13 de junho de 2011

“Kit gay” nas escolas

“Kit gay” nas escolas

Um escândalo muito pior que o do mensalão

Pe. Luiz Carlos Lodi da Cruz.
Suponhamos que o governo federal desviasse trezentos milhões de reais dos nossos tributos e os dividisse clandestinamente entre políticos da base aliada. Seria um grave delito, mas não tão grave quanto aquele a que me refiro.
Nosso governo não apenas privou-nos de R$ 302,8 milhões, que poderiam ser usados para a saúde, a educação, a segurança pública... Reservou esse montante de nosso dinheiro para o fim específico de corromper crianças, adolescentes e famílias.
Não há nenhum exagero na afirmação acima. Trezentos e dois milhões e oitocentos mil reais é o valor de uma emenda ao orçamento aprovada pelo Senado no ano passado para iniciativas de apoio à “prevenção e combate à homofobia”[1].
Com esse objetivo, o Ministério da Educação e Cultura (MEC) em parceria com a Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT), elaborou um “kit anti-homofobia” que deveria ser distribuído nas escolas no segundo semestre deste ano. Segundo o ativista homossexual Beto de Jesus, membro da ABGLT, que trabalhou na elaboração do “kit gay”, cerca de R$ 1,5 milhão foi gasto nesse projeto[2]. Destinado a crianças e adolescentes a partir de onze anos, o material é uma autêntica doutrinação na ideologia de gênero. Segundo essa concepção, masculinidade e feminilidade são puras construções sociais (gêneros) que nada têm a ver com os dados biológicos (sexos). O matrimônio entre um homem e uma mulher é apenas uma entre tantas outras “opções” sexuais. Vejamos o que defendem três vídeos desse “kit”.

Travestismo

O vídeo “Encontrando Bianca”[3] mostra um adolescente chamado José Ricardo que, inconformado com o próprio sexo, vai à escola vestido como menina e com as unhas pintadas de vermelho. Deseja ser chamado de Bianca, o nome de sua atriz preferida, inclusive na hora da chamada. Lamenta não poder usar o banheiro feminino. Sofre “perseguições” e “preconceitos”, mas acaba tendo apoio de colegas e professores.

Bissexualismo

O vídeo “Probabilidade”[4] apresenta o jovem Leonardo, que, ao mudar-se de cidade, lamenta-se por ter que separar-se de Carla. Matriculado em outra escola, Leonardo conhece Mateus, um homossexual. Os dois sofrem zombaria dos colegas, que os chamam de “namoradinhos”. Mateus apresenta-lhe seu primo Rafael, que está para se mudar, e Leonardo “apaixona-se” por ele. Fica então em dúvida quanto à sua própria identidade sexual, pois sente atração por pessoa do mesmo sexo (Rafael) e do sexo oposto (Carla). Em uma aula de Matemática, Leonardo “descobre” que pode “ficar” tanto com garotos como com garotas. Assim, probabilidade de encontrar alguém pelo qual sinta atração é “quase cinquenta por cento maior”.

Lesbianismo

O vídeo “Torpedo”[5] apresenta a adolescente Vanessa recebendo em seu celular uma mensagem de sua colega Ana. Esta lhe comunica que ambas foram fotografadas durante uma festa e que sua imagem circula pela Internet e foi fixada no corredor da escola. As duas resolvem enfrentar a “homofobia” e assumem publicamente o lesbianismo. Uma diz: “Quer ir namorar comigo?”. A outra responde: “Acho que a gente já está namorando”.

Reação dos deputados e recuo do governo

Quando o ministro da Educação Fernando Haddad afirmou que o kit “Escola sem homofobia” seria mantido tal como foi feito, recusando o diálogo com parlamentares prometido dias antes, a bancada católica e evangélica da Câmara ameaçou convocar o ministro da Casa Civil Antônio Palocci para explicar sobre denúncias acerca da evolução do seu patrimônio. Ameaçou também realizar uma Comissão Geral para discutir o material pró-homossexualismo, criar uma CPI sobre o Ministério da Educação, pedir a exoneração de Fernando Haddad e ainda obstruir as votações[6].
No dia seguinte, 25 de maio de 2011, Dilma resolveu suspender a distribuição do “kit” por achá-lo “inapropriado” para o objetivo de combater a “homofobia”. O anúncio foi feito pelo ministro da Secretaria Geral da Presidência Gilberto Carvalho, fazendo questão de dizer que não se trata de um recuo, mas de “um processo de consulta que o governo passará a fazer, como faz em outros temas também, porque isso é parte vigente da democracia”[7].
Segundo o jornal O Globo, a proibição de Dilma se estenderia também à cartilha de pornografia “O caderno das coisas importantes – confidencial”, em que os alunos são convidados a descrever suas experiências sexuais às ocultas de seus pais, e outros livretos que, em forma de estórias em quadrinhos, apresentam cenas de beijos entre homens e entre mulheres. A apologia do homossexualismo faz parte do Programa DST-Aids, lançado em 2008 pelo então ministro da Saúde José Gomes Temporão[8].
É preciso, porém, ter cautela para verificar se, de fato, todo esse material foi afastado das crianças. Mais do que nunca é preciso que os pais vigiem o material escolar que está sendo usado por seus filhos. Além disso, a campanha de corrupção infanto-juvenil foi apenas adiada. Até o fim do ano, o Ministério da Educação pretende lançar uma nova versão do “kit gay” a ser distribuída nas escolas[9]. Obtivemos uma vitória, mas estamos muito longe de poder ficar tranquilos.

Notas:

[1] CDH aprova R$ 1,15 bilhão em emendas ao Orçamento de 2011. Agência Senado, 23 nov. 2010, in: http://www.senado.gov.br/noticias/verNoticia.aspx?codNoticia=105564
[6] Cf. Deputados cristãos ameaçam convocar Palocci se governo mantiver “kit anti-homofobia”, Agência Câmara de Notícias, 24/05/2011, 20h47min, in: http://www2.camara.gov.br/agencia/noticias/EDUCACAO-E-CULTURA/197537-DEPUTADOS-CRISTAOS-AMEACAM-CONVOCAR-PALOCCI-SE-GOVERNO-MANTIVER-%E2%80%9CKIT-ANTI-HOMOFOBIA%E2%80%9D.html
[7] Dilma Rousseff manda suspender kit anti-homofobia, diz ministro, G1, 25/05/2011, in:
[9] Cf. MEC pretende lançar nova versão do kit anti-homofobia ainda este ano, G1, 27/05/2011, in: http://g1.globo.com/vestibular-e-educacao/noticia/2011/05/mec-pretende-lancar-nova-versao-do-kit-anti-homofobia-ainda-este-ano.html
Divulgação: www.juliosevero.com

3 comentários :

Marcos Venicius disse...

Eu estudo em uma Universidade Pública(UFCE) e até lá a minha professora-esquerdista(psicologa) ficou chateada com a audácia gay. Ela não consegue entender como é que um Ministro da Educação (Fernando Haddad) pode ser a favor de um KIT gay onde diz no vídeo que ser Bissexual é mais vantajoso. Ai eu estava pesquisando sobre a bibliografia do cara e ele só estudou Comunismo. Dai percebi que esse era o motivo de ele querer a total depravação da escola, claro e óbvio começando pelas crianças.

Anônimo disse...

Julio. Querem censurar o Facebook e o Orkut com a desculpa de combater "bullying".
Eles negam risco de censura, mas não acredito . Para mim querem usar a desculpa de combater "bullying" para censurar a internet. (Facebook e Orkut,primeiro).

Se permitimos ,eles criaão normas que censurão a internet. Segundo o pensamento deles, tal expressão,opinião,frase,depoimento, não pode . Pois é bullying.
E retirão tal mensagem do Facebook ou Orkut e ainda podem multar,processar ou prender o autor da mensagem.

Para mim este papo de combater o tal de "bullying" só vai servir para proteger os homossexuais de criticas e de oposição.

Na Mídia é um tal de dizer que os homossexuais sofrem bullying. Essas pobres vitimas sempre tem uma história de discriminação e preconceito para contar.

Todos eles já sorerão bullying na escola,faculdade ,na Internet.

Fiquemos espertos, pois Bullying uma coisa que era desconhecida a pouco tempo, virou derepente uma Praga Nacional.

QUEREM CALAR A INTERNET. Ùnico meio de comunicação ainda livre do dominio dos esquerdistas.

Anônimo disse...

Julio ! O Senado aprova projeto de combate ao bullying

Veja a noticia. http://veja.abril.com.br/noticia/educacao/senado-aprova-projeto-de-combate-ao-bullying

Veja a foto que foi colocada pela Mìdia (Reviste Veja) que mostra uma menina,lourinha, de pele bem clarinha, triste e sozinha. Ao fundo outras duas crianças conversão e parecem desprezar a triste coleguinha lourinha. Quetinha e triste.

Olha a cabeça destas pessoas, como crianças de pouca idade já tivesse a MALDADE no coração para fazer atos perversos.

Outra matéria abaixo: "Escola expulsa onze alunos por bullying" fala de alunos expulsos por violência. Até aí podem estar certos. Mas ! Aceitar que as escolas estão violentas por causa de não ser ensinadas nelas os princípios cristãos e morais, duvido que essa "turma anti-bullying" seja capaz de aceitar.

Se estão espulsando alunos por causa de bullying me causa estranheza. Já vi maus alunos aprontarem para valer e a escolas responderem com a máxima frouxidão.

Agora no caso do bullying resolverão serem muito duros.

Até que teêm ser duros mesmo, mas temo a dureza por um motivo errado.

Será que se o aluno homossexual reclamar de discriminação e preconceito contra outro aluno, este será expulso.

Até mesmo um bom aluno crente pode ser expulso se dizer umas verdades ao aluno gay.

Precisamos nos mobilizar nesta questão do bullying para que não se use esta questão para o mal.

De olho nos deputados,senadores,educadores e autoridades da educação.

Pois as escolas publicas teêm um dono; O GOVERNO. Não sabiam disto ?