28 de fevereiro de 2010

Ironia: Família Duggar, que tem 19 filhos, aluga casa que pertenceu à líder de Federação de Planejamento Familiar*

Kathleen Gilbert
LITTLE ROCK, Arkansas, EUA, 8 de fevereiro de 2010 (Notícias Pró-Família) — Jim Bob e Michelle Duggar, pais que são estrelas de um programa de TV e que recentemente viraram manchete depois do nascimento de seu décimo nono bebê, estão agora alugando uma casa que outrora pertenceu a uma mulher que era promotora da purificação racial e fundadora da Federação de Planejamento Familiar de Little Rock, Ark., noticiou o jornal Examiner.
“É cômico que a casa que estamos alugando realmente pertenceu a uma senhora que começou a primeira clínica da Federação de Planejamento Familiar* em Little Rock. Existe até uma placa no quintal da frente”, Jim Bob disse para o serviço noticioso numa entrevista telefônica.
Ele disse que a maioria dos filhos, com a exceção de Josh e John Duggar, vivem juntos na casa.
Os Duggars são as estrelas do programa de televisão “19 Kids and Counting” (19 Filhos e Contando) — antes “18 Kids and Counting” e “17 Kids and Counting” — que acompanha a vida diária da família batista conservadora.
A família se mudou para a casa em Little Rock para ficar mais perto da Universidade de Arkansas para a Ciência Médica, onde Josie, sua filha que nasceu de uma gestação de 25 semanas em 10 de dezembro, continua a ser monitorada.
A blogueira pró-vida Jill Stanek identificou a líder da Federação de Planejamento Familiar* como Brunhilde Kahlert Cornish, a principal promotora de controle da natalidade e purificação racial em Arkansas na virada do século. Amiga da especialista em purificação racial Margaret Sanger, que fundou a Federação de Planejamento Familiar* dos EUA, Cornish fundou a Associação de Purificação Racial de Arkansas, que mudou seu nome para Associação de Planejamento Familiar* de Arkansas em 1942.
* A Federação de Planejamento Familiar dos EUA é a maior entidade de aborto, planejamento familiar e educação sexual hoje nos EUA.
Veja a cobertura relacionada de LifeSiteNews.com:
Duggar’s 19th Child Born Prematurely
http://www.lifesitenews.com/ldn/2009/dec/09121504.html
Family Attacked for Too Many Children: "Thrilled" to be Preparing for Baby Number 19
Traduzido por Julio Severo: www.juliosevero.com
Veja também este artigo original em inglês: http://www.lifesitenews.com/ldn/2010/feb/10020812.html
Copyright © LifeSiteNews.com. Este texto está sob a licença de Creative Commons Attribution-No Derivatives. Você pode republicar este artigo ou partes dele sem solicitar permissão, contanto que o conteúdo não seja alterado e seja claramente atribuído a “Notícias Pró-Família”. Qualquer site que publique textos completos ou grandes partes de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com em português tem a obrigação adicional de incluir um link ativo para “NoticiasProFamilia.blogspot.com”. O link não é exigido para citações. A republicação de artigos de Notícias Pró-Família o LifeSiteNews.com que são originários de outras fontes está sujeita às condições dessas fontes.

Pacientes “vegetativos” podem ter consciência

Pacientes “vegetativos” podem ter consciência

Hilary White
3 de fevereiro de 2010 (Notícias Pró-Família) — Um novo estudo revelou que pacientes julgados estarem em estado “vegetativo” ainda têm função cerebral e podem até mesmo se comunicar em alguns casos. Publicado na Revista de Medicina da Nova Inglaterra, o estudo examinou 54 pacientes com “desordens de consciência” e avaliou sua “capacidade de gerar reações deliberadas” durante duas “tarefas estabelecidas de imagens mentais”.
Cinco dos pacientes puderam “deliberadamente modular” sua atividade cerebral e três desses exibiram “algum sinal de consciência”. Um dos cinco pôde comunicar respostas de sim ou não a perguntas simples.
Esses resultados, disseram os pesquisadores, indicaram que alguns pacientes diagnosticados como vegetativos podem ter alguma medida de “consciência preservada”.
Os pesquisadores concluíram “que uma pequena proporção de pacientes em estado vegetativo ou minimamente conscientes tem atividade cerebral que reflete alguma consciência e percepção”.
“Cuidadoso exame clínico resultará em reclassificação do estado de consciência em alguns desses pacientes. Essa técnica poderá ser útil para estabelecer comunicação básica com pacientes que parecem não reagir”.
A pesquisa, dirigida pelo Dr. Martin M. Monti, da Unidade de Ciência Cerebral e Cognitiva do Conselho de Pesquisa Médica em Cambridge, Inglaterra, também alertou sobre os elevados índices de diagnósticos errados, até 40 por cento, em casos de pacientes em “estado minimamente consciente”.
O relatório observou que “reação intencional a estímulos” é crucial na hora de avaliar pacientes em “estado vegetativo” e tem “implicações para subseqüente assistência e reabilitação, bem como para tomada de decisões legais é éticas”. Em jurisdições que permitem a remoção de órgãos de pacientes julgados com “morte cerebral”, tal tomada de decisão é uma questão de vida e morte.
“Ficamos perplexos quando aconteceu isso”, Monti disse para o jornal The New York Times. “Acho literalmente estupendo. Esse era um paciente que críamos estava em estado vegetativo havia cinco anos”.
Bobby Schindler, irmão de Terri Schiavo, que morreu depois que a sonda de alimentação dela foi removida sob ordens de seu marido, respondeu às descobertas do estudo, dizendo que ele desejava que tal tecnologia estivesse disponível para sua irmã.
“É perturbante para mim quando vejo esse tipo de pesquisa”, Schindler disse. “Estávamos tentando conseguir esses tipos de testes para Terri, mas o tribunal não nos permitiu realizá-los”.
O caso de Schiavo iniciou uma tormenta de publicidade entre 1998 e 2005. No fim, os tribunais ficaram do lado dos médicos que testificaram que Schiavo estava em persistente estado vegetativo, sem esperança de recuperação — embora os médicos que os Schindlers tivessem trazido para o tribunal dissessem que havia chance de recuperação.
Traduzido por Julio Severo: www.juliosevero.com
Veja também este artigo original em inglês: http://www.lifesite.net/ldn/viewonsite.html?articleid=10020403
Copyright © LifeSiteNews.com. Este texto está sob a licença de Creative Commons Attribution-No Derivatives. Você pode republicar este artigo ou partes dele sem solicitar permissão, contanto que o conteúdo não seja alterado e seja claramente atribuído a “Notícias Pró-Família”. Qualquer site que publique textos completos ou grandes partes de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com em português tem a obrigação adicional de incluir um link ativo para “NoticiasProFamilia.blogspot.com”. O link não é exigido para citações. A republicação de artigos de Notícias Pró-Família o LifeSiteNews.com que são originários de outras fontes está sujeita às condições dessas fontes.

27 de fevereiro de 2010

Polícia expulsa manifestantes pró-vida em frente da Conferência de “Direitos Humanos” da União Européia

Polícia expulsa manifestantes pró-vida em frente da Conferência de “Direitos Humanos” da União Européia

Matthew Cullinan Hoffman
MADRI, Espanha, 3 de fevereiro de 2010 (Notícias Pró-Família) — A polícia expulsou quinze manifestantes pró-vida que estavam pacificamente protestando contra uma conferência de “direitos humanos” da União Européia ontem no Museu Reina Sofia na capital espanhola.
Os manifestantes, que levavam placas mostrando imagens de bebês de 13 semanas de gestação com a pergunta “E quanto aos meus direitos?”, foram forçados a apresentar documentos de identidade e a deixar a área, apesar de estarem dentro de seus direitos legais, de acordo com o site pró-vida espanhol HazteOir (Faça-te ouvir).
HazteOir e outros meios de comunicação noticiaram que trinta policiais foram enviados para reunir, identificar e expulsar os manifestantes, que estavam simplesmente em pé, de forma silenciosa, em frente do museu, apesar do fato de que estavam obviamente dentro de seus direitos fazerem a demonstração.
Ignacio Arsuaga, presidente de HazteOir, denunciou o “tratamento político humilhante dado a um grupo de pessoas pacíficas, só pelo fato de mostrarem para os ministros europeus como Rodriguez Zapatero trata o direito à vida na Espanha”.
O presidente Zapatero da Espanha deu seu apoio à aprovação de legislação para permitir o aborto legal durante as primeiras 14 semanas na Espanha.
“A intimidação e nervosismo do governo não amedrontará a maioria dos espanhóis que se opõem à lei do aborto”, disse Asuaga. “Zapatero precisa se acostumar a protestos como o protesto de 7 de março próximo, pois essa lei injusta será sua queda política”.
Os manifestantes incluíam membros da organização “Direito à Vida”, que é subsidiária de HazteOir e de Médicos pela Vida da Espanha.
HazteOir diz que está investigando a legalidade da ação.
Traduzido por Julio Severo: www.juliosevero.com
Veja também este artigo original em inglês: http://www.lifesite.net/ldn/viewonsite.html?articleid=10020307

26 de fevereiro de 2010

Ação judicial desafia constitucionalidade da lei federal de crimes de ódio

Ação judicial desafia constitucionalidade da lei federal de crimes de ódio

Peter J. Smith
ANN ARBOR, Michigan, EUA, 3 de fevereiro de 2010 (Notícias Pró-Família) — Uma ação judicial federal foi iniciada em tribunal regional federal desafiando a constitucionalidade da nova legislação federal de crimes de ódio. A ação foi feita em favor de vários pastores evangélicos e uma organização pró-família, que declaram que a lei enfraquecerá seu direito de falar livremente contra a homossexualidade.
O Centro Legal Thomas More (CLTM), uma organização legal nacional de interesse público com sede em Ann Arbor, Michigan, entrou com uma ação judicial no tribunal regional federal do distrito leste de Michigan desafiando a lei de crimes de ódio e nomeando o Procurador Geral de Justiça dos EUA, Eric Holder, como acusado.
A “Lei de Prevenção a Crimes de Ódio Matthew Shepard e James Byrd, Jr.” permite que promotores federais introduzam acusações especiais em casos de crimes em que se acha que o perpetrador foi motivado pela real ou percebida “orientação sexual” ou “identidade de gênero” da vítima.
“Essa nova lei federal promove conceitos orwellianos”, disse Robert Muise, jurista sênior de julgamentos do CLTM encarregado do caso. “Essa lei cria uma classe especial de pessoas que são ‘mais iguais do que as outras’ com base em nada mais do que conduta sexual pervertida. E cria ‘crimes de pensamento’ criminalizando certas idéias, convicções e opiniões, e o envolvimento de tais idéias, convicções e opiniões num crime o tornará merecedor de instauração de processos federais.
“Conseqüentemente, as autoridades governamentais estão invocando o poder de decidir quais pensamentos são criminosos sob a lei federal e quais não são”.
O CLTM entrou com a ação legal em favor do Pastor Levon Yuille, Pastor Rene Ouellette, Pastor James Combs, e Gary Glenn, presidente da Associação da Família Americana de Michigan (AFA-Michigan). Os demandantes dizem que a legislação terá efeito intimidatório em seus ministérios e outros cristãos que expressam proibições baseadas na Bíblia contra o estilo de vida homossexual.
Seus advogados argumentam que esse temor não é infundado: um estatuto criminal federal declara que qualquer pessoa que “auxiliar, incitar, aconselhar, mandar, induzir ou buscar” a perpetração de um crime sob a lei estará tão sujeito a processos quanto o real perpetrador. Por isso, dizem eles, os pastores poderão acabar sendo acusados de cúmplices de crimes de ódio, se os promotores julgarem que eles tiveram influência num indivíduo acusado de tal crime.
Além disso, alguns militantes homossexuais parecem estar esperando tal aplicação: Jeff Montgomery, ex-diretor executivo da Fundação Triângulo, que é pró-homossexualismo, disse para o jornal Saginaw News em abril de 2005 que os líderes cristãos que se expressaram contra a homossexualidade “têm de prestar contas como cúmplices desses crimes de ódio”.
“Muitas vezes, é a retórica deles que levou os perpetradores a crer que seus crimes são certos”, disse Montgomery. “Se um criminoso pega uma arma emprestada e então a usa para matar alguém, a lei considera o dono da arma como cúmplice do crime. Assim também é o caso de pessoas que são donas de palavras que incitam à violência”.
Os críticos também desafiaram a premissa da legislação, que dizem eles é supérflua para a instauração de crimes violentos.
“Não há nenhuma necessidade legítima da aplicação legal dessa lei federal”, declarou Richard Thompson, presidente e jurista chefe do CLTM. “Dos 1.38 milhões de crimes violentos registrados nos EUA pelo FBI em 2008, só 243 foram considerados como motivados pela orientação sexual da vítima”.
“O único propósito dessa lei é criminalizar a Bíblia e usar a ameaça de instauração de processos federais e longas sentenças de cadeia para silenciar os cristãos por expressarem suas convicções religiosas com base na Bíblia de que a conduta homossexual é pecado”, disse Thompson.
Os juristas do CLTM, como a Comissão de Direitos Civis dos EUA, também objetam que a lei injustamente exporá indivíduos inocentados de crimes de ódio em seus estados a um segundo julgamento por promotores federais.
Leia aqui a ação judicial do CLTM apresentada no tribunal regional federal do distrito leste de Michigan.
Traduzido por Julio Severo: www.juliosevero.com
Veja também este artigo original em inglês: http://www.lifesitenews.com/ldn/2010/feb/10020313.html
Copyright © LifeSiteNews.com. Este texto está sob a licença de Creative Commons Attribution-No Derivatives. Você pode republicar este artigo ou partes dele sem solicitar permissão, contanto que o conteúdo não seja alterado e seja claramente atribuído a “Notícias Pró-Família”. Qualquer site que publique textos completos ou grandes partes de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com em português tem a obrigação adicional de incluir um link ativo para “NoticiasProFamilia.blogspot.com”. O link não é exigido para citações. A republicação de artigos de Notícias Pró-Família o LifeSiteNews.com que são originários de outras fontes está sujeita às condições dessas fontes.

25 de fevereiro de 2010

Lech Walesa: O mundo “perdeu a esperança” da liderança moral dos Estados Unidos

Lech Walesa: O mundo “perdeu a esperança” da liderança moral dos Estados Unidos

Alerta que os EUA estão andando na direção do socialismo

Kathleen Gilbert
CHICAGO, Illinois, EUA, 5 de fevereiro de 2010 (Notícias Pró-Família) — Lech Walesa, ganhador do Prêmio Nobel da Paz e ex-presidente da Polônia, alertou que o mundo “perdeu a esperança” que outrora tinha nos EUA como líder moral.
Walesa foi co-fundador do Solidarnoœæ (Solidariedade), o primeiro sindicato independente de trabalhadores do bloco soviético, que liderou a revolta não violenta que derrubou o regime comunista da Polônia na década de 1980 e deu um dos golpes que acabaram com a Cortina de Ferro.
O ícone anticomunista deu seus breves comentários sobre os EUA durante um comício de Chicago em 29 de janeiro endossando Adam Andrzejewski nas eleições preliminares do Partido Republicano para governador de Illinois.
“Os Estados Unidos são a única superpotência. Hoje eles lideram o mundo. Ninguém tem dúvidas disso — militarmente”, disse Walesa por meio de um tradutor. “Eles também lideram economicamente, mas estão ficando fracos.
“Eles não mais lideram moral e politicamente. O mundo está sem liderança”, continuou ele. “Os Estados Unidos sempre foram o último recurso e esperança para todas as outras nações.
“Havia a esperança, toda vez que algo saía errado, de que poderíamos contar com os Estados Unidos. Hoje, perdemos essa esperança”.
Um milhão dos residentes de Chicago são descendentes de poloneses, tornando-a a cidade com a maior população polonesa fora de Varsóvia, Polônia. Mas CNSNews.com dá a notícia de que a visita de Walesa não recebeu quase nenhuma cobertura dos meios de comunicação de Chicago, a cidade natal do presidente Obama.
Numa entrevista ao FoundingBloggers.com, Walesa acrescentou que “o mundo hoje precisa de alguma ordem, valores. O mundo precisa de solidariedade, a nova solidariedade”.
O Pe. Thomas Euteneuer, presidente de Human Life International (HLI), disse que Walesa “reiterou com autoridade muito maior algo que HLI diz em todos os continentes”.
“Os líderes dos Estados Unidos têm desperdiçado a condição moral exclusiva de nosso país, e conforme reconhece o Sr. Walesa, o mundo está em situação pior por causa disso”, Euteneuer disse para LifeSiteNews.com (LSN) nesta semana. “Não é que os EUA não conseguirão voltar à sua posição de grandeza, mas levará algum sério exame da própria consciência e conversão de práticas odiosas como o aborto.
“Oro para que nosso país veja que caiu fundo e eleja líderes que restaurem nossa autoridade moral de novo”.
Traduzido por Julio Severo: www.juliosevero.com
Veja também este artigo original em inglês: http://www.lifesitenews.com/ldn/2010/feb/10020506.html
Copyright © LifeSiteNews.com. Este texto está sob a licença de Creative Commons Attribution-No Derivatives. Você pode republicar este artigo ou partes dele sem solicitar permissão, contanto que o conteúdo não seja alterado e seja claramente atribuído a “Notícias Pró-Família”. Qualquer site que publique textos completos ou grandes partes de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com em português tem a obrigação adicional de incluir um link ativo para “NoticiasProFamilia.blogspot.com”. O link não é exigido para citações. A republicação de artigos de Notícias Pró-Família o LifeSiteNews.com que são originários de outras fontes está sujeita às condições dessas fontes.

24 de fevereiro de 2010

Incidente de cruz no espaço satânico da Academia da Força Aérea

Incidente de cruz no espaço satânico da Academia da Força Aérea

Peter J. Smith
COLORADO SPRINGS, Colorado, EUA, 4 de fevereiro de 2010 (Notícias Pró-Família) — A Academia da Força Aérea dos Estados Unidos em Colorado Springs estabeleceu um círculo pagão nas matas de seu campus com planos de dedicá-lo oficialmente em março. Contudo, o local gerou nova polêmica, pois os membros da Força Aérea revelaram que uma grande cruz de madeira foi encontrada no local, e alguns estão chamando a colocação da cruz como “crime de ódio”.
A população de pretensos pagãos é uma percentagem minúscula dos 4.000 cadetes da Academia. O sargento Brandon Longcrier disse para a Associated Press que ele tem de oito a dez cadetes que regularmente freqüentam as reuniões de segunda-feira, dos quais seis ou sete ele descreve como pagãos devotos. Um número adicional de 15 a 20 ele descreveu como interessados.
Embora os neo-pagãos afirmem ter uma conexão com as antigas religiões pagãs que outrora dominavam a Europa antes do surgimento do Cristianismo, seu reavivamento só começou no século XX, principalmente na época depois da 2ª Guerra Mundial. A Wicca — a religião da bruxaria moderna — decolou na Inglaterra na década de 1950 depois da revogação das leis contra a feitiçaria, antes de se propagar para outras partes do mundo de língua inglesa. Organizações neo-druidas também começaram a aparecer ao mesmo tempo em que as convulsões culturais da revolução sexual estavam ocorrendo no mundo ocidental
A Academia da Força Aérea defendeu sua política de abrir espaço para a bruxaria em seu campus como expressão de seu compromisso para com a liberdade de religião dos cadetes. No entanto, os críticos respondem que a medida representa mais uma rejeição da herança judaico-cristã dos Estados Unidos, e faz pouco sentido, considerando que os números dos reais neo-pagãos na Academia são minúsculos comparados com outros seguidores de religiões não cristãs, tais como o islamismo.
Mas o fato de que uma grande cruz de madeira foi colocada anonimamente no círculo neo-pagão varias semanas atrás provocou tumulto na Academia. O local pagão exibe dois círculos concêntricos de grandes pedras que foram instaladas num monte arborizado dentro do campus. O círculo está com data marcada de inauguração para 10 de março.
As autoridades da Academia da Força Aérea — que ainda não sabem quem colocou o símbolo cristão no local pagão — condenaram o ato, e estão investigando a questão como “crime de ódio”.
“Considero isso igual ao caso de alguém que fez pichações na Capela dos Cadetes”, disse em declaração preparada o superintendente da Academia, o tenente general Mike Gould.
Mikey Weinstein, fundador da Fundação de Liberdade Religiosa Militar e formado na Academia em 1977, foi o primeiro a divulgar o caso, dizendo que um de seus clientes havia encontrado a cruz feita de travessas de ferrovia no local. Ele comparou a presença da cruz no círculo pagão como o equivalente de uma suástica num centro judaico.
Mas Bill Donahue, presidente da Liga Católica, denunciou a reação das autoridades da Academia como “estereotipada” e declarou que eles estão indo longe demais ao tratar o incidente como “discurso de ódio”. Donahue declarou que se ele achasse outro símbolo religioso colocado num lugar católico, ele se queixaria. Entretanto, a comparação de Gould de que uma “cruz num lugar pagão equivale à pichação de uma igreja” lhe pareceu ofensiva, pois o superintendente da Academia “não viu diferença entre neutralizar um símbolo religioso e destruir propriedade religiosa”.
“Isso é mais do que destrutivo — é um brutal insulto para católicos e evangélicos”, disse o líder católico de direitos civis. Em vez de seguidores da Wicca e outros neo-pagãos sofrendo perseguição na Academia, Donahue disse que um relatório da Academia em 2005 revelou que os católicos e evangélicos é que estão se queixando oficialmente de sofrer intolerância religiosa.
“Esses comentários aumentam a atmosfera assustadora que católicos e evangélicos são obrigados a agüentar”, disse Donahue. Ele acrescentou que vai levar a questão aos membros da comissão das forças armadas da Câmara dos Deputados e do Senado, tal qual fez em 2005.
“Precisamos saber o motivo por que a hipersensibilidade aos não cristãos se transformou em insensibilidade para com os cristãos”.
Traduzido por Julio Severo: www.juliosevero.com
Veja também este artigo original em inglês: http://www.lifesitenews.com/ldn/2010/feb/10020411.html
Copyright © LifeSiteNews.com. Este texto está sob a licença de Creative Commons Attribution-No Derivatives. Você pode republicar este artigo ou partes dele sem solicitar permissão, contanto que o conteúdo não seja alterado e seja claramente atribuído a “Notícias Pró-Família”. Qualquer site que publique textos completos ou grandes partes de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com em português tem a obrigação adicional de incluir um link ativo para “NoticiasProFamilia.blogspot.com”. O link não é exigido para citações. A republicação de artigos de Notícias Pró-Família o LifeSiteNews.com que são originários de outras fontes está sujeita às condições dessas fontes.

23 de fevereiro de 2010

Estudo diz que 56% dos jovens num novo relacionamento sexual estão infectados com o HPV

Estudo diz que 56% dos jovens num novo relacionamento sexual estão infectados com o HPV

John-Henry Westen
MONTREAL, Canadá, 3 de fevereiro de 2010 (Notícias Pró-Família) —  Se já houve uma razão para os pais avisarem seus filhos adolescentes a evitar encontros sexuais antes do casamento, um estudo a descobriu. O estudo pioneiro de casais revelou que mais da metade (56 por cento) dos jovens num novo relacionamento sexual estavam infectados com a doença sexualmente transmissível HPV — o vírus do papiloma humano.
O HPV, um vírus contra o qual a camisinha não dá proteção, é a principal causa de câncer do colo do útero. Dos que estão infectados com o HPV, aproximadamente metade (44 por cento) estavam infectados com um tipo de HPV que provoca câncer.
O estudo, dirigido pelo Professor Eduardo Franco, diretor da Unidade de Epidemiologia e Câncer da Universidade de McGill, em colaboração com uma equipe de colegas da Universidade de McGill e do Centro Hospitalar da Universidade de Montreal, é o primeiro estudo de grande escala de infecção do HPV entre casais no começo de seus relacionamentos sexuais, quando a transmissão é mais provável.
Os resultados, publicados nas edições de janeiro de 2010 da revista de Epidemiologia e Doenças Sexualmente Transmissíveis, também indicam que há elevada probabilidade de transmissão do HPV entre parceiros. Quando um parceiro tinha o HPV, os pesquisadores observaram que em 42 por cento dos casais, o outro parceiro também tinha a infecção.
Além disso, os pesquisadores descobriram que a presença do HPV num parceiro é o fator que mais prognostica a descoberta do mesmo tipo de HPV no outro parceiro. Se um parceiro estava infectado com o HPV, a chance de o outro também estar infectado com o mesmo tipo de HPV aumentava para mais de 50 vezes.
Além do câncer de colo de útero, o HPV provoca outros cânceres, inclusive o de vulva, vagina, ânus e pênis. Embora os vírus do HPV sejam muito comuns — mais de 70 por cento das mulheres e dos homens terão esse tipo de infecção em algum ponto — a vasta maioria das infecções são assintomáticas e duram não mais que um ou dois anos. Muito embora menos de 1 por cento das mulheres que têm o HPV contrairão câncer do colo do útero, os números permanecem alarmantes.
Embora a abstinência antes do casamento seja o único modo seguro de evitar infecções, as empresas farmacêuticas desenvolveram uma polêmica vacina contra o HPV que vem sendo fortemente promovida pelos governos. A vacina — Gardasil — foi desenvolvida apressadamente e está cheia de relatórios de riscos de saúde, e está associada a várias mortes.
Uma organização defensora dos direitos dos cidadãos chamada Judicial Watch obteve informações sobre a Gardasil a partir de pedidos de Liberdade de Informação em 2007 e 2008, descobrindo um total de 47 mortes e milhares de efeitos colaterais graves ligados à vacina.
Traduzido por Julio Severo: www.juliosevero.com
Veja também este artigo original em inglês: http://www.lifesitenews.com/ldn/2010/feb/10020310.html
Copyright © LifeSiteNews.com. Este texto está sob a licença de Creative Commons Attribution-No Derivatives. Você pode republicar este artigo ou partes dele sem solicitar permissão, contanto que o conteúdo não seja alterado e seja claramente atribuído a “Notícias Pró-Família”. Qualquer site que publique textos completos ou grandes partes de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com em português tem a obrigação adicional de incluir um link ativo para “NoticiasProFamilia.blogspot.com”. O link não é exigido para citações. A republicação de artigos de Notícias Pró-Família o LifeSiteNews.com que são originários de outras fontes está sujeita às condições dessas fontes.

22 de fevereiro de 2010

Prove que você ama Jesus!

Prove que você ama Jesus!

“Se você ama os homossexuais, aprove as leis que favorecem o comportamento deles”.

Julio Severo
Nos tempos iniciais do Cristianismo, o Império Romano obrigava os cristãos a negar Jesus, sob pena de morte. Mas os fiéis provavam para Jesus seu amor, não o renunciando nem negando. Eles não tinham medo de serem martirizados por amor a Jesus.
Contudo, não pense que a estratégia das trevas não muda. Hoje, enquanto o Estado trabalha avidamente para impor a pena de morte na expressão e testemunho cristão na sociedade, as vozes da moda cobram outro tipo de comportamento dos cristãos.
Diante da questão homossexual, a mídia esquerdista e os grupos homossexuais gritam: “Se você ama Jesus, aprove as leis anti-discriminação” — que sacralizam o homossexualismo, tornando-o imune a críticas. Eles também jogam sobre os cristãos montanhas de sentimento de culpa, dizendo: “Se você não aprovar essas leis, milhares de homossexuais serão assassinados, e Jesus não quer isso. Prove o seu amor cristão!”
Se você não segue as instruções deles sobre o “modo certo de amar Jesus”, você é imediatamente acusado de intolerante. Se você se atrever a dizer que “ama os homossexuais, mas que o homossexualismo é pecado”, aí dirão que você está promovendo ódio e violência.
O que fazer quando a sociedade, ou as forças espirituais que a estão manipulando, usam astutamente as palavras da Bíblia para empurrar os cristão a apoiar a aprovação de leis que eventualmente sacralizarão o pecado e produzirão perseguição e morte para o testemunho cristão na sociedade?
Se você já se sentiu levado a uma situação onde as palavras da Bíblia foram usadas para obrigar você a seguir certa direção, saiba que você não é a primeira vítima desse golpe sujo:
E Satanás disse para Jesus: “Se tu és o Filho de Deus, lança-te de aqui abaixo, porque está escrito: ‘Que aos seus anjos dará ordens a teu respeito, e tomar-te-ão nas mãos, para que nunca tropeces em alguma pedra’”. (Mateus 4:6)
Respondendo ao diabo que estava manipulando as palavras da Bíblia, Jesus disse: “Não tentarás o Senhor teu Deus”. (Mateus 4:7)
Jesus respondeu com a Palavra de Deus porque ele a conhecia muito bem.
O diabo distorce qualquer coisa para alcançar seus objetivos. É por isso que certas leis anti-discriminação, que têm a meta oculta de promover o homossexualismo, são estrategicamente intituladas de leis de “proteção à minoria homossexual”. A jogada é simples: enquadrar toda crítica à agenda gay nessas leis como ataque direto à “proteção à minoria homossexual”!
Esse golpe sujo tem o propósito de deixar os cristãos e outros numa desagradável posição defensiva: se você não aprovar essas leis, você é a favor da violência e assassinato de homossexuais.
Vozes estranhas insistentemente cobram dos cristãos:
“Essas leis são apenas para proteger os homossexuais”.
“Se você não aprová-las, você não é cristão”.
“Se você aprová-las, você não ama os homossexuais”.
“Se você não aprová-las, você não ama Jesus!”
Já ouviu essas vozes antes?
E a sagacidade dessas vozes não termina aí. Milhares de políticos socialistas pró-aborto e pró-homossexualismo têm sido eleitos no mundo inteiro por milhões de eleitores cristãos que têm sido enganados pelas propostas fraudulentas do socialismo. Muitos desses cristãos têm a indagação: “Será que é certo eu votar num candidato pró-aborto e pró-homossexualismo?” Mas imediatamente as vozes os tranquilizam: “Não se preocupe com a questão do aborto e homossexualismo. Há coisas mais importantes para se pensar. O importante é que aquele candidato é a favor dos pobres. Jesus não era a favor dos pobres? Se você ama Jesus e os pobres, vote nele”.
O diabo não é a favor nem dos pobres nem da Bíblia, mas ele sempre os manipula quando precisa. Por isso, se você não conhecer suficientemente a Palavra de Deus, o mundo e o próprio diabo vão querer usar as palavras da Bíblia para dizer para você o que você deve fazer para provar seu amor a Deus.
Para responder a esses ataques, você precisará conhecer a Palavra de Deus muito mais do que o mundo e o diabo a conhecem.
Então você não precisará seguir as ordens deles para demonstrar seu amor. Você o demonstrará a Jesus. E o mundo o odiará tanto quanto odiou Aquele que demonstrou amor máximo por todos os seres humanos. Jesus disse:
“E sereis odiados por todos por amor do meu nome; mas quem perseverar até ao fim, esse será salvo.” (Marcos 13:13 ACF)
“Se vocês fossem do mundo, o mundo os amaria por vocês serem dele. Mas eu os escolhi entre as pessoas do mundo, e vocês não são mais dele. Por isso o mundo odeia vocês.” (João 15:19 BLH)
Entretanto, o diabo e o mundo fazem promessas especiais para aqueles que querem evitar ser odiados: ignorar os mandamentos de Deus. Faça a vontade do mundo, e o ódio dele contra você acaba. Aprove leis favoráveis ao homossexualismo, e o mundo e o diabo elogiarão você. O próprio Jesus já não tinha avisado sobre isso há dois mil anos?
“Ai de vós quando todos os homens de vós disserem bem, porque assim faziam seus pais aos falsos profetas.” (Lucas 6:26 ACF)
“Infelizes são vocês quando todos os elogiarem, pois os antepassados dessas pessoas também elogiaram os falsos profetas.” (Lucas 6:26 BLH)
A ordem do Império Romano era:
“Negue Jesus ou morra!”
A ordem moderna é:
“Ame Jesus, mas negue seus mandamentos. Como recompensa, todos elogiarão você”.
O mesmo diabo que perseguiu e matou os primeiros cristãos está dando uma concessão aos cristãos modernos: “Vocês não precisam negar seu amor a Jesus, mas têm de negar os mandamentos de Deus!”
Se você não obedecer, despejarão sobre você ódio infernal e ainda terão a cara-de-pau de difamar você como promotor de ódio e violência. Aqueles que são intolerantes, ameaçadores e violentos contra seu testemunho terão o cinismo de acusar você de intolerante, “homofóbico” e incitador de crimes, e sua liberdade de expressão será sumariamente decapitada.
No entanto, a Verdade prevalecerá, pois o Espírito Santo está ativo convencendo do pecado e da injustiça.
O verdadeiro amor a Jesus sempre anda junto com os mandamentos de Deus. Jesus disse:
“Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado de meu Pai, e eu o amarei, e me manifestarei a ele.” (João 14:21 ACF)
Sobre a homossexualidade, o mandamento de Deus é claro:
“Quando também um homem se deitar com outro homem, como com mulher, ambos fizeram abominação; certamente morrerão; o seu sangue será sobre eles.” (Levítico 20:13 ACF)
“Não sabeis que os injustos não hão de herdar o reino de Deus? Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados [homossexuais passivos], nem os sodomitas [homossexuais ativos], nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus.” (1 Coríntios 6:9-10 ACF)
A versão falsificada de “amor a Jesus” do mundo e do diabo vem sem os mandamentos de Deus, sendo de uso exclusivo para induzir, pressionar e enganar as emoções dos cristãos a aprovar leis que não estão de acordo com as leis de Deus.
Portanto, se você quer provar seu amor por Jesus, apenas siga os mandamentos dele — independente do que as versões falsificadas de “amor por Jesus” tentem impor sobre você.
Se você quer provar seu amor por Jesus, diga a verdade aos homossexuais e à sociedade. Diga que eles precisam de Jesus para se salvarem do inferno. E permita que Jesus use você para libertar os homens que estão no cativeiro do pecado homossexual.
Se você ama os homossexuais, deixe-os saber que há uma saída do pecado homossexual, ainda que você tema sofrer um martírio moral dos linchadores anti-“homofobia”.
A demonstração desse amor e da verdade implica em muitos riscos hoje, inclusive acusações maldosas e criminosas de incitação ao ódio, intolerância, violência, discriminação, preconceito, “homofobia”, etc.
Muitos cristãos, querendo evitar problemas, respondem “sim” à voz que diz: “Se você ama Jesus ou se você ama os homossexuais, aprove as leis que favorecem o homossexualismo”. Por seu silêncio para com a verdade que incomoda o mundo e o diabo, eles recebem falsa segurança, conforto e muitos elogios.
Mas os que insistem em falar a verdade sofrem na mira cruel dos semeadores do ódio. E está se aproximando rapidamente o tempo que em que homens e mulheres inocentes poderão ser condenados à prisão simplesmente por dizerem que o “homossexualismo é pecado”.
Diante dos odiadores modernos que usam toda e qualquer difamação e estão prontos para atirar os cristãos à cova dos leões, quem terá coragem de provar seu amor por Jesus seguindo seus mandamentos e falando a verdade?
Versão em inglês deste artigo: Prove you love Jesus!

Meninos que vêem pornografia têm mais probabilidade de perturbar meninas

Meninos que vêem pornografia têm mais probabilidade de perturbar meninas

Hilary White
3 de fevereiro de 2010 (Notícias Pró-Família) — Meninos que vêem pornografia regularmente têm mais probabilidade de ter relações sexuais e perturbar as meninas na escola, revelou um novo estudo. Michael Flood, pesquisador do Centro Australiano de Pesquisa de Sexo, Saúde e Sociedade, da Universidade La Trobe, disse que a exposição de crianças à pornografia resulta numa “ampla variedade de efeitos importantes e muitas vezes preocupantes”.
“A exposição à pornografia”, escreveu Flood, “ajuda a sustentar a fidelidade dos mais jovens a noções sexistas e prejudiciais acerca do sexo”.
Flood, um sociólogo australiano da Universidade de Wollongong, disse que isso se aplica principalmente a meninos e homens que usam pornografia freqüentemente. Com materiais mais violentos, “o consumo intensifica atitudes que apóiam a coerção sexual e aumenta sua probabilidade de cometer agressões”.
“Embora crianças e jovens sejam seres sexuais e mereçam materiais apropriados para suas idades acerca do sexo e sexualidade, a pornografia é um educador sexual medíocre e realmente perigoso”, disse ele.
Em outubro do ano passado, o Instituto de Criminologia do governo australiano publicou um estudo que diz que “é bem elevada” a probabilidade de que um jovem seja exposto à pornografia antes da idade legal.
“Existem preocupações, entre pais e formuladores de políticas públicas, de que a exposição prematura e generalizada à pornografia está mudando a natureza das atitudes, condutas e relacionamentos sexuais íntimos e potencialmente contribuindo para a violência sexual na sociedade”, escreveu Judy Putt, a gerente geral de pesquisa do Instituto.
“A proliferação de materiais pornográficos e seu acesso fácil são tais que não é uma questão de se um jovem será exposto à pornografia, mas quando”. Jovens estão sendo “inundados” de “informações sexuais”, escreveu Putt, “antes de terem o desenvolvimento e capacidade de integrá-las numa saudável identidade sexual”.
Uma pesquisa de 2003 feita por telefone com 200 jovens australianos entre as idades de 16 e 17 revelou que 73 por cento dos rapazes foram expostos a vídeos pornográficos, com 5 por cento expostos semanalmente e 16 por cento expostos três a quatro vezes por semana. A pesquisa revelou que 84 por cento dos rapazes foram acidentalmente expostos à pornografia na internet, com 38 por cento usando a pornografia de internet deliberadamente. Isso foi comparado com dois por cento das mulheres que usam a internet para ver pornografia.
Traduzido por Julio Severo: www.juliosevero.com
Veja também este artigo original em inglês: http://www.lifesitenews.com/ldn/2010/feb/10020301.html
Copyright © LifeSiteNews.com. Este texto está sob a licença de Creative Commons Attribution-No Derivatives. Você pode republicar este artigo ou partes dele sem solicitar permissão, contanto que o conteúdo não seja alterado e seja claramente atribuído a “Notícias Pró-Família”. Qualquer site que publique textos completos ou grandes partes de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com em português tem a obrigação adicional de incluir um link ativo para “NoticiasProFamilia.blogspot.com”. O link não é exigido para citações. A republicação de artigos de Notícias Pró-Família o LifeSiteNews.com que são originários de outras fontes está sujeita às condições dessas fontes.

21 de fevereiro de 2010

Lésbica Janet Jenkins começa campanha na mídia para ganhar a custódia da filha de ex-parceira

Lésbica Janet Jenkins começa campanha na mídia para ganhar a custódia da filha de ex-parceira

Grande imprensa repete, sem nenhum questionamento, as acusações de Jenkins

Matthew Cullinan Hoffman
NOVA IORQUE, EUA, 2 de fevereiro de 2010 (Notícias Pró-Família) — Janet Jenkins, a lésbica praticante que outrora estava numa “união civil” com a ex-lésbica Lisa Miller, está conduzindo uma campanha nos meios de comunicação para localizar a filha de sete anos de Miller numa tentativa de ganhar a custódia da menina
A filha de Miller, Isabella, foi concebida por meio de inseminação artificial durante o relacionamento do par lésbico, e não tem nenhum relacionamento biológico com Jenkins. Miller desapareceu com Isabella em dezembro, obviamente num esforço para impedir um juiz de Vermont de transferir a custódia de sua filha para Jenkins.
Mas Jenkins está fazendo numerosas entrevistas nos principais meios de comunicação, pretensamente num esforço para localizar Isabella (descrita por Jenkins numa entrevista como “minha filha”), os quais estão, sem nenhum questionamento, repetindo as acusações dela contra Miller, e ao mesmo tempo não mencionam as acusações de Miller contra Jenkins — inclusive que o relacionamento dela com Jenkins era abusivo.
“Penso que ela é perigosa, e penso que ela é muito vulnerável e penso que ela é capaz de qualquer coisa”, Jenkins disse para o noticiário de TV ABC News em 29 de janeiro quando lhe perguntaram sobre Miller.
“Penso que ela está desesperada”, acrescentou Jenkins. “Penso que as pessoas e os lugares aos quais ela está expondo a si mesma e minha filha — nossa filha — são simplesmente aterrorizantes só de pensar”.

Relatos de abuso

Contudo, a própria Jenkins foi repetidamente acusada de ser “perigosa” — tanto para a filha de Miller, Isabella, quanto para a própria Lisa Miller.
Numa longa entrevista para LifeSiteNews.com em 2008, Miller relatou o abuso físico e emocional que ela disse ter sofrido nas mãos de Jenkins, e também declarou que sua filha estava desesperada para não voltar para a custódia de Jenkins.
Além de ser uma “abusadora física e emocional”, e repetidamente tentar expulsá-la de casa, Jenkins chegou a “dizer que queria me matar”, Miller disse para LifeSiteNews em seu relato do seu relacionamento com Jenkins, que começou no final de 1998 e durou mais de quatro anos.
Miller disse que fugiu do contínuo abuso duas vezes antes de deixar Jenkins permanentemente em 2003.
De acordo com Miller, Isabella havia ficado desesperada para não voltar para Jenkins depois de uma visita em que ela disse que Jenkins tinha exigido que ela tomasse banho nua com a outra “mãe”. Ela até falou de querer morrer.
“No ano passado, Isabella colocou um pente no pescoço e disse que queria se matar depois de uma das visitas”, Miller disse para LifeSiteNews. “Ela pegou o pente e o pressionou no pescoço e disse, ‘Quero me matar’. Não sei de onde ela tirou essa idéia. Aconteceu imediatamente depois de uma visita. Outras pessoas viram mudanças imensas. Ela também começou a se masturbar abertamente, o que não é algo que minha filha costumava fazer”.
“Ela tem 6 anos agora (2008), mas isso começou quando ela tinha 5 anos — depois das visitas”, Miller continuou. “A própria primeira vez que Janet viu Isabella depois de dois anos e meio, sua primeira visita durante a noite — o tribunal exigiu isso e eu permiti porque foi na Virginia e ela tinha de ter sido supervisionada por seus pais — Isabella veio para casa e disse, ‘Mamãe, por favor, diga para Janet que não tenho de tomar banho mais na casa dela’.
“Perguntei o que aconteceu. Ela disse, ‘Janet tomou banho comigo’. Perguntei se ela tinha um maiô. ‘Não, mamãe’. Ela não estava com roupa nenhuma e isso assustou Isabella completamente. Ela disse que nunca havia visto essa mulher, exceto uma vez em 2 anos e meio e ela toma banho com ela”

Outras testemunhas

De acordo com Rena Lindevaldsen, advogada de Miller, Miller não está só em suas acusações. Numa entrevista de 2008 para LifeSiteNews, Lindevaldsen disse que uma psicóloga que havia examinado Isabella antes e depois de suas idas para visitar Jenkins havia apresentado dois depoimentos juramentados testificando dos efeitos prejudiciais das visitas.
Pelo menos duas outras testemunhas também apresentaram depoimentos juramentados testificando da conduta preocupante de Isabella depois de visitar Jenkins, de acordo com Lindevaldsen.
Até os pais de Jenkins, que apóiam sua filha, confessam que Jenkins teve uma briga com Miller enquanto estavam todos juntos, em que Jenkins ameaçou jogá-la na rua, algo que eles não aceitaram.
“Janet disse: ‘Vou chutar sua bunda daqui para fora. Vou colocar suas roupas na rua’. Minha resposta foi: ‘Você não pode fazer isso. A menina não tem lugar nenhum para ir”, o pai de Jenkins disse para a revista Washington Post. “‘Você já disse que permitiria que ela viesse morar com você. Agora você não pode jogá-la na rua. Não faça uma coisa dessas’”.
Quando LifeSiteNews falou com Lindevaldsen no final de 2008, ela disse que os tribunais de Vermont haviam adiado a decisão sobre as acusações por nove meses, mas que uma audiência havia finalmente sido marcada. No final o testemunho de Miller, pelo menos uma psicóloga e muitas outras testemunhas não foi o suficiente para impedir o juiz Richard Cohen de transferir a custódia para Jenkins no final de 2009.
A grande mídia também vem ignorando quase que completamente as acusações, com a exceção de um único artigo da revista Newsweek em 2008 que os mencionou de passagem, junto com a refutação de Jenkins. O depoimento juramentado apresentado no tribunal nunca foi mencionado.
Entretanto, a ABC News e outros grandes jornais e meios de comunicação estão dando liberdade para Jenkins repetir, sem prova e sem refutação, as acusações dela de que Miller é “perigosa” e “capaz de qualquer coisa”. Certo escritor da ABC, David Schoetz, chegou ao ponto de comparar o desaparecimento de Miller ao de Clark Rockefeller, que tentou fugir com a filha biológica da ex-esposa. Schoetz escreveu que se “pudermos aprender qualquer coisa do caso Clark Rockefeller, que está na foto acima, é que esconder uma criança não é uma coisa fácil de fazer, principalmente quando tantas pessoas se importam”.
Links relacionados:
Cobertura anterior de LifeSiteNews:
Ex-lésbica Lisa Miller “desaparece” antes da data final imposta por tribunal para ela entregar filha a ex-amante
Lisa Miller recebe ordem de entregar custódia da filha para ex-amante lésbica
Judge Gives Miller 30 Days to Transfer Daughter to Former Lesbian Lover or Face Arrest
http://www.lifesitenews.com/ldn/2010/jan/10012901.html  
Exclusive Interview with Lisa Miller, Ex-Lesbian Fighting for Custody of Own Child against "Civil Union" Partner
Traduzido por Julio Severo: www.juliosevero.com
Veja também este artigo original em inglês: http://www.lifesitenews.com/ldn/2010/feb/10020306.html
Copyright © LifeSiteNews.com. Este texto está sob a licença de Creative Commons Attribution-No Derivatives. Você pode republicar este artigo ou partes dele sem solicitar permissão, contanto que o conteúdo não seja alterado e seja claramente atribuído a “Notícias Pró-Família”. Qualquer site que publique textos completos ou grandes partes de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com em português tem a obrigação adicional de incluir um link ativo para “NoticiasProFamilia.blogspot.com”. O link não é exigido para citações. A republicação de artigos de Notícias Pró-Família o LifeSiteNews.com que são originários de outras fontes está sujeita às condições dessas fontes.