3 de julho de 2010

Relatório da IPPF pede direitos dos jovens e revela novo financiamento da ONU

Relatório da IPPF pede direitos dos jovens e revela novo financiamento da ONU

Samantha Singson e Dr. Terrence McKeegan
NOVA IORQUE, EUA, 3 de junho de 2010 (Notícias Pró-Família/C-FAM) — A Federação Internacional de Planejamento Familiar (conhecida pela sigla em inglês IPPF), gigantesca organização de aborto, acabou de divulgar sua mais recente declaração financeira. O relatório se gaba de mais gastos em programas voltados aos jovens e um aumento significativo em financiamento do Fundo de População das Nações Unidas (FNUAP), com um aumento total de 20% de rendimento em comparação com 2008.
Em 2009, a IPPF coletou uma chocante quantia de $140 milhões, a maior parte da qual veio de verbas governamentais. A Suécia, o Reino Unido e o Japão estão no topo da lista de doadores para essa organização, representando 40% do dinheiro de verbas recebidas.
Verbas de fundações e organizações multilaterais também aumentaram desde o ano anterior. O FNUAP, embora não seja um dos maiores doadores da organização, quase que dobrou sua contribuição à IPPF no ano passado de $783.000 para $1.36 milhões. A Organização Mundial de Saúde, ao que tudo indica um novo doador da IPPF, contribuiu $15.000 em 2009.
A IPPF gastou uma parte significativa de sua renda num foco maior nos jovens, ao custo considerável de $9.9 milhões de dólares mais do que no ano anterior. De acordo com o relatório, um tema central da missão da IPPF é o “fornecimento de serviços de saúde reprodutiva (ssr) de alta qualidade, acessíveis e agradáveis aos jovens”.
Como parte de seu sistema estratégico, o relatório da IPPF enumera as cinco áreas prioritárias de foco como “adolescentes, jovens, pessoas com HIV/AIDS e acesso e defesa do aborto”. O termo adolescente comumente se refere a uma criança entre as idades de 10 e 14. Como parte de sua visão, a IPPF está trabalhando para “desenvolver um guia para que jovens implementem a Declaração de Direitos Sexuais da IPPF”, e se gaba de que os “programas da IPPF voltados aos jovens agora promovem com mais força direitos sexuais em todas as suas estratégias, atividades e serviços para e por jovens”. 
A IPPF também lançará uma nova iniciativa global intitulada “Meninas Decidem: Enfrente as questões de sexo e gravidez”. Dirigida às jovens, essa iniciativa terá como foco “impedir gravidezes não intencionais entre adolescentes, e fornecer aborto seguro e serviços de maternidade segura”.
A IPPF relatou mais atividade em todas as categorias. De acordo com as estatísticas mais recentes, embora os gastos em “atividades de aborto” tivessem sido quase $5 milhões a menos do que no ano passado, a IPPF e suas associações membros relataram fornecer 1.1 milhões de “serviços relacionados com aborto”, quase cinco vezes maior do que em 2005. A IPPF também dobrou o número de “serviços contraceptivos” no mesmo período de tempo.
Em seguida, a IPPF mirará a ONU em setembro na revisão de alto nível das Metas de Desenvolvimento do Milênio onde continuará a promover o objetivo polêmico de “acesso universal à saúde reprodutiva até o ano 2015” e promovendo “os direitos de saúde sexual e reprodutiva dos jovens, principalmente das meninas e moças, e aumentando o reconhecimento e ações na área de direitos sexuais”.
Conforme foi relatado anteriormente pelo boletim Friday Fax, a IPPF vem fazendo parcerias com organizações de jovens como a Organização Mundial de Escoteiras e a Associação Cristã de Moças para ajudar a promover o planejamento familiar e a “saúde reprodutiva das adolescentes”.
Traduzido por Julio Severo: www.juliosevero.com
Veja também este artigo original em inglês: http://www.lifesite.net/ldn/viewonsite.html?articleid=10060308
Copyright © LifeSiteNews.com. Este texto está sob a licença de Creative Commons Attribution-No Derivatives. Você pode republicar este artigo ou partes dele sem solicitar permissão, contanto que o conteúdo não seja alterado e seja claramente atribuído a “Notícias Pró-Família”. Qualquer site que publique textos completos ou grandes partes de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com em português tem a obrigação adicional de incluir um link ativo para “NoticiasProFamilia.blogspot.com”. O link não é exigido para citações. A republicação de artigos de Notícias Pró-Família o LifeSiteNews.com que são originários de outras fontes está sujeita às condições dessas fontes.

2 comentários :

Facundo disse...

Olha... Aborto de fato é um crime... Um crime sem tamanho, pq é tirar a história de alguém que nem teve o direito de viver...

Por isso que a bioética, de fato, é a grande questão filosófica e teológica do momento (assim como a ecologia também)...

Onde pode-se dizer que há vida em alguém...

Eu acredito que na fecundação já está ali o mapa genético de alguém... Ou seja, identidade!

Sou radicalmente contra um aborto... A vida é sempre a escolha!

Jorge Victor disse...

Essa de promover os direitos sexuais de meninas não é um passo para legalizar a pedofilia e a prostituição infantil?
Quem são as pessoas por traz da IPPF? Será que não a pedófilos infiltrados nesta instituição?