2 de outubro de 2010

Após polêmica do aborto, Dilma caiu entre evangélicos

Após polêmica do aborto, Dilma caiu entre evangélicos

Em duas semanas, candidata do PT teve queda de 7 pontos porcentuais nesse segmento do eleitorado, enquanto Marina e Serra cresceram

02 de outubro de 2010
José Roberto de ToledoO Estado de S.Paulo
Os movimentos de última hora das campanhas a presidente em busca de apoios de lideranças evangélicas têm uma explicação: Dilma Rousseff (PT) caiu repentinamente entre eleitores dessa fé na reta final da campanha. Ao mesmo tempo, sua rejeição aumentou entre eles.
Os beneficiários da queda de Dilma foram a evangélica Marina Silva (PV) e o católico José Serra (PSDB). Ambos ganharam votos no eleitorado evangélico. O principal motivo dessa oscilação parece ter sido a polêmica em torno da posição de Dilma em relação à legalização do aborto. A petista, que havia dito ser pela mudança da lei em 2007, teve de ir a público agora dizer que esse é um tema do Congresso, que é contra a prática e que não tomaria iniciativa de propor nenhuma lei para legalizá-la.
Ao mesmo tempo, o PT buscou o apoio de lideranças de várias igrejas evangélicas. Organizou um ato de apoio de líderes religiosos à sua candidata na quarta-feira e os estimulou a se pronunciarem publicamente em favor de Dilma. Foi o que fez, por exemplo, o bispo-mor da Igreja Universal do Reino de Deus, Edir Macedo.
A movimentação de urgência conseguiu estancar a queda da petista entre os evangélicos.
Tendência. O Ibope fez um levantamento do voto por religião declarada dos eleitores. Os gráficos nesta página mostram as curvas do voto católico, evangélico e demais eleitores (de outras religiões e agnósticos e ateus) para Dilma e Marina.
A partir do começo de setembro, a candidata do PT começou a perder apoio entre os evangélicos. Até então, a preferência religiosa não era um fator preponderante na escolha do voto. As curvas dos três grupos de eleitores seguiam paralelas, com a petista tendo um pouco mais de dificuldade entre os evangélicos, porque nesse segmento Marina sempre foi melhor do que entre eleitores de fé diferente.
Problema novo. A evolução da rejeição a Dilma mostra que algo novo começou a acontecer no início de setembro. De repente, começou a aumentar o número de eleitores evangélicos que diziam que não votariam na petista de jeito nenhum. Como a rejeição não aumentou entre os demais eleitores, era sinal de que havia algum problema novo na relação de Dilma com os evangélicos: em apenas duas semanas ela perdeu 7 pontos porcentuais nesse segmento.
Ao mesmo tempo, as curvas de intenção de voto dos dois principais adversários de Dilma começaram a crescer entre os evangélicos. Em um mês, Serra ganhou 10 pontos porcentuais, saindo de 21% para 31% nesse segmento. Marina ganhou 7 pontos e chegou a 20%, embora tenha recuado depois para 18%.
Os eleitores evangélicos representam 20% do total do eleitorado brasileiro. É a segunda maior parcela, na divisão por religião, atrás apenas dos católicos, que são 66%. Uma mudança de preferência de 20% desses eleitores representaria trocar o voto de até 4% do total do eleitorado. Em uma disputa apertada como a eleição presidencial, poderia ser o suficiente para provocar o segundo turno.
Em outras palavras, a polêmica em torno da legalização do aborto pode ter tido um peso maior no refluxo das intenções de voto de Dilma nesta reta final do que as denúncias de corrupção no governo e os ataques de Lula à imprensa.
A campanha "viral" pela internet foi feita usando vídeos com declarações de Dilma em 2007 e agora. Fato inédito, uma questão religiosa pode ser responsável pelo segundo turno, se ele acontecer.
Você decide: quem será o salvador do Brasil?

4 comentários :

Ponto de vista disse...

Ainda que a nação faça a burrise de elege a Dilma, fica registrado para qualquer politico no brasil que se mecher com questoes morais que interessam diretamente a igreja, meche com milhoes de votos que podem decidir as eleições.
Foi bom ver o Lula indo a tever só para se dirigir aos evangelicos temendo o nosso poder de indignação, pena que os evangelicos na sua maioria não são convertido. É uma pena! E dão ouvido a todo vento de doutrina petista.

Anônimo disse...

Nessa eleição anule seu voto, não compareça. Por que? Eu explico, simplesmente não existem possibilidades de escolha ALGUMA.
Urnas fraudadas, instalacao de softwares maliciosos viciando a votação em uma determinada "candidata".
Outro ponto a destacar o PNDH, esse plano foi criado pela primeira vez em 1996 pelo entao marxis...ops presidente da republica FHC sob pressão da ONU (desorganizacao das nacoes) este projeto foi imposto pela ONU a todos os paises membros.
Fhc no final do seu 2º mandato propos um "melhoramento" ao PNDH, chamado de PNDH-2, e mais recentemente assistimos ao boçal Lula propondo o PNDH versao 3.
Fiquem atentos PSDB, PT, PMDB, PV, PZ, PW são todos lixo!
Farinha do mesmo saco, lutam pela mesma ideologia através de diferentes metodos e "atores" (politicos).
Cuidado brasil.....

SONEIDE CERQUEIRA disse...

QUE DIA FELIZ ! AO VERIFICAR QUE PODEMOS FAZER MELHOR. JULIO CONSEGUIMOS ( EU E MINHA FILHA)INFLUENCIAR MINHA FAMILIA E MUDAR O VOTO DA DILMA PARA MARINA E MAIS USAR O SEU METODO 77777 QUE DELICIA VER O SEGUNDO TURNO E O MELHOR DE TUDO , IRECÊ , INTERIOR DA BAHIA. ESTAMOS COM VOCE JULIO CONTINUE POSTANDO , POIS EU FAÇO IMPRESSÕES E DOU PARA AS PESSOAS LEREM JA QUE TEM PREGUIÇA DE NAVEGAR E QUEREM TUDO "MASTIGADO" ENTÃO SO ESCUTAM MENTIRAS DA TV.

Anônimo disse...

PT e centrais sindicais aliadas criticaram duramente Serra por ele ser contra o aborto. Foi há três meses:
http://coturnonoturno.blogspot.com/2010/10/centrais-sindicais-atacaram-serra.html

Não dá para o PT e Dilma fingir que nada disso aconteceu. Assim como não dá para fingir que ela não disse em 2007 que era um absurdo não haver a descriminalização do aborto:
http://www.youtube.com/watch?v=tdjn9lk67io