18 de agosto de 2011

MPF-SP processa igreja evangélica por declaração contra ateus

MPF-SP processa igreja evangélica por declaração contra ateus

O Ministério Público Federal (MPF) em São Paulo moveu ação civil pública contra a emissora Rede TV! e a Igreja Internacional da Graça de Deus pela veiculação de mensagens ofensivas contra pessoas ateias. Nela, o órgão pediu que ambas se retratem no programa de onde partiu as declarações, bem como esclareçam à população sobre a diversidade religiosa e liberdade de crença no Brasil durante o dobro do tempo usado nas supostas ofensas.
Durante a edição do programa O Profeta da Nação de 10 de março, o apresentador disse: "Só quem acredita em Deus pode chegar pra frente. Quem não acredita em Deus pode ir pra bem longe de mim, porque a pessoa chega pra esse lado, a pessoa que não acredita em Deus, ela é perigosa. Ela mata, rouba e destrói. O ser humano que não acredita em Deus atrapalha qualquer um. Mas quem acredita em Deus está perto da felicidade."
Segundo o procurador regional dos Direitos do Cidadão, Jefferson Aparecido Dias, as declarações ferem a Constituição Federal e a Declaração Universal dos Direitos Humanos. Ele afirmou o Brasil é um Estado laico e que a todos é assegurada a liberdade de crença religiosa, além da possibilidade de ser ateu e agnóstico.
O MPF também pediu que a Secretaria de Comunicação Eletrônica do Ministério das Comunicações, instituição responsável pela regulamentação dos serviços de radiodifusão, fiscalize o programa e a emissora. Para o MPF, foi ferido um artigo do Regulamento dos Serviços de Radiofusão que obriga a subordinação dos conteúdos às finalidades educativas, informativas e culturais.
Nota de Julio Severo: Parece que a principal função do MPF-SP agora não é lidar com criminosos, mas ameaçar cristãos. Em 2006, o MPF-SP aceitou, da Associação da Parada do Orgulho Gay de São Paulo, queixa contra mim por “homofobia”. Em 2007, esse mesmo MPF-SP recebeu, de Toni Reis (presidente da Associação de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transexuais e Transgêneros), queixa contra mim por “homofobia”. Seu nome mais adequado não é MPF, mas MPAC — Ministério Público Anti-Cristão.
Divulgação: www.juliosevero.com

4 comentários :

Ungern disse...

E a quantas andam essas queixas contra você ? Sinceramente nunca te vi ir além daquilo que liberdade religiosa permite, quem não concorda com você tem toda a liberdade de te mandar um mensagem sobre o que desagrada que vai acabar sendo lida mesmo que não publicada ou pode muito bem fazer um blog metendo o pau em você. Não vejo o motivo para o MPF te encarar como um criminoso.

Anônimo disse...

Amanhá eles irão proibir a comemoração do Natal por ofender ateus e não cristãos. É a ditadura vindo a passos largos. É a final jogada de Satanás insistindo em ter o Trono de Deus. A Bíblia diz que nestes finais dos tempos ele age com mais intensidade, pois lhe resta pouco tempo.

MPs, MPFs, Tribunais, Congressos, ONU, UE e seja lá mais que governos for, já estão sendo instrumentos nas mãos do diabo. Cabe a nós cristãos resisitirmos pelo sangue de Cristo.

"Eis que venho sem demora; guarda o que tens, para que ninguém tome a tua coroa". Ap. 3.11

paulo_sergio disse...

A esquerdalha imunda já domina tudo...

Alguém já viu algum promotor intervir na programação da rede globo,quando faz ataques aos evangélicos (e não foram poucos) em suas novelas?

Eles estão a serviço do reino das trevas,não há a menor dúvida.

Juliano disse...

A perseguição acontece? Sim, muito. A Palavra nos avisou que seria assim.
Agora convenhamos, tá difícil de aguentar o que certos "evangélicos" fazem, e sinceramente, muitos deles deixam "na reta".
Se fossem perseguidos por se manifestarem de forma inteligente como o Julio faz, eu consideraria uma ação do inimigo, mas em casos assim, infelizmente, acho que não passa de uma fogueira de vaidades...