24 de setembro de 2011

Estudante de escola secundária no Texas é suspenso por dizer que a homossexualidade é errada

Estudante de escola secundária no Texas é suspenso por dizer que a homossexualidade é errada

FORT WORTH, Texas, EUA, 23 de setembro de 2011 (Notícias Pró-Família) — Um estudante cristão de uma escola secundária foi punido por sua escola nesta semana por dizer que acredita que “ser homossexual é errado”.
Dakota Ary
Dakota Ary, de 14 anos, diz que sua declaração era parte de uma conversa de estudante para estudante acerca de religiões na Alemanha com um amigo sentado atrás dele durante uma aula de língua, de acordo com uma reportagem local da Fox News.
“Imagino que [o professor] me ouviu. Ele começou a gritar”, disse Ary. “Ele me disse que ia registrar uma infração para mim e me mandar à diretoria”.
Holly Pope, mãe de Ary, disse que estava em estado de “incredulidade” acerca do castigo. “Meu filho está na lista de nomes de boa reputação, com notas elevadas. Não tenho nenhum problema com ele”, disse ela.
A mãe não ficou satisfeita quando diretor da escola reduziu a suspensão escolar de dois para um dia. Ela trouxe um advogado com ela para se encontrar com o diretor na quarta-feira e está exigindo uma promessa de nenhuma retaliação por causa do acontecimento e que o acontecimento seja removido do registro de Ary.
“Os estudantes não perdem seus direitos de Primeira Emenda [sobre liberdade de expressão] só porque entram num prédio escolar”, Matt Krause, o advogado de Pope, disse para myFOXdfw.com. A escola ainda tomará uma decisão.
O castigo por objetar à homossexualidade, embora seja comum em países como o Canadá e a Inglaterra, está também se levantando nas escolas e universidades dos Estados Unidos.
Uma professora de biologia da Califórnia no ano passado ganhou um acordo de 100.000 dólares depois que foi demitida por responder à pergunta de um estudante citando pesquisa de que a homossexualidade “pode ser influenciada pelos genes e pelo meio-ambiente”.
Na Universidade de Illinois em julho de 2010, autoridades universitárias demitiram um professor de teologia católica depois que ele afirmou que a homossexualidade era, de acordo com o ensino católico, contrária à lei moral. O Prof. Kenneth Howell, que havia simultaneamente perdido sua posição no Centro Católico Newman na universidade, foi reintegrado dias mais tarde depois que milhares protestaram.
Em 2010 também foi noticiado o caso de uma estudante de aconselhamento na Universidade Estadual de Augusta que, depois que seus professores ficaram sabendo de suas convicções cristãs acerca da homossexualidade, foi instruída a participar de um curso intensivo para melhorar sua sensibilidade para os homossexuais, para completar leitura terapêutica e fazer descrições por escrito sobre o impacto de tais medidas em suas convicções, como condição para continuar nas aulas.
Artigos relacionados:
Traduzido por Julio Severo: www.juliosevero.com
Copyright © LifeSiteNews.com. Este texto está sob a licença de Creative Commons Attribution-No Derivatives. Você pode republicar este artigo ou partes dele sem solicitar permissão, contanto que o conteúdo não seja alterado e seja claramente atribuído a “Notícias Pró-Família”. Qualquer site que publique textos completos ou grandes partes de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com em português tem a obrigação adicional de incluir um link ativo para “NoticiasProFamilia.blogspot.com”. O link não é exigido para citações. A republicação de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com que são originários de outras fontes está sujeita às condições dessas fontes.

Um comentário :

Anônimo disse...

Eu vi essa matéria Julio, esses caras são uns mexeriqueiros, nem numa conversa particular ele deixam de meter o bedelho.. e o garoto esta certo hein pensar assim,se fosse um estudante, ou Erudito Brasileiro,pronto a mídia cairia de pau em cima para martirizar..

Abraço Julio

Ronie Peterson