27 de julho de 2011

Contracepção compulsória para meninas de 12 anos na África do Sul

Contracepção compulsória para meninas de 12 anos na África do Sul

JOHANNESBURG, África do Sul, 10 de maio de 2011 (Notícias Pró-Família) — A ala juvenil do partido governante da África do Sul está propondo que o país faça “iniciação” na contracepção obrigatória para meninas a partir dos doze anos de idade como parte de uma campanha para reduzir as gravidezes entre as adolescentes, de acordo com reportagens do jornal City Press.
O “problema social permanente” da gravidez na adolescência “pede que o governo introduza uma campanha que combinará tanto a abstinência de relações sexuais quanto a iniciação compulsória na contracepção para todas as meninas adolescentes a partir da idade de doze”, diz um documento de debate sobre educação e saúde da Liga Juvenil do Congresso Nacional Africano em seu 24º congresso nacional em junho.
A proposta provavelmente envolverá contraceptivos hormonais tais como a pílula anticoncepcional, que permanece popular apesar de ser rotulada como provocadora de câncer pela Organização Mundial de Saúde. A pílula também está ligada, principalmente quando usada por meninas novas, à infertilidade bem como coágulos sanguíneos letais, ataques do coração e derrames cerebrais.
Contudo, de acordo com o City Press, Katharine Hall, a principal pesquisadora do Instituto Infantil da Universidade da Cidade do Cabo, diz que a proposta poderia violar a Lei das Crianças. Hall comentou que as meninas de 12 anos já têm acesso à contracepção sob essa Lei, e questionou a atitude de torná-la “obrigatória”.
“Essa atitude autoritária é uma bofetada que contraria a promoção de condutas sexuais seguras que não só reduzirão as gravidezes entre as adolescentes, mas também as infecções do HIV/AIDS”.
O documento de debate da Liga Juvenil pede mais acesso ao aborto, uma “expansão de serviços [de aborto] apropriados aos jovens”, e pede um debate sobre a legalização da prostituição.
O Congresso Nacional Africano vem governando a África do Sul desde que começou assumiu o poder em 1994 sob a liderança do ex-presidente Nelson Mandela. Em 1996, sob Mandela, o partido dele introduziu o aborto legal custeado pelo governo.
Artigos relacionados:
Traduzido por Julio Severo: www.juliosevero.com
Copyright © LifeSiteNews.com. Este texto está sob a licença de Creative Commons Attribution-No Derivatives. Você pode republicar este artigo ou partes dele sem solicitar permissão, contanto que o conteúdo não seja alterado e seja claramente atribuído a “Notícias Pró-Família”. Qualquer site que publique textos completos ou grandes partes de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com em português tem a obrigação adicional de incluir um link ativo para “NoticiasProFamilia.blogspot.com”. O link não é exigido para citações. A republicação de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com que são originários de outras fontes está sujeita às condições dessas fontes.

Um comentário :

Guilherme disse...

Que tal se fizessem uma campanha pra PREVENIR que adolescentes fizessem sexo antes de atingirem a idade adulta? Melhor do que entupir as meninas de hormônios desnecessários nessa idade.