24 de agosto de 2010

Vídeo: Polícia não faz nada enquanto ativistas homossexuais aterrorizam criancinhas em comício pró-família nos EUA

Vídeo: Polícia não faz nada enquanto ativistas homossexuais aterrorizam criancinhas em comício pró-família nos EUA

Kathleen Gilbert
PROVIDENCE, Rhode Island, 21 de julho de 2010 (Notícias Pró-Família) — Desimpedidos pela polícia, um pacífico comício pró-vida acabou virando caos no domingo depois que um exército de ativistas homossexuais abafou aos gritos os apresentadores, gritava insultos e até fez de alvo de importunações as criancinhas de famílias que haviam vindo em apoio ao casamento entre um homem e uma mulher.
Um grupo organizado pela organização Ação Queer de Rhode Island começou a recitar em voz alta canções através de alto-falantes enquanto ia se aproximando do comício, organizado pela Organização Nacional em Defesa do Casamento (ONDC) como parte da Turnê Verão em Defesa do Casamento 2010, em frente do prédio do governo estadual.
Mas, de acordo com Brian Brown, diretor executivo da ONDC, ficou claro que “não ia ser uma contra-manifestação normal” quando a multidão de 250 gays, vestidos de camisetas vermelhas, “continuava avançando” até que a polícia abriu espaço e permitiu que a multidão que estava aos gritos invadisse a plataforma e o palanque do comício — pelo qual a ONDC havia obtido uma permissão do governo.
“Nunca vi nada assim, e estou envolvido na questão do casamento há 15 anos”, Brown disse para LifeSiteNews.com. O vídeo do evento mostra os manifestantes gays gritando a centímetros da face de Brown enquanto ele tenta continuar a apresentação.
Além disso, disse ele, os manifestantes “começaram a zombar e importunar as famílias que estavam ali” e até mesmo claramente fazendo as crianças de alvo com gritos e palavrões — tratamento, disse Brown, que deixou várias crianças, inclusive seus próprios filhos, chorando e perguntando se elas estavam em segurança. “O que eles estavam tentando fazer era nos assustar e assustar as criancinhas”, disse ele. “Foi algo muito ilegal e inacreditável… Sei que meus filhos estavam chorando, outras crianças estavam chorando também. Eles literalmente choraram até o final, perguntando se ia ficar tudo bem com eles”.
Um incidente horroroso apanhado em vídeo mostra um manifestante apontando (fora das câmaras do noticiário) e gritando iradamente: “Melhor ficarem de olho nesse menino ou vamos raptá-lo!” Outros gritavam diretamente para crianças de 4 anos de idade, chamando-as de “fanatiquinhos da mamãe” e outros insultos, disse Brown.
Apesar de sua determinação de finalizar o comício, Brown expressou profunda preocupação com o evento. “Tenho de lhes dizer, eu estava preocupado que o evento estava em completa insegurança”, ele disse. “Os olhares das faces dos homossexuais… eles pareciam querer nos machucar. O que eles disseram basicamente estava deixando claro o que eles queriam fazer. Tudo o que eles puderam fazer eles fizeram para amedrontar nossos apoiadores… As pessoas estavam com medo. As pessoas estavam muito preocupadas com sua própria segurança e a segurança de seus filhos”.
Os participantes do comício pró-família, comentou ele, permaneceram pacíficos — e Brown aproveitou a oportunidade para pregar o respeito carinhoso que precisa sustentar os debates racionais.
Brown disse que a ONDC está no processo de enviar uma carta e o relato em vídeo para Donald Carcieri, governador de Rhode Island, detalhando a falta de ação policial. LifeSiteNews.com não conseguiu contato com um porta-voz do Departamento de Polícia de Providence até o momento da publicação desta reportagem.
Numa parada inicial da turnê em Albany, Brown disse que outro protesto gay havia surgido de repente, embora muito menos intimidador. Contudo, uma mulher a quem Brown diz ficou visivelmente abalada com as hostilidades contra o comício foi entrevistada no vídeo depois que os manifestantes gays se recusaram a parar de hostilizá-la. “A meta deles era intimidar a mim e aos meus 3 filhos, crianças pequenas abaixo de 5 anos — e eu penso que eles conseguiram o que queriam”, disse a mulher.
Daniel Avila, subdiretor de políticas e pesquisas da Conferência Católica de Massachusetts que esteve no comício, disse que a “cacofonia venenosa” depois que os ativistas invadiram o palanque foi “de embrulhar o estômago”.
“Quando a polícia do governo finalmente começou a intervir olhei ao redor de mim e vi a coisa mais estupenda que já vi. Eu não vi punhos cerrados, olhos raivosos ou faces vermelhas. Eu não pude detectar nenhum sinal de ‘brigue ou fuja’, ira ou medo”, escreveu ele num relato publicado pela ONDC. “Vi cabeças baixas e mãos entrelaçadas, ou olhos voltados para o céu e braços estendidos.
“Uma mulher frágil do meu lado, certamente novata nos eventos políticos de rua, tinha um olhar do que eu só posso “descrever como profunda compaixão. Um homem à minha esquerda falou mais em tom de maravilha do que tom de repulsa ou contenda, dizendo suavemente, ‘é assim que deve ser o inferno’”.
Brown disse que falou à multidão que, considerando o curso do debate sobre casamento nos EUA, “vocês não deveriam ficar surpresos que estamos começando a ser tratados como fanáticos”.
“Esse protesto todo mostrou, melhor do que qualquer coisa que pudéssemos dizer, no que acreditamos”, ele disse para LSN. “Foi claramente uma tentativa de nos silenciar: claramente as pessoas que estavam lá gritando contra nós não pensam que precisam nos tratar de modo civilizado, eles pensam que estamos de certo modo fora dos limites do discurso respeitável — e realmente não consigo entender como eles poderiam fazer isso sem realmente nos desumanizar na própria mente deles.
“Recusamos ser tratados como cidadãos de segunda classe por acreditar no que a maioria dos americanos acredita e permanecermos firmes em nossas convicções”, concluiu ele. “Precisamos permanecer firmes na defesa do casamento”.
Informações de contato:

Governor Donald L. Carcieri
Office of the Governor
State House, Room 115
Providence, RI 02903Phone: (401) 222-2080
Fax: (401) 222-8096 
E-Mail form http://www.governor.ri.gov/webform/inquirytest.php
Traduzido por Julio Severo: www.juliosevero.com
Veja também este artigo original em inglês: http://www.lifesite.net/ldn/viewonsite.html?articleid=10072108
Copyright © LifeSiteNews.com. Este texto está sob a licença de Creative Commons Attribution-No Derivatives. Você pode republicar este artigo ou partes dele sem solicitar permissão, contanto que o conteúdo não seja alterado e seja claramente atribuído a “Notícias Pró-Família”. Qualquer site que publique textos completos ou grandes partes de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com em português tem a obrigação adicional de incluir um link ativo para “NoticiasProFamilia.blogspot.com”. O link não é exigido para citações. A republicação de artigos de Notícias Pró-Família o LifeSiteNews.com que são originários de outras fontes está sujeita às condições dessas fontes.

Um comentário :

Anônimo disse...

Amigo Júlio,
Mas como a sociedade aceita que uma minoria intimide um minoria? Sinceramente essa eu não entendi. Com eu sempre digo: se a sociedade não se rebelar, não mostrar sua força com os gays, vamos ficar cada vez mais reféns dessa minoria.
Eles estão cada vez mostrando sua força, nós oprimindo e nós aceitando...
Não sei se você ficou sabendo, aqui nesse país que nunca vai ser sério - como disse aquele francês há quase 60 anos, e concordo com ele - o nosso STF deu a Toni Reis o direito de "condenar"... ou quero dizer, adotar crianças. Acredito que com essa atitude estamos caminhando a passos largos para à aprovação do "casamento gay no Brasil". Que vergonha eu sinto de ser brasileiro!!! Gostaria de ter nascido na Rússia.

Lúcio