29 de outubro de 2011

ABGLT quer programas cristãos de TV no alvo da justiça

ABGLT quer programas cristãos de TV no alvo da justiça

Cecília Bizerra
Na última segunda, 24, a Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT) encaminhou ofício ao ministro das comunicações, Paulo Bernardo, solicitando a tomada de providências no que se refere à utilização de concessões públicas de televisão para incitar a violência contra a população LGBT. Segundo a ABGLT, também são frequentes as ofensas a homossexuais em emissoras de TV, principalmente por parte de programas religiosos que arrendam horário em emissoras comerciais.

A solicitação feita ao Ministério das Comunicações nesta semana foi especificamente por conta de declarações do pastor evangélico Silas Malafaia, que apresenta o programa “Vitória em Cristo” em duas emissoras de televisão: Bandeirantes e RedeTV. “O Malafaia vinha nos ofendendo em várias situações nos seus programas. Só que agora ele incentiva à violência, diz para abaixar o porrete na gente. Por isso nós pedimos providências ao Ministério das Comunicações e ao Ministério Público também”, declara Toni Reis, presidente da ABGLT.
A ABGLT reivindica alguma punição às emissoras que veiculem declarações ofensivas, para que se iniba a prática nos meios de comunicação. “Nós participamos da Conferência Nacional de Comunicação (Confecom) e agora sabemos que os meios de comunicação são concessões públicas, por isso não se pode se utilizar deste espaço público para ofender as pessoas”, argumenta Reis.
Sobre outros programas, ele afirma que a associação geralmente busca dialogar para que não haja reincidência. “Temos uma coleção de situações que se resolveram com o diálogo. Teve ocasiões, por exemplo, em que o Datena, apresentador da Bandeirantes, foi infeliz em suas declarações a respeito de homossexuais, o Faustão também, e só com o diálogo que fizemos essas pessoas perceberam que estavam incorrendo numa situação de discriminação e passaram a respeitar mais a gente”, diz o presidente da ABGLT.
Segundo Toni Reis, nunca houve abertura por parte do pastor Silas Malafaia para o diálogo, por isso estão buscando a própria TV, e solicitaram providências do Ministério das Comunicações. “Nós entramos também com uma ação no Ministério Público Federal e vamos utilizar todos os meios legais a que tivermos acesso aqui no Brasil. A nossa ideia é de não judicializar tudo, é de primar sempre pelo diálogo, mas a partir do momento em que isso se fizer necessário, vamos fazer sem sombra de dúvida”, conclui Toni.
Procurado para falar sobre o tema, o Ministério das Comunicações não se pronunciou até o fechamento desta reportagem.
Divulgação: www.juliosevero.com
Homolatria: As vítimas VIP da violência no Brasil (Julio Severo desmascara estatísticas de assassinatos de gays)

5 comentários :

Anônimo disse...

CRISTIANISMO NOJENTO ESSE VIVIDO NO BRASIL, ONDE BOIOLAS TRIPUDIAM SOBRE AQUELES QUE DIZEM SERVIR AO DEUS VIVO, VAMOS TOMAR VERGONHA NA CARA NÉ IGREJA JÁ ESTÁ DEMAIS! A MAIORIA DOS PASTORES DE IGREJA TUDO EM SILENCIO COM RABINHO ENTRE AS PERNAS COM MEDO DE SEREM PROCESSADOS OU PERDEREM SEUS SALÁRIOS, PERDERAM MAIS QUE ISSO QUANDO NÃO REAGEM, PERDERAM A DIGNIDADE, MAS TEM JEITO AINDA APRENDAM COM OS VIADOS COMO SE DEFENDE DIGNIDADE!

Kido

Paty disse...

olá Júlio, não sei se vc viu a propaganda política do PSC (partido social cristão), mas ela aborda bastante a questão da defesa da família tradicional, e parece que já tem grupos gays solicitando a interrupção da transmissão deste programa (mas são apenas boatos não tenho fontes). vc sabe alguma coisa?
http://www.youtube.com/watch?v=dcsISei5ngc
abçs

Anônimo disse...

É o uso da tática leninista: "ACUSE-OS DO QUE VOCÊ FAZ, CHAME-OS DO QUE VOCÊ É!"

Esse gays intolerantes e fascistas da ABGLT não têm o mínimo caráter. Distorceram as palavras do Malafaia para justificar uma perseguição por parte do Estado. Deus nos livre desse povo aprovar suas leis cristofobicas contra a "homofobia".

Felipe.

PRESBÍTERO VALDOMIRO disse...

Sabem quem realmente tem ódio dos homossexuais? Os próprios parceiros deles quando o relacionamento deles não dá certo. De vez em quando, acontecem brigas entre os próprios homossexuais (e isso a mídia NUNCA divulga). Isso sem contar o uso de drogas, bebidas alcoólicas, e as boates gays e outros ambientes promíscuos que eles próprios costumam freqüentar (na maioria das vezes, de madrugada).

Eu pergunto: como é que os homossexuais querem ficar protegidos, se eles mesmos são os primeiros a estarem em situações ou locais onde estarão expostos a todo e qualquer tipo de perigo?

Mas quem mais tem ódio dos homossexuais são alguns grupos específicos: "Carecas", "Skinheads", "White Power", grupos neonazistas e certas gangues. Caso alguém daqui queira comprovar o que eu digo, gostaria que todos assistissem a uma reportagem do programa "Conexão Repórter" (apresentado no SBT pelo jornalista Roberto Cabrini) que foi exibida no dia 13/04/2011 (se quiserem, pesquisem no Google para maiores detalhes). Aí todos poderão ver quem tem realmente ódio dos homossexuais. E também verão que não existe nenhum evangélico no meio desses grupos.

Esses mesmos grupos que eu mencionei anteriormente têm ódio de certas pessoas (não só os homossexuais, como também nordestinos e negros). Eu digo isso por experiência própria, até porque eu mesmo já fui vítima de um grupo de "Carecas" quando estive em São Paulo (até hoje, eu ainda preciso fazer fisioterapia para recuperar os movimentos do meu braço esquerdo devido a um chute forte que eu recebi). Só não me mataram porque uma viatura da polícia que passava viu a agressão e começou a perseguir todos eles (se a polícia não aparecesse, talvez eu já estivesse morto). Sabem por que me atacaram? Simplesmente porque eu sou nordestino (sou pernambucano) e estava pregando a Palavra de Deus a eles. Eles também odeiam nordestinos (tanto que um dos gritos de guerra deles é: "São Paulo aos paulistas! Morte aos nordestinos!").

Sabem por que isso nunca é divulgado na mídia em geral? É para que os homossexuais sejam sempre vistos como vítimas dos cristãos.

Se puderem, pesquisem sobre essa mesma reportagem que eu mencionei. Aí todos verão quem é realmente "homofóbico" (e para derrubarmos as mentiras dos homossexuais).

Aproveito a oportunidade para dar uma sugestão ao irmão Júlio Severo: se ele puder, que ele escreva um artigo sobre essa mesma reportagem na primeira oportunidade.

Anônimo disse...

“Mas nesse mundo moderno não tem errado e nem certo, achar ruim é preconceito”
(João Carreiro & Capataz – Bruto, Rústico e Sistemático)

Militância LGBT acusa João Carreiro e Capataz de homofobia: http://universosertanejo.blogosfera.uol.com.br/2012/02/03/dupla-joao-carreiro-e-capataz-e-acusada-de-homofobia-em-musica/