22 de agosto de 2011

William Douglas e o politicamente correto evangélico

William Douglas e o politicamente correto evangélico

Leonardo Bruno
Recentemente, em conversa com meu amigo Julio Severo, soube dos posicionamentos da revista evangélica Genizah, em particular, sobre variadas controvérsias que hoje estão em voga na mídia e nos meios culturais. No entanto, chocou-me o posicionamento “politicamente correto”, medroso, lânguido, e mesmo pusilânime desta revista. Na verdade, há entre os cristãos uma falta de coragem para falar a verdade, seja a do Evangelho, seja do que ocorre na realidade mesmo.
William Douglas, juiz de direito e professor de concursos públicos, é também evangélico. Uma de minhas polêmicas contra ele foi quando critiquei o mito atualmente comum a milhares, senão milhões de brasileiros, do “sonho” de ser funcionário público. Afirmei que isso é um mau sinal, um sintoma patológico da moral e da psicologia de nossa sociedade, temerosa dos riscos, dos desafios e das frustrações do empreendimento e da livre empresa. Ademais, “sonhar” com a segurança estatal e com a aposentadoria faz desta nação espiritualmente senil e fracassada, uma vez que não se arrisca a promover o bem comum através da criatividade e da liberdade. A cultura, a economia e a boa política, em suma, a civilização, não se fazem por meio de burocratas ou socialistas de gabinete.
Por outro lado, a busca de cargos públicos bem remunerados também reflete a anomalia de uma economia cada vez mais entrevada e um modelo socialista de Estado que controla cerca de praticamente metade do PIB do país. Em outras palavras, o governo é uma espécie de todo-poderoso que controla metade do que os trabalhadores, empresários e demais elementos da iniciativa privada produzem, para sustentar uma burocracia diminuta, privilegiada e muitas vezes parasitária do trabalho surrado e confiscado através de impostos. Basta fazer a comparação entre o que o brasileiro médio paga e o que recebe do Estado para entender o abismo que o país será levado com as políticas socialistas do governo brasileiro. Convém dizer que historicamente, quando uma entidade política tem um poder desproporcional sobre a educação, saúde pública, segurança, cultura, imprensa, e mesmo no mercado de trabalho ou empresarial, é porque a expansão governamental é cada vez mais ameaçadora ao sistema de liberdades na democracia. Não poderia deixar de afirmar que o Estado totalitário moderno é um filho bastardo da democracia liberal.
É compreensível que uma boa parte da população busque emprego nos concursos públicos: com quase metade da renda nacional em impostos, quem não se seduzirá com os altos salários dos cargos oferecidos pelo governo? Nada mais lógico buscar onde há mais segurança, conforto e dinheiro. Tanto melhor ganhar seu salário sobre os impostos do que necessariamente apenas pagá-los. No entanto, deveríamos perguntar se essa concentração brutal do governo na economia não significa prejuízo para a sociedade, no sentido da escassez de empregos, oportunidades e competição no mercado. Além de ser, reiteremos, uma ameaça clara para as liberdades individuais. Neste ponto, nada vejo de concreto no Sr. William Douglas.
Nadando contra a maré vermelha, Julio Severo, inimigo ferrenho dessa modernidade tirânica do anticristo, falaciosa nas suas promessas de um progresso terreno, quando na verdade conspira contra as liberdades mais elementares, tem um posicionamento lúcido diante do que é uma tragédia de nossa civilização. O Estado, em nome da expansão dos direitos individuais, usurpa a liberdade, a família, a propriedade, a consciência individual e tenta, pelos mecanismos mais sutis, imbecilizar os cidadãos. Neste aspecto, a defesa da educação em casa pelos pais (homeschooling), a redução da esfera de poder estatal, o combate à ideologia politicamente correta, bandeiras defendidas por esse insigne e corajoso evangélico, são propostas que deveriam ser defendida por qualquer cristão, católico ou protestante, no sentido de preservar o elemento essencial da vida política livre, que são os seus valores e instituições voluntárias.
É paradoxal que alguns liberais, arautos da idolatria do livre mercado, sejam tão omissos quando a questão é a liberdade em outras esferas. Partem da mera maximização econômica da sociedade, quando na prática, se esquecem do resto. Daí a entender o deslumbramento falacioso da atual China comunista, que constitui um perigo claro às liberdades, quando se observa que esta nação, sob o beneplácito do capitalismo, pode se tornar a primeira potência econômica mundial. Paradoxalmente, o tal “socialismo de mercado” parece seduzir o economicismo capitalista. Esses arautos do livre mercado se esquecem de que a liberdade econômica e a livre concorrência só podem sobreviver se houver outras liberdades.
Contudo, em nome da maximização de oferecer a educação ou saúde públicas, o Estado pretende ser dono das consciências e dos corpos das crianças, a revelia dos pais. Educação ou vacinação obrigatória são formas de servidão, tanto das consciências como dos corpos, já que o poder governamental nos impõe esses direitos, da forma como ele quer. Mais do que um socialismo econômico ou estatal, o que pouca gente percebe é que há uma espécie de socialismo espiritual, onde o Estado se torna uma espécie de provedor de tudo, substituindo as funções outrora praticadas voluntariamente pela própria sociedade. Daí a entender uma geração de imbecis em países onde o Estado do bem-estar social (não seria mal-estar?) promete mundos sem fundos. Cada vez mais o Estado cria uma regulamentação brutal sobre os aspectos mais comezinhos da vida privada das pessoas. Não precisamos mais dos métodos soviéticos de controle estatal da sociedade. A democracia e o capitalismo não são imunes a essas artimanhas. Pelo contrário, eles podem perfeitamente colaborar com o totalitarismo, sem prejuízo das aparentes formalidades legais.
E o aspecto mais assustador desses controles governamentais está no âmbito das idéias. Neste ponto, Julio Severo é muito mais feliz e, por vezes, profético. A legislação da chamada “anti-homofobia” preconiza controlar pensamentos e idéias alheias, sob o disfarce de combater preconceitos contra gays. Até mesmo a ideologia de combater preconceitos já soa perversa, pois ser preconceituoso está na esfera individual de consciência de cada um. Sob a capa dos “direitos humanos”, as democracias podem perfeitamente acabar com a liberdade de expressão, de religião e de consciência, com a mais presunçosa paz de espírito. Os grupos de minorias raciais ou sexuais falam de “direitos” sempre exigindo burocracias protetoras, tais como criancinhas mimadas carentes de um papai acolhedor e babá. E junto com sua agendinha cultural, defendem a censura e o policiamento de idéias, transformando o Ministério Pùblico ou da Polícia Federal numa espécie de NKVD soviética stalinista ou Gestapo nazista, espionando pensamentos inconvenientes. A legislação politicamente correta quer transformar a nação numa legião de alcaguetes e dedo-duros, fuxiqueiros, cretinos, intrigantes, vendilhões e colaboracionistas covardes, adeptos do status quo, da submissão mais abjeta e da bajulação à ideologia do Estado.
E o que o juiz William Douglas faz contra esse estado de coisas, sendo evangélico? Toma partido de Julio Severo, contra os perigos de uma legislação totalitária? Nada! Tenta negociar com os demônios, na acepção acertada de Dostoievski sobre os socialistas. Aqueles mesmos socialistas, que anos depois, causaram uma guerra civil e implantaram a ditadura mais genocida da história humana, a Rússia soviética. O magistrado diz que se deve “negociar” com o movimento homossexual, no sentido de amenizar a legislação totalitária e torná-la mais branda, ou seja, a de considerar as práticas de engenharia social do movimento gay.
Ao crer que a legislação democrática esteja acima das leis divinas ou dos princípios basilares do cristianismo, Douglas relativiza a própria fé cristã. No final das contas, será que devemos conversar educadamente com pessoas que querem induzir nossas crianças às faculdades “maravilhosas” do sexo anal? Se o Sr. William Douglas se dispõe a isso, pode ser justamente pela espantosa ignorância de que os cristãos, católicos e evangélicos, possuem das artimanhas que estão por trás do movimento homossexual. Na verdade, a agenda gay já está decidida a destruir o cristianismo no país, seja na esfera da família e dos valores cristãos. O Sr. Douglas, na lamentável estreiteza de um homem que vê as leis apenas pela superfície da forma, é que desconhece todo o aparato de poder que está por detrás da militância GLS. O pior é que ele não está sozinho. O povinho bajulador do Genizah está compactuando com a omissão, junto com outros demais, que são apenas covardes.
Mas não podemos condenar o Sr. William Douglas, homem especialista em “políticas públicas”: sua especialização, de certa forma, é produto dessa estatização espiritual da sociedade. Ainda que os gays raivosos queiram colocá-lo na cadeia como evangélico, através de uma legislação capciosa; ainda que os mesmos queiram ensinar a crianças menores de idade, os prazeres do sexo anal, há de se reconhecer que a polidez do juiz não é em si um ato cristão. É um sintoma de profunda estupidez. Confesso que as cruzadas me assustam bem menos do que a reação de cristãos como ele. Ao menos passar a fio de espada mouros estupradores pareciam atos de firmeza e autenticidade. Ademais, até na guerra civil espanhola, quando houve pilhares de Igrejas e assassinatos de religiosos, os soldados católicos das tropas do Generalíssimo Franco não pensaram duas vezes em fuzilar milhares de comunistas. Com certeza ninguém faria agendinha gay aos filhos dos cristãos de épocas de antanho. Como aliás o islâmico, em priscas eras medievais, não brincava em serviço contra os francos. Mas agora os inimigos dos cristãos e de toda a sociedade ocidental ditam, polidamente, se devem ou não colocar pessoas como o Sr. William Douglas, eu ou Julio Severo na cadeia. E ele agradece, compassivo, o que é expressão da mais estranha tolerância e pusilanimidade, repassada como piedade cristã. A Revista Genizah parte dessa mesma expressão de pieguice travestida de cristianismo postiço. Patético!
Julio Severo não é tão radical quanto parece. Pelo contrário, radical mesmo é a militância politicamente correta, que promete ensinar homossexualismo nas escolas e, quem sabe, legalizar a pedofilia. Ou mais, colocar cristãos na cadeia, por não colaborarem com os “modernos” ensinamentos sexuais do movimento homossexual nas escolas, nas novelas e na mídia em geral. No entanto, atualmente, as futuras vítimas colaboram com seus algozes. Será que o Sr. Juiz ainda não se perguntou por que Julio Severo está fora do país? Será que a turminha insossa do Genizah faz alguma coisa para proteger um pai de família, cujo único pecado é ser tão profundamente leal aos seus princípios de consciência? Até o berço do calvinismo dito “conservador” da Universidade Mackenzie de São Paulo se acovardou com a pressão do movimento gay, quando tentou manifestar uma posição divergente, retirando um artigo que condenava o homossexualismo. O mais caricatural é o Sr. William Douglas querer ditar regras de bom mocismo a Julio Severo, como se o radical fosse o próprio evangélico exilado e perseguido pelas suas idéias e não a agressiva e virulenta militância homossexual. Ao menos, o senhor magistrado deveria fazer o mínimo de esforço possível para ver a mais pura realidade.
E aqui entre nós: o Sr. Douglas acredita mesmo no “bispo” Crivella, da Igreja universal, aquela mesma fábrica de dinheiro que é cão de guarda do governo federal do PT abortista e pró-gay? O magistrado não tem mais idade pra ser tão ingênuo. O Nosso Senhor afirmou que o Reino dos Céus estaria aberto às crianças. No entanto, o Filho de Deus também disse que sejamos mansos como as pombas e sagazes como as serpentes. A ingenuidade é muito bela nas crianças, mas deplorável nos adultos. No máximo, devemos conhecer da malícia do mundo para preservar a integridade de nossas crianças e de nós mesmos. Integridade que o movimento homossexual ameaça corromper.
Divulgação: www.juliosevero.com

24 comentários :

Anônimo disse...

Júlio, dê uma olhada nesta notícia que saiu na Folha Online. Agora é a OAB que elaborou uma proposta de emenda à constituição, a qual, entre outras aberrações, institui que os meios de comunicação, de forma genérica, devem ser obrigados a “respeitar” orientação e identidade de gênero. (traduzindo: Meios de comunicação: televisão (inclusive programas religiosos), rádio, revistas, internet, blogs etc. Serão OBRIGADOS a CONCORDAR COM A IDEOLOGIA DE DIVERSIDADE DE GÊNERO.) Pois é, Júlio, é como o Olavo de carvalho diz, que quando eles não conseguem instituir os seus interesses ditatoriais e diabólicos pela via democrática, por serem por demais absurdos, eles então passam por cima da democracia se utilizando de decretos leis, portarias administrativas ou sentenças judiciais, colocando-se o poder público a serviço do do anticristo e de satanás.

A notícia pode ser vista no link: http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/963178-oab-discute-casamento-e-adocao-para-casais-gays.shtml

Assinado: Luís Matos

Anônimo disse...

Os gayzistas querem nas escolas ensinarem os meninos os prazeres do sexo anal e as meninas a porêm duas aranhas a brigarem. Querem com suas paradas gays liberdade para toda libertinagem,safadezas e imoralidades. E as pessoas comuns assistindo tudo,sem reclamar e indignarem de nada. Além de homossexualísmo, sexo livre, para poder tranzar a vontade. As moças virgens devem ser ricularizadas e humilhadas. Os ateus devem ser respeitados. Se blasfemam contra Deus,os cristãos devem ficar quietos e em silêncio. Quando o ateu estiver calmo, com muito jeito dizer que Jesus ama ele.

Pelo que entendi até o Diabo deve ser respeitado. Já que devemos negociar com os gayzistas e seus protetores,os socialistas. Porque não negocia com o Diabo,lógico,com respeito por ambos lados. Eu ! Sou uma pessoa muito inteligente,mas pobre. Um grande fracasso profissional e financeiro. Muitas vezes estou desempregado e vivo fazendo uns bicos para ganhar um dinheirinho. EU TINHA MUITA VERGONHA DESTA SITUAÇÂO.

Mas ! Hoje considero um vantagem e benção de Deus. Pois se caso tivesse um ótimo emprego público, ganhasse muitissímo bem, sólida situação financeira e status social. Um doutor,respeitado e admirado. Poderia hoje. Muito bem. EU querendo negociar com as forças das trevas,envergonhando o evangelho,me acorvadando,seguindo o ESQUEMA.

E respeitando o lado dos ímpios. E sobretudo não arriscando nem um pouquinho ir contra as coisas deste mundo para não perder a minha sólida situação financeira,status social. A minha importancia na sociedade. Me perdoe os meus erros de português. Como eu sou um sujeito sem importciso me preocupar com isto.

NIL SOARES

Anônimo disse...

No passado tínhamos cristãos HOMENS E MULHERES de verdade, hoje existe dentro das denominações uma raça de imbecilizados pela mídia secular, cristãos que se vc perguntar o nome dos 12 apóstolos de cristo não sabem, mas escalam os 12 da seleção brasileira decorados e sabem o nome de todos os artistas de novelas globais, o Brasil hoje vive o cristianismo da apostasia, CRISTÃOS SEM CRISTO! Eles tem religião cristã, mas nada dos ensinamentos de cristo em suas vidas, aberrações religiosas, entendo porque os históricos não fazem nada, pois acreditam ser a BIZARRA SOBERANIA DE DEUS QUEM QUER ASSIM, apostatas com nome de teólogos reformados, defendem e brigam por posições teológicas mas não defendem o cristianismo e nem seus irmãos perseguidos, são descendentes dos fariseus sepulcros caiados, espero que quando o comunismo assumir de vez essa nação fuzile primeiro os pastores e teólogos pois essa raça de covarde inútil em sua maioria não vale nada! Salvo raríssimas exceções. Parabéns Julio por ser essa voz profética em meio ao caos!

Enildo Tavares Barreto

Anônimo disse...

A maioria dos juizes, dos MPs, das defensorias públicas,dos tribunais e tudo mais ligado ao poder, são instrumentos degenerativos comandados pelo Politburo PTralha. São escravos useiros e vezeiros do tecnicismo burocrata do governo federal. Meninos de recados de gayzistas, Lula e seus sequazes. Servos cegos e corroídos de regimes ignóbeis.
Esses agentes capangas ignoram retidão, respeito e princípios morais advindas de Deus.

A Igreja deve agir e esperar no JUIZ reto e dígno. Lucas 18.1-8

Anônimo disse...

Caros amigos, os pastores de hoje não estão empenhados em militar contra o governo tirânico, e alertar seu rebanho para outros lideres ligados com a cúpula do capeta. PT
os cristãos deste país estão imersos em apostasia seguindo nomes de pregadores apostatas,que pregam prosperidade, quando o governo lançou seus programas de migalhas,os cristãos de classe baixa seguiram seus lideres corruptos ao pé da letra, votando na classe petista por isso vimos aberrações vindas do poço do abismo como o, PLC 122 kit gay e kit gay 2
que esta para chegar nas escolas públicas de todo o país,estou temeroso senhores, estou temeroso porque apesar de ter saído inevitavelmente na mídia a confusão envolvendo o kit gay e o PLC 122 ainda tem lideres preparando seus fiéis para votarem de novo na corja petista, estou temeroso porque sei que lideres das maiores igrejas desse país sendo alertados destas coisas, não tomaram providência para alertar seus fiéis incautos de refletirem bem em quem votar e como votar. sinceramente acho que o que acontece nos púlpitos das igrejas esta refletindo muito bem na nossa política,triste mas real a apostasia não só cega os cristãos para doutrinas de demônios, mas também cega eles para não ver a omissão de seus lideres,e os interesses deles em não alertar que o que acontece no sistema político de um país refletira também em suas vidas como cristãos.
o povo cristão desse país usufruiu muito das migalhas desse governo tanto é que quase passou PNDH-3 e PLC 122 e se não fosse esses blogueiros cristãos, esses atalaias de Deus tudo estaria perdido que Deus continue abençoando a todos os que colaboram transmitindo, as preciosas informações desse blog. e de muitos outros para os incautos e que isso possa despertar os irmãos negligenciadores...

Assn:Ronie Peterson

paulo_sergio disse...

Nunca imaginei que poderia ver tudo isso acontecer em nossos dias...parece que toda cristandade está adormecida.Quando acordar para realidade tenebrosa,a armadilha do inimigo estará pronta.

O cerco está se fechando,penso que está próximo o dia pra ser posto à prova aqueles que são realmente cristãos.

O mais triste é que vemos tudo isso ir acontecendo e a reação dos cristãos não passa de uma brisa diante de uma verdadeira guerra contra o cristianismo.

É pedir a Deus que nos dê a força necessária,pra não cair no dia da provação...

Tania Cassiano disse...

Júlio,
Análise perfeita do Sr. Leonardo Bruno.
Um dos problemas atuais nas Escolas, quanto à disciplina, são professores tentarem criar extratégias para que, alguns alunos não usem o período das aulas depilando as sobrancelhas, se maquiando e exigindo por ex. que não os chame pelo nome que está no livro de chamada, mas por
"me chamam de galega".
Abs.

Anônimo disse...

"E os que são de Cristo Jesus crucificaram a carne, com as suas paixões e concupiscências"(Gálatas 5:24) "Mas longe esteja de mim gloriar-me, senão na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo, pela qual o mundo está crucificado para mim, e eu para o mundo"(Gálatas 6:14)
Eis a única solução para o velho homem adâmico, desesperadamente corrupto: Morrer na Cruz com Cristo para receber a Vida Ressurreta.

Anônimo disse...

"O sangue dos mártires foi a semente do cristianismo"
Justino Mártir

Ñ bastasse a perseguição à igreja no oriente, lamentável q tão poucas igrejas tenham acordado para a perseguição dos últimos dias tbm no ocidente.

Anônimo disse...

Magistral e apropriadíssimo o artigo de Leonardo Bruno.
Em oração por ti e pela igreja perseguida.

Adolfo Marinho disse...

Sem dúvida, o PL 122, que quer instituir o ensino de homossexualismo em escola pública é a coisa mais ABOMINÁVEL e MONSTRUOSA DO INFERNO.

E nunca é demais relembrar: o PL 122 é uma parceria do PT com o movimento gayzista do Luiz Mott e Toni Reis.

Entretanto, engana-se quem acredita que só o PT apóia o movimento gay. Não! O PSOL, partido de Heloísa Helena e Jean Wyllys é totalmente pró-gayzismo, além de outros bem conhecidos dos brasileiros: PC do B, PV, PSTU e PSDB.

Anônimo disse...

Bem lembrado!

A OAB é uma grande colaboradora, apoiadora e financiadora do movimento gayzista.

Esta entidade inútil tem trabalhado dia e noite em prol da institucionalização do homossexualismo.

PRESBÍTERO VALDOMIRO disse...

A Palavra de Deus diz com todas as letras:

"E não vos conformeis com este mundo; mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, perfeita e agradável vontade de Deus" (Romanos 12:2)

Não queria dizer isso, mas agora eu sou obrigado a dizer o que eu penso (e vou falar abertamente, sem nenhum medo de nada nem ninguém): A BANCADA EVANGÉLICA, QUE DEVERIA DAR O BOM EXEMPLO (OU MELHOR, QUE DEVERIA SER A LUZ NO MEIO DAS TREVAS DESSA NOSSA POLÍTICA), TEM SIDO OMISSA, CONIVENTE E IRRESPONSÁVEL EM RELAÇÃO A TODA ESSA SUJEIRA! E O PIOR É QUE TEM ATÉ DEPUTADO E SENADOR EVANGÉLICO QUE APOIOU LULA E DILMA! MUITOS DELES ESTÃO SE VENDENDO POR DINHEIRO, VANTAGENS, OU CARGOS OFERECIDOS PELO GOVERNO! SÃO VERDADEIROS LOBOS EM PELE DE CORDEIRO! SÃO PIORES ATÉ DO QUE OS ÍMPIOS MAIS PERVERTIDOS!

É justamente por isso que eu não acredito em nenhum político. Nem mesmo os da bancada evangélica não são dignos de confiança. É como bem disse o apóstolo Paulo: "Seja Deus verdadeiro e todo homem (principalmente político) mentiroso" (Romanos 3:4, o parêntese é meu).

O exemplo mais claro disso é a amizade de Magno Malta e Marcelo Crivella (que dizem ser homens de Deus) com Marta Suplicy. Alguém aqui já viu, em alguma página da Bíblia, Jesus e Satanás sendo amigos (ou Jesus fazendo acordo com Satanás)?

ASSIM COMO JESUS NUNCA TEVE NENHUMA AMIZADE COM O DIABO (E TAMBÉM NUNCA FEZ NENHUM ACORDO COM O DIABO), O VERDADEIRO CRISTÃO NÃO PODE (E NÃO DEVE) FAZER ACORDO COM OS DEMÔNIOS (COMO OS POLÍTICOS DESTE GOVERNO PODRE E IMORAL)!

Eu vou mais além: assim como Jesus expulsou os cambistas do templo (João 2:14–16), nós também deveríamos expulsar do Congresso Nacional esses falsos políticos evangélicos que estão somente preocupados em defender os seus próprios interesses ou os interesses de certos grupos (ao invés da obediência às verdades da Palavra de Deus).

E a Palavra de Deus ainda diz mais:

"Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou amará a um e odiará o outro, ou há de se dedicar a um e desprezar o outro" (Mateus 6:24)

"Não vos coloqueis num jugo desigual com os incrédulos. Pois, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que união pode haver da luz com as trevas? E que aliança há entre Cristo e o maligno? E que parte tem o fiel com o infiel? E que concordância existe do templo de Deus com os ídolos?" (2 Coríntios 6:14-16)

"E vereis a diferença entre o justo e o ímpio, entre aquele que serve a Deus e aquele que não O serve" (Malaquias 3:18)

A Palavra de Deus é taxativa: ou você está a favor Dele, ou você está contra Ele. Em outras palavras: ou você serve a Deus, ou você serve ao diabo (não existe meio-termo)!

Para esses que se dizem cristãos (mas que, às escondidas, satisfazem aos desejos do diabo), Jesus dá uma advertência muito séria (gostaria que todos lessem e meditassem atentamente):

"Nem todo aquele que diz: Senhor! Senhor! entrará no Reino dos Céus, mas somente aquele que faz a vontade de Meu Pai que está nos Céus. Muitos dirão naquele dia: Senhor, não profetizamos em Teu nome? E não expulsamos demônios em Teu nome? E não fizemos obras grandiosas em Teu nome? Porém, Eu vos direi: Nunca vos conheci. Apartai-vos de Mim, vós que praticais a iniqüidade" (Mateus 7:21-23)

Só sei de uma coisa: quando Jesus voltar, toda essa bandalheira vai ter fim. E muito político que se diz cristão (e que compactuou com todas as sujeiras desse governo corrupto) vai ter que prestar contas a Jesus! Eu não quero estar na pele deles neste mesmo dia!

Para encerrar minha mensagem, deixo este versículo para a reflexão de todos:

"Cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus" (Romanos 14:12)

EVANILSON disse...

O Sr. William Douglas, infelizmente, está totalmente equivocado em suas atitudes. No entender dele, é melhor "negociar" de forma pacífica determinados assuntos (como o homossexualismo) do que se tornar inimigo de certas pessoas.

No entender dele, convívio pacífico significa aceitar os ataques dos homossexuais (e não dizer e nem fazer nada contra). Em outras palavras: os cristãos, em nome de uma convivência pacífica, devem permitir que os homossexuais (e os políticos que agem a favor deles) fiquem totalmente à vontade.

O exemplo que o presbítero Valdomiro citou foi muito esclarecedor: a amizade de Magno Malta e Marcelo Crivella (que dizem ser representantes de Deus) com Marta Suplicy (porta–voz do diabo e dos homossexuais). Por que um servo de Deus teria amizade (ou dialogaria) com um escravo do diabo?

Porque eu convivo com uma determinada pessoa, eu devo, em nome deste mesmo convívio, aceitar tudo de errado que a mesma pessoa pensa, faz ou diz (ou melhor, ser tolerante com o pecado)? É claro que não!

Infelizmente, algumas pessoas confundem amor ou convívio com permissividade ou tolerância. Devido a essa distorção (ou melhor, deturpação) de conceitos, muita gente acha que amar (ou conviver) significa aceitar o pecado (e não dizer nem fazer nada). Na verdade, quem faz isso (isto é, quem tolera o pecado e fica indiferente) é cúmplice do pecado, ou melhor, é tão (ou mais) culpado quanto o próprio pecador. Em relação a isso, a Bíblia diz claramente: "Aquele, pois, que sabe fazer o bem e não o faz, comete pecado" (Tiago 4:17).

A Palavra de Deus diz o que devemos fazer antes de termos amizades com certas pessoas (principalmente as de comportamento duvidoso):

"E não vos comuniqueis com as obras infrutíferas das trevas; antes, condenai-as. Porque o que eles fazem em oculto até dizê-lo é torpe" (Efésios 5:11–12)

"Todo aquele que prevarica e não persevera na doutrina de Cristo, não tem a Deus. Quem persevera na doutrina de Cristo, esse tem tanto ao Pai como ao Filho.Se alguém vem ter convosco e não traz esta doutrina, não o recebais em casa, nem tampouco o saudeis. Porque quem o saúda tem parte nas suas más obras" (2 João 1:9–11)

Se Magno Malta, Marcelo Crivella, William Douglas e outros políticos da bancada evangélica fossem cristãos autênticos (no verdadeiro sentido da palavra), eles não aceitariam fazer nenhum acordo com Marta Suplicy (ou qualquer outro defensor dos homossexuais) no sentido de "negociar" ou "amaciar" o PLC 122 (ou qualquer lei a favor dos homossexuais). Eles teriam que dizer com todas as letras: "Não tem acordo! Não aceitamos nada que seja contra a Palavra de Deus! Não vamos ser cúmplices desta sujeira! Não vamos aprovar nenhuma lei para benefício dos homossexuais! Não iremos ser tolerantes com o pecado!" Esta teria que ser a atitude deles como legítimos representantes do povo de Deus.

Faço das palavras do presbítero Valdomiro as minhas para perguntar ao Sr. William Douglas: um verdadeiro cristão faria algum tipo de negociação com os demônios das trevas (ou com seus comparsas)?

A Palavra de Deus diz que Jesus veio para desfazer as obras do diabo (1 João 3:8). Por que um cristão agiria diferente?

O que mais me deixou espantado foi o Sr. William Douglas achar natural "negociar" com políticos corruptos (muitos deles claramente a favor dos homossexuais). Talvez ele (que se diz cristão) esteja esquecido das artimanhas do diabo. A respeito disso, o apóstolo Paulo disse com muita sabedoria:

"E não vos admireis disto, já que o próprio Satanás insiste em se transformar em um anjo de luz. Não é muito, portanto, que os seus ministros apareçam como ministros da justiça; e o fim deles será segundo as suas obras" (2 Coríntios 11:14-15)

Jesus ainda disse que ninguém pode servir a dois senhores (Mateus 6:24). Eu perguntaria ao Sr. William Douglas de que lado ele está: de Jesus ou de Satanás?

Se ele puder, que ele responda a esta pergunta na primeira oportunidade!

Anônimo disse...

Alguém que tenha contato com o grupo que colocou os outdoors poderia sugerir-lhes trocar a frase por algo como:
A BÍBLIA JÁ FOI CENSURADA. O QUÊ VIRÁ AGORA?
ou
DEUS CENSURADO
ou
Uma imagem de Jesus com um esparadrapo na boca.
É preciso chamar atenção para o que está acontecendo.
Ficam as sugestões.
Abraços,

William Douglas disse...

Aos que atacam o Sen Marcelo Crivella, recomendo ver o video
http://www.youtube.com/watch?v=lHDw05_ackU&feature=share

Aos q me atacam por dialogar com outras pessoas, sugiro a leitura da vida de Jesus, q nos deu o exemplo de convivencia com todos.

Aos que atacam tanto os homossexuais, recomendo que olhem para si mesmos e avaliem se não são igualmente pecadores. Creio q os evangelicos deveriam, se for para serem intolerantes, começarem com outros pecados, como a avareza, a ganancia, a corrupção e a falta de amor ao próximo.

William Douglas

Julio Severo disse...

Prezado Douglas

Você não pode se arrogar o direito de insinuar que se espelha em Jesus, que nunca negociou com autoridades. O trabalho dele era só o Evangelho. Nada mais. Quer fazer essa missão? Largue sua toga, e vá pregar o Evangelho, vivendo pela fé, sem depender do Estado para viver.

A uma autoridade, Jesus mandou o recado: “Ide, e dizei àquela raposa: eis que eu expulso demónios, e efetuo curas, hoje e amanhã”. (Lucas 13:32 ACF)

Vá e faça o mesmo.
Pare de bajular as raposas.

Quanto ao Crivella, as fraquezas, alianças políticas insanas e pecados dele falam por si.

william douglas disse...

Ah, mais uma coisa:
Podem falar o que quiser do Sen Crivella, mas ele defende interesses evangelicos. NAo fosse ele e o Magno Malta, o PLC 122 teria passado do jeito q estava e isso iria criminalizar a defesa do conteúdo da Biblia.
Entao se hoje, meu amigo Julio, o q vc fala não é crime, agradeça ao Sen Crivella e ao Sen Malta.

Julio Severo disse...

Prezado Douglas

Crivella é o próprio homem que declarou, na tribuna do Congresso, que o Evangelho é a “cartilha mais comunista que existe”, durante o aniversário do Partido Comunista.

E ele já provou que acredita firmemente nisso, apoiando Lula duas vezes para presidente e Dilma uma vez. E depois, quer aparecer como defensor dos evangélicos, sendo o PLC 122 um projeto autoritário totalmente do PT.

Então, Crivella dá toda força para o PT e depois quer aparentar também estar do lado dos cristãos?

Já estive com Crivella e bem sei como ele apoia as esquerdas de coração. E também conheço seus interesses com ele. Pare então de fazer jogo duplo, tentando tirar vantagem política de uma situação gravíssima. Se estamos hoje no Brasil onde estamos, é por causa justamente de políticos oportunistas que vendem a alma ao diabo em troca de interesses políticos e financeiros.

Veja o motivo por que o PLC 122 não foi aprovado até agora: http://juliosevero.blogspot.com/2011/05/blogagem-profetica.html

É a pressão popular em atividade, não o trabalho de um senador que apoio o comunismo e o PT!

Anônimo disse...

NAO ACREDITO QUE TENHA SIDO MESMO O MAGISTRADO DOUGLAS QUE NOS TENHA DITO PARA AGRADECER AO CRIVELLA POR NAO ESTARMOS RESPONDENDO CRIMINALMENTE PELAS DECLARAÇOES EXARADAS AQUI. DIFICIL DE ACREDITAR PQ A PL122 NAO NECESSITA DE CRIVELLA PARA NAO EXISTIR...
É A NOSSA CONSTITUIÇAO FEDERAL - QUE SUSTENTA A LIBERDADE RELIGIOSA E DE EXPRESSAO - É QUE JÁ FAZ DD PL 122 UM TEXTO NATI-MORTO!
ORA, ESSAS! ESSE MAGISTRADO QUER MESMO NOS VENDER ESSE ENGODO!

Anônimo disse...

Sr. Leonardo Bruno,

Faço uma ressalva em relação ao que você disse no seu texto:

"Por outro lado, a busca de cargos públicos bem remunerados também reflete a anomalia de uma economia cada vez mais entrevada e um modelo socialista de Estado que controla cerca de praticamente metade do PIB do país. Em outras palavras, o governo é uma espécie de todo–poderoso que controla metade do que os trabalhadores, empresários e demais elementos da iniciativa privada produzem, para sustentar uma burocracia diminuta, privilegiada e muitas vezes parasitária do trabalho surrado e confiscado através de impostos."

Leonardo, você sabe por que muitos brasileiros procuram empregos no setor público? Porque todos desejam ter a estabilidade no emprego (coisa que a iniciativa privada não garante a ninguém). Do jeito que o desemprego está muito grande, não dá para confiar em algo que não ofereça segurança. Eu lhe pergunto: você ficaria num lugar onde você pode ser demitido a qualquer momento (e até sem justificativa)?

Sou funcionário de um banco federal muito conhecido. Para eu ser admitido, eu tive que ser aprovado em concurso público (que é uma espécie de "vestibular"). Graças a Deus (e também ao meu próprio esforço pessoal), eu tive essa felicidade. Nunca tive nenhuma repreensão em relação ao meu desempenho profissional. Tanto é verdade que já tenho mais de 15 anos de bons serviços prestados ao banco (inclusive com elogios da chefia).

Apesar de ser empregado público, eu nunca me senti (e nunca me vi) como privilegiado. E também nunca fiz parte dessa burocracia diminuta, privilegiada e parasitária que você menciona no seu texto. Muito pelo contrário: tive uma vida cheia de sacrifícios desde a minha infância. Fiquei órfão de mãe muito cedo (aos 8 anos de idade), e tive que trabalhar vendendo frutas e verduras numa feira livre para ajudar a sustentar a minha família.

Por ser cristão, eu nunca concordei com determinadas posturas do banco em relação a certos assuntos (inclusive o homossexualismo). Muitos colegas de serviço da agência onde eu trabalhava eram (e ainda são) homossexuais. Por eu ter me manifestado contra as idéias deles, passei a ser mal visto, e, 3 anos depois, fui transferido para outra agência.

É deste meu emprego (no qual estou até hoje) que eu tiro apenas o meu próprio sustento (e também o de minha esposa e meus filhos). Faço como disse o apóstolo Paulo: "Tendo, porém, sustento, e com que nos cobrirmos, estejamos com isso contentes" (1 Timóteo 6:8). Nunca fiz do meu emprego uma ostentação (e nunca quis pensar que sou melhor que outras pessoas por causa disso).

Se existe uma burocracia diminuta, parasitária e privilegiada no poder (representada pelos políticos corruptos pró–homossexualismo), é por culpa do povo que não sabe votar. Se o povo tivesse maturidade o suficiente na hora de votar, o Congresso Nacional não estaria cheio de políticos oportunistas e inescrupulosos (inclusive no meio evangélico). O problema é que o povo vota mais com a emoção do que com a razão. Em outras palavras: o povo vota mais com a barriga do que com a cabeça. Tem gente que só vota em troca de favor (tipo "toma lá, dá cá"). Enquanto prevalecer este quadro, ou melhor, enquanto o povo ainda tiver essa mentalidade clientelista (de só votar em troca de alguma ajuda), o nosso país nunca vai ser um país sério. Daí a razão de se dizer popularmente que "o povo tem o governo que merece".

Não é porque um ou outro funcionário público (ou estatal) é privilegiado que todos serão necessariamente assim (toda regra tem suas exceções). Entre "um ou outro" e "todos" existe uma diferença muito grande, você não acha?

Portanto, Sr. Leonardo, procure se informar melhor sobre certas pessoas antes de fazer acusações sem provas ou julgamentos precipitados.

Julio Severo disse...

Prezado anônimo

Compreendo sua situação, mas você veio aqui, neste artigo, defender o que? Defender o William Douglas ou o parasitismo do Estado?

Vemos na Bíblia um homem como José do Egito, que foi usado por Deus naquele sistema político corrupto. Não é porque José estava ali que o sistema estava isento.

Note que em muitas outras passagens da Bíblia Deus levanta profetas para denunciar o sistema de governo. Reis — equivalentes hoje a presidentes — eram repreendidos por ordem divina.

Sabemos pela Bíblia que o chamado do governo é somente castigar os maus e elogiar os bons. Mas o governo hoje se incha de recursos extraídos a força e abundantemente de uma população que, cada vez mais, trabalha somente para o governo.

Tiradentes se revoltou contra a cobrança de 20 por cento de impostos, o famoso “quinto”. Hoje, são dois “quintos” dos infernos: o governo brasileiro literalmente nos rouba 40 por cento e nenhum de nós se revolta.

E a diferença entre iniciativa privada e pública é colossal: As empresas públicas são alvo de imensos e constantes sugamentos de impostos, sendo tolhidas e ameaçadas por todos os tipos de tributos, enquanto as empresas públicas, que deveriam existir apenas basicamente na área de ordem e segurança, são gordas e preguiçosas, vivendo às custas das empresas que realmente trabalham. As empresas públicas não são sobrecarrecagas nem tolhidas por um oceano de ameaças tributárias.

Portanto, mesmo respeitando sua condição de cristão, mas discordando de sua postagem em defesa de um jurista cujos interesses cristãos não são biblicamente sãos, tenho de lhe dizer a verdade: você está trabalhando num setor privilegiado. Dê glória a Deus pela sua vida (desconheço seu testemunho pessoal, pois você está no anonimato), mas não diga que esse sistema privilegiado é algo aprovado por Deus, pois é um sistema público que vive do saque de 40 por cento de impostos não é de forma alguma abençoado. Roubo é roubo, seja praticado por um indivíduo ou governo.

Você pode estar contente, mas pode acreditar que eu e outros, que pagamos impostos, não estamos nem um pouco contentes. Nesse aspecto, temos o sentimento de Tiradentes: revolta contra a injustiça tributária do governo.

Anônimo disse...

Júlio

Eu não estou defendendo o William Douglas (inclusive discordo da postura dele em relação ao homossexualismo). Se ele se diz cristão, ele teria que combater com firmeza o pecado do homossexualismo (e não negociar nada com os políticos pró-homossexualismo).

Também não concordo com o parasitismo do Estado. Como você bem disse num dos seus artigos, a função do Estado é somente punir os maus e elogiar os bons. Só que, infelizmente, os dirigentes deste mesmo Estado são pessoas que não têm uma orientação de Deus (esta é que é a verdade).

E como o presbítero Valdomiro bem disse, a nossa bancada evangélica tem sido omissa, conivente e irresponsável (ou seja, não tem agido com rigor contra o pecado). Eu, como cristão, lamento tal estado de coisas. E, desde já, digo sem medo: eu só voto nulo. Para mim, não tem nenhum político que mereça a minha confiança (nem mesmo os da bancada evangélica).

Também não concordo com a carga tributária que o governo exige que paguemos de impostos (eu mesmo sinto isso no meu bolso). O ideal seria só pagarmos para termos segurança. Mas, infelizmente, o Estado não vê (ou não entende) isso da forma correta.

Estive presente em todos os protestos contra o governo (e também na "Marcha para Jesus" em São Paulo). Faço a minha parte como cristão. Só que eu, sozinho, sou apenas um pingo d'água no oceano.

Eu vim apenas discordar da visão distorcida sobre certos funcionários públicos. No mais, dou todo meu apoio somente aos cristãos verdadeiros que combatem firmemente o pecado (como você).

Espero ter sido claro na minha explicação.

Julio Severo disse...

Ok. Compreendo sua situação. Deixe Deus usar você nesse sistema, sem se apegar a ele e sem participar de suas injustiças. Seja um José, Daniel e Davi, fazendo diferença onde está.