19 de janeiro de 2011

Marta Suplicy quer ser relatora do PLC 122

Marta Suplicy quer ser relatora do PLC 122

Projeto anti-“homofobia” foi arquivado no Senado, mas Suplicy quer ressuscitá-lo

Julio Severo
O arquivamento do PLC 122 no final de 2010 não me passou despercebido, mas conhecendo o PT, eu achei que era cedo demais para comemorar. Mesmo derrotada na eleição, a ex-senadora Fátima Cleide está lutando para tirar da gaveta o projeto que colocará o Brasil no mesmo nível de países em que leis anti-“homofobia” estão sendo usadas para perseguir os cristãos.
Marta Suplicy
A senadora Marta Suplicy, denunciada em meu livro “O Movimento Homossexual” (publicado pela Editora Betânia em 1998) como a “rainha do movimento gay”, quer ser a relatora do PLC 122, no lugar da derrotada Fátima Cleide. Mas Suplicy terá de colher determinado número de assinaturas de senadores para desengavetar o projeto do PT.
Para ajudá-la, militantes do PT e do movimento homossexual estão preparando um documento público para entregar aos senadores.
Redes de televisão que recebem gordas propagandas de empresas estatais como a Petrobras estarão também dando sua contribuição para a campanha do PT em favor do PLC 122. Aliás, o Canal Notícias R7, do Bispo Edir Macedo e também favorecido por caras propagandas estatais, comenta: ‘O projeto de lei tenta conter o avanço dos crimes cometidos contra homossexuais. De acordo com levantamento do GGB (Grupo Gay da Bahia), 205 gays foram assassinados no Brasil só em 2010. Em 2009, foram 198, 11 a mais que em 2008’”.
O GGB é o grupo fundado por Luiz Mott, acusado de defender a pedofilia. Aliás, já são vários ativistas gays defendendo a pedofilia, mas nem PT, nem Bispo Macedo nem ninguém levanta a voz para denunciar. Veja os casos:
Os homens que praticam atos homossexuais vivem um estilo de vida de risco, se prostituindo às altas horas das madrugadas em locais perigosos, e depois ainda querem transformar pacíficos cristãos, que nada têm a ver com sua imoralidade, em culpados pelas suas escolhas imprudentes.
Nós cristãos somos tão misericordiosos e passivos que não nos importamos de sermos feitos sistematicamente de bodes expiatórios. Daí, é fácil para os ativistas gays despejarem caminhões de lixo de acusações falsas em nós. É com essas acusações, estatísticas e informações mentirosas que insanas leis são aprovadas.
As leis pró-homossexualismo na Inglaterra, aprovadas na base da mesma “honestidade”, hoje estão trazendo perseguição — somente para os cristãos. Mas os militantes gays não têm tanta sorte quando lidam com muçulmanos. Quando o ativista homossexual Peter Tatchell e um grupo de militantes gays tentaram protestar num comício de 6 mil militantes islâmicos na Inglaterra, a reação foi imediata: os muçulmanos os ameaçaram de morte. Em seguida, a polícia veio e prendeu — não os que ameaçaram os homossexuais. A polícia prendeu somente os homossexuais que perturbaram o comício islâmico!
Mesmo com leis anti-“homofobia” na Inglaterra, os muçulmanos estão tranquilos. Só os cristãos estão em apuros.

9 comentários :

Anônimo disse...

Depois de muito relaxar e gozar, a ptralha ressuscita para mais uma rodada pornográfica. Esse é o estilo PTralha de governar: o relaxar e gozar, herança maldita Lulista.

Cristão desanimado disse...

Prezado Júlio Severo:

É inegavel que os ativistas gays estão avançando para a implantação de uma ditadura gay. Se dissermos um pio, somos linchados. Na questão homossexual, nós, cristãos, somos sempre culpados, mesmo quando provamos nossa inocência. Para os muçulmanos, eles sempre são inocentes, mesmo quando dizem que querem matar homossexuais.

Qual é o nosso futuro? Qual é o futro do Brasil?

Só os muçulmanos estão conseguindo demonstrar força e resistência contra o tsunami homossexual. Os homossexuais e os governos a favor do homossexualismo não os incomodam, pois sabem que tem consequências.

Veja o seu caso. Você teve que sair do país, porque os ativistas gays e o Ministério Público Federal têm ações contra você. Mas lhe garanto que se os ativistas gays tentassem fazer contra um muçulmano apenas dez por cento do que fizeram contra você, haveria REAÇÃO e CONSEQUÊNCIAS!

Os líderes muçulmanos defendem os muçulmanos que defendem seus valores.

Mas os líderes cristãos que deveriam estar defendendo você, onde estão? A maioria dos líderes evangélicos está com o próprio governo que está nos impondo a ditadura gay. Enquanto você está aí Deus sabe onde passando suas necessidades e sofrimentos, nossos líderes evangélicos estão nos vendendo e entregando nosso futuro!
Enquanto você mal tem recursos, esses líderes têm aviõezinhos e a amizade do PT.

Eu não quero a amizade do PT, mas também não quero ser um cristão condenado à perseguição por parte do PT só porque os líderes evangélicos nos venderam. Não quero ser tratado como criminoso só porque creio que os atos homossexuais são imorais.
Qual é nosso futuro?

Vejo que o único modo religioso de eu estar protegido no futuro é me tornando muçulmano. Ser muçulmano parece proteção garantida contra a insanidade gay que está tomando conta do Brasil.

Deus tenha misericórdia de mim e de todos nós!!

Anônimo disse...

Ainda que tenha perseguição dos gay ou muçulmanos vale apena defender nossa posição como cristão! Pois Cristo em breve voltará e devemos lembrar do maravilho presente que Deus no deu a Salvação e desfrutá-la Eternamente.

aisha disse...

Para "cristão desanimado":
Muçulmano isso, muçulmano aquilo... ai... vocês deveriam conhecer mais sobre certos assuntos antes de sair por aí falando besteira. Os homossexuais vêm a cada dia ganhando espaço nos países islâmicos, principalmente no Líbano. Todos os anos ocorre a parada do orgulho gay em Istambul (Turquia) e ninguém vai lá tacar pedras ou impedir a parada. No Líbano gays já podem namorar e frequentar locais públicos. Na India, a homossexualidade foi descriminalizada em 2009 e olha que lá eles eram penalizados com a morte. No Marrocos foi lançado a primeira revista gay do mundo árabe.
Muçulmanos não são monstros e sabemos respeitar a diversidade. Islã é tolerância e amor. O que muitos radicais fundamentalistas e líderes políticos/religiosos fazem pouco tem a ver com o verdadeiro islã. É como culpar todos os cristãos pelos erros de alguns. Paz!

Anônimo disse...

Onde, aisha, que o islamismo é tolerância e amor? Só se for na sua fantasia das mil e uma noites. Ñ nos venha com essa, pois se gays são tolerados em países islâmicos só mesmo nesses dois que mencionou por suas proximidades com a cultura ocidental e olhe lá. O resto é tortura ou morte com certeza.
Israel por acaso é tolerado pelos muçulmanos? Onde, e em que país islâmico cristãos são tolerados por exercer sua fé em público como os muçulmanos têm no Ocidente?
Que tolerância que nada! Islamismo só é tolerante onde ele é impotente ou quer dar o golpe do conto da carochinha de que é religião da paz. Paz é só com Cristo.

*Aisha* disse...

Caro anônimo, falar de homossexualidade no islamismo é um assunto que ainda causa polêmica e nos mostra um tabu a ser derrubado. Em alguns países como o Irã, por exemplo, a homossexualidade é crime e pode levar uma pessoa a morte, mas as punições que ocorrem lá pouco tem a ver com o Islã, pois lá a homossexualidade já era condenada antes mesmo da Revolução Islâmica de 1979. O Irã, por exemplo, só se tornou um país muçulmano após um golpe que ocorreu em 1979, fundando assim, a República Islâmica do Irã. Antes de 1979 a religião predominante era o Zoroastrismo e a homossexualidade já era condenada nessa época e os gays já eram punidos. Ou seja, quando o Irã se tornou islâmico ele apenas incorporou práticas que já aconteciam antigamente. O mesmo acontece em alguns países muçulmanos onde as mulheres são circuncidadas. A circuncisão feminina não tem nada a ver com o Islamismo pois ela já era praticada há milhares de anos antes do Islã surgir. No Antigo Egito as mulheres tinham parte da vagina arrancada, isso era um ritual para os deuses. Quando o Islã surgiu no Egito há alguns séculos atrás essa prática continuou sendo feita, e ainda continua sendo feita. É uma prática tribal e não tem nada a ver com o Islã. O mesmo acontece com os homossexuais. Os países islâmicos que hoje condenam a homossexualidade, já condenavam antes mesmo do Islã surgir.

*Aisha* disse...

...continuando.
Em muitos países cristãos homossexuais são punidos com a morte sim. Já ouviu falar do recente caso da Uganda??? O cristianismo ensina que os homossexuais devem ser punidos com a morte???
Em muitos países cristão africanos as meninas quando nascem têm a genitália toda deformada. O cristianismo ensina isso??? Onde está escrito na Bíblia???
São práticas tribais antigas que o cristianismo não conseguiu retirar desses países. São costumes antigos que ainda permanecem.

Peruibense rebelde disse...

"O Irã, por exemplo, só se tornou um país muçulmano após um golpe que ocorreu em 1979, fundando assim, a República Islâmica do Irã. Antes de 1979 a religião predominante era o Zoroastrismo e a homossexualidade já era condenada nessa época e os gays já eram punidos."

Aisha, leva a mal não, mas o Irã é uma nação muçulmana desde a conquista árabe, ocorrida entre o ano 641 e 651 da era cristã. O Zoroastrismo se tornou minoritário SÉCULOS ATRÁS.

Julio Severo disse...

Prezada “aisha” anônima

Uganda é um exemplo excepcionalíssimo. Mesmo assim, são condenados à morte homossexuais ugandenses que taram meninos ou passam o HIV para outros. Não é uma pena de morte imposta a qualquer homem que pratica o homossexualismo. No Irã, o homossexual é morto apenas por ser homossexual. A regra, nos principais países islâmicos, é a penalização pesada do homossexualismo, inclusive de morte. Não dá para dizer que há uma regra em países cristãos, pois o que chamávamos de países cristãos hoje são apenas países pós-cristãos. Inglaterra, EUA, Canadá, Escandinavia e outros lugares anteriormente cristãos hoje não mais o são. Mesmo assim, mantêm uma forma de liberdade religiosa e de expressão que agora, com a falta de suas bases cristãs, está se corrompendo. E você sabe que tanto militantes homossexuais quanto militantes islâmicos estão se aproveitando dessa corrupção dos países pós-cristãos.