9 de julho de 2011

Preso processa estado de Michigan: afirma que proibi-lo de ver pornografia é “desumano e inconstitucional”

Preso processa estado de Michigan: afirma que proibi-lo de ver pornografia é “desumano e inconstitucional”

DETROIT, EUA, 8 de julho de 2011 (Notícias Pró-Família) — Um homem que está na cadeia da cidade de Macomb por assalto a banco está processando o governador Rick Snyder e o Estado de Michigan pelo motivo de que privá-lo de pornografia enquanto ele está encarcerado é “desumano e inconstitucional”.
Em seu processo legal, apresentado num tribunal federal, Kyle Richards, de 21 anos, disse que a proibição do estado contra a maioria dos materiais pornográficos em prisões estaduais reduz o padrão de vida dele e o sujeita à “privação sexual e sensorial”.
Richards foi acusado de assalto a banco em janeiro depois que a polícia seguiu um rastro de dinheiro e pegadas na neve desde o lugar onde ocorreu o alegado crime até o apartamento dele em Fraser, Michigan.
Richards confessou-se culpado na semana passada na vara cível da cidade de Macomb e está com data marcada para ser sentenciado em 2 de agosto.
A Secretaria de Prisões de Michigan realmente permite materiais pornográficos tais como revistas e livros, dentro de certas normas. Contudo, o delegado Anthony Wickersham disse para o jornal Detroit Free Press que a cidade de Macomb não permite que os presos em sua cadeia tenham pornografia ou qualquer material que ameace a ordem da cadeia.
“Tais condições de vida são usadas como um método de ‘guerra psicológica’ contra os presos, a fim de destruir o estado de ânimo dos presos e quebrar o espírito dos indivíduos”, acusa o processo dele, de acordo com os documentos do tribunal.
Richards está requerendo que as cadeias de Michigan permitam que os presos tenham TVs, rádios e aparelhos digitais pessoais que possam acessar materiais eróticos e pornográficos.
Embora a filial de Michigan da União Americana das Liberdades Civis [uma organização esquerdista ultrarradical] tenha dito que se o processo tiver condições de prosseguir o ônus recairá sobre a cadeia de provar que há uma razão legítima para não permitir materiais pornográficos na prisão, Kary Moss, diretora-executiva da ACLU de Michigan, disse para o The Detroit News que ela não está otimista com relação às chances de Richards.
“As prisões têm muita liberdade de ação para regulamentar os materiais que entram e saem”, Moss disse.
O The Detroit Free Press comentou que Richards teve pelo menos outras três queixas em tribunais federais que foram rejeitadas como frívolas.
Artigos relacionados:
Traduzido por Julio Severo: www.juliosevero.com
Copyright © LifeSiteNews.com. Este texto está sob a licença de Creative Commons Attribution-No Derivatives. Você pode republicar este artigo ou partes dele sem solicitar permissão, contanto que o conteúdo não seja alterado e seja claramente atribuído a “Notícias Pró-Família”. Qualquer site que publique textos completos ou grandes partes de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com em português tem a obrigação adicional de incluir um link ativo para “NoticiasProFamilia.blogspot.com”. O link não é exigido para citações. A republicação de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com que são originários de outras fontes está sujeita às condições dessas fontes.
Artigos relacionados no Blog Julio Severo:

4 comentários :

Anônimo disse...

E é bem provável que ganhe a ação.

O plano esquerdista/comunista de desmoronar com as bases sociais dos EUA há mto já está dando resultados.

Os russos devem estar rindo até as orelhas.

Doutrinação esquerdopata:

http://www.youtube.com/watch?v=GAPbfjXJNUc&feature=related

Anônimo disse...

Veja matéria da Revista Veja; Pornografia na WEB não é mais império masculino.

Fala do "PORNÔ FEMININO"

http://veja.abril.com.br/noticia/vida-digital/pornografia-na-web-nao-e-mais-imperio-masculino

Agora as mulheres estão apelando a ponografia.

Aprendiz disse...

É uma vergonha que algum tribunal tenha acolhido uma "denúnica" absurda dessas. Veja que eles tentaram várias vezes, até que encontraram um juiz idiota ou cafajeste.

Sandra M disse...

Ué: tem certeza de que este preso não é brasileiro?!?

Deve haver algum engano. Este prisioneiro está se comportando como se estivesse no Brasil!

Se ele não é brasileiro, é invejoso! Copiando descaradamente as manias dos prisioneiros brasileiros!
Afff!!!