13 de março de 2011

Disque Perseguição Religiosa

Disque Perseguição Religiosa

Um número telefônico para perseguir os que se opõem ao homossexualismo

Pe. Luiz Carlos Lodi da Cruz 
O Brasil não tem uma lei que tipifique como crime a oposição ao homossexualismo. O PLC 122/2006, que pretende isso, foi desarquivado graças a um requerimento da Senadora Marta Suplicy (PT/SP)[1], eleita com o apoio de Gabriel Chalita[2], membro da Canção Nova.
Porém, mesmo antes de o PLC 122/2006 ser aprovado, o governo Dilma já criou um “serviço” de perseguição àqueles que desaprovam o vício contra a natureza. No dia 29 de fevereiro de 2011, a ministra Maria do Rosário, da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, anunciou que o Disque 100, número gratuito que recebe 24 horas por dia, ligações em defesa dos direitos humanos em todo o país, passaria a receber denúncias de “ações homofóbicas”[3]. São palavras da ministra: “Vamos criar uma rede de contatos em parceria com estados e municípios, com o objetivo de obter dados mais reais de casos de homofobia no país e garantir que os culpados sejam investigados e punidos”.
Note-se que, mesmo sem previsão legal, a ministra já quer dar punição aos que não encaram com naturalidade as condutas antinaturais. Quem denuncia não precisa preocupar-se, pois é garantido o “sigilo da fonte”. Portanto, no final do segundo mês da posse de Dilma, seu governo já instalou a perseguição religiosa baseada em ligações telefônicas gratuitas e anônimas. Os que professam a fé cristã devem estar preparados para um policiamento semelhante à KGB soviética e à Gestapo nazista. Alguns exemplos ajudarão a esclarecer a gravidade do quadro.
1. A Santa Missa está sendo celebrada. Durante a homilia, o sacerdote faz alusão ao primeiro capítulo da carta de São Paulo aos Romanos, que condena fortemente o homossexualismo, tanto feminino quanto masculino (Rm 1,26-28). Cita as palavras do Apóstolo segundo o qual o entregar-se a “relações contra a natureza” (Rm 1, 26) foi o castigo daqueles que “trocaram a verdade de Deus pela mentira” (Rm 1,25). Nesse momento alguém passa pela frente da igreja e se sente incomodado com a pregação. Dirige-se a um telefone público e denuncia o celebrante “homofóbico”.
2. Uma mãe de família, preocupada com a integridade moral das crianças, resolve não admitir uma lésbica para trabalhar como babá de seus filhos. A candidata ao emprego, vendo-se frustrada, pega seu telefone celular e denuncia aquela senhora por essa “ação homofóbica”.
3. O dono de um estabelecimento comercial pede que se retirem dois homens que estão praticando atos obscenos. Eles saem, mas procuram imediatamente um telefone para denunciar o comerciante que não tolera a “diversidade sexual”.
4. O reitor de um seminário descobre, espantado, que um dos seminaristas é homossexual. Ele havia tentado seduzir um dos colegas, mas este levara o caso à reitoria. Diante do reitor, o homossexual confessa sua conduta. Com caridade, mas também com firmeza, o reitor decide afastar esse estudante do seminário. O Bispo diocesano apoia essa decisão. Inconformado, o ex-seminarista disca para o governo denunciando como “homofóbicos” o reitor, o bispo e o colega que não se deixou seduzir.
Por ora, sem uma lei “anti-homofobia”, é difícil imaginar o que o governo poderá fazer contra os cidadãos denunciados. Pois, segundo preceito constitucional, “não há crime sem lei anterior que o defina, nem pena sem prévia cominação legal” (art. 5º, XXXIX, CF). Parece que o “Disque Homofobia” foi criado em previsão (e em preparação) à aprovação do PLC 122/2006. Tudo está preparado para a instalação do terror depois que a lei for aprovada.
Os militantes pró-homossexualismo, para ganhar adeptos a sua causa, tentam mostrar estatísticas (verdadeiras ou falsas) de homicídios ou lesões corporais praticados contra pessoas homossexuais. Dizem que é indispensável criar uma lei para coibir essa “onda de violência”.
Lamentavelmente, nem todos os cristãos sabem se posicionar com firmeza diante desse argumento. Alguns dizem que tal lei é necessária, mas não admitem que as penas propostas sejam tão severas. Outros dizem que a lei é desnecessária, uma vez que a legislação penal já pune os crimes contra a vida, a integridade física e a honra dos cidadãos. Quase ninguém atinge o núcleo da questão para dizer que a proposta de lei não é apenas “desnecessária”, mas totalmente absurda. Imaginemos a história seguinte.
Brasil sem ebriofobia?
O governo brasileiro se mostrou preocupado com o alto número de bêbados vítimas de homicídio, lesão corporal ou injúria. Considerando esse quadro como fruto de um “preconceito” contra os ébrios, o presidente lançou o programa “Brasil sem ebriofobia”. O objetivo foi convencer a população a respeitar a opção “beberal” de cada um, sem privilegiar o comportamento abstêmio em relação ao comportamento alcoólatra. Para isso, foram promovidas passeatas de “orgulho ébrio”, nas quais os bêbados, portando garrafas de aguardente, eram calorosamente acolhidos pelos governantes. Nas escolas, as crianças passaram a aprender que ser ébrio ou ser abstêmio eram duas orientações “beberais” legítimas. Ninguém deveria considerar o alcoolismo como um vício ou como uma doença. Nem a sobriedade podia ser considerada uma virtude. No Congresso Nacional foi aprovada uma lei “antiebriofobia”, que considerou crime qualquer manifestação contrária aos alcoólatras. A lei passou a punir com penas especiais os homicídios, lesões corporais e injúrias quando a vítima fosse um ébrio. E assim, os bêbados ficaram livres de um “preconceito” que pesava sobre eles desde muitos séculos.
Analisando a história
O caso narrado acima é evidentemente absurdo. Se o ébrio tem direitos, os tem apenas na qualidade de pessoa, mas não na qualidade de ébrio. A embriaguez não acrescenta – nem pode acrescentar – direitos ao cidadão normal. O absurdo da fictícia lei “antiebriofobia” era querer dar direitos a um vício. Se um bêbado é morto, o homicida deve ser punido, conforme a legislação penal. Mas é absurdo que o autor do crime receba uma pena extra pelo fato de a vítima ser alcoólatra. O mesmo se diga das lesões corporais e injúrias praticadas contra um ébrio.
O que a embriaguez e o homossexualismo têm em comum? Vejamos esta passagem da primeira carta de São Paulo aos coríntios: “Então não sabeis que os injustos não herdarão o Reino de Deus? Não vos iludais! Nem os impudicos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os injuriosos herdarão o Reino de Deus” (1Cor 6,9-10). A Palavra de Deus elenca, portanto, entre os que não terão parte no Reino de Deus tanto os ébrios (“bêbados”) como os homossexuais (“efeminados” e “sodomitas”).
Se um homossexual é assassinado, o homicida deve ser punido. Mas é um absurdo que a lei imponha uma pena especial pelo fato de a vítima ser homossexual. O mesmo se diga de alguém que espanca um homossexual. Não tem cabimento que o autor responda por um crime mais grave do que a lesão corporal prevista no Código Penal.
O núcleo do PLC 122/2006 é que ele, pela primeira vez na história legislativa brasileira, pretende dar direitos ao vício. Em nosso país isso é inédito, embora já existam coisas semelhantes em leis estrangeiras, com efeitos desastrosos.
O amor aos pecadores
Os pecadores têm um lugar especial no Cristianismo. Jesus disse textualmente: “Não são os que têm saúde que precisam de médico, mas sim os doentes. [...] Com efeito, eu não vim chamar justos, mas pecadores” (Mt 9,12-13). Ele, que acolheu a mulher adúltera que estava para ser apedrejada (Jo 8,2-11) e o ladrão que fora crucificado ao seu lado (Lc 23,39-43), não rejeitaria um homossexual penitente. Certamente, Ele o perdoaria dizendo: “Vai, e de agora em diante, não peques mais” (Jo 8,11).
O auxílio que Jesus veio trazer aos pecadores é libertá-los do pecado. Afinal, disse Ele, “quem comete pecado é escravo” (Jo 8,34).
O PLC 122/2006 pretende, não libertar os homossexuais, mas consolidar sua escravidão. Longe de estimular uma verdadeira mudança de conduta (“conversão”), o projeto pretende glorificar o vício contra a natureza. Numa total inversão de valores, ele pretende que sejam punidos como criminosos aqueles que censuram o comportamento antinatural.
Notas:
[1] Cf. Marta quer apoio para aprovar projeto que torna crime a discriminação de homossexuais, Agência Senado, 02/03/2011 in: http://www.senado.gov.br/noticias/verNoticia.aspx?codNoticia=107722
[2] Cf. Gabriel Chalita apóia Marta in:http://www.youtube.com/watch?v=LUrPGiLxDpc
[3] Serviço de denúncia anti-homofobia é lançado em passeata em SP, Folha.com, 19/02/2011 in: http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/878265-servico-de-denuncia-anti-homofobia-e-lancado-em-passeata-em-sp.shtml
Divulgação: www.juliosevero.com
Artigos sobre o mesmo assunto:

10 comentários :

Silvio Ricardo disse...

O Dextra publicou uma matéria importante sobre a imundície gayzsita.

"Vídeos para quem ainda não leva a sério os planos sinistros que o movimento político homossexual tem para deformar completamente a moral social tradicional à imagem e semelhança de seu estilo de vida imundo, imoral, patológico, autoritário e diabólico".

É algo NOJENTO, REPUGNANTE, DOENTE, PERVERTIDO, ABJETO, VIL, PORCO, IMUNDO, MORALMENTE DEGRADANTE.

http://veradextra.blogspot.com/2011/03/videos-para-quem-ainda-tem-duvidas-dos.html

Trindade disse...

Excelente e inteligente o post, mas a critica do Pe. Lodi deveria ser tão enfática quando se refere à Igreja Católica que se fosse unida politicos de esquerda não ganharia eleição no Brasil, pois os católicos se gabam de ser uma "ÚNICA" Igreja, mas que na hora da verdade são mais divididos do que os evangélicos; E mais nesses pontos convergentes a ICR deveria ter uma liderança forte para contactar com os evangélicos para agir contra politicas que pretende agir contra valores os Cristãos.
Eu ja comentei aqui que 72 porcentos dos brasileiros são católicos e 25 porcentos são de evangélicos, portanto a maioria esmagadora da população, mas como são desunidos irão pagar o preço e ser esmagados por essa minoria de menos de 4 porcentos da população; Mas dizer do que de um estado que elege Eduardo & Marta Suplicy, o SUPLÍCIO para esse eleitore é pouco.
E digo mais depois dessas eleições onde o PT engoliu (colocou nos bolsos) os líderes Cristãos eu lavo as minhas, pois nesse Congresso Nacional, com amaioria que tem o PT aprova até a proibição de culto cristão no pais, parabéns cristãos brasileiros voces serão perceguidos por voces por voces mesmos, com a palavra os líderes de sempre, magno malta, manoel ferreira, crivela, takayama, silas camara, enfim esses vendidos todos.

Anônimo disse...

Maria

A Igreja Católica tem uma liderança forte. Essa está representada no Papa. Só que infelizmente o que se viu nas últimas eleições, foi um Papa solitário sendo atendido por uns poucos bispos que ainda honram o ministério que lhes foi confiado.

Realmente há bispos que para ficarem "bem na foto" com pessoas influentes, não fazem o seu papel de pastores conclamando os cristãos a pôr em prática as suas falas de fé, estas que não passam do testemunho verbal.

Com a falta de cristãos realmente comprometidos com a fé que dizem professar, será difícil dar um basta a tanta bestialidade que está acontecendo não só no Brasil, mas também no mundo.

O padre de minha paróquia deu nome aos bois quando se referiu em quem um cristão não deve votar. Ainda acrescentou que nenhum dos presidenciáveis eram candidatos dignos de confiança.

Não há democracia em um país onde só existe partidos com o mesmo viés, o esquerdista. O cerco fechou e fomos nós mesmos que o trancamos acreditando que tínhamos representantes oponentes aos desmandos do governo vigente.

Se na política pouquíssimas são as vozes levantadas contra esse regime totalitarista, os cristãos, maioria que são, deveriam tomar a dianteira e ser a oposição que este governo não tem.

Mas, infelizmente, as pessoas estão paralisadas.

Anônimo disse...

Trindade, você está confundindo claramente alhos com bugalhos.

Sabemos que a Igreja Católica tem um lídere. O Papa. O Papa claramente já deu, e dá, várias e várias mensagens condenando o homossexualismo e o aborto, e continua dando as mensagens condenando esses comportamentos aberrantes. Acontece que muitos bispos da Igreja Católica são modernista, e não estão nem ai para o que o Papa fale ou deixa de falar.

Sabendo que esses bispos tem que obedecer ao Papa, esse clero modernista no fundo prega a divisão (a qual você se referiu) e a rebeldia entre os fiéis leigos.

Mais o pior de tudo é que esse clero modernista vai ter uma atitude mais maliciosa ainda, a de dizer que a opinião do Papa é apenas uma opinião particular; ou seja: É como o clero modernista estivesse induzindo os leigos a acreditarem que "é opinião do Papa e eu posso acatá-la se eu quiser".

Mas a divisão já está claramente dando suas amostras no meio protestante brasileiro.

Nem precisos responder, você no final do seu comentário já mencionou os nomes dos "homens de Deus" que estão levando as divisões no meio protestante no Brasil.

Marcos

Anônimo disse...

Tá na hora de criar um disk denúncia contra a perversidade e a pedofilia, que é claro é praticada por gayzistas.

Chamelly Sobreira disse...

Concordo com o anônimo acima.

Trindade disse...

Ok Marcos;
Não acredito que esteja confundindo "alhos com bugalhos", pois posso lhe adiantar uma coisa a ICR (Igreja Católica Romana)tem aqui no Brasil uma entidade chamada CNBB, e lá a grande maioria dos Bispos Membros, segundo bons e praticantes Católicos deveriam ser excomungados, pois tem posições que confrontam com a Doutrina da Igreja sobre vários temas, mas que TODOS sabemos que CNBB MANDA na ICR do Brasil e quando o Papa se manifestou contra a posição do PT sobre o aborto no Brasil em 2010 parte importante da CNBB se excluiu do debate e a outra parte apoiou descaradamente o partido abortista.
Me perdoe Marcos, mas se voce ler com atenção o que escreveu o Padre Loti voce entendera que o Dep. Chalita faz parte da CCN (Comunidade Canção Nova) ou seja É UM CATÓLICO de grande naipe apoiando a bandalheira.
VAMOS PARAR O BATE & ASSOPRA E TOMAR POSIÇÃO, pois Cristão de verdade é como o Julio Severo, paga o preço mas não se dobra.
Ah, ia me esquecendo a CNBB lançou a Campanha da Fraternidade agora e estão aos beijos e abraços com os "Sem Terras" e contra os produtores rurais Brasileiros, dá pena Marcos, mas a ICR é um balaio de gato que ninguém entende, basta voce ir até a Bahia, lá não se sabe onde começa a ICR e um terreiro de Umbanda, a começar pelos Padres que vestem indumentária de Oxum e Oxóssi em nome de deuses afro e blasfemam o tempo todos do Senhor Jesus.
Desculpe meu caro Marcos, mas contra fatos não há argumentos.

Anônimo disse...

Trindade, sim, você está confundindo alhos com bugalhos.

A CNBB NÃO É A VOZ DA IGREJA CATÓLICA. ELA É UMA REUNIÃO E BISPOS.

É claro que a maioria são de bispos modernistas seguidores da Teologia da Libertação.

Você mesmo - Graças a Deus!- a desobediencia da CNBB em relação ao Papa. Então porque está surpreso com a CNBB?

"Me perdoe Marcos, mas se voce ler com atenção..."

Quem tem que ter atenção é você Trindade!

Não sabes que a Cançaõ Nova é o pentecostalismo que invadiu a Igreja Católica?

Te garanto que ali dentro da Canção Nova são um bando de católicos de Boca e que faz o seu catolicismo "ao seu modo".

Chalita católico?

Você deve estar brincando!

"Cristão de verdade é como o Julio Severo, paga o preço mas não se dobra."

Eu posso te dar vários exemplos de sacerdotes católicos que são cristãos de verdade. É só você se empenhar e procurar e você vai acha-los.

Voc~e quer sitio católico de vardade? E uposso te mostrar. E voc~e verá o que esses sitios católicos de verdade dizem da CNB do B. Adianto que nenhum católico, sitio ou blog de verdade não tem simpatia pela CNBB.

Em relação aoa seu último comentário da CNBB e da Bahia, faço apenas uma pergunta:

VOCÊ JÁ OUVIU FALAR DA INVASÃO DA TEOLOGIA DA LIBERTAÇÃO (FEITA PELA CNB DO B) NOS SEMINÁRIOS DA IGREJA CATÓLICA AQUI NO BRASIL?

Você ali vai reparar do porque isso ai que você mostrou não é nenhuma surpresa para um católico atento.

Marcos

Anônimo disse...

Acontece que isso não é só dentro da Igreja Católica Trindade. Dentro do protestantismo também.

Quer ver um caso bem recente que muitos católicos bateram o pé para os seguidores da Teologia da libertação vindo do protestanitsmo?

http://fratresinunum.com/2011/03/05/ecumenismo-no-brasil-escancarando-o-odio-anglicano-a-igreja-catolica/

Marcos

Anônimo disse...

Trindade, ia me esquecendo: Quer conhecer um sitio católico que odeia a CNBB e alerta os católicos desavisados?

http://intribulationepatientes.wordpress.com/category/cnbb/

Repare que no lado direito tem um "SOU CATÓLICO, POR ISSO: CNBB NÃO ME SUBMETO!"

Católico de verdade é isso ai!

Marcos