6 de abril de 2011

Jornal Estado de S. Paulo a serviço da agenda de Luiz Mott

Jornal Estado de S. Paulo a serviço da agenda de Luiz Mott

Julio Severo
Cito a seguir a reportagem do jornal Estado de S. Paulo sobre assassinatos de homossexuais, com a adição dos meus comentários, em fonte vermelha.
Número de assassinatos de gays sobe 31% no Brasil, afirma entidade
Segundo levantamento feito pelo GGB, houve 260 homicídios em 2010; Bahia lidera ranking dos Estados
Quarta, 04 de Abril de 2011, 13h40
Tiago Décimo
SALVADOR — O Grupo Gay da Bahia (GGB) divulgou, na manhã desta segunda-feira, 4, que o montante de assassinatos de homossexuais, travestis e lésbicas aumentou 31,3% em 2010, em relação ao ano anterior, com 260 casos, ante 198 em 2009.
Comentário de Julio Severo: O Grupo Gay da Bahia foi fundado por Luiz Mott, acusado de defender a pedofilia. Portanto, qual é a credibilidade de uma matéria com base numa fonte dessas?
De acordo com o levantamento, realizado anualmente pelo grupo, desde 1980, o Estado que mais concentrou os homicídios foi a Bahia, com 29 registros, seguido por Alagoas, com 24, e São Paulo e Rio, com 23 cada. O estudo é realizado com base em notícias publicadas em jornais e sites.
O Nordeste, segundo o grupo, concentrou 43% dos homicídios contra integrantes das comunidades LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais). Segundo o antropólogo Luiz Mott, fundador do GGB, o risco de um homossexual ser assassinado no Nordeste é "aproximadamente 80% maior" do que no Sudeste, por causa da intolerância. "O Brasil é o campeão mundial de crimes homofóbicos", afirma Mott. "O risco de um homossexual ser assassinado no Brasil é 785% maior que nos Estados Unidos."
Julio Severo: O Dr. Claudemiro Soares, que viveu muitos anos na homossexualidade e foi mais tarde liberto por Jesus Cristo, afirma:
“O Dr. Luiz Mott é um estrategista. Ele usa os dados acerca dos assassinatos de homossexuais em favor da causa que o Movimento Homossexual defende. Já estive homossexual durante décadas e garanto: a maioria dos assassinatos contra gays são praticados por gays. Por que o Dr. Mott não fala sobre as circunstâncias em que ocorrem essas mortes? Por que ele não fala dos garotos de programa que matam homossexuais? Por que ele não fala dos traficantes que matam os travestis que NÃO pagam a droga que cheiram? Em geral, os militantes homossexuais acham que conseguirão enganar a sociedade com esse discurso besta de ‘homofobia’. O Brasil já acordou”.
O Dr. Soares é autor do livro “Homossexualidade Masculina”, cujo e-book pode ser encontrado aqui na opção “download”: http://closetfullbr.blogspot.com
Segundo o presidente do GGB, Marcelo Cerqueira, o volume de assassinatos contra LGBT vem crescendo anualmente em todo o País, sem que a administração pública promova políticas de enfrentamento à violência. "Já recebemos documentação sobre 65 casos ocorridos apenas nos três primeiros meses deste ano", afirma. "É preciso que a homofobia seja punida severamente pela polícia e pela Justiça."
Comentário de Julio Severo: Antes de Dilma, Lula governou durante oito anos fazendo incessantes concessões aos militantes gays: http://juliosevero.blogspot.com/2010/12/papai-noel-dos-gays.html
O governo Lula, com o dinheiro do bolso dos brasileiros, bancou até a distribuição de gel lubrificante para o sexo anal dos homossexuais: http://juliosevero.blogspot.com/2008/12/abaixo-ditadura-gay-bolsa-boiola-e-o-ky.html
E agora o Grupo Gay da Bahia aparece insinuando como se muito pouco tivesse sido feito para promover o homossexualismo no Brasil.
O aumento das políticas governamentais propagou a homossexualidade, provocando mais do que já é bem conhecido: brigas e assassinatos entre homossexuais. Se houver mais promoção da homossexualidade, haverá mais homens praticando sodomia e haverá mais agressões e assassinatos. Portanto, é preciso dar um basta na propaganda homossexual à custa dos cidadãos que pagam impostos. É preciso dar um basta na propaganda enganosa que encobre a violência doméstica e sexual homossexual e faz da população inocente bode expiatório das anarquias e orgias homossexuais.
Menos promoção da homossexualidade significará menos homossexuais para brigarem e se matarem. Por uma cultura sem sodomia e sem violência.
Divulgação: www.juliosevero.com

3 comentários :

Chamelly Sobreira disse...

Que excelente artigo, Julio Severo. Só que eu não acho que o Brasil acordou ainda, como disse o Dr. Soares.

O Brasil anda sonolento, aceitando tudo que lhe oferecem, como se fosse uma criança inocente que come tudo o que lhe dão na boca.

É inadmissível que um jornal como a Folha coloque esse tipo de matéria sem suas fontes, sem a realidade desses assassinatos. Sabemos bem o que envolve o assassinato de um homossexual. Sabemos bem o ambiente em que eles vivem.

Não à DITADURA HOMOSSEXUAL, NÃO AO PL 122, NÃO À FALÊNCIA DA ESSÊNCIA DA FAMÍLIA, criada por Deus.

Que Deus tenha misericórdia.

Herberti disse...

Eu fico a me perguntar: será que existe alguém que realmente leva o sr.Mott à sério? Será que os orgãos de imprensa que divulgam suas declarações ridículas realmente o fazem por seriedade? A unica atividade deste senhor parece ser a de gerar e espalhar boatos. Ele posa como uma espécie de "Dom Quixote" da causa homossexualista, esforçando-se inutilmente em obter simpatia para sua cruzada particular. E depois de todo o apoio que o governo Lula lhe deu, condecorando-o inclusive, ele ainda tem o desplante de vir com esta conversinha de perseguido, manifestando um irritante complexo de vítima, característico em todos eles.

Silvio Ricardo disse...

Sim, Herberti, existem pessoas que levam luiz mott a sério: as bichas histéricas, complexadas, autoritárias e compulsivamente mentirosas como ele.

Ah, é claro: os demagogos jornalistas brasileiros também, dedicados cumpridores da função de desinformar e fazer lavagem cerebral em massa! Há quem diga que as redações dos jornais estão aparelhadas por ativistas gayzistas. Vocês duvidam?