20 de março de 2011

O terremoto do Japão e o “castigo de Deus”

O terremoto do Japão e o “castigo de Deus”

16 de março de 2011 (Notícias Pró-Família) — Os programas de entrevista de rádio estão cheios de reações indignadas às declarações curtas de Glenn Beck sobre o terremoto do Japão, mas até mesmo o governador de Tóquio, Shintaro Ishihara, disse aos jornalistas na segunda-feira que o desastre pode ser um “castigo divino”.
A declaração exata de Ishihara, conforme saiu numa reportagem da Rádio de Notícias Otaku Who, foi:
“A identidade do povo japonês é o egoísmo. O povo japonês precisa aproveitar esta ocasião do tsunami como meio de se limpar de sua ganância egoísta. Eu realmente acho que isso foi castigo divino”.
Os comentários de Glenn Beck, os quais estão no momento sendo assunto de muita polêmica, foram semelhantes ao de Ishihara, mas apresentados e tirados do contexto de forma mais grosseira pelos críticos. Beck indicou que os desastres no Japão são uma mensagem de Deus; que precisamos parar de fazer as coisas ruins que estamos fazendo e começarmos a seguir os Dez Mandamentos. Contudo, o modo irreverente com que Beck deu sua mensagem foi visto como bastante impróprio, considerando as circunstâncias trágicas do sofrimento do Japão.
Aqui estão as citações exatas de Beck:
Agora, veja, não estou dizendo que Deus está provocando terremotos. Olha — não estou dizendo isso.
Deus — o que Deus faz é da conta de Deus, eu não tenho ideia. Mas lhe direi isto: quer você o chame de Gaia, quer você o chame de Jesus — uma mensagem está sendo enviada. E essa mensagem é: ‘Ei, sabe essas coisas que estamos fazendo? Não estão saindo muito bem. Talvez devêssemos parar de fazer algumas dessas coisas’. Ontem fui para casa, pensando em todas as mensagens que eu poderia apresentar, todas as coisas que eu poderia dizer, e oh, tenho muita coisa sobre o Hezbolá. Oh, tenho muita coisa sobre o islamismo radical nos EUA que faria seus olhos saltarem de pavor. Ou eu poderia simplesmente lhes dizer a resposta, e a resposta é: Apertem os cintos. Apertem os cintos, pois vai ser um percurso cheio de solavancos.
Certifique-se de que você está mantendo braços e pernas dentro do carro o tempo todo, pois vai haver muitos solavancos e, exatamente como alguns avisos que ficam ali no começo antes da decolagem da montanha-russa, há sempre uma boa dica de segurança: Mantenha braços e pernas dentro. Não faça nada estúpido. Vamos propor que todos sigam Dez Grandes Normas. Você pode chamá-las de os Dez Mandamentos de Moisés ou dez princípios básicos. Que tal começarmos a segui-los? Pois as coisas que estamos fazendo são realmente muito ruins e não vão ficar melhores.
Pediram que eu fizesse um comentário no programa da rádio noticiosa 570 em Kitchener, Ontário na quarta-feira em reação aos comentários de Beck e comentários de outros, que estão provocando turbulência.
A perspectiva judaico-cristã tem a consciência de que Deus criou este mundo perfeito e que só foi depois que o pecado entrou no mundo — quando a humanidade rejeitou a ordem natural de Deus — que as coisas começaram a sair errado. Shintaro e Beck claramente fazem referências indiretas a essa consequência quando se rejeita ou se vai contra Deus.
Ao mesmo tempo, não dizemos que Deus não tem controle sobre o que ocorre em nosso mundo. Ele conhece, Ele vê, e sim, Ele até tem o poder de impedir coisas ruins de ocorrerem.
Entretanto, ao ir contra o plano de Deus para o bem da humanidade (o que chamamos de pecado), empurramos Deus para fora de nossas vidas. Os cristãos são ensinados que quando empurramos Deus para longe, a Proteção dEle também é empurrada para longe — por nós mesmos.
Para os verdadeiros crentes cristãos e judeus, essas são as realidades da vida, não teorias, especulações ou mitos. E em nossa vida ocupada e muito materialista em que não parecemos precisar de Deus de forma alguma, perdemos completamente o senso dessa realidade — até que a tragédia atinja.
Além disso, os cristãos são também ensinados que o diabo é o que as Escrituras chamam de “o príncipe deste mundo”. O diabo tem intenções de que o mal e injustiças nos ocorram.
Deus permite muito mal no mundo, mas a fé ensina que Ele age assim porque Ele pode extrair grande bem das situações mais malignas e aparentemente impossíveis.
Eu acho que isso é explicado com mais facilidade quando damos uma olhada difícil na realidade — a realidade eterna. (Sim, a realidade. Se alguém diz que é cristão ou judeu praticante, ele precisa crer que o mundo espiritual é uma realidade, muito mais do que a vida na terra.)
Mas muitos, talvez a maioria, parecem não viver uma vida que aceita a realidade de que Deus teria um papel, ou até uma mensagem deliberada e propositada para nós, em desastres tais como os que ocorreram agora no Japão.
Estamos aqui na terra por um período muito curto de tempo. Em termos de nossa vida real após a morte, nossa vida que prossegue na eternidade, [a duração de nossa vida aqui] é um piscar de olhos. Aqueles que não creem são propensos a terminar nas profundezas do desespero quando a calamidade atinge.
Vista a partir da perspectiva espiritual, o significado da vida é principalmente sobre decidir qual caminho tomar para a eternidade. E a partir dessa perspectiva pode haver uma esperança especial com relação à situação difícil das vítimas japonesas dos terremotos, tsunami e sobrecarga dos reatores nucleares, e aliás esperança para todas as vítimas de qualquer tragédia.
Um número incontável de pessoas volta o coração para Deus quando se depara com tais calamidades, muitas pela primeira vez, algumas depois de um longo tempo rejeitando a Deus. E embora as orações e súplicas delas por segurança não venham a se cumprir neste mundo, elas de repente se tornam mais abertas a uma profunda mudança de coração que elas sabem as colocará numa direção de felicidade, segurança e tranquilidade com um Pai amoroso para sempre na próxima vida.
Uma das verdades exclusivas e consoladoras do ensino cristão sobre o sofrimento é que Cristo sofre com todos nós em nossos sofrimentos e calamidades. Ele está ali para nos ajudar em todas as ocasiões, mas fica mais perto quando estamos sofrendo.
O povo japonês está na verdade sofrendo de forma terrível e muitos de nós estamos sofrendo com eles em espírito e oração. Mas muitos deles, que têm coração disposto, estão também sendo abençoados ao mesmo tempo com um senso transformador do verdadeiro propósito e sentido desta vida e a importância impressionante de ser bom e fazer o bem e não colocar nossa esperança nas coisas deste mundo.
Artigo relacionado, em inglês:
Why them? - Michael Cook - Mercator.net
This is the hardest question of all in the wake of the death and devastation in Japan.
Traduzido por Julio Severo: www.juliosevero.com
Copyright © LifeSiteNews.com. Este texto está sob a licença de Creative Commons Attribution-No Derivatives. Você pode republicar este artigo ou partes dele sem solicitar permissão, contanto que o conteúdo não seja alterado e seja claramente atribuído a “Notícias Pró-Família”. Qualquer site que publique textos completos ou grandes partes de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com em português tem a obrigação adicional de incluir um link ativo para “NoticiasProFamilia.blogspot.com”. O link não é exigido para citações. A republicação de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com que são originários de outras fontes está sujeita às condições dessas fontes.

10 comentários :

Herberti disse...

Qualquer atitude ou expressão que se oponha, ou ao menos questione, o pomposo edifício da soberba humana, que deixou arrogantemente Deus do lado de fora e sem convite para entrar, vai ser mesmo rejeitada pelos sábios deste mundo caído. Onde quer que os esquemas humanos fracassam e trazem aquela desagradável sensação de culpa, qualquer menção a Deus ou a uma justiça divina é amargamente rejeitada. E é com dor no coração que temos visto pastores, homens esclarecidos, rejeitando a soberania de Deus achando que tal atitude é o que vai explicar a tragédia. Assim, negar que exista algo como a ira divina é uma manifestação nítida de orgulho e soberba, é roubar a Deus de sua soberania, é colocar ao homem no centro do universo, é continuar exposto ao juízo.

Fernanda disse...

Me solidarizo com o sofrimento japonês, tanto quanto os outros civis que estão sofrendo com tantos acontencimentos simultâneos que estão a ocorrer neste momento, outros terremotos, guerras, enchentes, secas, fome, doenças..., são todos autorizados pelo Criador, penso eu, não é possível que algo aconteça em Sua Criação que esteja em desacordo com Sua Vontade Soberana.

Enfim, este particular, apesar de satisfazer o meu entendimento, choca muita gente, que vê Deus em uma posição de espectador, não é possível, é antibíblico.

Isso não exclue nossa responsabilidade nos acontecimentos, nem a nossa omissão, ou descaso para com as tragédias vistas.

Só tenho a certeza que Nosso Pai, Nosso Criador, Deus Todo Poderoso está sempre a reger Sua Criação, não importa como, nem que fatos aconteceram para tal fim.

Que Ele ilumine a todos nós, tenha misericórdia e nos perdoe, se assim for Sua Vontade.

Anônimo disse...

Pensando assim é certo pensar que os furacões que arrasam os EUA todo ano também é castigo de Deus. E pelo jeito a coisa é grave, pois todo ano é sempre igual.

noni disse...

Creio eu, não existe 'castigo de Deus', o que acontece é: nós colhemos aquilo que plantamos, aí vc já está pensando, mas o que o povo japonês fez de ruim pra ter acontecido um terremoto desses, ou que fizeram os americanos (principalmente os da Flórida) pra que aconteçam furacões todos os anos? O que Deus espera que o homem plante em seu coração, não seria lhe dar glória, graças, louvor, adoração......? Acaso não acontece pelo mundo afora e individualmente 'catástrofes' na vida das pessoas? Será que Deus está de braços cruzados somente como espectador? Claro que não! Deus quer que recebamos o Senhor Jesus como 'Senhor' absoluto das nossas vidas, porque não somos simples máquinas no mundo e nem marionetes nas mãos de Deus. Se toda tecnologia japonesa (ex. do Japão agora só por causa do terremoto) principalmente quando eles construíram a usina nuclear tivesse ALIADA ao louvor, a glória, às ações de graças e principalmente a adoração ao verdadeiro Deus, teria sido diferente! Alguém ainda lembra do que Jesus disse aos seus discípulos pouco antes de ascender, quando eles estavam tristes e temerosos por saberem que ficariam sem a presença física de Jesus? "Eis que estou convosco TODOS OS DIAS até a consumação dos séculos". Então pergunto outra vez, alguém ainda se lembra do terremoto do Haithi? Lá não tem tecnologia, não tem usina nuclear......só tem pobreza e miséria, e o povo ficou mais pobre e miserável! Amigo, Deus não é masoquista, Ele é Bom e a bíblia diz que suas 'misericórdias' se renovam a cada manhã. Agora por exemplo é madrugada no japão(por assim dizer) e enquanto eles dormem Deus prepara um novo dia cheio de misericórdia e não de 'desgraça', pelo menos é o que eu consigo ler na bíblia. Concluindo, não existe castigo de Deus, nem ligação ou diferença entre o Japão, o Haithi, a Flórida, o deslizamento de terra aqui no Rio, o que devemos fazer é adorarmos a Deus, reconhecermos de maneira efetiva e prática que Jesus é o Senhor das nossas vidas, pois como mesmo disse o apóstolo Paulo, o viver é Cristo, e o morrer é lucro! Que Deus abençoe a todos.

Angelo Chiabotto Viacava disse...

Lembrei-me de Homer Simpson em um episódio em que ora a Deus mais ou menos assim: Se quiseres que eu faça tal coisa - que era cometer um erro - fica em silêncio. Depois de um breve silêncio exclama: Seja feita Tua vontade. Oportunismo aprende-se com os amigos do inimigo. Bem maquiavélico.

Aprendiz disse...

Se imaginarmos essa tragédia como algum aviso de Deus, poderiamos pensar: outros povos também deveriam estar recebendo avisos de Deus?

Quais os povos mais criminosos do planeta, atualmente? A resposta é clara:

1. O Sudão, que está sistemáticamente massacrando a população negra, majoratáriamente não mulçumana do sul do país.

2. O Brasil, que mata em "tempo de paz" o que muito países não matam em tempo de guerra. São muito mais de 50.000 mortes por ano (pois isso são só os corpos que aparecem). Alguém dirá que o que importa é o número de homícídios em relação à população. Aí a coisa fica feia, algumas cidades chegam perto dos 50 homicídios por 100.000 habitantes por ano. E issso constantemente, mês após mês, ano após ano.

Com excessão de algumas regioões da África, nós somos o país que mais mata no mundo, atualmente, mesmo comparado a regiões em conflito.

Então fica a pergunta: Se o terremoto no Japão seria um aviso contra algo de ruím que os japoneses estão fazendo, porque os brasileiros, que são o povo mais assassino do planeta (com exceção do Sudão) não estão recebendo aviso nenhum?

FábioFireFlight disse...

Lucas 13:1-5
1 E, NAQUELE mesmo tempo, estavam presentes ali alguns que lhe falavam dos galileus, cujo sangue Pilatos misturara com os seus sacrifícios.
2 E, respondendo Jesus, disse-lhes: Cuidais vós que esses galileus foram mais pecadores do que todos os galileus, por terem padecido tais coisas?
3 Não, vos digo; antes, se não vos arrependerdes, todos de igual modo perecereis.
4 E aqueles dezoito, sobre os quais caiu a torre de Siloé e os matou, cuidais que foram mais culpados do que todos quantos homens habitam em Jerusalém?
5 Não, vos digo; antes, se não vos arrependerdes, todos de igual modo perecereis.


"Primeiro, não sejamos tão insensatos para tirar a conclusão a que chegam as pessoas supersticiosas e ignorantes; essa conclusão que está sugerida no texto, quer dizer, que os que são destruídos por meio de acidentes, são pecadores que estão acima de todos os pecadores que habitam o lugar. E, em segundo lugar, cheguemos à conclusão apropriada e correta; façamos um uso prático de todos esses eventos para nossa própria melhoria pessoal: escutemos a voz do Salvador que diz: ―se não vos arrependerdes, todos de igual modo perecereis." Charles H. Spurgeon


Uma pergunta, as pessoas que foram atingidas pelo terremoto no Japão eram mais pecadores do que todos nós? As pessoas que morreram por causa da tsunami no Japão eram mais pecadores do que todos os pecadores do mundo inteiro? "NÃO, se não vos arrependerdes, todos de igual modo perecerei"


Acidentes, Não Castigos (Sermão inédito; PDF e Online)de Charles H. Spurgeon
http://www.projetospurgeon.com.br/2011/03/acidentes-nao-castigos-sermao-inedito_15.html

Chamelly Sobreira disse...

Caro ''Aprendiz'',

a hora do Brasil está chegando. Deus age no seu tempo em cada lugar, com cada pessoa. O tempo dEle é diferente do nosso, nossa mente é limitada em relação a isso.

O Brasil vai sim sofrer conseqüências de seus pecados, isso não tenha dúvida. Homosseualismo, prostituição, carnaval, idolatria, e tantas outras formas de blasfêmia ao Santo Nome de Deus.

E Deus está dando a cada dia uma oportunidade para esse povo, dessa terra linda que Ele criou, o aceite, e viva para Ele somente, com coração grato e obediente.

Com o Japão aconteceu o juízo do Senhor. E em cada lugar, eu creio que esse juízo virá na hora certa.

Deus está chamando, está batendo a porta de cada um, pecador. Basta arrepender-se, e voltar-se para o Senhor.

O começo das dores começou, o mundo espiritual está bem visível. É a Palavra do Senhor se cumprindo.

João Honorato disse...

Estive lendo os comentários aqui postados e os achei interessante.
Me veio a memória um acontecimento a mais de 2.000 anos atrás, em que estavam pendurados sobre cruzes três homens, que foram pela Lei romana condenados, mui especialmente na cidade de Jerusalém.
Me veio a memória quando um dos ladrões ali posto ao lado de Cristo, lançava insultos dizendo: Se tú és o Filho de Deus, Salva-te a ti e a nós! O que estava do outro extremo lado dizia: Tu nem mesmo temes a Deus, estando na mesma condenação...Este (JESUS) Nenhum mal fez, nós na verdade estamos porque merecemos...
O reconhecimento do segundo ladrão, tem que se dá em cada um de nós que estamos vendo a agonia e o sofrimento do povo japonês..., ou seja, somos merecedores de condenação igual... Não somos melhores que eles... Se olhássemos com mais atenção pra o que está acontecendo aqui no Brasil, diríamos as mesmas palavras do infeliz que estava sendo condenado a crucificação ao lado direito de Cristo. Mas, muitas das vezes preferimos criticar o Japão, o Haiti, a Indonésia, e qualquer que seja a nação que esteja atravessando momentos catastróficos.
Lembremos pois, merecemos castigo igual! Oremos pelos Japoneses, esse sim, deve ser nosso dever para com os que estão sofrendo! EM CRISTO: JOÃO

Anônimo disse...

O grande mal das pessoas que veem em calamidades naturais um castigo de Deus contra outro grupo de pessoas é não perceber esse mesmo castigo quando elas, e não os outros, são as vítimas.

Nessa situação, podemos até admitir com os lábios que pecamos e por isso sofremos juízo, mas lá no fundo, não o admitimos, ou ainda o contrário: dizemos com os lábios que não merecíamos, mas no coração, sabemos que sim.

É muito fácil dizer que os outros foram castigados por Deus quando não somos nós as vítimas desse castigo.

Achei engraçado que ninguém falou sobre o juízo de Deus quando houve o terremoto no Chile, pouco depois do que ocorreu no Haiti, em 2010. Ninguém disse que o Chile era uma nação idólatra, praticante de feitiçaria, prostituta ou coisa parecida.

Sabemos que Deus não se delicia com o sofrimento de ninguém, mas ao invés de perdermos tempo discutindo os porquês de coisas que aconteceram terem acontecido, devemos extrair uma importante lição de tudo isso: precisamos temer sempre a Deus e guardar seus mandamentos, amá-Lo com toda a força de seu coração e ao próximo como a si mesmo.

Sem mais.

Augusto José.