17 de setembro de 2011

Estado controlador: governo inglês junta base de dados de crianças de 3 anos de idade que são “homofóbicas” e “racistas”

Estado controlador: governo inglês junta base de dados de crianças de 3 anos de idade que são “homofóbicas” e “racistas” 

LONDRES, Inglaterra, 15 de setembro de 2011 (Notícias Pró-Família) — Crianças até de três anos de idade estão sendo registradas num banco de dados governamental como “racistas” ou “homofóbicas” por usarem palavras que são interpretadas pelos professores como politicamente incorretas.
Entre os anos de 2008 e 2009, foram registrados incidentes envolvendo crianças em idade de escola maternal, as quais são monitoradas pelas leis contra “discurso de ódio” instituídas durante o governo [socialista] trabalhista, de acordo com estatísticas obtidas pelo Clube Manifesto, uma organização de direitos civis.
Os incidentes registrados incluíam um aluno chamando outro aluno de “cabeça de brócolis”, que foi considerado racista, e outra controvérsia “homofóbica” entre alunos de escola primária que chamaram uns aos outros de “gays” e “lésbicas”. Outro aluno foi considerado homofóbico por dizer a um professor que uma tarefa escolar era “gay”.
Quase 100% dos incidentes registrados envolviam apenas xingamentos, sem nenhum contato ou violência física.
Em seu relatório sobre os números, o Clube Manifesto reivindicou que as leis de denúncia de “discurso de ódio” sejam abolidas, dizendo que essas políticas “trivializam os problemas reais do racismo e homofobia, e em nada ajudam para atingir a meta nobre da igualdade”.
“Há um mundo todo de diferença entre abuso racista e briguinhas de palavras nos pátios de escola primária — nublar essa diferença em nada ajuda a atingir a igualdade”.
Um total de 34.000 crianças, nas palavras de uma reportagem do jornal Daily Mail, foram “de maneira impressionante classificadas como preconceituosas por causa de normas anti-bullying”. Os registros, que as escolas são forçadas a submeter às autoridades educacionais governamentais, são mantidos quando as crianças passam de séries ou se transferem de escolas, e poderiam em teoria ser acessados por um futuro empregador ou universidade.
De acordo com o Daily Mail, o Ministério de Educação respondeu à reportagem dizendo: “Os pais esperam que os diretores de escola adotem uma linha de ação muito dura contra qualquer conduta medíocre e reprimam todo bullying — é por isso que estamos fortalecendo a autoridade para os professores imporem disciplina. Cabe às próprias escolas exercerem seu próprio bom senso e discernimento profissional acerca do melhor jeito de enfrentar os que comentem bullying”.
“As crianças precisam de espaço para brincar e aprender o significado das palavras, sem serem denunciadas às autoridades educacionais locais”, disse o relatório do Clube Manifesto. “Essas políticas são uma intervenção indevida no pátio de recreio das escolas, e mina a autoridade dos professores de estabelecer um exemplo moral para as crianças e ensiná-las a diferença entre certo e errado”.
Leia o relatório do Clube Manifesto aqui.
Artigos relacionados:
Traduzido por Julio Severo: www.juliosevero.com
Copyright © LifeSiteNews.com. Este texto está sob a licença de Creative Commons Attribution-No Derivatives. Você pode republicar este artigo ou partes dele sem solicitar permissão, contanto que o conteúdo não seja alterado e seja claramente atribuído a “Notícias Pró-Família”. Qualquer site que publique textos completos ou grandes partes de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com em português tem a obrigação adicional de incluir um link ativo para “NoticiasProFamilia.blogspot.com”. O link não é exigido para citações. A republicação de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com que são originários de outras fontes está sujeita às condições dessas fontes.

3 comentários :

Anônimo disse...

Para vocês verem como a cultura Judaico-cristã na Inglaterra, esta sendo abolida, os filhos dos Ingleses tem esse palavreado de baixo calão
"gay" lésbica, com certeza palavras de baixo calão (literalmente)
e ainda por cima essa politica de monitoramento das crianças,para detectar possíveis "Homofóbicos"e no futuro vetar qualquer direito para eles, agora imagina se uma das crianças não apresentassem tal palavreado, mas professasse ser cristã, e dissesse que palavrões são para pessoas vulgares, e que Deus fez homem e mulher e a conduta homossexual é errado, pronto o mundo iria cair em cima dos pais do garoto, e provavelmente uma ação na justiça iria ser tomada imediatamente.
um país como a Inglaterra, com a historia dos grandes pregadores protestantes que teve,e agora sua cultura virou um amontoado de lixo"Idem para suas politicas,um país que era referencia, agora virou essa podridão que estamos vendo hoje. eu iria perguntar o que há com os cristãos da Inglaterra, que não se manifestam, mas seria injusto, porque sei que o mal que cerca esse governo pró pedofilia e pró gayzismo já tomou todo o poder e os meios,talvez até tenham alguns se manifestando disso não sei se alguém souber me diga,mas quando um governo adere a esse tipo de politica e a metade da população aceita, isso já mostra o quão apodrecida esta a moral dessa população.

Ronie Peterson

Karina Bodart disse...

Hoje em dia é mil vezes melhor ser mudo que ter que se submeter a essas leis doentias...

SILVIO RICARDO disse...

Isso aí tudo é loucura!

Quem levar a sério esse tipo de política é mais louco do que quem criou tal medida. A Inglaterra de hoje é um palco de brutais experimentos de engenharia social. Aliás, a Europa toda!

Acontece que é isso que essa elite socialista deseja mesmo: ser levada muito a sério. É claro que essa elite é perigosa. Não estou sendo simplório!

Entretanto, ninguém perfeitamente são vai dialogar seriamente com um doente mental e muito menos se submeter a suas loucuras e manias, por que já sabe de antemão a que resultados elas levarão. A sociedade está se deixando conduzir como um bode ao matadouro!

Essa elite socialista que hoje domina quase todos os governos de quase todos os países ocidentais, é maníaca, imoral, corrupta, louca, depravada, hedonista e atéia.

Se perguntem friamente por que a elite socialista do mundo se importa tanto com a "educação" sexual de seus filhos, e deseja impor esse tipo de coisa a todo custo. Raciocinem, estudem, pesquisem e vocês chegarão a conclusões medonhas.

A Espanha está para criar a primeira cidade totalmente homossexual do mundo, com uma aprovação da maioria da Câmara Municipal daquela cidade.

Lentamente, essa elite socialista depravada está moldando o mundo à sua imagem, mas os resultados catastróficos já estão aí para quem têm olhos de ver.