1 de setembro de 2011

Por que ficamos surpresos com a promoção de “direitos à pedofilia”?

Por que ficamos surpresos com a promoção de “direitos à pedofilia”?

31 de agosto de 2011 (Notícias Pró-Família) — Muitos americanos estão chocados com as reportagens sobre uma recente conferência pró-pedofilia na cidade de Baltimore em que psiquiatras e profissionais de saúde mental, representando instituições como Harvard e Johns Hopkins, buscaram apresentar a pedofilia com uma exposição simpatizante e até favorável. Mas por que isso deveria nos surpreender?
Os artigos acadêmicos em revistas eruditas estão apresentando a pedofilia de um modo solidário há anos e, conforme observou Matthew Cullinan Hoffman, a Associação Americana de Psicologia (AAP) divulgou um relatório em 1998 “afirmando que o ‘potencial negativo’ de sexo adulto com crianças estava sendo ‘exagerado’ e que ‘a vasta maioria dos homens e mulheres não relatou nenhum efeito sexual negativo de suas experiências de abuso sexual na infância’. O relatório chegou a afirmar que grandes números das vítimas relataram que suas experiências eram ‘positivas’, e sugeriram que a frase ‘abuso sexual de crianças’ fosse substituída por ‘sexo entre adultos e crianças’”. Outros inventaram o mais repugnante dos termos: “intimidade intergeracional”.
O relatório da AAP foi tão perturbante que atraiu uma repreensão oficial do Congresso, mas a promoção pró-pedofilia (ou, pró-pederastia) continua. Aliás, alguns líderes psiquiátricos, como o Dr. Richard Green, que colaborou de forma fundamental para remover a homossexualidade da lista de desordens mentais da AAP em 1973, têm estado lutando para remover também a pedofilia.
Considere, por exemplo, esta declaração do falecido professor da Universidade de Johns Hopkins, John Money: “A pedofilia e a efebofilia [referindo-se à atração sexual que um adulto sente por um adolescente] não são questão de escolha voluntária, pois são como ser canhoto ou sofrer de daltonismo. Não se conhece nenhum método de tratamento com que [a pedofilia e a efebofilia] possam ser com eficácia e permanentemente alteradas, suprimidas ou substituídas. Castigos são inúteis. Não há nenhuma hipótese satisfatória, evolucionária ou de outro tipo, quanto aos motivos por que existem no sistema geral de coisas da natureza. Precisamos simplesmente aceitar o fato de que elas existem, e então, com esclarecimento de excelente qualidade, formular uma política do que fazer acerca delas”.
Agora, vote e releia o parágrafo, substituindo a palavra “homossexualidade” por “pedofilia” e “efebofilia”. Não é interessante?
Para ajudar a desnudar mais a realidade disso, vamos imaginar um homem homossexual argumentando com um homem heterossexual:
1) Minha homossexualidade não é uma preferência sexual, mas uma orientação sexual, exatamente na mesma medida que sua heterossexualidade não é uma preferência sexual, mas uma orientação sexual.
2) Minha homossexualidade é tão normal quanto sua heterossexualidade.
3) Já que minha conduta é geneticamente determinada e não uma escolha, é intolerante e abominável sugerir que é errada. E chamar minha conduta sexual de ilegal ou imoral, ou recusar legitimar relacionamentos de mesmo sexo, é ser um moralista fanático da pior espécie.
4) Fico profundamente ofendido com suas tentativas de identificar áreas da minha criação e ambiente como causas alegadas para a minha homossexualidade.
5) Categoricamente rejeito o mito de que alguém pode mudar sua própria orientação sexual. De modo particular, tais declarações só aumentam a angústia e sofrimento de gays e lésbicas, e tentativas de nos mudar muitas vezes levam a consequências catastróficas, inclusive depressão e suicídio.
Agora, vamos mudar este exemplo e colocar um pederasta para argumentar seu caso com um homossexual, substituindo as palavras de acordo com essa situação (assim, “A pederastia não é uma preferência sexual, mas uma orientação sexual, exatamente na medida que sua homossexualidade não é uma preferência sexual, mas uma orientação sexual”).
De fato, todos os principais argumentos comumente usados para normalizar a homossexualidade estão sendo usados para normalizar a pedofilia e a pederastia, conforme documentei com muito detalhe (e sofrimento) em A Queer Thing Happened to America (Ocorreu uma Coisa Gays contra os Estados Unidos), onde também deixei claro que eu não estava igualando a homossexualidade com a pedofilia, mas em vez disso comparando os argumentos usados para normalizar ambos.
Eis os oito principais argumentos, todos dos quais (em forma modificada) são comumente usados no apoio à homossexualidade:
1) A pedofilia é inata e imutável.
2) A pederastia é abundantemente confirmada em muitas diferentes culturas em toda a história.
3) A afirmação de que os relacionamentos sexuais entre adultos e crianças podem causar danos é muito exagerada e muitas vezes completamente inexata.
4) O sexo consensual entre adultos e crianças pode realmente ser benéfico para a criança.
5) A pederastia não deveria ser classificada como desordem mental, já que não causa angústia para o pederasta ter esses desejos e já que o pederasta pode viver normalmente como um cidadão que contribui para a sociedade.
6) Muitas dos mais famosos homossexuais do passado eram realmente pedófilos.
7) As pessoas são contra a intimidade intergeracional por causa de padrões sociais antiquados e fobias sexuais puritanas.
8) Tem a ver somente com amor, igualdade e liberação.
Mas nenhum desses argumentos deveria nos surpreender. Afinal, a era da crescente anarquia sexual em que vivemos é fruto da revolução sexual da década de 1960, e as sementes da anarquia sexual já foram semeadas por Alfred Kinsey no final da década de 1940, conforme a Prof.ª Judith Reisman tem incansavelmente documentado. E foi Kinsey, afinal de contas, que contou com a pesquisa de pedófilos para documentar as reações sexuais de bebês e crianças.
Com certeza, tudo isso é totalmente horrível. Mas não deveria certamente ser surpresa. Aliás, devemos esperar isso e mais.
Artigos relacionados:
Traduzido por Julio Severo: www.juliosevero.com
Copyright © LifeSiteNews.com. Este texto está sob a licença de Creative Commons Attribution-No Derivatives. Você pode republicar este artigo ou partes dele sem solicitar permissão, contanto que o conteúdo não seja alterado e seja claramente atribuído a “Notícias Pró-Família”. Qualquer site que publique textos completos ou grandes partes de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com em português tem a obrigação adicional de incluir um link ativo para “NoticiasProFamilia.blogspot.com”. O link não é exigido para citações. A republicação de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com que são originários de outras fontes está sujeita às condições dessas fontes.
Artigos relacionados no Blog Julio Severo:

6 comentários :

Anônimo disse...

Como uma CRIANÇA consente um ato SEXUAL??? Que consciencia ela tem para isso? Que experiencia? Que maturidade? E isso é só o começo das mil indagações que surgiram na minha cabeça...
Parei antes de vomitar!!!!

Anônimo disse...

Espero que não cheguemos a uma triste época em que teremos de proteger nossos filhos derramando sangue. Sem dúvida muitos pais não hesitarão em MATAR para proteger seus rebentos. Esses pedófilos não sabem com quem estão mexendo, pedófilo bom é pedófilo morto!

Carlos Carvalho disse...

Esses canalhas não tem limites mesmo. Como é que se pode querer normalizar uma coisa tão repugnante como essa? Uma criança é um ser puro, inocente e não tem a capacidade de discernir uma coisa tão nojenta como essa. Eu só consigo enxergar uma solução com algumas ações efetivas para proteger as nossas crianças desses monstros:

1ª) Criar nossas crianças no caminho do Senhor para que elas cresçam no temor de Deus, aprendendo os bons costumes e valores morais do cristianismo.

2ª) Preserva-las de toda essa mídia podre que está a serviço de satanás.

3ª) Estar atento as abominações que estão sendo ensinadas nas escolas e universidades. Porque já sabemos que as nossas instituições de ensino estão infestadas por esses pervertidos.

4ª) Ativismo cristão através de militância sistemática e muita informação para combater esses agentes do demônio. Como um ótimo exemplo para nós desta 4ª ação eu posso citar o irmão Júlio Severo.

5ª) A união de todos os líderes cristãos sérios para que através de ações articuladas, podermos combater a altura esse mal ( doutrinação homossexual, pedofilia, prostituição, pornografia e muitos outros )que a cada dia vem ganhando mais espaço na sociedade.

Observação:

Eu tenho plena consciência que tudo isso que está acontecendo é para o cumprimento da Palavra de Deus. Mas também sou consciente que não podemos entregar os nossos filhos de bandeja para essa raça.

paulo_sergio disse...

Das mentes dirigidas pelo próprio satanás a gente pode esperar isso ou coisa pior.Daqui pra frente ,nada mais pode nos surpreender.

Anônimo disse...

Concordo com o segundo anônimo. Há apenas uma pena cabível para um pedófilo: morte.

Anônimo disse...

Oi, voltei irmão julio severo pra lê mais seus artigos que horror era só que faltava aff.
Terrívellllllllllllllllllllllll
Como? Legalizar a "pedofilia" e adulto pratica isso é
"perverso" que mexem com crianças e adolescentes são óbvio menores de idade roubando as suas "inocências" dá asno de ler certos absurdos.
Que Deus proteja os pequeninos e faça tbm seus pais e responsáveis tem que ficar de olho:
"Vigiai e orai" está na palvra de Deus não adianta vc só orar e não vigiar ficar atento com seus filhos ou sua filhsa não confiar em ninguém.

Jesus claro tbm na sua palavra:
"Aí daquele mexe com meus pequeninos".
Essas pessoas que comentem pedofilia ao contrário eles tem que pagar ir para cadeia não sair de lá nunca mais "prisão perpétua" se eles ficarem livres repetiram o ato.
DEUS É AMOR MAIS ELE TBM É JUSTIÇA TBM ISSO A HUMANIDADE PARECE QUE ESQUECE.
Irmão estudo e leio sobre pessoas que possuem PSICOPATIA:
Ele NÃO tá na classificação de quem possui "doenças mentais" porque pessoa doente mental ela não faz mal a ngm vive em seu próprio mundo.
O psicopta é um tipo de existir uma personalidade perversa e má eles nascem assim é genético comprovado cientificamente segundo a Dr Ana beatriz por enquanto não tem tratamento para esses tipos de pessoas.
OS #PSICOPATAS# eles sabem que estão fazendo coisa errada tem plena consciência disse eles querem afligir as leis.
-----------------------------------
Existe 3 níveis psicopata: leve, moderado, grave eles existem pode estar do nosso lado ser vizinho, irmão na igreja, colega trabalho, namorado até um familiar negócio sério.
Essas pessoas nascem sem filtro moral, sem amor, sem empatia pelo outro.
São estudos não sei vc conhece o trabalho e livros da psquiatra DR ANA BEATRIZ SILVA ela é carioca RJ.
Ela escreveu o Livro dela já Best- seller: "Mentes perigosas": O psicopata mora ao lado

Esclarecedor leitura linguagem, que qualquer pessoa leiga não é formado entende.
Até para identificar essas pessoas no nosso dia dia a gente se proteger e se afastar e lidar com mesmos.
Ela diz viementemente que todo psicopata do nível "leve" ele é um #pedófilo# porque eles não tem freio "moral", alguma poxa eles mexem com uma criança ali indefesa eles invade com seus impulsos sexuais perversos para violar um ser humano está em desenvolvimento.

A medicina psiquiatra é muito importante saúde mental de um ser humano.
Está aí pra nos auxiliar e informar.
Mais poucas pessoas querem buscar o conhecimento e estudar sobre os "psicopatas" seja o nível que for.
Porque importante até nas mudanças das leis de crimes a gente vê barbaramente aqui no Brasil cometida por pessoas que tem uma psicopatia.
E IRMÃO NEGÓCIO MAIS SÉRIO QUE A GENTE IMAGINA. Ester!!!!!!