16 de agosto de 2011

A “tolerância” gay na internet

A “tolerância” gay na internet

Lia o blog do meu grande amigo evangélico Julio Severo e eis que me deparo com as respostas grosseiras dos fanáticos do movimento gay, refletindo o tipo de metodologia totalitária que há por trás dessa turba organizada. Convém dizer que este bravo homem cristão está fora do país. A militância homossexual usou de variados meios para censurá-lo e calar a boca de algumas verdades denunciadas no seu blog. O chefe do movimento gay da Bahia Luiz Mott chegou a divulgar na internet um suposto endereço da residência do militante evangélico, colocando em risco a sua integridade física. Até o Ministério Público Federal entrou na farsa, movendo o processo por um crime inexistente, o de “homofobia”. Sozinho, e no sentido de resguardar o bem estar de sua família, ele teve que sair do país.
Vejam a natureza das críticas sofridas por Julio Severo recebe em seu blog. Em publicação de seu blog, na data de 14 de agosto de 2011, alguns militantes gays pediram a cadeia para o blogueiro. O crime? Criticar o movimento homossexual. Cabe comentá-lo:
“a liberdade de expressão vai até o ponto em que fere a constituição. vc pode não gostar de homossexualismo, mas emitir publicamente esta opinião é ferir o direito de liberdade do outro”.
Conde- Não existe nada na Constituição que “proteja” o homossexual de qualquer tipo de crítica. Aliás, nem deve, porque a constituição garante a liberdade de expressão de qualquer idéia, sendo vedado o anonimato e todas as pessoas ou condutas são passíveis de crítica, a não ser que criemos privilégios especiais de opinião aos gays. “Privilégio” que fere a Constituição, que afirma que todos somos iguais perante a lei. Convém afirmar que, a despeito de sua proibição, o anonimato é usado covardemente para atacar Julio Severo. Liberdade de expressão, pela sua definição, não obriga ao seu opinador a agradar a ninguém. Nada do que Julio Severo diz é mentira ou falsidade. Percebe-se aqui a consciência totalitária distorcida deste militante homossexual. Ele confunde a mera discordância de uma opinião ou projeto político com a obstrução da própria liberdade. Criticar pessoas, grupos políticos, entidades governamentais, ou seja, qualquer coisa, faz parte da própria democracia, e só uma pessoa muito lunática e com viés despótico é que possa presumir que a mera crítica fira liberdades alheias. Pelo contrário, quem quer ferir a liberdade alheia é o militante gay, que deseja tirar o direito de opinião livre das pessoas.
A inversão esquizofrênica da linguagem é algo que surpreende até um romance de George Orwell. Se o movimento gay pode criticar os cristãos, pode criticar a moral vigente, pode criticar a rejeição à homossexualidade, o mesmo princípio se aplica a todo mundo, que pode criticar também os homossexuais militantes.
Na cabecinha do militante fascista do movimento gay, pode-se usar das prerrogativas do Ministério Público para calar a boca de Julio Severo e demais cristãos, sem supostamente ferir a liberdade de alguém. Porém, criticar o homossexualismo e a ditadura gay virou crime. E ainda essa gente se escandaliza quando é chamada de nazista?
“diferentemente, os homossexuais não fazem campanha contra o heterossexualismo, eles apenas pedem para deixar de ser perseguidos e assim poderem viver como desejar”.
Conde-Aqui o militante gay mente e muito mal. O movimento homossexual não somente ataca a tradicional família cristã, como também quer criminalizar qualquer opinião em contrário ao homossexualismo. Mas essa é a natureza psicótica do movimento homossexual: a auto-vitimização neurótica e paranóica com a sanha criminosa e doentia de calar a boca dos dissidentes à força. Ou seja, o repressor das idéias alheias se protege com a própria vitimização neurótica de um perigo inexistente.
O indivíduo que condena o homossexualismo, seja baseado no quer for, até mesmo preceitos religiosos, está ferindo a constituição do país e deveria ser processado.
Conde- O militante gay não é apenas mentiroso, como também burro. Não existe nenhuma prerrogativa constitucional que proíba a crítica aos homossexuais ou ao homossexualismo. Ademais, proibir a crítica ao homossexualismo fere a liberdade constitucional, uma vez que há, além da liberdade de expressão, a liberdade sexual de rejeitar aquilo que não nos agrada. Pelo jeito, o analfabeto jurídico não sabe nada de leis e fica dando palpite em tudo. No entanto, o Ministério Público, de forma ilegal e delinquente, já criou um precedente jurídico que não existe na lei, a tal “homofobia”. Aí dá pra entender do porquê de ele repetir uma legislação paralela, que só existe na linguagem totalitária do movimento gay. Onde a Constituição permite algum tipo de processo por crimes de opinião? Bem, essas são as intenções nazistas do movimento gay, criar um precedente inexistente para a destruição da liberdade de expressão.
Muito confundem liberdade de expressão com poder falar o que quer e o que pensa, mas não é assim. Se pronunciar contra o direito do homosexual viver como quer é crime!
Conde- A Constituição proíbe alguém de falar o que pensamos? De onde esse palerma nocivo tirou essa idéia? Do movimento nazista gay, naturalmente, já que não passa de um fascistinha travestido em arco-íris. O movimento gay criou um precedente digno da pior ditadura comunista: a liberdade de expressão não existe mais. Pronunciar-se contra reivindicações políticas gayzistas se tornou “crime”. Sabe-se lá de qual legislação? Mas a intenção está clara: a lei “anti-homofobia” ainda nem passou e os militantes homossexuais já querem colocar pessoas na cadeia por crimes inexistentes?!
Criticar a orientação sexual é crime sim senhor !!! Gente como vc merece cadeia !
Conde- Vamos ver se entendi a lógica do “senhorito arrogante” e andrajoso: rejeitar uma conduta sexual agora é crime? Onde está a liberdade sexual para criticarmos a orientação sexual que não nos agrada? Onde está escrito na Constituição que devemos aceitar compulsoriamente um comportamento sexual sem questioná-lo? Se criticar a orientação sexual é crime, nas palavras do símio acima, então criticar a pedofilia, a zoofilia, a necrofilia, e outros tipos de práticas ou “orientações sexuais” também é crime. A lógica do movimento gay não é das melhores. Deve ser algo digno do hospício ou do manicômio judiciário.
Volta, fujao, que o MPF vai te colocar num lugar onde vc nunca mais vai escrever coisas que revoltam a comunidade lgbt. Volta fujão!
Conde- Vamos analisar quem é o covarde? Um indivíduo isolado, que tem família constituída, destituído de posses, e que fala a verdade num blog contra milhares de militantes imbecilizados, desequilibrados, sustentados por ongs riquíssimas, pelo dinheiro público e mesmo com a força do Estado, através do Ministério Público, é um covarde? Não, covarde, é essa criatura que precisa de grupelhos sem situados para se arrogar a usar a palavra contra a parte mais fraca, que é a de Julio Severo. Esse mesmo covarde que, a despeito de toda a estrutura financeira e estatal milionária de apoio ao movimento gay, ainda se esconde covardemente no anonimato, sem a coragem de mostrar a cara! Esse é o verdadeiro fujão, sem moral, sem cérebro, sem inteligência, sem caráter.
Parabéns!
O blog do tsavkko citou seu fundamentalismo e meu blog repostou!
Juntos para fazer as pessoas saberem quem é vc.
Conde- Interessante notar o quanto os idiotas falam do “fundamentalismo” sem conhecerem patavina da palavra. Todavia, não seria mal retribuir a palavrinha considerada “politicamente incorreta” aos seus reais praticantes: existe “fundamentalismo” maior quando uma trupe de sodomitas se auto-sacraliza na prática anal, achando que qualquer crítica, dissidência ou mesmo aversão é possível de ir pra cadeia? Inclusive, rasgando ou interpretando a Constituição Brasileira de forma esquizofrênica?
Logo vou postar seus textos anti diversidade religiosa a postar videos que o caio fabio fez sobre vc.
covarde, fujão!
Conde- Ao que parece, o “corajoso” é outro que sobrevive no anonimato. O Brasil tem dessas coisas: os “corajosos” são aqueles aliados do governo, do dinheiro público sujo, de ongs riquíssimas, que tentam esmagar indivíduos isolados, mas que guardam a interioridade independente, prontos a morrer pela verdade do Evangelho. Mas o covarde é sempre assim: é poderoso com os fracos e cachorrinho de madame com os poderosos! O movimento gay, cão de guarda da ditadura politicamente correta, com certeza não pensará diferente. E convém dizer, quem é que leva a sério o Sr. Caio Fábio, bajulador do PT, que depois de ser pego na falcatrua do dossiê Cayman, não passa atualmente de uma espécie curiosa de escroque fracassado? Eu duvido muito da sinceridade ou inteligência de quem prega a tal “diversidade”. Claro, é a “diversidade” de grupelhos imposta pelo PT, pelos partidos de esquerda, que destróem essa pluralidade quando foge do controle do partido-Estado. Aqui entre nós: fracassar na falcatrua é um ato completo de incompetência! Até o aliado Lula, que tem menos letras do que o Caio Fábio, consegue ser melhor! O Sr. Caio Fábio é um dos colaboradores desse estado de coisas terríveis que acometem em matéria de corrupção e bandalheira no Brasil, com a promoção desta quadrilha petista no poder.
Divulgação: www.juliosevero.com
Cadeia para os cristãos

9 comentários :

ronie disse...

Sensacional conde não poderia se sair melhor alias, foi apenas a verdade coisa que esses militantes fracassados não tem em suas vidas ao contrario de nosso amigo Julio
que com suas verdades, junto de outro grande patriota Olavo de carvalho fazem o árduo trabalho de informar aqueles que ainda se apegam a verdade e a razão.
que Deus continue abençoando o ministério de vocês até o último dia de vida de ambos parabéns e continuem assim..

Chamelly Sobreira disse...

Como é bom ler posts inteligentes, com boas argumentações, como do Sr. Conde, diferentemente do que essa cambada de gay que se esconde atrás de um computador, ridicularizando um pai de família exilado por causa de ameaças dos grupos homossexuais e também conivência de um governo que anda de mãos dadas com satanás e financia tais promiscuidades.

PARABÉNS PELO EXCELENTE POST, JULIO!

Que o Senhor Jesus guarde você e sua família.

Anônimo disse...

Eles, quer dizer, o movimento gay e o ministério público, criaram um crime de fantasia, a "homofobia". A repetição incessante e neurótica desse termo em todos os meios de comunicação, com apoio tácito da própria imprensa, criminalizando milhões de brasileiros, é o primeiro passo deles para mudar a ordem social, política e moral vigente no Brasil, e levar muita gente para a cadeia ou os tribunais.

Os vira-latas do movimento gay e do judiciário são uma única e mesma escória de militantes lunáticos e ferozes que estão promovendo perseguição a pessoas independentes e pressionando por todos os meios a sociedade brasileira na tentativa de amoldá-la às suas taras e "orientação sexual", incluindo aí a tentativa de implantar nas escolas públicas o tal do "kit gay".

Além do ministério público, lembremos que as OABs se tornaram fortalezas do movimento gay, tendo sido criado no âmbito destas entidades células de "direito homoafetivo".

Anônimo disse...

Desde alguns anos, alerto amigos meus próximos sobre a nocividade real do movimento gay e seus aliados no judiciário, apontando textos e sites na internet.

No começo, houve espanto e descrença da parte deles. Mas outro dia um deles espontaneamente revelou-se assustado com as descobertas que fez a respeito do movimento gay, e notei nele uma predisposição de repensar suas antigas opiniões.

Anônimo disse...

Magistral! Não há mais o que refutar. O julgamento procedente e a colaboração do judiciário em favor desses dementes gayzistas, além de ser uma excrescência so tem uma explicação:

Inclinação ideológico-política.

paulo_sergio disse...

Perfeito! Texto realmente irrefutável! É de lavar a alma.

Anônimo disse...

Interessante, Júlio, o movimento gayzista fica dizendo que você é um covarde por ter escapado de uma perseguição injusta, dizendo ainda de maneira afrontosa e debochada para que você volte para que o homonazismo junto com todo o aparato do Estado possa possa lhe por as mãos para destruí-lo. Pois bem, então já que tais indivíduos são tão “corajosos”, poderia ser proposto aos tais um desafio à valentia dos mesmos que, julgo eu, estaria bem à altura deles. O desafio seria o seguinte: O movimento homossexual brasileiro vive dizendo que o Brasil é o país mais homofóbico do mundo. Bem, sendo assim, não existe, segundo este movimento, nenhum outro país que supere o Brasil em homofobia, certo? Então, porque não desafiar o movimento homossexual para que realize paradas gays em países menos homofóbicos do que o Brasil, como, por exemplo, o Irã e a Coreia do Norte? Pois, levando em conta que o Brasil, que tem a maior parada gay do mundo, é o país mais homofóbico do planeta, segundo diz o próprio movimento homossexual, porque então no Irã e na Coreia do Norte não existe uma parada gay maior do que a daqui, ou melhor dizendo, porque nestes países nunca houve parada gay alguma? Seria apenas por má vontade, preguiça ou então por pura covardia dos “corajosos” gayzistas em fazê-la? Pois se estes exigem de ti, Júlio, a coragem de vir ao Brasil só para ser escorraçado ao bel prazer deles, deveriam, então, demostrar tal coragem fretando um avião com ativistas, descerem no Irã ou na Coreia do Norte, e Bradarem diante de Mahmoud Ahmadinejad ou de Kim Jong il: “viva a diversidade, ser gay é lindo!” Porém voltando ao mundo real, como bem disse o Conde: “Mas o covarde é sempre assim: é poderoso com os fracos e cachorrinho de madame com os poderosos! “

Que Deus te abençoe e te guarde aonde você estiver, Júlio.
Assinado: Luis Matos

ELISEU disse...

Apesar de não atacarmos física ou verbalmente os homossexuais, somos constantemente atacados por eles simplesmente por não aceitarmos o que eles fazem. Para que todos daqui tenham uma idéia do ódio que os homossexuais têm dos cristãos, o deputado Jean Wyllys (que também é homossexual) censurou um cidadão (Carlos Vendramini) pelo Twitter simplesmente por este mesmo cidadão ter se manifestado contra o PLC 122, o "kit gay" e o homossexualismo. E o próprio Jean Wyllys ainda teve o despeito de dizer que os cristãos são homofóbicos, preconceituosos, e que iria tomar providências contra os seus "inimigos" (não só os cristãos como também todos os que são contra o homossexualismo).

Eu pergunto: a liberdade de expressão vale só para os homossexuais? E para os cristãos e para as pessoas que são contra o homossexualismo, não pode haver liberdade de expressão? Quer dizer, eu não vou poder protestar contra uma coisa que é biblicamente imoral? Que justiça é essa de 2 pesos e 2 medidas (tudo para os homossexuais, e nada para os cristãos e para os que são contra o homossexualismo)? Por acaso os homossexuais são tão especiais (ou tão privilegiados) para só eles terem todo e qualquer tipo de direito?

Caso os homossexuais estejam esquecidos, vou relembrar a eles o que a Constituição Federal diz:

- Artigo 5º, inciso IV:

"É livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato"

Eu sou livre para manifestar o meu ponto de vista. E eu aproveito a minha liberdade para dizer aos homossexuais com todas as letras: SOU CONTRA O HOMOSSEXUALISMO E CONTRA O PLC 122 OU QUALQUER OUTRA LEI A FAVOR DELES! Sinto muito se os homossexuais se sentiram ofendidos, mas eu penso assim (eles aceitem se quiserem)! Eles podem até me chamar de homofóbico ou qualquer outro nome feio, mas eu não estou nem aí para a raiva deles! Eu penso assim (e ponto final)!

- Artigo 5º, inciso VI:

"É inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e suas liturgias"

Ninguém pode me obrigar a deixar de crer em Deus e na Sua Palavra. Eu creio e obedeço ao que Ele me ordena. Se os homossexuais não quiserem aceitar a minha opinião (ou não quiserem aceitar o que a Bíblia diz sobre o homossexualismo), é um direito que eles têm. Porém, fazer eu mudar de opinião só porque eles querem que eu ache certo uma coisa que é biblicamente errada, isso eu NUNCA vou fazer. Não vou mudar meu ponto de vista para agradar a ninguém (principalmente os homossexuais). Eu obedeço ao que a Bíblia diz: "Importa antes obedecer a Deus do que aos homens" (Atos 5:29)

Se for preciso, eu aceito ser preso ou morrer pela verdade da Palavra de Deus (até porque eu confio no Deus em quem eu creio). Eu adoto comigo o mesmo lema dos antigos mártires da fé cristã: "Antes morrer do que pecar".

Já preguei o evangelho para muitos homossexuais. Muitos chegaram a rir da minha cara, me chamaram de homofóbico (e outros nomes feios que eu nem vou citar aqui, por questão de educação), me insultaram de tudo quanto é jeito.

Só sei de uma coisa: estou com a minha consciência tranqüila. Cumpri a minha obrigação. Se eles não quiserem se arrepender, é problema deles. No dia do juízo final, eu quero ver se algum deles vai ter coragem de dizer a Jesus as mesmas coisas que eles me disseram! Aí vamos ver quem é realmente corajoso para encarar Jesus face a face!

O que me corta o coração é pensar que, no juízo final, muitos homossexuais irão ouvir Jesus dizer a todos eles: "Apartai-vos de Mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos" (Mateus 25:41).

Se os homossexuais quiserem pagar pra ver, depois eles não digam que não foram avisados!

PRESBÍTERO VALDOMIRO disse...

A Palavra de Deus diz com todas as letras:

"E não vos conformeis com este mundo; mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, perfeita e agradável vontade de Deus" (Romanos 12:2)

Como servo de Jesus, não posso ter outra opinião: sou totalmente contra o homossexualismo. Isso é uma grave blasfêmia, é um pecado horrível contra Deus. Se os homossexuais pudessem ver o quanto Deus fica triste com o que eles fazem, talvez eles se convertessem.

Eu amo os homossexuais, porque são pessoas que precisam ser libertas por Jesus. Porém, não concordo com o que eles fazem. É preciso que isto fique bem claro para que não haja nenhum tipo de dúvida: amar uma pessoa é uma coisa, concordar com o que essa mesma pessoa faz é outra coisa totalmente diferente. Será que é tão difícil alguém com o mínimo de bom senso entender algo tão simples assim?

Infelizmente, algumas pessoas confundem amor com permissividade ou tolerância. Devido a essa distorção (ou melhor, deturpação) de conceitos, muita gente acha que amar significa aceitar o pecado (e não dizer nem fazer nada contra). Na verdade, quem faz isso (ou seja, quem tolera o pecado e fica indiferente) é cúmplice do pecado, ou melhor, é tão (ou mais) culpado quanto o próprio pecador. Em relação a isso, a Bíblia diz claramente: "Aquele, pois, que sabe fazer o bem e não o faz, comete pecado" (Tiago 4:17).

Eu mesmo já senti na pele o ódio que os homossexuais têm dos cristãos. Recentemente, passei a receber, pelo meu telefone, ameaças de morte de alguns ativistas homossexuais. Isso simplesmente por eu ter falado que o homossexualismo é pecado durante uma pregação na igreja onde eu congrego. Sem contar um grande número de e–mails cheios de insultos, dizeres obscenos e outras coisas horríveis.

O que é melhor: reagir aos ataques dos homossexuais ou se render a eles? Na hora da provação é que se conhece o verdadeiro cristão!

Não estou dizendo, com isso, que devemos partir para a agressão física contra os homossexuais. Mas também não podemos aceitar tudo deles e ficar calados. Temos que reagir.

De que forma podemos reagir? Agindo como verdadeiros cristãos: orando, fazendo pregações em público, organizando passeatas de protesto (de forma pacífica), convocando todas as pessoas para participarem de toda e qualquer manifestação pública contra o homossexualismo, enfim, mobilizando os cristãos para defenderem os valores da família (e a obediência à Palavra de Deus).

Eu digo por mim. Moro em Recife (Pernambuco). Mesmo assim, estive presente (juntamente com a minha família) no protesto em Brasília contra o PLC 122 (e também na "Marcha para Jesus" em São Paulo). Por que eu, apesar de morar muito longe de Brasília e de São Paulo, fiz questão de estar presente pessoalmente a estes eventos? Para mostrar minha indignação contra o homossexualismo (e contra os seus defensores). E também fui para estar com a sensação do dever cumprido. E se houver outras manifestações do mesmo tipo, eu garanto que vou estar presente (seja onde for).

Dizem que "uma andorinha só não faz verão". Mas se eu, mesmo sozinho, não fizer a minha parte contra o pecado, quem vai fazer por mim? Se depender somente dos políticos que se dizem cristãos, tenho certeza de que não vai acontecer nada! Portanto, ninguém se iluda pensando que a solução vai cair do Céu se cada um não fizer a sua parte.

Está na hora de agirmos com firmeza contra a sujeira dos ativistas gays e deste governo pró–homossexualismo! Temos que fazer a nossa parte (só podemos contar com nós mesmos e com Deus)! Vamos nos unir em oração e ação para que possamos enfrentar os nossos adversários, porque o momento é crucial (e exige uma decisão imediata): ou tomamos uma atitude agora, ou mais tarde pagaremos muito caro pela nossa omissão!

Que esta mensagem sirva de alerta a alguns cristãos que ainda estão acomodados!

"PARA QUE O MAL VENÇA, BASTA QUE OS HOMENS DE BEM NÃO FAÇAM NADA"