2 de agosto de 2010

Especialista diz que o fim das grandes empresas de cigarro oferece um guia de como obter vitória sobre as empresas pornográficas

Especialista diz que o fim das grandes empresas de cigarro oferece um guia de como obter vitória sobre as empresas pornográficas

Peter J. Smith
WASHINGTON, D.C., EUA, 5 de julho de 2010 (Notícias Pró-Família) — Como é que os EUA, considerados a capital mundial da pornografia, podem se livrar do flagelo da pornografia? Simples, uma especialista da área diz para LifeSiteNews.com (LSN): faça com que a pornografia se torne socialmente tão inaceitável quanto fumar cigarros, e prepare o terreno para leis e processos judiciais que coloquem um fim no império sujo de bilhões de dólares.
LifeSiteNews.com (LSN) conversou com a Dra. Mary Anne Layden, especialista em tratar pessoas viciadas em pornografia, depois de uma apresentação oficial no Congresso, no Centro de Visitantes do edifício do Congresso, na questão de executar leis contra obscenidade em meados de junho. Layden, que é co-diretora do Programa de Trauma Sexual e Psicopatologia do Centro para Terapia Cognitiva da Universidade da Pensilvânia na Filadélfia, disse que os métodos usados por ativistas para derrubar a indústria do cigarro oferecem aos líderes pró-família e seus aliados um guia de como enfiar a estaca na indústria pornográfica.
Cinquenta anos atrás, os Estados Unidos tinham uma cultura em que “acender um cigarro” era universal e glorificado no cinema por estrelas como Humphrey Bogart, Frank Sinatra ou Grace Kelly. Hoje, fumar tem na maior parte um estigma social graças às agressivas campanhas anti-fumo que levaram a rigorosas leis anti-fumo, tais que os fumantes mal conseguem encontrar um restaurante ou bar que os deixará ter um cigarro com um café ou cerveja.
“Então, esperamos que o que fizemos com os cigarros, possamos fazer com a pornografia”, explicou Layden.
O primeiro passo na luta contra a pornografia, explicou Layden, é fazer com que os médicos comecem a dizer publicamente e em voz alta que a pornografia é um problema destrutivo, exatamente como eles começaram a dizer anos atrás que “nossos pacientes parecem estar morrendo de fumar cigarros”.
O segundo passo é fazer com que os jornalistas e pesquisadores escrevam artigos explicando o que os médicos estão dizendo acerca dos malefícios provocados pela pornografia.
Em termos de cigarros, disse ela, “conseguimos que os jornalistas escrevessem artigos, então conseguimos que os pesquisadores entrassem na questão e paramos de dar atenção aos pesquisadores do Instituto do Fumo que mentiam ao Congresso e diziam que o cigarro não era viciador nem prejudicial, pois eles estavam jogando fora todos os estudos que afirmavam isso”.
Já está havendo progresso nesta área, disse ela, pois “temos pesquisadores que estão fazendo pesquisas agora e mais pesquisas estão sendo feitas sobre as reações do cérebro à [pornografia]”.
O terceiro passo é onde os advogados entram. Exatamente como os advogados foram necessários “para mover processos em favor das pessoas que estavam sendo prejudicadas pelos cigarros”, seria necessário obter a assistência deles para esgotar completamente a vida financeira do império pornográfico de bilhões de dólares. Então conseguimos advogados para moverem ações civis e ações criminais; temos de fazer com que o governo dê dinheiro ao Ministério da Justiça”, disse Layden, “de modo que possamos ter mais casos criminais”.
“Se todas essas pessoas se unirem — os médicos, os jornalistas, os advogados, o governo, os pesquisadores — se todos eles se unirem, poderemos fazer a mesma coisa com a [indústria pornográfica] que fizemos com o vício de fumar cigarros”, concluiu Layden.

Terapia, mas nenhum tratamento para viciados em pornografia

A pornografia é um perigo real e presente na sociedade americana, Layden disse para LSN. Os malefícios que ela provoca são de modo particular horríveis, continuou ela, pois não há jeito de se “desintoxicar” ou eliminar as imagens do sistema de um viciado.
“Com um tratamento tradicional de vício — se você está tratando um viciado em cocaína, ou viciado em heroína — você os envia a um tratamento”, explicou Layden. “Com o viciado em pornografia, não conseguimos tirar a pornografia do sistema; consigamos tratar você enquanto a substância está em seu sistema e estará ainda em seu sistema para sempre”.
Layden frisou que mesmo assim, há enorme esperança: a terapia realmente ajuda as pessoas a se recuperarem de seus vícios pornográficos e levá-las a vidas realizadas e bem-sucedidas.
“As pessoas se recuperam. Tenho pacientes que se recuperam”, enfatizou ela. “É difícil, é longo, é um mal com recaídas, mas eles se recuperam. Eles conseguem vidas razoáveis, têm casamentos que são bons, eles criam filhos, eles podem ser homens piedosos, eles podem ter carreiras. Eles se recuperam”.
As técnicas que ela e outros especialistas no campo usam são designadas para ajudar a diminuir o impacto das imagens pornográficas (por exemplo, a técnica de “salto de um segundo” ajuda viciados em recuperação a evitar olhar para imagens pornográficas que eles poderiam por acaso encontrar) e ajudar indivíduos a retreinar a mente para substituir associações feitas com imagens pornográficas com imagens sadias.
“Embora as imagens estejam ainda enterradas no cérebro, e possam voltar de forma espontânea”, disse ela, “melhora em termos de eles poderem controlá-la”.
“Mas é um processo de dois anos com pessoas motivadas. Podemos fazer isso, mas temos de fazer mais prevenção”, disse Layden.
Ela acrescentou que homens em todos os EUA estão sendo “bombardeados” de pornografia, principalmente o que ela chama de “pornografia do dia a dia” que se encontra nas revistas de lingerie e publicações semelhantes. É um problema contra o qual a sociedade civil tem de adotar ação decisiva, disse ela, pois os médicos estão sobrecarregados.
“Não podemos consertar esse problema tirando as pessoas do rio de uma vez e impedindo-as de se afogar. Temos de subir rio acima e verificar quem os está empurrando para dentro do rio”.
Veja a cobertura relacionada de LifeSiteNews.com:
Coalition Says Illegal Porn at ‘Epidemic Proportions,’ Demands Feds Take Action
http://www.lifesitenews.com/ldn/2010/jun/10061704.html
Steve Jobs Says iPad Revolution Means ‘Freedom from Porn’
http://www.lifesitenews.com/ldn/2010/may/10051811.html
Hijacking the Brain — How Pornography Works
http://www.lifesitenews.com/ldn/2010/feb/10020205.html
'Pornography Harms' Website Launched
http://www.lifesitenews.com/ldn/2010/feb/10021801.html
Traduzido por Julio Severo: www.juliosevero.com
Veja também este artigo original em inglês: http://www.lifesite.net/ldn/viewonsite.html?articleid=10070511
Copyright © LifeSiteNews.com. Este texto está sob a licença de Creative Commons Attribution-No Derivatives. Você pode republicar este artigo ou partes dele sem solicitar permissão, contanto que o conteúdo não seja alterado e seja claramente atribuído a “Notícias Pró-Família”. Qualquer site que publique textos completos ou grandes partes de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com em português tem a obrigação adicional de incluir um link ativo para “NoticiasProFamilia.blogspot.com”. O link não é exigido para citações. A republicação de artigos de Notícias Pró-Família o LifeSiteNews.com que são originários de outras fontes está sujeita às condições dessas fontes.

Um comentário :

Jorge Victor disse...

A forte campanha contra o vício do cigarro parce mais uma campanha a favor de outros vícios como drogas mais pesadas como maconha, cocaína, drogas sintéticas, álcool e sexo que não são tão combatidos comoo cigarro.