22 de julho de 2011

Reunião gayzista anticatólica será realizada em centro católico de conferências

Reunião gayzista anticatólica será realizada em centro católico de conferências

LONDRES, Inglaterra, 20 de julho de 2011 (Notícias Pró-Família) — A organização gayzista Quest anunciou que estará realizando sua reunião geral anual, com o tema “Uma Comunidade Profética”, num centro de retiro de Londres de propriedade dos bispos católicos da Inglaterra e Gales.
A reunião, que começa na sexta-feira, será realizada no Centro Pastoral de Todos os Santos, um centro de retiro e conferências de Londres que é de propriedade e parte da Arquidiocese católica de Westminster.
Quest se descreve como “um grupo de lésbicas, gays e bissexuais católicos. Seu propósito é proclamar o evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo a fim de sustentar e aumentar a convicção cristã entre homens e mulheres homossexuais”.
Contudo, várias organizações católicas descrevem Quest como um grupo dedicado à ideologia homossexual e dedicado a pressionar a Igreja Católica a abandonar seu ensino acerca da sexualidade. A Organização de Famílias Católicas acusou Quest de ser “dedicada a negar o ensino da Igreja”. A organização de campanha Pro Ecclesia et Pontifice também chamou Quest de “um grupo gayzista militante”.
Em 1998, Quest foi removida do Diretório Católico da Inglaterra e Gales por instrução do falecido cardeal Basil Hume, então arcebispo de Westminster. Em 2007, o local para sua conferência anual foi cancelado pela Capelania Católica da Universidade de Liverpool por insistência do arcebispo Patrick Kelly, depois que a organização católica Pro Ecclesia et Pontifice interveio.
Uma pesquisa de opinião pública sobre os membros de Quest em 2000 revelou que 89 por cento dos membros disseram “não” quando foram indagados: “Você está convencido por algum argumento que você ouviu no sentido de que o sexo fora do casamento é sempre errado?” Quando indagados “Quest deveria trabalhar para mudar o ensino oficial da Igreja Católica sobre a sexualidade?” Noventa por cento disseram “sim”. Indagados, “Deveria ser parte do propósito de Quest incentivar seus membros a viver vidas castas sem nenhuma atividade sexual?” Oitenta e um por cento dos membros disseram “não”.
Palestrantes especiais na conferência deste final de semana incluem Margaret Morris, uma “sacerdotisa anglicana aposentada” que trabalhou como bispa anglicana da entidade Capelão de Pessoas Afetadas pelo HIV da cidade de Leicester. Quest diz que “a comunidade LGBT local com justiça reconheceu o valor profético nas palavras e obras dela”.
A atitude de deixar um grupo que se opõe à Igreja Católica na questão da sexualidade usar a propriedade da arquidiocese é ao que tudo indica apenas parte da situação existente de Westminster, a sede principal da Igreja Católica da Inglaterra e Gales. Vincent Nichols, o arcebispo, tem um longo histórico de apoio à agenda homossexual na Inglaterra.
Apesar dos anos de protesto por parte de católicos fiéis, Nichols continua a política de seu antecessor, o cardeal Cormac Murphy O’Connor, e permite a ininterrupta celebração das tão chamadas “missas gays” na paróquia de Nossa Senhora da Assunção em Londres, patrocinadas pelo grupo gayzista Conselho Pastoral de Missas do Soho.
O apoio que Nichols dá ao movimento homossexual é parte de um problema maior entre os bispos da Inglaterra e Gales. Em dezembro do ano passado, Bernard Longley, ex-bispo de Westminster e agora arcebispo de Birmingham, atacou um grupo de católicos que vinha durante anos rezando do lado de fora de Nossa Senhora da Assunção — e protestando para Roma — e chamando-os de “intolerantes”.
Em setembro de 2010, Nichols afirmou publicamente que os bispos da Inglaterra e Gales estão em massa se recusando conscientemente a apoiar os ensinos católicos acerca da sexualidade. Nichols veementemente negou que a Igreja Católica seja oposta à agenda homossexual, e respondeu a um entrevistador da BBC que era a política resolvida dos bispos católicos da Inglaterra e Gales não se opor às campanhas dos grupos homossexuais de pressão política para legalizar as parceiras civis homossexuais.
Em 2007, no auge da batalha da Igreja Católica para manter suas agências de adoção, Nichols, que era então o arcebispo de Birmingham, disse aos meios de comunicação que as agências católicas sempre tiveram a política de permitir que solteiros homossexuais adotassem crianças.
Junto com o Serviço de Educação Católico da Inglaterra e Gales, Nichols apoiou de forma vociferante os planos do governo [socialista] trabalhista de impor à força a “educação sexual” explícita — que incluía informações sobre como obter operações de aborto — em todas as escolas públicas da Inglaterra. O próprio governo confessou que o plano de educação sexual, que acabou falhando depois que organizações religiosas fizeram muitas pressões políticas, teria imposto a promoção do aborto, contracepção e homossexualidade até mesmo em escolas religiosas”.
Informações de contato:
Congregação dos Bispos
Marc Cardinal Ouellet, Prefect
Palazzo della Congregazioni,
Piazza Pio XII, 10
Roma, Itália
00193
Fone: 06.69.88.42.17
Fax: 06.69.88.53.03
Artigos relacionados:
Traduzido por Julio Severo: www.juliosevero.com
Copyright © LifeSiteNews.com. Este texto está sob a licença de Creative Commons Attribution-No Derivatives. Você pode republicar este artigo ou partes dele sem solicitar permissão, contanto que o conteúdo não seja alterado e seja claramente atribuído a “Notícias Pró-Família”. Qualquer site que publique textos completos ou grandes partes de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com em português tem a obrigação adicional de incluir um link ativo para “NoticiasProFamilia.blogspot.com”. O link não é exigido para citações. A republicação de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com que são originários de outras fontes está sujeita às condições dessas fontes.

Um comentário :

Anônimo disse...

Por quê esse povo ainda se diz cristão? Que seguidores (discípulos) de Cristo são esses, que se recusam a aceitar os Seus ensinamentos? NÃO: ao aborto, ao gayzismo e aos falsos cristãos!