar sinais, prodígios e maravilhas, inclusive expulsando demônios. (Veja Marcos 16)
Já passou da hora de os cristãos expulsarem de seu meio a Teologia da Libertação e a Teologia da Missão Integral.
Atualização importante: Adquira, gratuitamente, o livro “Teologia da Libertação X Teologia da Prosperidade”.

Teologia da Libertação versus Teologia da Prosperidade

Versão em inglês deste artigo: Theology of Integral Mission
Versão em espanhol deste artigo: Teología de la Misión Integral

27 comentários :

PRESBÍTERO VALDOMIRO disse...

Júlio, eu não consigo achar palavras para elogiar este seu artigo! Foi simplesmente maravilhoso! Meus parabéns! Merece nota 10!

E o que você falou em relação ao Estado é a mais pura verdade. O Estado "se acha" com autoridade para fazer o papel de Deus no comando de uma nação. Tudo isso para manter sempre os mesmos indivíduos no poder.

A pergunta é: quem coloca essas pessoas no poder? O povo que não sabe votar. Sabe por que eu digo isso? Por uma razão muito simples: se o povo tivesse maturidade o suficiente na hora de votar, o Congresso Nacional não estaria cheio de políticos oportunistas e inescrupulosos (inclusive no meio evangélico). O problema é que o povo vota mais com a emoção do que com a razão. Em outras palavras: o povo vota mais com a barriga do que com a cabeça. Tem gente que só vota em troca de favor (tipo "toma lá, dá cá"), isto é, o povo só vota em quem dá alguma ajuda.

Só que tem um detalhe: enquanto prevalecer este quadro, ou melhor, enquanto o povo ainda tiver essa mentalidade clientelista (de só votar em troca de alguma ajuda), o nosso país nunca vai ser um país sério. Daí a razão de se dizer popularmente que "o povo tem o governo que merece".

Eu só voto nulo em toda eleição. Do jeito que a nossa política está tão podre e tão corrompida, eu não vejo nenhum político que mereça a minha confiança (nem mesmo os da bancada evangélica). É como bem disse o apóstolo Paulo: "Seja Deus verdadeiro e todo homem (principalmente político) mentiroso" (Romanos 3:4, o parêntese é meu).

Tomara que este seu artigo consiga fazer com que muitos sejam politicamente conscientizados para que coloquem verdadeiros homens de Deus na direção do Estado nas próximas eleições.

Casal 20 disse...

Está na hora da Igreja acordar!

Sigamos salgando!

Abraços sempre afetuosos.

Edigar Caires disse...

Paz irmão Júlio, mais uma vez parabéns pela sua incansável luta e coragem em denunciar estas coisas. Excelente artigo, ouso dizer que é um dos melhores do seu site, e eu sou cuidadoso em ler todos os que chegam ao meu i-mail.

Apocalipse 17:13 diz que os reis ( governos ) da terra tem a intenção de entregar o seu poder e autoridade a besta ( diabo ), para assim combater JESUS e os cristãos verdadeiros. Veja o texto:

Estes têm um mesmo intento, e entregarão o seu poder e autoridade à besta. Estes combaterão contra o Cordeiro, e o Cordeiro os vencerá, porque é o Senhor dos senhores e o Rei dos reis; vencerão também os que estão com ele, os chamados, e eleitos, e fiéis. Disse-me ainda: As águas que viste, onde se assenta a prostituta, são povos, multidões, nações e línguas.
Apocalipse 17: 13 a 15

Estamos vivendo tempos difíceis e angustiosos, mas temos de nos unir em torno da palavra de DEUS e seus princípios, pois só ela é a bússola para nos tirar deste mar de podridão que se tornou o mundo.

Que O NOSSO ÚNICO SENHOR E SALVADOR JESUS CRISTO continue a abençoar e proteger você e sua família.

Fiquem na paz

www.edigarcaires.com.br

MARIA disse...

Excelente texto! Esclarecedor demais! Aliás, esse tipo de esclarecimento é extamente o tipo de conhecimento que está faltando a sociedade para nos livrar dessa peste chamada PT e pensamnto esquerdista que impregnou os meios academicos e contaminou todo pensamento ocidental!
Parabéns,Júlio!

Anônimo disse...

Ola Julio, só uma coisinha que eu li e engasguei! Na parte que você diz: políticas socialistas, inclusive bolsas-famílias que sustentam um grande curral de eleitores que sustentam a teocracia socialista.
Bem tem gente que não precisa e recebe esses benefícios, mas tem gente como por exemplo, o povo na zona rural onde não há um plano do governo para transferir tecnologia para eles, deixando-os parados no tempo com terras desgastadas e sem recurso e sem apoio técnico, eu mesmo tenho uma tia com dois filhos na escola que tinham calçados e roupa devido a o beneficio que você citou que é pequeno se comparado a necessidade e a omissão por parte do governo. Na verdade o que não e legal e usar o termo curral, há diferença entre quem recebe por precisa de quem recebe por ganância, generalizar e de mais, alem do mais, se trata de pessoas iguais a qualquer um, apenas sujeitos ao seu contexto social, geográfico etc... currais são para animais, e só se sabe o valor de uma pequena quantia de dinheiro quem tem fome, pra uns pode ser pouco, mas para quem esta em aperto pode ser a salvação.
Entendo que a hegemonia conquistada com essas políticas as vezes são estratégicas para uso de fins que só Deus sabe, mas eu ainda acredito que Deus manda e o diabo obedece, isto posto querendo ou não a casos que o governo ajuda. Fora isso acho show de bola o que escreves!!!
ABRAÇÃO

Julio Severo disse...

Oi, anônimo! Acho que você leu e não entendeu. Se sua tia precisava de caridade, Jesus já nos deu as regras específicas para isso. Mas dizer que o governo está desculpado em roubar dos cidadãos para sustentar tias com dois filhos e corruptos com amantes é de engasgar também! Sua tia precisa de caridade? O governo não é o canal para isso. A caridade deve sempre ser voluntária. Este é o plano de Deus.

A "caridade" do governo inclui roubos e Deus jamais aprova isso. Aliás, fico realmente engasgado quando alguém insinua que o governo é capaz de fazer caridade. O governo não pode fazer e é incapaz de fazer isso, pois de acordo com Romanos 13, o chamado de Deus para o governo é castigar os maus e elogiar os bons. A nós pertence o chamado de fazer caridade, nunca ao governo.

Anônimo disse...

Os brasileiros já pagarão mais de R$1,1 trilhão(um trilhão e cem bilhões de reais) em impostos neste ano.

http://www.noticiasbr.com.br/brasileiros-ja-pagaram-mais-de-r-11-trilhao-em-impostos-neste-ano-23847.htm

O PIB (tudo que o país produz) de 2010 foi de 3 trilhões e 675 bilhões em 2010
http://www.suapesquisa.com/o_que_e/pib.htm

Neste ano a carga tributária chegará ao record de 36,5% do PIB.

Preveêm arrecadar mais de UM TRILHÃO E 400 BILHÕES DE REAIS.

http://www.suapesquisa.com/o_que_e/pib.htm

Pois bem os impostos hoje não estão na casa de milhões,ou bilhões, mas, nos espantososa casa do TRILHÂO.
Por mais que a inflação ou desvalorização do dinheiro seja elevada.
Um trilhão de reais é um quantia super-hiper-ultra fabulosa.

Mas ! Os bestas dos brasileiros não acordão para essa realidade.

Não só no Brasil,mas no mundo hoje , trilhões seja de dollares,euros,libras estão sendo arrecadados em impostos.

Quantias de dinheiro que teriam o peso de milhares de toneladas se fossem pagas só em papel moedas.

Quantas carretas seriam precisas para carregar os um trilhão e 100 bilhões de reais pagos em impostos pelos brasileiros este ano,2011.

Se todo este dinheiro fosse em notas de cem reais. Nem penso em notas menores. Faça as contas.

Deste á crise nos EUA E agora na EUROPA ouvimos noticias na TV de centenas ou até trilhões de dollares ou euros envolvidos.

Realmente são números como se diria com razão "astronômicos"".

Números astronômicos antigamente erão usados para medir o tamanho do universo.

Hoje serve para medir arrecadação de impostos e a gastança de governos.

Nil Soares.

Anônimo disse...

To impactada com esse seu artigo eu acho na minha opinião melhor do ano 2011 em seu blog profético que vc escreveu.
Esse assunto me toca profundamente questão humanitária tenho isso desde criança no meu coração de ajudar os outros que a maioria até que se dizem "cristãos" todo mundo olha torto e fecha os olhos:
Os problemáticos, esquecidos, marginalizados, carentes, necessitados de tudo amor, carinho, afeição, compaixão gosta de gente assim para ajudar os limpinhos e mole né irmão?.
Não só do dar pão e alimento mais de introduzir a Palavra de Deus para pessoas a esperança do evangelho e Salvação do Senhor jesus Cristo para suas vidas isso que o mais importante dever de quem é FILHO DEUS E NASCEU DE NOVO.
Irmão julio severo DEUS VIVO, te conserve e que o use muitooo mais poderosamente na palavra de Deus como ele te usa vc tem um na lista nos "dons espirituais" tava lendo e meditando isso final de semana tremendo Glória e toda honra seja dada a ELE ao único DEUS VIVO.
Segunda feira meditando mais uma vez na palavra nos evangelhos e ministério do nosso Senhor salvador JESUS CRISTO isso me chamou atenção e confirmação tbm do que sempre achei quem faz a vontade de Deus realmente tem que aprender com ele mesmo JESUS ÚNICO aqui na terra um homem extremamente humilde, simplicidade, e DISCRETÍSSIMO. Passagem da filha de jairo pediu ajuda a Jesus sua filha estava tremendamente enferma muito doente e quando chegou na casa teve notícia tinha falecido mais Jesus falou a seus pais longe de todos amigos e familiares que tinham que ter FÉ em Deus e crer ela só estava dormindo.
Jesus foi no quarto já estava morta ele orou por ela ressucitou acordou e os pais ficaram felizes e maravilhados.
Mais jesus pediu uma coisa eles não contassem pra ninguém daquele grande milgare que tinham feito para sua filha.
Senhor Jesus Cristo não queria ser proclamado pelos seus feitos e sim amado por ele ser quem ele é FILHO DE DEUS independente de suas OBRAS.
Fazer auto promoção e se aparecer para poderosos e políticos da época não era com ele não ao contrário ele saia fora disso tudo por isso ele foi muito perseguido ele incomodava muito pelos fariseus que se diziam "Cristãos" ele era oposto deles queriam glórias humanas se achavam auto suficientes, sábios, eram sempre soberbos, orgulhosos, hipócritas satisfazer na verdade seus próprio "EGOS" e deixar de lado de dar glória ao DEUS VIVO E FILHO SENHOR JESUS CRISTO ELES SÃO SUPREMOS SERÁ PARA TODO SEMPRE ASSIM TODAS NOSSAS CONQUISTAS E VITÓRIAS TEM QUE SER DADA SOMENTE A ELES.
Questão humanitária não tem conversa a gente tem que usar a discrição veradeira postura de um filho de DEUS tem que fazer isso por amor ao próximo ligado a DEUS PERFEITO.
Organizações cristãs:
Tudo misturado com política um embaraço por aí vou te dizer sente a mesmo "barreira" não tem fluir de Deus a naturalidade e benção do Senhor sempre fiquei pé atrás disso tudo vc escreveu é pura verdade mesmo.
As coisas tem que ser feitas de coração amar o que está fazendo de "ajudar", sempre pensei assim e minha mãe tbm sempre me disse isso até fala que quando ela não era nem convertida sempre trabalhando e ganhando pouco tendo sustentar a família meus avôs.
Ela podia ajudava os seus sempre com seu "dinheiro" DEUS já naquela época nunca a desamaparou momentos difícies sempre vinha um milagre e socorro o dinheiro acabava sobrando ou alguém doando e dando presentes alguma coisa pra ela as patroas presenteava com bolsa de compras, roupas semi novas, aumentava um pouco salário dela DEUS REALMENTE É FIEL ATÉ PARA OS INCREDÚLOS QUE JÁ TEM UM BOM CORAÇÃO.
Tenho que dar graças a Deus para sua vida irmão a que ele levante mais júlios severos para fazer a obra do senhor. Ester Costa!!!!!

MARIA disse...

O Programa bolsa família (e bolsa sei-lá-mais-o-que), é terrível, péssimo mesmo! Mas isso não significa que as pessoas que o recebem não precisam de ajuda. O problema está no tipo de ajuda. As pessoas precisam de escolaridade de verdade para terem chances e oportunidades de trabalho e ajuda na forma de oportunidade de trabalho e não dinheiro na mão sem trabalhar e uma porcaria de escola pública que cuja informação mais importante que acham que o aluno precisa é ser a favor da homossexualidade. O ensino no Brasil é uma verdadeira tragédia e com esse maldito governo petista e esquerdista pioria a cada dia. Por isso há tanta gente precisando de ajuda do governo.

tania cassiano disse...

JÚLIO,
Excelente o post!
Nunca tinha visto o tema desse ponto de vista.
Parabéns!
PS: Vou compartilhar e tirar cópia.
Abs.

Anônimo disse...

Aqui tem um artigo, que Creio eu que irá salientar ainda mais esse artigo do Julio, podendo até ser um Complemento (eu acho) leiam

e Julio, Excelente artigo muito bom

Ronie Peterson

Anônimo disse...

Desculpa Julio, esqueci de postar o artigo, que achei ser interessante para complementar o seu, o nome do artigo é

"A falácia da justiça Social"
eis ele aqui

http://www.espada.eti.br/falacia.asp

abraço e fique com Deus

Ronie Peteson

Josué disse...

Olá Júlio Severo, acredito que este seu comentário não tenha muita relevância, pois só sabe se aquele momento é realmente provisão de Deus, quem está faminto, necessitado, sem saber sequer se terá uma refeição no dia de hoje, percebo que neste artigo, vc falou bastante sobre 'TEOLOGIA DA TMI' E 'IDEOLOGIA', mas se quer notou que também tem a sua 'IDEOLOGIA', a qual ficou bem clara e esposta, uma ideologia de que as pessoas a serem ajudadas devem ser selecionadas e escolhidas a dedo, me desculpe, mas não vejo nada de relevante nem edificador neste seu artigo, pois quando estamos de fora de todo este contexto cruel, orrível e assustador que é a miséria, fica fácil falar sobre o assunto, mas é de dentro destes contextos que a voz tem que gritar por socorro.
Ah, somente mais um comentário: não sei o que vc faz pela causa dos que neste momento morrem de fome, mas sei que os verdadeiros adéptos da (TMI)que é tão criticado nesta postagem de seu blog, tenta lutar com as forças tanto espirtuais com físicas para prover pelo menos uma vez ao dia algo em comum que vai todos os dias a nossa mesa (arroz e feijão).
termino assim meu comentário na esperança de este seja apenas um pade papo e pontos de vista diferentes, creio que vamos para o mesmo céu e não quero fazer disso uma discussão, fica na paz de Cristo.

Julio Severo disse...

Oi, Josué!

A TMI é uma ideologia, quer você goste ou não. Se você acha que caridade voluntária, conforme era pregada por Jesus e praticada por seus apóstolos, era também ideologia, então, nessa definição, estou dentro da “ideologia” de Jesus e seus apóstolos.

Aconselho-o a rever seus conceitos sobre a TMI, pois percebi que seu blog é dedicado a TMI.

Quer fazer missão integral ao estilo de Jesus? Vá, pregue o Evangelho, cure os enfermos e expulse demônios.

Provavelmente, na época de Jesus havia muito mais pessoas passando fome do que hoje. Mesmo assim, ele não instruiu seus discípulos: ide e matai a fome do mundo inteiro. E você também nunca vai encontrar nos Evangelhos Jesus diariamente ocupado na alimentação dos famintos. Havia famintos, mas você precisa entender as coisas com a visão de Deus, não com a visão da TMI. Contudo, com certeza você deve ter percebido que Jesus nunca teve nada a ver com a TMI, com Marx e com oportunistas evangélicos que fazem a vida da desgraça alheia.

Leia este artigo que escrevi: http://juliosevero.blogspot.com/2006/03/grande-mentira-o-socialismo-comeou-na.html

Bruno Rodrigues disse...

Oi Júlio, oi pessoal, tudo me paz?!

A Bíblia não fica fazendo muitas menções, mesmo, quanto a Jesus e os discípulos alimentando famintos.

Mas, de coração, você não acha que essa é a vontade de Deus? Mesmo que isso pareça caminhar num chão utópico, mas de, pelo menos, ao mundo ao meu redor, eu não deveria trabalhar por tudo aquilo que Deus deseja que aconteça?

Ou não?

Jesus disse que sempre teríamos os pobres conosco, mas por isso não vou lutar contra?

Jesus disse para sermos perfeitos. Sabemos que ninguém o é, pois senão seria um mentiroso. Mas não é por isso que não podemos estar a caminho da perfeição?

Também queria saber o que você pensa a respeito do neoliberalismo?


Você acha que tudo o que Marx disse não faz sentido? (digo estritamente de Marx mesmo, não dos seguidores ao lado, aqui >, rsrs)


Abraços

Julio Severo disse...

Olá, Bruno! Nem tudo o que faz sentido é correto ou vem de Deus. Quando Jesus passou por um longo período de jejum no deserto, Satanás veio e disse:

“Se tu és o Filho de Deus, manda que estas pedras virem pão”. Fazia sentido mandar as pedras se transformarem em pão, não? Afinal, Jesus estava com muita fome.

Se você acha que a mortandade que veio no rastro do socialismo e suas variantes é culpa somente dos seguidores de Marx que interpretaram mal a ideologia dele, recomendo a leitura do livro “Era Karl Marx um Satanista?”, escrito pelo Rev. Richard Wurmbrand, pastor luterano de origem judaica que passou anos sendo torturado em prisões comunistas da Romênia.
Você pode encontrar o livro dele aqui: http://www.amazon.com/Karl-Marx-Satanist-Richard-Wurmbrand/dp/tags-on-product/0882640844

Ele tem também um livro chamado “Torturado por Cristo”.

O ponto que estou levantando é que Jesus é nosso modelo. Se alimentar os famintos fosse a missão mais importante de Deus, Jesus com certeza teria dado o exemplo.

Ele veio matar a fome espiritual. Quando o gravíssimo problema da fome espiritual é resolvido, todos os outros problemas também são solucionados. Veja as palavras de Jesus:

“Por isso vos digo: não andeis cuidadosos quanto à vossa vida, pelo que haveis de comer ou pelo que haveis de beber; nem quanto ao vosso corpo, pelo que haveis de vestir. não é a vida mais do que o mantimento, e o corpo mais do que o vestuário? olhai para as aves do céu, que nem semeiam, nem segam, nem ajuntam em celeiros; e vosso pai celestial as alimenta. não tendes vós muito mais valor do que elas? E qual de vós poderá, com todos os seus cuidados, acrescentar um cóvado à sua estatura? E, quanto ao vestuário, por que andais solícitos? olhai para os lírios do campo, como eles crescem; não trabalham nem fiam; E eu vos digo que nem mesmo Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como qualquer deles. pois, se deus assim veste a erva do campo, que hoje existe, e amanhã é lançada no forno, não vos vestirá muito mais a vós, homens de pouca fé? não andeis, pois, inquietos, dizendo: que comeremos, ou que beberemos, ou com que nos vestiremos? (porque todas estas coisas os gentios procuram). de certo vosso Pai celestial bem sabe que necessitais de todas estas coisas; mas, buscai primeiro o Reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.” (Mateus 6:25-33 ACF)

Anônimo disse...

E essa é a completa verdade, certa feita uma amiga falou sobre isso, que Jesus Cristo era Socialista, sob o ponto de vista do filósofo friedrich nietzsche, o pai do Nazi fascismo

sob essa mesma premissa, querendo fazer crer, que essa ideologia assassina e ceifadora de almas, era algo notório do próprio Jesus Cristo, espero que ela se arrependa, e veja bem que não é por ideologia que Deus quer que façamos Caridade, com certeza essa de comparar Jesus com um grande Socialista, e coisa dessas "Teologias" baratas, e sem base Bíblica

abraço Julio, tudo de bom e que Deus continue te abençoando


Ronie Peterson

Aprendiz disse...

Bruno

Certamente os pobres devem ser ajudados. Mas considero uma loucura alguém dizer "precisamos ajudar os pobres, logo devemos criar um estado totalitário e genocida, que esmague toda opinião contrária e transforme a população em escrava desse deus estado". Não é isso o que os marxistas dizem, mas é isso o que eles pensam (pois a sua real intenção se prova pelos atos que praticaram, e não pelas intenções que declararam).

Todo cafajeste pode apresentar "motivos bons e puros" e de "boas intenções" o inferno está cheio. Mas levada à prática, a proposta de Marx só poderia resultar num estado totalitário. O próprio Marx dizia claramente que propunha uma "ditadura do proletariado" que todo mundo sempre soube ser, na verdade, uma ditadura dos que tinham poder dentro do partido.

...continua

Aprendiz disse...

Bruno

Continuando minha resposta, pense na provisão da Lei de Deus para os pobres. Conforme disse o Eterno a Moisés, "não haverá no meio de tí pobre". Isso não quer dizer que não haveriam pessoas com menos bens, mas certamente quer dizer que ninguém sofreria necessidade das coisas básicas. A provisão da Lei de Moisés era suficiente.

Mas como a lei protegia os pobres? Pelo poder formidável de um estado centralizado, dono de uma burocracia opressiva? Não, os governos de cada cidade eram bastante autônomos, e não existia um governo centralizado. Só eram centralizadas as atividades religiosas. Havia um juiz geral, mas ele agia quando provocado, isto é, quando os anciãos das cidades consideravam que alguma causa era difícil demais para eles. A provisão para os pobres era feita através da ação conjunta das pessoas comuns. O povo era o agente de proteção social, o povo era o exército, o povo era o governo, pois os anciãos (os homens mais idosos e mais respeitados pela sua sabedoria) eram o governo de cada cidade.

Quando os israelitas quiseram imitar os outros povos estabelecendo um governo central, qual foi a resposta de Samuel? Um governo central seria grande e opressivo. E foi mesmo. E qual foi a resposta do Eterno? Ele disse que aquilo era idolatria, que Ele, o Criador, estava sendo deixado de lado em favor da "segurança" de uma monarquia humana.

Excesso de confiança no estado é idolatria.

Pr. Sanches e Miss. Carla disse...

Olá Júlio,

Tenho acompanhado muitos de seus textos, mas vou comentar apenas este.

Acho muito estranho você fazer tantas afirmações sem citar fontes.

Várias afirmações que você faz, especialmente a que diz respeito a remoção de Deus do centro, do poder. Você precisa ler mais um pouco e verificar suas fontes, pois Deus foi removido do Estado com a Reforma Protestante e a separação igreja-estado. Fato que ocorreu muito antes de surgir o pensamento marxista-socialista (200 anos antes).

A Missão Integral não é socialista. O fato de pessoas cristãs que são ideologicamente socialistas abraçarem a TMI não faz dela um projeto evangélico socialista. Lembre-se, temos igrejas socialistas na Rússia e China, então, pela sua lógica, a igreja é socialista.

Muitos evangélicos, que nada têm de socialistas, praticam a TMI em muitos lugares do Brasil, África e oriente.

Há algumas críticas suas pertinentes, mas você está atirando as suas pedras baixo demais. Cortar os dedos não fará o monstro morrer. Comece por fundamentar as suas afirmações com documentos.

Julio Severo disse...

Caro Pr. Sanches

Acho que você se confundiu. Praticar caridade não é e nunca foi TMI ou socialismo. Quanto à sua declaração de “fazer tantas afirmações sem citar fontes”, note que citei, de forma clara logo no começo, que Ariovaldo Ramos diz que “A Teologia da Missão Integral é uma variante protestante da Teologia da Libertação”. A citação está ali: Revista marxista Diplomatique. Está com link. Portanto, dizer que não há fonte citada é bobagem.

Essa é a fonte mais importante.

Ariovaldo Ramos é um dos principais promotores da TMI no Brasil. Portanto, ele tem autoridade para falar sobre isso como um homem diretamente envolvido. E ele deixou claro que a Teologia da Missão Integral é uma variante protestante da Teologia da Libertação. E a Teologia da Libertação, como todos sabemos, é marxista.

Não entendo pois a sua confusão ou resistência de aceitar essa teologia asquerosa como algo de Deus ou aprovada por Deus.

Quer fazer caridade? Faça! Mas não diga que caridade cristã é TMI.

Antes de existir TMI, Karl Marx, Teologia da Libertação, etc., já existia o Evangelho.

Não precisamos pois da TMI, Karl Marx, Teologia da Libertação, etc. Já temos o Evangelho. O Evangelho é suficiente.

MARIA disse...

Há pessoas que imaginam que a separação entre o Estado e a igreja significa que o Estado deve está nas mãos de pessoas ímpias e ateístas! Absurdo! A separação do Estado da Igreja, como instituições distintas, é muito mais para proteger a Igreja do Estado do que para proteger o Estado da Igreja! O Estado é que é uma ameaça para Igreja. Se avaliarmos bem, seria mais que necessário manter o Estado dirigido por pessoas sábias, necessariamente crentes em Jesus Cristo e tementes a Palavra de Deus pois: "O TEMOR AO SENHOR É O PRINCIPIO DA SABEDORIA". Assim, a reforma protestante NADA tem que ver com o que seria a remoção de Deus do poder, uma vez que à Época da Reforma, NÃO SE TINHA DE MODO ALGUM, um Estado onde Deus era considerado pelos que ocupavam o poder.

MARIA disse...

Concordo totalmente que o evangelho é mais que suficiente. Esse negócio de Teologia da missão integral é um praga maldita a infestar a mente dos incautos

Julio Severo disse...

Um trabalho muito mais abrangente sobre a Teologia da Missão Integral se encontra no link abaixo. É só clicar:

Teologia da Libertação e neopentecostalismo: o grande desafio da igreja evangélica do Brasil

Marcia disse...

E também houve entre o povo falsos profetas, como entre vós haverá também falsos doutores, que introduzirão encobertamente heresias de perdição, e negarão o Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina perdição.
E muitos seguirão as suas dissoluções, pelos quais será blasfemado o caminho da verdade.
E por avareza farão de vós negócio com palavras fingidas; sobre os quais já de largo tempo não será tardia a sentença, e a sua perdição não dormita.

2 Pedro 2:1-3

Joversi disse...

Sou evangélico, batista, reformado e calvinista e sou (assim como inúmeros outros) opositor da TMI.
Falar que todo reformado (ou calvinista) é defensor da TMI é tão idiota quanto dizer que todo advogado é desonesto, todo corintiano (ou flamenguista) é bandido, todo português é burro e assim por diante.

https://www.youtube.com/watch?v=ng257P3XXOc

Marcelo disse...

Paz queridos.
E em que pontos a posição do autor do texto vai DE encontro à do Ariovaldo Ramos propalada em vídeo recente no youtube?
Obrigado,
abraços,