31 de agosto de 2010

Outra estudante de aconselhamento perseguida por convicções cristãs recorre de decisão judicial

Outra estudante de aconselhamento perseguida por convicções cristãs recorre de decisão judicial

DETROIT, Michigan, EUA, 28 de julho de 2010 (Notícias Pró-Família) — Advogados recorrerão de uma decisão de tribunal federal feita na segunda-feira num processo em prol da estudante Julea Ward contra a Universidade do Leste de Michigan (ULM) depois que a universidade expulsou a estudante cristã por se manter firme nas suas convicções sobre a conduta homossexual.
A ULM removeu Ward de seu programa de aconselhamento de pós-graduação em março de 2009 por não concordar com a conduta homossexual como moralmente aceitável. Ward não queria concordar em mudar suas convicções religiosas sobre a conduta homossexual nem expressar uma mensagem contrária a elas durante suas sessões de aconselhamento como condição para receber um diploma universitário.
“Os estudantes cristãos não deveriam ser expulsos por serem fiéis às suas convicções”, disse David French, advogado sênior do Fundo de Defesa Aliança (FDA), o qual argumentou diante do tribunal regional federal do leste de Michigan no mês passado. “Para alcançar sua decisão, o tribunal teve de fazer algo que nunca fez no tribunal federal: sustentar um código de discurso universitário extremamente amplo e vago”.
A ULM iniciou seu processo disciplinário contra Ward logo depois que ela se matriculou num curso de aula prática de aconselhamento em janeiro de 2009, quando recebeu como tarefa atender a um potencial cliente buscando assistência com relação a um relacionamento homossexual. Reconhecendo a potencial questão de consciência com o cliente, e sabendo que ela não poderia concordar com o relacionamento homossexual do cliente sem violar suas convicções religiosas, Ward pediu a seu supervisor como lidar com o assunto.
Ward foi aconselhada a encaminhar o potencial cliente para um conselheiro diferente. A ULM então informou Ward de que ela só poderia permanecer no programa de aconselhamento se concordasse em passar por um programa de “recuperação”. Seu propósito era ajudá-la a “ver o erro dos caminhos dela” e mudar o “sistema de convicções” dela em sua relação com o aconselhamento sobre relacionamentos homossexuais.
Numa subsequente reunião formal de avaliação, advogados dizem que os professores da ULM denegriram as opiniões cristãs de Ward e fizeram várias perguntas impróprias e intrusivas sobre as convicções religiosas dela. Então uma comissão da universidade a removeu do programa de aconselhamento. Ward recorreu, mas o deão da Faculdade de Educação da ULM sustentou a remoção dela.
“Julea meramente seguiu o conselho de seu professor supervisor ao encaminhar um potencial cliente a um conselheiro que não tinha questões de consciência com o assunto particular a ser discutido”, disse French. “Ela própria teria com alegria aconselhado o cliente se o tópico tivesse como foco outro assunto. Confiamos em que o tribunal regional federal entenderá as questões constitucionais envolvidas nesse caso”.
Os códigos de discurso da ULM que permitiram as ações da universidade foram desafiados como parte do processo do FDA, Ward versus Wilbanks. Uma política que proíbe “discriminação com base na… orientação sexual” acrescenta que os conselheiros não podem “fechar os olhos” para o que a universidade define como discriminação. Outra política problemática declara que o departamento de aconselhamento da ULM pode disciplinar um estudante que mostra “incapacidade de tolerar pontos de vistas diferentes”.
O FDA está atualmente litigando um caso semelhante envolvendo uma estudante de aconselhamento na Universidade Estadual de Augusta na Geórgia. A estudante Jennifer Keeton processou a universidade depois que, conforme ela disse, ela foi forçada a se submeter a um abrangente “treinamento de sensibilidade de diversidade” e proibida de expressar suas convicções religiosas, ou então ser expulsa do programa de aconselhamento.
Traduzido por Julio Severo: www.juliosevero.com
Veja também este artigo original em inglês: http://www.lifesite.net/ldn/viewonsite.html?articleid=10072803
Copyright © LifeSiteNews.com. Este texto está sob a licença de Creative Commons Attribution-No Derivatives. Você pode republicar este artigo ou partes dele sem solicitar permissão, contanto que o conteúdo não seja alterado e seja claramente atribuído a “Notícias Pró-Família”. Qualquer site que publique textos completos ou grandes partes de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com em português tem a obrigação adicional de incluir um link ativo para “NoticiasProFamilia.blogspot.com”. O link não é exigido para citações. A republicação de artigos de Notícias Pró-Família o LifeSiteNews.com que são originários de outras fontes está sujeita às condições dessas fontes.

Nenhum comentário :