16 de janeiro de 2011

Rick Warren dá destaque a famosos médicos de seitas

Rick Warren dá destaque a famosos médicos de seitas

Médicos são promotores do misticismo oriental, universalismo

WorldNetDaily
Quando Rick Warren, pastor de mega-igreja, decidiu que precisava levar sua saúde a sério, ele respondeu de um modo tipicamente ambicioso, lançando um programa de saúde de duração de um ano para sua igreja, o “Plano Daniel”, escrito com a ajuda de três médicos famosos que aparecerão hoje no primeiro de uma série de seminários de saúde.
Rick Warren
Mas os que criticam o que ele está fazendo apontam para o fato de que os médicos que criaram o programa ao que tudo indica não têm as convicções evangélicas que a igreja de Warren professa, adotando em vez disso várias formas de misticismo oriental e os princípios de uma seita cristã, o swedenborgismo.
Tendo feito o compromisso de perder 40 quilos, Warren disse que se colocou sob os cuidados dos médicos Mehmet Oz, Daniel Amen e Mark Hyman no outono passado e trabalhou com cada um para desenvolver o “Plano Daniel”.
Oz, apresentador do “Programa do Dr. Oz” ganhador do Emmy e é professor de cirurgia na Universidade de Columbia, diz que se inspira em Emanuel Swedenborg, o fundador de uma seita no século XVIII que ensinava que todas as religiões levam a Deus e negava as doutrinas cristãs ortodoxas como a expiação de Cristo pelos pecados, a trindade e a deidade do Espírito Santo.
Amen, que é um escritor best-seller e professor de psiquiatria na Universidade da Califórnia em Irvine, ensina meditação das religiões orientais e Reiki, prática com base em energias da Nova Era.
Hyman, escritor de livros na lista dos mais vendidos do jornal New York Times, promove meditação mística baseada em princípios budistas.
Steve McConkey, que dirige um site chamado Christian Investigator (Investigador Cristão), chamou de “preocupante que um pastor elevado dos Estados Unidos esteja promovendo falsos mestres”.
“Estamos vivendo o ponto mais baixo de espiritualidade dos Estados Unidos com líderes fracos”, ele disse.
A assessoria da Igreja Saddleback não respondeu a uma ligação de WND pedindo um comentário.
McConkey apontou para o fato de que os seguidores do que se chama swedenborgianismo acreditam que todas as religiões conduzem a Deus e que o Cristianismo tem de passar por um renascimento. O grupo também nega a existência do diabo como pessoa e crê que a Bíblia não foi inspirada por Deus. Quando as pessoas morrem, acreditam os seguidores, elas se tornam anjos ou espíritos malignos.
Emanuel Swedenborg disse que teve uma visão em 1745 em que ele viu criaturas rastejando nas paredes. Ele afirmou que Deus então lhe apareceu como um homem e lhe disse que promovesse os novos ensinamentos ao mundo.
Warren planeja ter debates individuais com Amen e Hymen no seminário de hoje, que irá das 8h30min até às 12h30min na Igreja Saddleback em Lake Forest, Calif. Oz aparecerá via uma mensagem de vídeo.
O seminário será também transmitido ao vivo pela Igreja Saddleback.
A igreja diz que todos os seus mais que 5 mil grupos pequenos implementarão o “Plano Daniel”, que é parte do “Década de Destino”, um plano de 10 anos que está sendo lançado neste mês “para ajudar indivíduos a terem sucesso e serem o que Deus os designou para ser em todos os aspectos da vida”.
Warren, autor do livro best-seller “Uma Vida Com Propósitos”, disse que está “honrado de estar fazendo parceria com esses especialistas de saúde reconhecidos internacionalmente”.
“Deus diz que a saúde é importante, e é isso o que queremos estar estudando com profundidade”, Warren disse.
Ele disse que os muitos americanos que resolvem a cada ano perder peso e colocar-se em forma precisam ter a motivação certa se querem ter êxito.
“Esperamos fornecer incentivo, com base em princípios bíblicos, para ajudar a fazer uma mudança real de estilo de vida para uma saúde melhor”, Warren disse.
O “Plano Daniel”, que durará 52 semanas, está sendo baseado, de acordo com a Igreja Saddleback, no relato bíblico de Daniel e seus três amigos, Sadraque, Mesaque e Abednego, que recusaram ter parte nas ricas comidas e vinho do rei da Babilônia e desafiaram o superintendente do rei a fazer um teste de planos de refeição.
Daniel e seus três colegas comeram uma dieta de 10 dias de verduras e água que os tornaram mais saudáveis e mais bem alimentados dos que os outros.
“Cresci num lar onde a mesa de jantar era a característica principal de nossa existência”, Warren disse. “Nunca prestei muita atenção à minha saúde, já que ela nunca foi importante para mim. Mas no começo deste ano tive um momento de clareza e compreendi que todos precisamos fazer uma mudança, e que eu não posso ajudar ninguém se primeiro não começo comigo”.
Warren citou estatísticas que indicam que de cada 10 americanos, 7 estão acima do peso e que o diabetes e doenças cardiovasculares estão aumentando.
“Os Estados Unidos estão ficando mais e mais gordos, e temos de fazer algo sobre isso”, disse ele.
Depois do seminário de saúde, profissionais médicos e voluntários estarão à disposição nas dependências da Igreja Saddleback para registrar números de saúde de modo que os indivíduos possam iniciar o “Plano Daniel”, disse a Igreja Saddleback. Os participantes poderão criar seus próprios perfis online através do site da igreja para guiá-los através do plano e manterem um registro de melhorias e resultados de saúde.
Warren fundou a Igreja Saddleback em 1980 com sua esposa Kay. A igreja tem uma frequência média semanal de 22 mil em seu prédio principal de Lake Forest e nove outros locais nas cidades de Anaheim, Corona, Huntington Beach, Irvine, Laguna Woods, Orange, San Clemente e Rancho Capistrano.
O presidente Obama escolheu Warren para dar uma oração em sua posse de 20 de janeiro de 2009, provocando uma reação irada de ativistas homossexuais que denunciaram o apoio público de Warren à Proposta 8, o referendo que limitava o casamento na Constituição da Califórnia a um homem e uma mulher.
Defendendo sua escolha, Obama notou na época que apesar de suas discordâncias com Warren em várias questões, o pastor o havia convidado a dar uma palestra na Conferência Global sobre AIDS e Igreja realizada na Igreja Saddleback em 2006. Alguns evangélicos na época fizeram objeções ao fato de que Obama, do esquerdista Partido Democrático e defensor do aborto, estivesse recebendo uma oportunidade de ocupar o púlpito de uma igreja que se opõe ao aborto. Na conferência de AIDS de 2007, a senadora [pró-aborto] Hillary Clinton deu uma palestra que foi calorosamente recebida, enquanto Obama estava entre vários candidatos que apresentaram via satélite massagens gravadas.  
Depois da conferência, Warren respondeu aos seus críticos evangélicos numa entrevista para WND publicada como uma série de três partes (em inglês): Part One. Part Two. Part Three.
Em agosto de 2008, Obama apareceu na igreja de Warren com o candidato presidencial John McCain, do Partido Republicano, para um debate em que cada candidato foi questionado pelo pastor por uma hora.
Em 2006, WND fez uma reportagem revelando que Warren havia provocado polêmica durante sua viajem à Síria quando ele descreveu as políticas da nação árabe como “moderadas”, ainda que os EUA tivessem colocado a Síria em sua lista de governos que patrocinam o terrorismo e perseguem cristãos e judeus.
Traduzido e adaptado por Julio Severo: www.juliosevero.com
Fonte: WND

Um comentário :

Anônimo disse...

Mas como "O Cara" é destaque por sua mega igreja e arrecadações dizimistas invejáveis, acaba por ser o Pop Star Gospel entre as igrejas, principalmente a maioria das pentecostais e neo-pentecostais. É esse o estilo adotado por, essas igrejas hoje em dia. Reverenciam não ao Senhor Jesus Cristo, mas a homens bem sucedidos na ludibriação como Warren. Nelas, ouve-se muito sobre Jesus, mas o coração está no sucesso, na transitoriedade do mundo, no dinheiro, em Mamom.
Essas se acham as sacrosantas, mas Deus olha fundo o coração.