25 de agosto de 2011

Mais da metade dos alunos do 3º ano não sabe nem o mínimo do que é esperado em matemática, diz prova

Mais da metade dos alunos do 3º ano não sabe nem o mínimo do que é esperado em matemática, diz prova

Conforme notícia da Globo, uma avaliação feita com alunos que cursaram em 2010 o 3º ano do ensino fundamental de escolas públicas e privadas do país mostra que mais da metade (57,2%) das crianças não aprendeu nem o mínimo do que era esperado no conteúdo de matemática para este nível do ensino.
O resultado da Prova ABC (Avaliação Brasileira do Final do Ciclo de Alfabetização) mostrou ainda que 43,9% dos alunos não aprenderam o que era esperado em leitura, e 46,6% dos estudantes não tiveram desempenho dentro do esperado em redação.
A prova foi aplicada no primeiro semestre deste ano para cerca de 6 mil alunos de escolas municipais, estaduais e particulares de todas as capitais do país para medir seu conhecimento do conteúdo até o 3º ano. A avaliação foi elaborada em uma parceria do Todos Pela Educação com o Instituto Paulo Montenegro /Ibope, a Fundação Cesgranrio e o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).
O resultado desastroso não deveria espantar. Quando o governo dá prioridade para o treinamento de professores em questões homossexuais e sexuais, os professores mostram deficiência para ensinar o que é o mais necessário nas escolas. Com tanta doutrinação sexual e ideológica nas escolas, os alunos simplesmente não têm tempo nem disposição de aprender matérias que são importantes, como ler, escrever e fazer matemática.
Apesar do fracasso educacional que o Estado presta às crianças, sua maior preocupação não está em como melhorar a educação, mas em como levar o kit gay e outras formas de doutrinação sexual e homossexual aos estudantes.
Se alunos do 3º ano tivessem tido semelhante desempenho desastroso numa educação escolar em casa, o governo não hesitaria em tirá-los do lar educador para colocá-los numa instituição escolar. Mas o que está ocorrendo é o oposto. Quem, pois, tirará as crianças das escolas deseducadoras e fracassadas?
Como mostra a notícia a Globo, as crianças brasileiras estão aprendendo muito pouco do que devem dentro das escolas. Com a educação marxista e sexual sem ética, aprendem muito do que não devem — efetivamente  aprendendo o mal.
Entretanto, a instituição escolar não é o único lugar onde se pode aprender. O lar também pode ser uma escola, quando os pais têm compromisso com a verdadeira educação de seus filhos.
Com informações do G1 da Globo.

2 comentários :

Robson Lelles disse...

Devemos dar os parabéns aos criadores da APROVAÇÃO AUTOMÁTICA, afinal eles alcançaram o seu objetivo de criar um geração de iletrados diplomados.

Afinal, quem precisa de tanta gente instruída num país que quer ser grande?

A professora do meu filho mais novo, que está justamente no 3º ano, veio me perguntar - justamente hoje - o que nós temos feito para que ele tenha o desempenho fantástico que ele apresenta nas notas: "Metodologia tradicional, professora. Tabuada, caligrafia, questionários, raciocínio lógico, exercícios contínuos de pensamento, etc.".
Ao que ela comentou: "Eu tenho visto os exercícios extras que ele traz na mala. Acredite-me, alguns pais os consideram complexos demais para a mente dos seus filhos".
Eu retruquei: "Complexos? Para os filhos ou para eles mesmos?"

Pais: se não tomarmos a educação de nossos filhos pelas nossas próprias mãos, será daí para pior! Para os nossos atuais governantes interessa a ignorancia dos nossos filhos!

Sandra M Ribeiro disse...

Júlio, Júlio, júlio...
(Isto não é de agora. Quando eu era criança a coisa já era assim!...
Acredita que até hoje sequer decorei a tabuada?
Agora ja sei o motivo, a razão e porquê da minha ignorância matemática! Culpa do estado!!!)

Concordo com Robson Lelles!
O estado quis aprovação automática e agora colhe os frutos. Assim como conseguiu com o ECA, o estatudo que incentiva a bandidagem mirim.
Afff!