24 de julho de 2010

Fantástico e lei da palmada: reportagem tendenciosa

Fantástico e lei da palmada: reportagem tendenciosa

Klauber Cristofen Pires
Com a reportagem levada ao ar na noite de domingo, dia 18/07/2010, mais uma vez a Rede Globo dá aquela forcinha para as intenções do governo, desta vez para subtrair mais uma fatia do pátrio-poder dos pais e mães.
Para isto, utiliza-se dos requintes dos recursos da comunicação, de tal forma a repassar uma opinião pré-formada como se fosse uma isenta polêmica. Dona Rede Globo, por favor, depois não me venha reclamar do governo que lhe quer impor a censura e cortar contratos de publicidade, ok? Só para lembrar, na Venezuela não existe mais este negócio de tevê livre.
No Brasil, as pessoas estão de tal forma entregues ao discurso cínico e dissimulado que mal conseguem distinguir o objeto do debate. Eis o objetivo cumprido.
Para o leitor mais desatento entender como se produz uma opinião deveras tendenciosa, assaz melíflua, perceba como, no decorrer do programa, várias chamadas foram feitas para convidar o telespectador a um debate ou polêmica, que, na verdade, inexiste.
Do lado dos que se colocam a favor da palmada, a reportagem mostra apenas um único homem, na condição de cidadão comum, a afirmar que uma palmadinha, de leve, sem significar espancamento, não faz mal. As duas outras pessoas que ilustram o lado dos pais que “dão palmadinhas” já são de antemão tratadas na matéria como vilãs da reportagem e uma delas já se confessa criminosa: “Hoje, se ela tiver um filho e quiser dar palmadas, eu não vou deixar”, garante Leidice Cabral, mãe da jovem.
Já para o lado dos favoráveis à lei, a reportagem dá ampla voz a toda sorte de “especialistas”: ouve um conselheiro tutelar, a subsecretária nacional de direitos da criança e do adolescente e uma psicóloga.
Quem acompanhou a campanha do plebiscito sobre a proibição do comércio das armas de fogo — aquela em que cerca de 70% da população se manifestou contrária à proibição — teve a chance de perceber que o lado vencedor — talvez pela primeira vez em nossa história — logrou-se bem-sucedido tão somente por apontar a falácia do discurso governista e dizer ao público exatamente o que ele precisava ouvir, isto é, se você, como cidadão, aceitaria abrir mão de se auto-defender, caso achasse necessário.
Portanto, ser ou não contra a palmada, o puxão de orelhas ou o beliscão, está a léguas de distância do verdadeiro debate sobre o assunto, que a reportagem do fantástico fez questão de camuflar, apenas tangenciando, e mesmo assim de uma forma absolutamente pró-governo, para não parecer que completamente “se esqueceu”: “A criança acha que meu pai pode me bater, porque é meu pai e tem o direito. Não tem o direito de bater”, aponta o conselheiro tutelar Heber Boscoli.
Eu quero perguntar a você, leitor, que responda com honestidade: você acha certo trocar a educação que você quer dar ao seu filho pela educação do governo? Você quer ser multado, preso ou “reeducado” se for denunciado por repreender o seu filho pela sua birra no supermercado ou shopping center?
Só para lembrar, veja este trecho da reportagem: “Pelo projeto, atitudes para punir ou disciplinar não podem machucar nem causar nenhum tipo de dor. Crianças e adolescentes também não podem ser humilhados nem ameaçados”. Isto significa que, se um estranho - qualquer pessoa — achar que você está “ameaçando” ou “humilhando”, você poderá ser denunciado. Então pergunto: você aceita que o seu juízo seja trocado por qualquer pessoa, mesmo que seja um agente da lei?
Agora, perceba a sutileza da Sra. Carmen Oliveira, subsecretária nacional de Direitos da Criança e do Adolescente: “A nossa preocupação é com palmadas reiteradas ou a palmada que vai à surra e que vai ao espancamento, que vai agravando a conduta de violência”. Ué, o projeto diz que é proibido qualquer beliscão ou palmadinha, e mesmo a mera ameaça (ameaça do quê?) ou humilhação (repreender em público é humilhar?), ou tipifica a conduta apenas contra as reiteradas palmadas ou a palmada que vai à surra e ao espancamento? Observe como o governo quer — mais uma vez — vender gato por lebre.
Constate como anda o respeito, a responsabilidade, o estudo e a disciplina nas escolas públicas! por acaso, lá estão faltando os “educadores”? Ora, em nenhuma instituição há uma rede tão ampla de pedagogos, psicólogos, mestres e doutores, desde os que criam as tais diretrizes, nas cadeiras mais altas dos ministérios e secretarias estaduais e municipais, até os professores encarregados de multiplicar seus métodos.
Caro leitor, se você acha que a educação que o governo pretende impor ao seu filho é moralmente mais valiosa e acertada que a sua, pare de sofrer: jogue sua ninhada na Febem e vá curtir a sua vida! Ficar cultivando cãs, pra quê?
Lula resolve a confusão: castigo físico não é violência

9 comentários :

EBDicas - Sergiano disse...

A paz do Senhor Jesus.
Essa lei é uma situação para que o povo de Deus se humilhe e lamente diante do Senhor, nossa Justiça e Segurança dessas armadilhas do diabo!
Fique com Deus.

Ana Elisa Pires disse...

Terminantemente a mordaça está sendo instalada em nosso país! Era só o que me faltava nessa altura do campeonato, que o governo determinasse como devo educar meus filhos. Daqui à pouco quererão determinar com quem meus filhos se casam, quantos filhos terão, selecionarão se meus netos serão meninos ou meninas. A diferença entre este governo e uma ditadura é que a ditadura assumiu o nome, já esse governo é ditatorial com o nome de 'democracia'. Bom, na democracia eu tenho o direito de decidir se concordo ou não com esse absurdo!
Ana Elisa Dantas de Souza Pires

Anônimo disse...

Amigo Júlio,
Por causa dessa lei(?), se eu me casasse hoje, não teria filhos, pois sei que ia passar mais tempo respondendo à justiça(?) do que educando eles. Porque lhe digo com toda sinceridade, nenhuma lei iria me proibir de dar umas "palmadas" em meus filhos afim de educa-los, e educa sim, palmadas educa sim, as vezes só assim a criança sabe que agiu errado. Lembro-me do tempo em que professores davam "bolos" nos alunos - eu tomei muitos quando não sabia a lição - e eram respeitados por eles, os próprios pais davam autorização para faze-lo e a juventude era mais educada, respeitavam os idosos, e principalmente pai e mãe. Quando meu pai queria conversar com um amigo, bastava passar o "olhar" pra mim, e eu entendia que a conversa era de adultos e tinha que sair... mas tomei algumas palmadas e agradeço a meus pais por isso... e não sou idoso não, tenho só 54 anos. Hoje vejo com tristeza, filhos dizer a pai e mãe: 'mãe, a senhora está mentindo', não foi assim não... Eu prefiro dar umas palmadas, a - Deus que não permita - ver a polícia batendo em um filho e juiz julgando. Essa lei eu nunca iria respeitar, ninguém ia me proibir de educar um filho. O governo era quem deveria ser obrigado a dar educação melhor, pois são eleitos para faze-lo e não faz, e deixar de querer intervir no seios das famílias, com o firme propósito de destruir-la. É mesma lei do voto obrigatório. Para mim o voto é um direito que eu tenho e não um dever ou obrigação... vou lá quando acho que devo ir, nunca paguei nenhuma multa e meu título nunca foi cancelado. Se todos os brasileiros fizessem com eu, muita coisa mudariam. O que eu acho muito engraçado, é que dizem que deputados e senadores são representantes do povo, e só fazem leis contra o povo, para proteger a maioria que realmente merece proteção, nenhum parlamentar faz nada. Se preocupam somente com os que têm um comportamento anti-natural.

Lúcio

SILVIO RICARDO disse...

ACONTECEU EM RIBEIRÃO PRETO...

Julio,

esse vídeo do Instituto Plinio Correa de Oliveira - IPCO - é um enorme alerta à população brasileira. Mais uma investida do movimento homossexual contra a liberdade individual.

http://www.youtube.com/watch?v=wIvDArJipJw&feature=player_embedded

Claudia Nunes disse...

Concordo com o nome de Lei da Mordaça para essa lei tosca. Uma pessoa instruída, bem alimentada, com bom emprego e a geladeira cheia, sabe que uma palmada na hora certa não é espancamento nem abuso. Mas uma pessoa esquecida pelo governo, com fome, dívidas, desempregado, a cabeça fervilhando de problemas mil, pode sim, perder as estribeiras e ir um pouco além das palmadas se a birra for na hora errada. Em vez de punir quem deu a palmada deveria punir o que motivou o pai ou mãe a ir além da famosa "Palmadinha Terapêutica", aquela feita no momento certo da birra, pra dar uma 'acordada' na criança. Afinal de contas, porque se 'esbofeteia' uma pessoa que esta entrando em crise? (palavras de uma psicóloga amiga minha). A falta de limites esta criando uma sociedade completamente pervertida. Tiraram o poder dos professores e agora querem tirar o poder dos pais. Em breve, eles mesmo ficarão sem poder algum, pelo menos até se conscientizarem que o único que tem poder é Deus. Graça e Paz.

Anônimo disse...

A educadora Cris Poli do SBT ja provou por A mais B que para educar os filhos nao se precisa bater neles.

Quem defende esse metodo sao animais.

Anônimo disse...

MEU AMIGO JULIO A PAZ DE DEUS PARA SUA VIDA,ESSE GOVERNO OMISSO,COVARDE,ENGANOSO E MENTIROSO, TANTAS OUTRAS PRIORIDADES COMO EDUCAÇÃO,SAÚDE,INFRAESTRUTURA E OUTRAS MAIS FICA AI CRIANDO ESSAS LEIS PARA TENTAR NOS AMORDASSAR,MAS NOS EVANGELICOS TEMOS QUE ABRIR NOSSOS OLHOS E TOMAR UMA PROVIDENCIA, PREGAR SOMENTE A VERDADE DOA A QUEM DOER O TEMPO QUE FICA COM GRUPINHOS FECHADOS PARECENDO A IGREJA DE CORINTO EU SOU DE PAULO SOU DE APOLO ETC...TEMOS QUE NOS UNIR COM UM SO PROPOSITO DE ORAR PARA QUE DEUS NOS ABENÇOE NESTE MUNDO SUJO E CORRUPITO ESTOU MUITO TRISTE COM ISSO VOU CONTINUAR ORANDO AMÉM.

carloshenrique disse...

A anônima, que desconfio que seja a Maria Lúcia Munhoz, disse: "A educadora Cris Poli do SBT ja provou por A mais B que para educar os filhos nao se precisa bater neles.

Quem defende esse metodo sao animais."
Resposta: Está, por acaso, querendo fazer lavagem cerebral? Não têm outra coisa para dizer? Ou será que para ti a Cris Poli é uma deusa? Pelo visto você nem sabe argumentar.
A Cris Poli não provou nada e nada provou. E, palmadas cara seguidora da Religião Crispoliniana não é agressão física, mas é educação, é prova de amor. E, aliás, em programa de TV, se tu não sabes, tudo segue um verdadeiro script bem definido. Portanto, programa de televisão não prova nada, e não pode ser considerado como algo provado, pois em qualquer programa de TV, sempre haverá a encenação, o cumprimento de um script pré-determinado em que as pessoas terão que falarem e agirem conforme está determinado no texto. Portanto, seja um pouco mais inteligente, e para de ficar adorando a Cris Poli, pois para mim essas suas frases estão mais para culto de adoração a Cris Poli, e se comporte como uma pessoa adulta que pensa, e não como certas pessoas que tudo o que alguém diz, fica a repetir sempre o mesmo. E, pare também com essa lavagem cerebral.
Recomendo uma coisa: se não têm outra coisa para dizer, não diga nada. Se queres falar, fale algo mais inteligente do que isso que tu dizes, se é que é inteligente, pois estou achando que nem estudada é.
E, outra coisa, defender o castigo não é ser animal, mas é ser racional. Aliás, ficar repetindo sempre o mesmo, e ficar dizendo que "A educadora Cris Poli do SBT ja provou por A mais B que para educar os filhos nao se precisa bater neles", isso sim é ser animal, é ser como um papagaio que não têm outra coisa para dizer e fica repetindo o mesmo. Para de ser papagaio de repetição.
E, já que fala tanto da Cris Poli, por que então não vai morar com ela e não pede para ela ser sua mãe?
Já chega! Cris Poli, Cris Poli, Cris Poli toda hora, tá mais parecendo terrorismo e lavagem cerebral do que outra coisa.
Termino por aqui esse meu comentário.

Anônimo disse...

globo só diverge do pt quando o assunto é economia...
cultural é o canal mais anticristão do Brasil...apoia desarmamento, kit gay, lei da palmada, casamento gay, aborto, liberalização das drogas..