7 de abril de 2011

Os erros de Hermes Fernandes do Genizah na sua defesa dos homossexuais

Os erros de Hermes Fernandes do Genizah na sua defesa dos homossexuais

Dr. Fábio Blanco
No site Genizah, Hermes Fernandes escreveu um artigo criticando os cristãos que se colocam frontalmente contra o homossexualismo, chegando a citar um eventual cristão, conhecido dele, que afirmou que os homossexuais deveriam morrer e coisas do tipo. Naquele artigo, o pastor afirma, categoricamente, que os que ele chama de puritanos têm os homossexuais como inimigos públicos, e que acreditariam que Jesus, se fosse hoje, não protegeria aquela mulher adúltera que estava para ser apedrejada pelos fariseus.
Bom, todas as conclusões tiradas de sua fértil imaginação são infectadas de erros de análise; senão vejamos:
1º — Inocentemente, ele confunde crítica à agenda homossexual com ataques contra o homossexual. São coisas completamente diferentes. Os movimentos homossexuais têm um programa de inserção de suas ideias e cultura próprias na sociedade, o que vem sendo implantado há muito tempo. Por meio de filmes, novelas e até do jornalismo, há uma tentativa de fazer com que a sociedade realmente aceite seu modo de vida como algo absolutamente normal, como se esse estilo de conduta não causasse qualquer dano às pessoas e à comunidade. O que muitos cristãos têm feito é apontar o perigo dessa inversão de valores, mostrando os prejuízos físicos, psíquicos e morais que ela acarreta.
2º — Ele ironiza os alertas dados pelos cristãos sobre o que têm chamado de “ditadura homossexual” — isso se referindo ao já tão falado PL 122. Ocorre que qualquer conhecedor elementar do Direito sabe que esse projeto de lei, como está redigido, cria uma mordaça, impedindo, a partir dessa lei, qualquer referência mais contundente contra a forma de vida homossexual. Se isso não é ditadura, é o quê?
3º — Por ignorância ou deliberadamente, ele reproduz os dados de assassinatos de homossexuais ocorridos ultimamente. Ele apenas não leva em conta que esses dados são levantados pelos próprios movimentos homossexuais e que são números completamente inchados, pois não consideram o motivo dos crimes, mas apenas as mortes. Ora, se um homossexual morre ele entra para as estatísticas de crimes homofóbicos, ainda que ele tenha morrido por outra causa qualquer. Sem levar em consideração que muitos são mortos pelos próprios parceiros sexuais, o que caracterizaria uma homofobia gay, o que é um absurdo! Portanto, quando ele fala que “a cada dois dias um homossexual é assassinado no Brasil por conta de sua opção sexual” ele mente, consciente ou inconscientemente, mas mente.
4º — Ele dá a entender, ainda, que há uma pregação de ódios contra os homossexuais. No entanto, apenas cita um conhecido seu que tenha falado alguma coisa mais contundente contra eles — ainda assim, pelo que parece, em uma conversa bem irresponsável. Ele não cita, nem poderia citar, nenhum líder cristão, ou pensador cristão, que pregue ou incite ódio contra os homossexuais. Isso é irresponsável! Acusação de ódio é coisa muito séria! Falar e não provar merecia um belo de um processo criminal. E não é só ele, mas muitos outros defensores da agenda homossexual fazem isso, e ficam impunes.
Eu não sei, e nem me interessa, qual é a motivação de Hermes Fernandes para escrever esse texto. Entretanto, se não for uma deliberada vontade de favorecer a já bem adiantada agenda gay, ele está servindo como um bom idiota útil.
Divulgação: www.juliosevero.com
Mais informações sobre Hermes Fernandes:

5 comentários :

Anônimo disse...

Cada dia surge uma novidade que vai desmascarando Genizah e admiradores.

Uma hora a máscara cai.

parece que chegou a hora.

Eduardo Araújo disse...

Caríssimo Júlio, dei uma olhada nesse artigo infeliz e nos comentários.

Alguns desses comentários mostram o estado de indigência intelectual de grande parte do povo brasileiro, incapaz de escapar da doutrinação esquerdista inculcada em suas mentes.

Um desses "exemplares" chega a afirmar que você e o Olavo de Carvalho são direitistas da Igreja Católica que beiram o fascismo ... ! E que esse "direitismo evangélico e cristão" possui uma agenda nazista!

Outro punhado repete a lenga-lenga imbecil de que é contra o homossexualismo e também contra a "homofobia", sem discernirem que esse termo expressa uma idéia fajuta forjada pelo governo e pela militância gay e que, uma vez aprovado o PL 122, não fará essa distinção de ser contra o homossexualismo e ser contra um ou todos os homossexuais. Ambos cairão na vala comum do delito de opinião camuflado na palavrinha "homofobia".

Mas é bom também verificar que há lucidez em meio às trevas. Gostei de muitos dos comentários lá postados. Mais de um chamou a atenção para o sofisma do "genocídio gay"; outros para a intensão de se criar uma minoria super-protegida pairando acima dos outros "iguais perante a Constituição"; mais de um lembrou que pelos ditames do movimento gayzista o próprio Deus é "homofóbico"; outros observaram a falsa dicotomia do autor do artigo, dividindo as pessoas em os que amam os homossexuais e os que os odeiam, colocando entre estes últimos todo o que se posiciona contra a agenda gayzista; uns dois contestaram o igualitarismo do autor até no que concerne aos pecados (como o absurdo de considerar a prática homossexual tão pecaminosa como fraudar a declaração do imposto de renda).

Outro comentarista mencionou o vitimismo dos gays militantes, calcado na falsidade.

E um deles lembrou muitíssimo bem: até quem se diz cristão defende ardorosamente a causa gay contra a suposta "homofobia" mas não dá uma mísera palavra sobre a perseguição que os cristãos vem sofrendo no mundo, esta sim, uma realidade bem concreta (e bem omitida pela mídia cínica e anti-cristã).

Abraços

Marcio disse...

Também sou pela verdade bílica, mas esse pessoal do genizah, usam palavras pesadas e zombarias... precisamos tomar cuidado para não sermos achados lutando contra Deus.

Toni-Toni disse...

Já fui amante do Genizah, porém o tempo passa e aí vc percebe que realmente se trata de uma espaço reservado para o sensacionalismo e que isto ajuda em pouca coisa - se é que ajuda!

Teóphilo disse...

Apenas para ratificar a informação de que o Genizah não passa de um antro gerenciado por um servo de satanás:

http://allenporto.blogspot.com/2011/05/apologetica-com-feijoada-da-nisso.html

Fico em dúvida apenas se os autores convidados são tão malignos quanto esse covarde manipulador ou se são apenas "bucha de canhão"...