8 de janeiro de 2011

Padre marxista da Bélgica confessa ter abusado de primo de 8 anos na agitada década de 1970

Padre marxista da Bélgica confessa ter abusado de primo de 8 anos na agitada década de 1970

BRUXELAS, Bélgica, 7 de janeiro de 2011 (Notícias Pró-Família) — Um celebrado sociólogo marxista, padre católico e “perito” ou assessor especialista no Concílio Vaticano II da Igreja Católica, confessou que havia “tocado de modo impróprio” em seu primo que tinha então oito anos em 1970.
O belga François Houtart, de 85 anos, é um padre de boa reputação na arquidiocese de Mechelen-Brussels. Ele vive agora no Equador. Ele disse para um entrevistador do jornal belga Le Soir no final do mês passado, “Enquanto eu estava passando pelo quarto de um dos meninos da família, cheguei mesmo a tocar o órgão sexual dele duas vezes. Isso o despertou e assustou. Obviamente esse foi um ato impensado e irresponsável”.
Houtart disse para Le Soir que ele se sentia “pessoalmente perturbado” com o incidente, “já que eu estava consciente da contradição que representava com minha fé cristã e minha função como padre”.
A irmã do menino, cujo nome não foi mencionado nos meios de comunicação, fez uma queixa na comissão de abuso sexual da arquidiocese, chamando o incidente de “estupro”.
Ela foi citada no relatório da comissão dizendo que o padre, ao qual ela não quis dizer o nome no relatório, era amigo do pai dela e havia visitado o lar deles mais ou menos em 1970. Ela disse que o padre entrou no quarto do irmão dela duas vezes “para estuprá-lo”.
“Antes da terceira vez, meu irmão foi e contou para seus pais, que ficaram com ele no quarto deles”, o relatório a cita dizendo.
A irmã da vítima disse que seu pai conversou com o padre sobre o incidente alguns dias depois e pediu que ele se desculpasse, mas o padre não quis, disse ela. A mulher testificou que o padre “disse para meu pai que não havia nada que fosse mais normal”.
Como resultado das alegações, Houtart agora se demitiu como presidente da agência de assistência ultra-esquerdista que ele havia fundado em 1976, o Centro Tricontinental (CETRI). Ele também pediu ao Fórum Social Mundial, que recentemente o indicou para receber o Prêmio Nobel da Paz, que retirasse o requerimento deles dirigido ao comitê do Nobel. O comitê disse que Houtart havia pedido que seu nome fosse retirado porque “sua idade e projetos pessoais não permitiriam que ele assumisse de forma plena o papel que se requer nessas circunstâncias”.
Bernard Duterme, diretor do CETRI, disse para o jornal que a irmã do menino abusado havia feito contato com ele mencionando o nome de Houtart como o padre no relatório dela. Houtart se demitiu da diretoria um mês depois.
“Logo que os fatos foram parcialmente confirmados por François Houtart, nós imediatamente pedimos que ele se demitisse”, Duterme disse.
Há décadas Houtart é uma das maiores celebridades da extrema esquerda na política internacional. Mas o que é de importância fundamental para a Igreja Católica, Houtart foi também um “perito” (isto é, um assessor técnico) do ultraliberal cardeal Suenens do Concílio Vaticano II. Como tal, o papel dele foi muito importante na elaboração do documento do Concílio “Gaudium et spes”, o documento sobre as relações da Igreja com o mundo moderno.
As revelações em andamento sobre as principais personalidades esquerdistas católicas da Bélgica estão abalando a confiança da famosa ala liberal da Igreja Católica na Europa.
O ex-líder da Igreja Católica na Bélgica, o Cardeal Godfried Danneels, que se aposentou como líder da arquidiocese de Bruxelas em abril do ano passado, confessou ter tentado suprimir o escândalo. Ele foi questionado em dezembro durante quatro horas por membros do Parlamento sobre seu envolvimento num acobertamento da verdade. Naquela época, ele sustentou que em mais que trinta anos ele só tinha visto sete casos de abuso sexual envolvendo padres.
Imediatamente depois que Danneels se aposentou, a Igreja Católica estabeleceu sua comissão que logo chegou a receber 475 queixas. No ano passado, a polícia belga confiscou os arquivos da comissão como parte de sua investigação que incluía extensos interrogatórios do cardeal.
Mais tarde foi mostrado ao público que muitos que haviam falado na comissão haviam durante anos feito queixas diretamente ao cardeal. Danneels havia insistido até então que ele não sabia absolutamente de nenhuma das alegações.
Danneels reinou durante trinta anos como o líder não somente da Igreja Católica da Bélgica, mas também na verdade como líder da ala da extrema esquerda da Igreja Católica da Europa.
Artigo relacionado:
Traduzido por Julio Severo: www.juliosevero.com
Copyright © LifeSiteNews.com. Este texto está sob a licença de Creative Commons Attribution-No Derivatives. Você pode republicar este artigo ou partes dele sem solicitar permissão, contanto que o conteúdo não seja alterado e seja claramente atribuído a “Notícias Pró-Família”. Qualquer site que publique textos completos ou grandes partes de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com em português tem a obrigação adicional de incluir um link ativo para “NoticiasProFamilia.blogspot.com”. O link não é exigido para citações. A republicação de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com que são originários de outras fontes está sujeita às condições dessas fontes.

4 comentários :

Anônimo disse...

Essa notícia também foi noticiadad no belíssimo sitio católico tradicinal Rorate Caeli: http://rorate-caeli.blogspot.com/search/label/Belgian%20collapse

Eu particulamente gostei dos comentários dos católicos tradicionais (dos quais muito me indentifico) mostrando auilo que todos os católicos verdadeiros deveriam saber:

OS CRIMES DE PEDÓFILIA DENTRO DA SANTA IGREJA ESTÁ VINDO DOS MODERNISTAS INFILTRADOS NELAS.

Marcos

Anônimo disse...

Mas Julio, você poderia também mostrar essa foto que é muito reveladora ao mostrar como o Concílio Vaticano II foi formado por essas pessoas:

http://www.montfort.org.br/index.php?secao=cartas&subsecao=doutrina&artigo=20051221112932&lang=bra


Marcos

Anônimo disse...

Houtart! Esse nome não me é estranho!

Se não me engano, as obras deste esquerdista estão traduzidas para o português e atolam as prateleiras das faculdades públicas do Brasil.

Veneno marxista, cuidado!

Aprendiz disse...

Marxistas são mentirosos e abusadores. Esquerdismo é um defeito de caráter.