16 de agosto de 2010

Google censura grito de socorro em favor de crianças indígenas

Google censura grito de socorro em favor de crianças indígenas

Vídeo “Crianças indígenas enterradas vivas”, visitado por mais de 180 mil pessoas no Blog Julio Severo durante dois anos, é bloqueado pelo YouTube

Julio Severo
O vídeo “Crianças indígenas enterradas vivas” (http://www.youtube.com/watch?v=BDxdlVGjLdY&feature=player_embedded), depois de dois anos no Youtube através do Blog Julio Severo com um número de 180.295 visitas, foi rejeitado pelo Google como tendo conteúdo “impróprio”.
Qual era esse conteúdo? Era apenas uma filmagem denunciando como crianças índias que nascem com qualquer problema físico são sentenciadas à morte pelos pajés (feiticeiros) de algumas tribos brasileiras.
Todos esses assassinatos de crianças vêm sendo cometidos bem debaixo do nariz do governo brasileiro e de antropólogos, que protegem essa prática sob o manto sagrado da “cultura indígena” — que não difere absolutamente em nada da cultura nazista.
Missionários da JOCUM que resgataram algumas dessas crianças sentenciadas à morte têm sido ameaçados, porque tiveram a “ousadia” de tirar essas crianças da esfera dos pajés, livrando-as literalmente da morte.
Contudo, o governo Lula, que deu asilo a um comunista assassino italiano, não tem disposição nenhuma de dar abrigo e proteção para essas crianças. Pelo contrário, o governo exige que elas sejam devolvidas às suas tribos, onde enfrentarão inescapáveis sentenças “culturais”.
Conheci pessoalmente um casal da JOCUM que adotou Hakani, uma menina indígena que havia sido condenada à morte. Ela vive hoje em Brasília, com esse casal. Se for devolvida à tribo, ela será assassinada.
Em 2 de julho de 2008, escrevi e publiquei um artigo como minha manifestação de grito em defesa dessas crianças ameaçadas.
Não fui o único a participar desse grito de socorro. Muitos outros também se mobilizaram para ajudar essas crianças, inclusive o Dep. Henrique Afonso, que criou um projeto de lei exclusivamente para protegê-las, mas o PT obstruiu tudo.
No artigo, há o vídeo “Crianças indígenas enterradas vivas”, que não está mais disponível, porque a política do YouTube, cujo dono é o mesmo Google que vem favorecendo o homossexualismo de forma descarada, censurou o vídeo, sob a alegação de que tinha conteúdo impróprio.
Diante dessa censura, eu pergunto:
É impróprio denunciar o assassinato de crianças indígenas?
É impróprio se mobilizar na defesa delas?
É impróprio conscientizar o público do massacre de crianças inocentes nas tribos?
Há centenas de milhares de vídeos que o Google pode e deve censurar, por possuírem real conteúdo impróprio, indecente, pornográfico, violento e prejudicial. Mas calar a voz que clama pela vida das crianças é uma censura cruel, e esse tipo de censura tem um histórico que vem desde a Alemanha nazista até a Cuba e Coreia do Norte comunistas.
Se o conteúdo da denúncia de socorro do vídeo “Crianças indígenas enterradas vivas” é impróprio, o que dizer dos seus opositores?
Que tipo de conteúdo há na cabeça de governantes políticos e antropólogos que acobertam e protegem, sob as mais diferentes desculpas “culturais”, essa versão indígena da eugenia nazista?
Que tipo de conteúdo há na cabeça de alguém para silenciar um grito de socorro em favor dos inocentes e ameaçados?
Peço a colaboração de todos para restaurar meu vídeo ao seu link original: http://www.youtube.com/watch?v=BDxdlVGjLdY&feature=player_embedded
Por favor, manifeste-se educadamente para o Google no Brasil, telefonando ou enviando fax:
Google Brasil Internet Limitada
Av. Brigadeiro Faria Lima, 3900 5º andar, Itaim
São Paulo, 04538-132
Brasil
Fone: 11-3797-1000
Fax: 11-3797-1001

10 comentários :

Adriano Estevam disse...

Olá Júlio,

Não sei se você está ciente mas o Google, atavés do Youtube, foi intimado a remover o conteúdo por ação da FUNAI e do ministério Público, contra o Youtube e o Blog do Mercio Gomes, ex-presidente e da FUNAI.

Irônicamente, o blog do Mércio Gomes, foi também notificado embora tenha postado o vídeo apenas para atacar e difamar a JOCUM. Já há alguns meses ele recebeu a notificação do MP.
O vídeo, contudo, continua hospedado em serviço próprio no site do movimento HAKANI. (http://www.hakani.org/pt/)

Abraços e Paz,

Julio Severo disse...

Obrigado pela informação, Adriano! Devemos agradecer ao Senador Magno Malta, que ora está ocupadíssimo apoiando a terrorista Dilma Rousseff, pelo abuso de autoridade que agora o Ministério Público Federal tem junto ao Google. Por causa da desculpa de combate à pedofilia, Malta submeteu até certo ponto o Google ao MPF. Agora, vemos esse tipo de aberração. Em vez de o MPF confrontar e coibir a promoção da pedofilia nas escolas do governo, impõe ao Google a ordem de censurar um vídeo que denuncia algo em que o govenro é cumplíce. Parabéns, Senador Magno Malta!

Paulo Teixeira disse...

Severo, desde que a Google retirou seu blog do ar em 2007, após denúncias infundadas, tudo se pode esperar. Infelizmente a liberdade de expressão que tanto de fala, é sempre à moda deles.

Olavo de Carvalho mostrou-nos, no link a seguir, o por quê de a Google ter agido assim contra você daquela em 2007: http://www.olavodecarvalho.org/semana/070719jb.html

E agora, volta novamente a Google ...

Manoel Filho disse...

A desculpa para a censura realmente deve ter algo com denúncias contra a pedofilia. Eu mesmo tenho encontrado e denunciado vários vídeos e blogs de conteúdo sexual e abusivos com menores e a Google os tem retirado em curto tempo. Mas há muitos outros que permanecem online na desculpa de serem blogs de divulgação do movimento naturista/nudista e que, no entanto, só exibem fotos de crianças peladas e ainda incentivam o envio de mais fotos por parte dos leitores. Dois exemplos são os blogs nudistjohn e evesgarden que ninguém consegue tirar do ar.
Aconselho-o a colocar o vídeo em um local de armazenagem próprio porquê, nessa questão, a Google não voltará atrás.

Gabriel Nunes disse...

Por favor, reforço o pedido do Júlio Severo — principalmente aos que estão em São Paulo — Liguem no telefone que se encontra neste post ou vá pessoalmente ao local indicado e peça para que o vídeo seja colocado de volta no ar.

Anônimo disse...

http://www.youtube.com/watch?v=Yy7tweIhxMM&has_verified=1

aí está o video.
Não sei se é o mesmo, mas possivelmente sim.
Salvei minha cópia.

Grande abraço, estamos juntos meu irmão!

Lucas, Sabará - MG

Icthusteama disse...

Amado é um absurdo o que estão fazendo, no meu blog o vídeo não funcionava mais... Eu coloquei de novo. Luiz
http://icthusteama-icthusteama.blogspot.com/

Julio Fagundes disse...

Também salvei uma cópia, estarei levando as pessoas também.

beatriz paiva de miranda disse...

estou fazendo uma pesquisa sobre cultura indígena para meu filho e acabei por descobrir através de seu blog esta aberração, fiquei estarrecida por saber que ainda hoje existam tais práticas com crianças inocentes e indefesas,me admira que pajés que se dizem seres espiritualizados cometam esses atos estúpidos, eles não devem ter o menor censo de espiritualidade, pelo menos não do bem. deixo aqui meu apoio incondicional.

Patricia Duda Viggiani disse...

Bom dia! Acabo de descobrir esta notícia/assunto que desconhecia totalmente, creio que como a maioria dos brasileiros, visto que não é interessante ao governo permitir sua veiculação.
Estou chochada!!!
Visto que a data desta notícia é antiga, gostaria de saber se esta prática absurda ainda acontece, ou se conseguiram impedi-las!
De qualquer forma, estou postando no meu face, visto que tenho certeza que muitos como eu não faziam ideia de que este absurdo acontece em nosso "quintal"!
Caso haja algum tipo de petição para assinar em prol de acabar com esta barbárie, assino na hora!!!!
Parabéns pelo blog, que acaba de entrar no meu "favoritos"
Att,