17 de julho de 2010

Bispo argentino declara que gays podem vencer atração do mesmo sexo

Bispo argentino declara que gays podem vencer atração do mesmo sexo

Matthew Cullinan Hoffman, correspondente na América Latina
SAN LUIS, Argentina, 21 de junho de 2010 (Notícias Pró-Família) — Às vésperas de uma marcha pró-família para a qual ele estava agendado para liderar na semana passada, o Bispo Jorge Lona de San Luis defendeu a instituição do casamento, e declarou que o tratamento psiquiátrico pode ajudar os homossexuais a vencer a atração indesejada de mesmo sexo.
“A Igreja pode iluminar essa pessoa. Portanto, ninguém deveria jamais crer que [os homossexuais] não têm liberdade nessa tendência”, o Bispo Lona disse numa entrevista. “A ciência psiquiátrica já demonstrou isso”.
“O texto psiquiátrico mais importante da Universidade Norte Americana de Medicina [diz] que as pessoas com uma tendência homossexual, se buscarem receber assistência psicoterapêutica e tudo o que possa ajudá-las para sua atração, podem modificar sua orientação e terem um casamento feliz e eliminarem seu sofrimento”, acrescentou ele.
Com relação à ideia de “casamento” homossexual, que está atualmente sob consideração no Senado da Argentina, o Bispo Lona declarou: “qualquer projeto de lei que o proponha, simplesmente mostra falta de respeito pela realidade da natureza humana, e principalmente pelo ser humano, a criança, em seu direito de ter um pai e uma mãe”.
Os homossexuais, acrescentou ele, “merecem o respeito que é devido à dignidade de toda pessoa humana, mas eles jamais poderão ser a origem de uma verdadeira família humana, jamais poderão se constituir num casamento verdadeiro, com os mesmos direitos e obrigações da união matrimonial entre um homem e uma mulher”.
“Podemos dizer que há agora sete países que têm aceitado essa contradição em termos, e também seis jurisdições dos 50 que compõem os Estados Unidos, mas isso não é razão para os argentinos fazerem o mesmo”, disse Lona, que denunciou o fato de que o Senado tenha assumido a questão em vez de permitir que o povo a vote num plebiscito.
Lona também expressou preocupação com o declínio do casamento na Argentina, uma tendência que se reflete em boa parte do mundo “desenvolvido”.
“Na Argentina, as uniões matrimoniais caíram pela metade; mas para aquelas que permanecem, elas sustentam o país e nós pois precisamos defendê-las mais do que nunca”, disse ele.
Traduzido por Julio Severo: www.juliosevero.com
Veja também este artigo original em inglês: http://www.lifesite.net/ldn/viewonsite.html?articleid=10062103
Copyright © LifeSiteNews.com. Este texto está sob a licença de Creative Commons Attribution-No Derivatives. Você pode republicar este artigo ou partes dele sem solicitar permissão, contanto que o conteúdo não seja alterado e seja claramente atribuído a “Notícias Pró-Família”. Qualquer site que publique textos completos ou grandes partes de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com em português tem a obrigação adicional de incluir um link ativo para “NoticiasProFamilia.blogspot.com”. O link não é exigido para citações. A republicação de artigos de Notícias Pró-Família o LifeSiteNews.com que são originários de outras fontes está sujeita às condições dessas fontes.

Um comentário :

Anônimo disse...

Juiza argentina desobedece a lei e se nega a casar gays: “não quero que Deus me condene”
Por Redação Gospel+ em domingo, 18 julho 2010
Tags: Casamento gay na argentina 18 Comentários Compartilhe Imprimir Email Tweet 0 0747
Uma juíza de paz argentina afirmou nesta sexta-feira que se negará a casar pessoas do mesmo sexo por temer “condenação de Deus”, mesmo que isso lhe custe a carreira, após a aprovação da lei que permite o casamento homossexual na Argentina.

Visite: Gospel, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel
Segundo a juíza de paz Marta Covella, da província de La Pampa (centro da Argentina), os casais homossexuais não deixarão de se unir por causa dela, já que um juiz suplente será designado para ratificar o matrimônio.

“Mas eu, por uma questão de princípios cristãos, não posso fazê-lo. Porque na Bíblia, Deus não aprova essa forma de viver. Uma relação entre homossexuais é uma coisa ruim diante dos olhos de Deus”, justificou Covella.

Mesmo levando em conta os riscos de ser destituída ou criticada pela opinião pública, ela afirma que “por nada nem por ninguém” irá contrariar seus princípios.

“O que não quero é que Deus me condene”, ressaltou.

A Argentina aprovou nesta quinta-feira uma reforma do Código Civil que permite o casamento entre pessoas do mesmo sexo, depois de um duro e intenso debate legislativo que reflete a divisão que existe no país a respeito do tema.

Fonte: EFE / Gospel+