27 de agosto de 2011

Dois assassinatos horrendos, um assassino e nenhum homossexual


Dois assassinatos horrendos, um assassino e nenhum homossexual

Julio Severo
Nesta semana, dois homens foram encontrados mortos a facadas num apartamento de São Paulo. Não, não foi um crime “homofóbico”. Aliás, a imprensa diz que a motivação do crime é “incerta”.
Quando um homossexual é assassinado às altas horas da madrugada numa zona de drogas, prostituição e violência, salve-se quem puder: ninguém está a salvo de ataques da imprensa, que não tem nenhuma incerteza sobre a “motivação” do crime. Pastores, padres e membros de igrejas cristãs viram automaticamente alvos de acusações impiedosas de jornalistas que sem nenhum escrúpulo os chamam de “homofóbicos” e incitadores de ódio e violência.
Mas quando o homossexual é autor de crimes, a imprensa varre sua identidade homossexual para debaixo do tapete.
Quando o praticante de sodomia é vitima, a imprensa faz questão de destacá-lo abundantemente como “homossexual”. Quando ele é o criminoso, a imprensa faz questão de apresentá-lo apenas como homem ou mulher.
A imprensa dá ampla cobertura aos seus favorecidos homossexuais em seus crimes, protegendo-os de constrangimentos provocados por seu estilo de vida. Mas não há proteção alguma para quem está fora dos favores da mídia descaradamente parcial.
Os homossexuais, pois, não podem reclamar de que não têm nenhuma proteção, que é por eles recebida em excesso por uma mídia tão disposta a favorecê-los que acoberta seus pecados e crimes. Os exemplos são abundantes, mas vou citar apenas o caso desta semana:
SUSPEITO DOPOU VÍTIMAS ANTES DE MATÁ-LAS NA RUA OSCAR FREIRE
O suspeito de assassinar duas pessoas em um apartamento da rua Oscar Freire, área nobre da zona oeste de São Paulo, dopou as vítimas antes de cometer o crime.
Segundo a polícia, Lucas Cintra Zanetti Rosseti, 21, misturou medicamentos tarja preta (de uso controlado) nas bebidas do analista de sistemas Eugênio Bozola, 52, e do modelo Murilo Rezende da Silva.
"O suspeito era mais fraco que os dois. Para matá-los a facadas tinha que fazer com que eles, de alguma forma, ficassem mais vulneráveis", disse o delegado Mauro Dias, do DHPP (departamento de homicídios).
Rosseti, segundo a polícia, matou Bozola e Rezende a facadas. Antes de fugir do prédio com o carro do analista de sistemas, deixou suas roupas, seu tênis e as facas usados no crime espalhadas pela casa.
Nas paredes do apartamento, deixou inscrições como CV, ZO e viado. Todas feitas com o sangue das vítimas.
"Ele tentou dissimular o crime. Queria passar a falsa impressão de que o crime teria sido cometido pelo Comando Vermelho ou por alguém da zona oeste de São Paulo", afirmou Dias.
Natural de Igarapava (446 km de São Paulo) Rossetti estava hospedado na casa de Bozola desde o dia 14 de agosto.
"Eles se conheciam de Igarapava. O Eugênio [Bozola] costumava trazer amigos de lá para passar uma temporada em São Paulo", contou o delegado.
Confesso que quando li essa “reportagem”, não vi nada homossexual, pois o texto não faz a mínima referência à homossexual ou homossexualidade — apesar de que a polícia percebeu que o assassino colocou propositadamente as palavras “CV, ZO e viado” para disfarçar o crime e desviar a atenção de alguma questão importante, dando a aparência de que os assassinatos haviam sido cometidos por um homem do Comando Vermelho ou até mesmo por um homem que odiava “viados”. Por alguma razão, o assassino procurou induzir a polícia a interpretar o crime como de motivação “homofóbica” e cometido por criminosos profissionais.
Depois, acabei lendo outro jornal:
HÓSPEDE É APONTADO COMO SUSPEITO POR ASSASSINATOS NA OSCAR FREIRE
SÃO PAULO — Um jovem de 21 anos é apontado pela polícia como principal suspeito pela morte do analista de sistemas Eugênio Bozola, de 52, e do modelo Murilo Rezende da Silva, de 21, em um apartamento na Rua Oscar Freire, na zona oeste da capital paulista. Segundo os investigadores, o suspeito é Lucas Zannetti. Natural de Igarapava, no interior de São Paulo, mesma cidade de Eugênio, ele estaria como hóspede no apartamento do analista desde o Dia dos Pais.
A polícia chegou ao rapaz por relatos de amigos das vítimas. No fim de semana anterior ao assassinato, Lucas teria ido com Eugênio e outro colega a uma boate gay na zona oeste da cidade, e depois a uma pizzaria. A identificação foi feita através de imagens de câmeras de segurança dos locais. De acordo com a polícia, um tênis encontrado no apartamento era o mesmo que ele usava naquele dia. Havia marcas de sangue, que chegaram a ser lavadas.
Ainda segundo a polícia, o carro do analista com que Lucas fugiu foi visto pela última vez no pedágio do município de São Simão, no interior paulista. A motivação do crime, ocorrido na madrugada da última terça-feira, continua incerta
É verdade que o Estadão também não disse que o assassino é homossexual, mas sem querer ou não, deixou uma pista de fora:
No fim de semana anterior ao assassinato, [o assassino] Lucas teria ido com Eugênio e outro colega a uma boate gay na zona oeste da cidade.
Apesar disso, ambos os jornais não ousam identificar o assassino como homossexual. A Folha de S. Paulo nem quis citar que eles estiveram numa boate gay — uma informação altamente comprometedora. Qualquer identificação homossexual foi varrida diretamente para debaixo do tapete. Quanto mais clara é a motivação homossexual de um crime, mais a imprensa esquerdista trabalha para maquiá-la e acobertá-la.
O grande problema é que acobertar o pecado gera injustiças e crimes. Por isso, se as leis começarem a proteger os homossexuais do jeito que a imprensa esquerdista já faz há muito tempo, a sociedade verá mais injustiças e crimes violentos. Só não verá a motivação deles, pois tudo estará escondido debaixo do tapete. Com a ajuda da Folha de S. Paulo e outros jornais, tudo o que a sociedade verá são crimes com “motivação incerta”.
Atualizado em 28 de agosto de 2011.

17 comentários :

ronie disse...

Julio eu também achei muito estranho, esse crime foi na minha cidade o que já é uma tendencia enorme sempre ocorre, mas o fato não é esse.
o fato é o sujeito matou um modelo e um analista de sistemas, os dois moravam juntos? daí comecei a matutar ué esses dois são homossexuais os dois moram junto a muito tempo, um é modelo o outro analista, e o sujeito que matou é desconhecido a causa do crime também só pode ter sido do amante homossexual, não deu outra minhas suspeitas estavam certas.
me recusei a aceitar que os dois não fossem assim essa manhã nesse seu artigo você pode confirmar para mim o que era o obvio, agora vemos como essa mídia desgraçada é favorável com crimes cometidos ente os próprios homossexuais, isso é pior do que o crime de assassinato...

Ungern disse...

http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2011/08/assassino-postou-mensagens-homofobicas-no-twitter-diz-policia.html

Está na cara que o sujeito é michê, estava até morando com uma das vítimas. "Segundo a polícia, as vítimas e o assassino tinham ido a uma pizzaria e a uma boate gay no fim de semana antes do crime em São Paulo. Câmeras de segurança gravaram os três, que estavam acompanhados de outras pessoas."
Poxa, machão o cara hein ? O cara ia na boate gay, morava com um gay, eventualmente dormia até de conchinha (de um jeito muito hétero é claro, que nem o personagem do programa humorístico que dizia que não era gay mas vivia na sauna gay cercado de gays) mas para dar munição ao movimento gayzista vão dizer que é homofobia. A falsidade moral e intelectual dessa turma não tem limites.

PRESBÍTERO VALDOMIRO disse...

Sabem quem tem ódio dos homossexuais? Os próprios parceiros deles quando o relacionamento deles não dá certo (de vez em quando acontecem brigas entre os próprios homossexuais). Isso sem contar as boates gays e outros ambientes promíscuos que eles costumar freqüentar (na maioria das vezes, de madrugada).

Mas quem mais tem ódio dos homossexuais são alguns grupos específicos: "Carecas", "Skinheads", "White Power", grupos neonazistas e certas gangues. Caso alguém daqui queira comprovar o que eu digo, gostaria que todos assistissem a uma reportagem do programa "Conexão Repórter" (apresentado no SBT pelo jornalista Roberto Cabrini) que foi exibida no dia 13/04/2011. Aí os homossexuais verão quem realmente tem ódio deles. E verão que não existe nenhum evangélico no meio desses grupos.

Esses mesmos grupos que eu mencionei anteriormente têm ódio de certas pessoas (não só os homossexuais, como também nordestinos e negros). Eu mesmo já fui vítima de um grupo de "Carecas" quando estive em São Paulo (até hoje, eu ainda preciso fazer fisioterapia para recuperar os movimentos do meu braço esquerdo devido a um chute forte que eu recebi). Só não me mataram porque uma viatura da polícia que passava viu a agressão e começou a perseguir eles (se a polícia não aparecesse, talvez eu já estivesse morto). Sabe por que me agrediram? Simplesmente porque eu sou pernambucano (isto é, nordestino) e estava pregando a Palavra de Deus a eles. Eles também odeiam nordestinos (tanto que um dos gritos de guerra deles é: "São Paulo aos paulistas! Morte aos nordestinos!").

Sabem por que que isso nunca é divulgado a imprensa? É para que os homossexuais sejam sempre vistos como vítimas dos cristãos.

Se puderem, pesquisem sobre essa mesma reportagem que eu mencionei e publiquem para todo o Brasil. Aí vamos mostrar para toda a sociedade quem é realmente "homofóbico" (e para derrubarmos as mentiras dos homossexuais)

Abraão Isvi disse...

Pois é saquei logo que vi a notícia. Tive um primo assassinado recentemente, ele no dia anterior ao assassinato, tinha ido a uma comemoração com 60 pessoas todas gays. As circunstâncias do crime( sem arrombamento, sem sinal de briga, pés amarrados para simular algo, uso de camisinha, simulação de roubo), me levam a crer que era alguém conhecido dele e gay tbm. Na Bahia, o GGB já está pressionando o estado, declarando aos quatros ventos que foi homofobia. Mas quem nos dá ouvidos Júlio? Quem quer ouvir a verdade hoje em dia? Só dão ouvidos a falácias, e nos chamam de intolerantes quando expomos as obras das trevas.

Julio Severo disse...

Caro Presbítero Valdomiro

Lamento o que você passou como evangélico nordestino, mas assisti ao programa que você indicou e posso dizer que o Cabrini usou o caso dos carecas para nivelar TODOS os cristãos nesse ódio. Ele só faltou dizer: se você é cristão e é contra o homossexualismo, você é igual a esses neonazistas violentos.

Cabrini foi cínico e extremamente pérfido nesse programa.

PRESBÍTERO VALDOMIRO disse...

Amado irmão Júlio,

Agradeço a sua palavra de apoio. E saiba que todos nós (eu e os demais irmãos da igreja onde eu congrego) estamos orando por você.

Aproveito a oportunidade para dar uma sugestão: que tal se você publicasse um artigo falando sobre essa reportagem do programa "Conexão Repórter" que eu mencionei? Com certeza seria um ótimo tema para um debate com todos os cristãos do Brasil. O que você acha da idéia?

No que depender de mim, você tem todo apoio. E continue sendo esse destemido porta-voz do Reino de Deus contra o pecado.

Para finalizar, deixo um versículo bíblico para a sua meditação:

"No mundo tereis aflições; mas tende bom ânimo, porque Eu venci o mundo" (João 16:33)

ronie disse...

Esse profissão repórter é um lixo, esse caco barcelos, é um desgraçado ele vai fazer uma filmagem a altas horas da noite em uma viela onde passa carros a noite, onde travestis prostitutos homossexuais estão lá oferecendo o corpo.
daí vem um cara puxa a bolsa do traveco, e o sai arrastando pelo meio da rua agora, o que aquele nobre traveco estava fazendo? ele por acaso tava num escritório não caco barcelos, seu porco ele tava se prostituindo esse modo de vida é ilegal primeiro por ele ficar em área de risco com certeza também usando drogas, segundo por se prostituir o que é ilegal seu jornalistazinho de meia colher, é o cúmulo, e ainda diz que a reportagem é pra retratar o drama de travecos de rua hora que drama ?
de se prostituir e ser usuario de drogas, então pq não faz o drama dos traficantes das bocas de fumo, onde eles passam o drama de ter seus depósitos de drogas todos apreendidos pela policia.
só me faltava essa agora...

Anônimo disse...

Vídeo sobre os carecas do suburbio.Por favor, não confunda todos os carecas ou skinheads.Só uma minoria é defato neonazistas, e poderíamos dizer que estes são falsos nacionalistas.

http://www.youtube.com/watch?v=hN7Z3QC6F8Q

José Porfírio disse...

Vai ser assim por muito e muito tempo. Todas as vezes que um assassinato ou outro crime qualquer for cometido por um gay, a imprensa esquerdista do Brasil vai esconder esse fato, mentindo, desconversando, ocultando até ser descoberta...

Anônimo disse...

Na minha modesta opinião "homofóbica", os três envolvidos neste crime eram homossexuais, se declarados ou não, se praticantes esporádicos ou não de sexo homossexual, isso pouco importa.

O Luiz Mott, aquele pedófilo chefe do grupelho gay da bahia, que o MPF jamais intimou, aproveite para registrar nas suas insuspeitíssimas "estatísticas" mais esse crime "homofóbico", registrando porém que se trata de crime "homofóbico" praticado por um homossexual.

PS. Por que será que o MPF jamais intimou um pedófilo como Luiz Mott? Não haveria algo de muito podre a corroer as estruturas do MPF desde dentro? Sem dúvida que se um padre ou pastor descoberto praticando o crime ou apologia de pedofilia seria tratado sem clemência.

Para os amigos do rei, tudo!

José San Martín Camiña Neto disse...

Tenho catalogado alguns fatos envolvendo gays, como neste post no meu blog: http://gentesemfuturo.blogspot.com/2011/08/homossexualismo-mortal-e-sem-homofobia.html
A percepção é simples: Homossexualismo é um caminho sem futuro.

Anônimo disse...

Em reportagem no G1, o Grupo Gay da Bahia (GGB) desmonta a farsa da “onda homofóbica”:

“Em todo ano passado [2010] foram 11 assassinatos por motivação homofóbica.” (11 de 260 é 4%) , no G1: http://tinyurl.com/3p95reg

Isto coloca um fim na tal “onda de homofobia” que supostamente assolaria o Brasil, e de que os 260 gays teriam sido assassinados exclusivamente por serem gays, em 2010.

Muitos dos assassinatos de homossexuais não têm motivação de ódio, e o Grupo Gay da Bahia revela isso:

“Em muitos casos, os autores dos homicídios são os acompanhantes das vítimas.” (GGB via G1; isto é, gays que matam gays.)

Aqui tem um site que contesta os relatórios de ativistas gays, e mostra as FONTES, e com números mostra como ocorrem muitas destas mortes, crimes passionais, companheiros de sexo casual, garotos de programa, etc, além dos dados de 2011, tem até mesmo os dados do GGB, para 2001 e 2004:

http://homofobianaoexiste.wordpress.com

Existe preconceito? Sim, mas não como ativistas gays pintam na mídia. Lembrem-se que em média morrem 50.000 brasileiros por ano, pelos mais variados motivos.

Neokoros disse...

Ah, coitados!
Deveras lamentavel...

Mas tem mais coisas tão piores quanto pra nos preocupar.
Por exemplo: uma Procuradora do município de SP quer acabar com representação Cristã no Congresso Nacional!
Affff, afff, afff!!!

Neokoros disse...

Júlio e Presbítero Valdomiro:

Quando é que o Cabrini não é pérfido quando fala de pastores e cristãos?!?

(Só se for quando ele aproveita a matéria pra cheirar um pó...)

Orlando disse...

Estou com o presbítero, mas o Julio tem razão a respeito do Cabrini - esse cara cheira sujeira jornalística!

Abraços
Bom domingo a todos
Orlando

Carlos Carvalho disse...

Caro irmão Júlio Severo,

Eu tive a oportunidade de ver a matéria sobre este caso na tv no meio da semana. Antes da polícia descobrir quem era o assassino, a reportagem deixava bem claro que as vítimas eram homossexuais, e que o crime poderia ter sido motivado por "homofobia". Agora com esse desfecho do caso essa imprensa podre esconde que o assassino é homossexual e que as vítimas também eram homossexuais. Como essa gente é desonesta. Já estavam tratando o caso como se fosse um crime de "homofobia", mesmo antes de saber quem era o assassino. Já faz um bom tempo que eu não me informo nesses veículos da grande mídia para formar a minha opinião. Esta raça está a serviço daqueles que querem acabar com a família tradicional e a cultura judaico-cristã.

gislane disse...

OLÁ JULIO,ASSIM QUE VI A NOTICIA PELA PRIMEIRA VEZ,SAQUEI QUE ERA UM CRIME ENVOLVENDO HOMOSSEXUAIS! PELO MODUS OPENDI NÃO TINHA DÚVIDAS,DEPOIS APENAS ME CERTIFIQUEI DISSO...PENA QUE ELES SUBTRAEM ESTA INFORMAÇÃO, DIVULGANDO APENAS O GLAMUR QUE SEGUNDO ELES(APOIADORES)O ESTILO(PECADO) DE VIDA GAY
POSSUI ....