25 de janeiro de 2010

Presidente do Brasil busca garantir aborto como “direito” e proibir crucifixos em prédios governamentais

Presidente do Brasil busca garantir aborto como “direito” e proibir crucifixos em prédios governamentais

Enorme programa legislativo sendo chamado de “golpe de Estado” não violento e “ditadura” de um partido socialista      

Matthew Cullinan Hoffman, correspondente na América Latina
BRASÍLIA, Brasil, 22 de janeiro de 2010 (Notícias Pró-Família) — O presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva introduziu um enorme pacote de reforma legislativa no último ano de seu mandato que garantirá o aborto como “direito humano”, imporá a ideologia socialista e homossexual nas escolas e meios de comunicação e proibirá crucifixos em dependências governamentais, entre outras medidas.
O programa legislativo, que se chama Terceiro Programa Nacional de Direitos Humanos (PNDH-3), estabelecerá um nível de controle sobre os meios de comunicação e propriedade privada que está sendo chamando de “golpe de Estado” não violento e “ditadura” de um partido socialista. O programa provocou protestos generalizados de instituições abrangendo desde a Igreja Católica até a liderança militar, o setor agrícola e até ministros de governo.
A liderança da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) divulgou uma declaração que “reafirma sua posição, muitas vezes manifestada, em defesa da vida e da família, e contrária à descriminalização do aborto, ao casamento entre pessoas do mesmo sexo e o direito de adoção de crianças por casais homoafetivos”.
A liderança da CNBB “rejeita, também, a criação de ‘mecanismos para impedir a ostentação de símbolos religiosos em estabelecimentos públicos da União’, pois considera que tal medida intolerante pretende ignorar nossas raízes históricas”.

Ditadura de um partido socialista?

Se o Partido dos Trabalhadores tiver êxito em impor o pacote legislativo contido no PNDH-3, receberá amplos poderes para silenciar organizações da mídia que discordem de sua ideologia, para impor sua agenda política pró-aborto e pró-homossexualismo no país inteiro e para minar os direitos de propriedade privada. Os abrangentes poderes propostos pelo governo levaram pelo um proeminente jornalista do Brasil a falar de “ditadura” de um partido. 
Por exemplo, o programa trata o assassinato de bebês em gestação como “direito humano” a ser protegido pelo Estado. A Diretiva 9 inclui “Apoiar a aprovação do projeto de lei que descriminaliza o aborto, considerando a autonomia das mulheres para decidir sobre seus corpos”.
A diretiva também ordena a criação de “campanhas e ações educativas para desconstruir os estereótipos relativos às profissionais do sexo”.
“Educação e Cultura em Direitos Humanos”, o quinto “eixo” do programa, determina que as crianças desde a infância devem ser doutrinadas no conceito governamental de “direitos humanos”, o qual inclui “o estudo da temática de gênero e orientação sexual” com o propósito de “combater o preconceito, às vezes arraigado na própria família”.
A Diretiva 10 dá um golpe decisivo na tradição brasileira de mostrar crucifixos em dependências públicas, ordenando a criação de “mecanismos para impedir a ostentação de símbolos religiosos em estabelecimentos públicos da União”.
A diretiva também propõe “Realizar campanhas e ações educativas para desconstruir os estereótipos relativos à… identidade sexual e de gênero”.
A Diretiva 19 do programa exige a criação de currículos “para todos os níveis e modalidades de ensino da educação básica” para “promover o reconhecimento e o respeito das diversidades de gênero, orientação sexual, identidade de gênero…”
As diretivas educacionais do programa terão um impacto ainda maior considerando o fato de que o governo recentemente aprovou uma emenda constitucional obrigando todas as crianças a serem enviadas para a escola a partir de 4 anos de idade.

Amplo Controle dos Meios de Comunicação e Propriedade Privada

A Diretiva 22 do PNDH-3 estabelecerá o controle estatal no conteúdo dos meios de comunicação, exigindo que as estações de rádio e TV mostrem “respeito aos Direitos Humanos nos serviços de radiodifusão (rádio e televisão) concedidos, permitidos ou autorizados, como condição para sua outorga e renovação [de suas licenças], prevendo penalidades administrativas como advertência, multa, suspensão da programação e cassação, de acordo com a gravidade das violações praticadas”.
A diretiva também determina a criação de “incentivos” para “pesquisas regulares que possam identificar formas, circunstâncias e características de violações dos Direitos Humanos na mídia”.
A Diretiva 8 propõe o uso dos meios de comunicação como porta-vozes do programa governamental de doutrinação em “direitos humanos” para jovens, determinando a “informação às crianças e aos adolescentes sobre seus direitos, por meio de esforços conjuntos na escola, na mídia impressa, na televisão, no rádio e na Internet”.
Com relação à propriedade privada, o PNDH-3 propõe que um “sistema legal” especial seja criado para a “mediação de conflitos fundiários urbanos, garantindo o devido processo legal e a função social da propriedade”. O programa usa linguagem semelhante para os conflitos de propriedade rural. De acordo com o jornal conservador espanhol El Pais, a linguagem é quase idêntica a do presidente Hugo Chavez da Venezuela, que fala do conceito de “propriedade social”.
O programa provocou choque e ameaças de demissão de elevados líderes militares por propor a criação de uma “Comissão da Verdade” para examinar crimes cometidos pelo regime militar na década de 1960 e 1970. Os líderes militares estão isentos de ações legais de tais crimes de acordo com as atuais leis brasileiras. Lula acalmou temores entre líderes militares concordando em aplicar a comissão para todas as violações de “direitos humanos”, as quais presumivelmente incluem as atividades terroristas da oposição socialista durante o mesmo período.

Controvérsias entram em erupção no Brasil

Embora o presidente Lula tenha aquietado temores de uma perseguição socialista contra seus antigos inimigos militares, o plano continua a provocar revolta e feroz oposição dentro do Brasil.
Reinaldo Azevedo, que dirige um blog para a revista mais lida do Brasil, a Veja, diz que a proposta estabelecerá uma “ditadura” dirigida pelos camaradas do presidente Lula, chama-a de um “golpe de Estado” sem derramamento de sangue e compara o governo ao de Hugo Chavez, que está gradualmente eliminando as liberdades civis na Venezuela.
Azevedo também escreve que as propostas “extinguirão a propriedade privada no campo e nas cidades” e declara que “o Regime Militar instituído em 1964 foi mais explícito e mais modesto” em suas intenções.
Dimas Lara Resende, secretário-geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, comentou que “daqui a pouco vamos ter de demolir a estátua do Cristo Redentor”.
As associações de mídia e agricultura também levantaram a voz contra as propostas.
A presidente da Confederação Nacional da Agricultura, a senadora Kátia Abreu, disse que a criação de programas de mediação em casos em que as pessoas invadem propriedade privada incentivará a violência rural e prejudicará os direitos de proprietários de terras. Andre Meloni Nassar, diretor-geral do Instituto de Estudos do Comércio e Negociações Internacionais, escreve que o programa é um “funeral para o agronegócio”.
Até mesmo o ministro da agricultura de Lula, Reinhold Stephanes, rejeitou a idéia, expressando temores de que tais medidas “aumentarão a insegurança no país” e “fortalecerão organizações radicais”.
Embora o próprio Lula tenha expressado preocupação com algumas partes do programa, ele parece determinado a defendê-lo, embora o programa ameace minar a forte popularidade de Lula em seu último ano de governo.
Traduzido por Julio Severo: www.juliosevero.com
Veja também este artigo original em inglês: http://www.lifesitenews.com/ldn/2010/jan/10012208.html
Copyright © LifeSiteNews.com. Este texto está sob a licença de Creative Commons Attribution-No Derivatives. Você pode republicar este artigo ou partes dele sem solicitar permissão, contanto que o conteúdo não seja alterado e seja claramente atribuído a “Notícias Pró-Família”. Qualquer site que publique textos completos ou grandes partes de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com em português tem a obrigação adicional de incluir um link ativo para “NoticiasProFamilia.blogspot.com”. O link não é exigido para citações. A republicação de artigos de Notícias Pró-Família o LifeSiteNews.com que são originários de outras fontes está sujeita às condições dessas fontes.
Leia mais:

23 comentários :

cgfreita disse...

Só uma observação: o El País é tudo menos conservador; é (ou foi) o jornal de referência do socialismo na Espanha.

Silvio Ricardo disse...

Direitos Humanos !!!???

Os seguidores de Karl Marx, de maneira proposital e maquiavélica, destorcem as palavras a seu bel prazer, visando unicamente e sem nenhum escrúpulo implantar seus ditames autoritários, e ainda batizam isso de “direitos”?

Esse programa socialista de “direitos” do PT só servirá para atender os objetivos inconfessáveis de RADICAIS ABORTISTAS, ATIVISTAS GAYS, BANDIDOS DO MST, entre outros – todos com intenções autoritárias claríssimas bem ao estilo comunista.

Caso esse despacho chamado PNDH-3 seja aprovado, teremos no Brasil uma verdadeira ditadura, com o fim de TODAS as nossas liberdades individuais, que já vem sendo minadas lentamente pelo comunismo petista.

Anônimo disse...

Sinceramente, nao sei onde nosso pais vai parar. Alias, como crentes, sabemos muito bem... Se o pretexto para legalizar o aborto eh considera-lo "direito humano", onde estah entao o direito humano por parte dos proprios bebes? Afinal de contas eles tambem sao humanos, nao eh? Ou serah que soh depois q nascem sao considerados humanos?

Silvio Ricardo disse...

Uma dica minha para os leitores do Blog.

Assistam ao vídeo "A corrupção moral da sociedade pelos Marxistas", http://www.youtube.com/watch?v=Wqlg3Z3ilWs.

O diagnóstico de Yuri Bezmenov se aplica perfeitamente ao Brasil de hoje, assaltado, dilapidado e desmoralizado pela gangue petista.

Leiam também o artigo do Prof. Ives Gandra Martins, "Corrupção e Marxismo", http://www.lucianopires.com.br/idealbb/view.asp?topicID=7994.

Silvio Ricardo disse...

Na opinião do Prof. Ives Gandra "Pela má qualidade do texto do PNDH-3 e pelo viés ideológico ditatorial, dificilmente essas propostas passarão no Legislativo".

http://www.imil.org.br/artigos/guerrilha-e-redemocratizacao/

Anônimo disse...

Olha Julio Severo, pelo que aprendi em igrejas evangelicas, cricifixo é idolatria. Então pouco importa a decisão do presidente.

Julio Severo disse...

Olha, para o Lula e sua turma socialista, também pouco importa o crucifixo. O que eles querem é exterminar os sinais visíveis da influência cristã no Brasil, seja por crucifixos, Bíblias, etc. Não pense que esse radicalismo vai parar no crucifixo. No final, com todos os símbolos eliminados, só vai faltar exterminar os próprios cristãos.

o observador disse...

Leiam o plano de seis etapas para a mudança do comportamento que está no site espada do espírito e vejam se não é o caso deste PNDH-3?

Esse plano não vai ser aprovado do jeito que está, mas vai gerar discussão suficiente para que partes dele sejam aceitas, abrindo a possibilidade de maiores mudanças no futuro.

A propósito o endereço da espada do espírito é http://www.espada.eti.br

Silvio Ricardo disse...

Pesquisa recente sobre o aborto nos EUA:

http://www.kofc.org/un/eb/en/news/polls/index.html

http://www.kofc.org/un/cmf/resources/Communications/documents/millennials_report_abortion.pdf

http://www.zenit.org/article-23881?l=portuguese

wendel disse...

Eu sou 100% a favor da proibição de crucifixo em repartição publica como tambem sou a favor da retirada de todas as imagens catolicas e acho sua resposta Julio equivocada dizendo que: "No final, com todos os símbolos eliminados, só vai faltar exterminar os próprios cristãos" agora eu sou totalmente contra a legalização do aborto e sou tambem contra a adoção de crianças por viados e sapatões

PLANETA DIARIO disse...

É o novo AI-5.

Anônimo disse...

A igreja evangélica nasceu da católica. então´não é certo tirarem os crussifixos das salas dos juises.

Se não fosse a igreja católica nunca existiria a igreja evangélica. Esta segunda é uma religião que nasceu depois da primeira.

Eduardo Araújo disse...

Ao anônimo indiferente à retirada dos crucifixos dos estabelecimentos da União:

Corroborando a resposta do Júlio, os crucifixos são apenas o mote inicial, passando-se ligeirinho para todo o resto. E às vezes nem esperam: em Fortaleza, a prefeita - do PT, observo - já tentou proibir as Bíblias nas bibliotecas do município. Drogas absolutas e ideológicas como os livros de Marx, podem, entenderam? Mas a Bíblia não, sob a velha e extremamente imbecil alegação de que "o Estado é laico". Na verdade, essa alegação não passa de um simulacro de justificativa para eliminar a religião de toda e qualquer visibilidade pública, isto sim.

Por isso, a questão dos crucifixos importa, sim, a todos os cristãos, independentes de igreja. Lembra aquela estória do sujeito que assistia indiferente à progressiva destruição da casa do vizinho? Num "belo" dia os demolidores chegaram ao seu jardim ...

lol disse...

http://g1.globo.com/Noticias/Mundo/0,,MUL1462266-5602,00-PREFEITO+DE+MOSCOU+DIZ+QUE+PARADA+GAY+E+ATO+SATANICO.html

"enquanto no pais da profecia'

Anônimo disse...

Povo louco(govêrno e todos aquêles que o apoiam) e sem entendimento, colherão os frutos de suas ações.
Não vejo solução para o mundo,pois
cada dia consegue ficar pior que o
dia anterior.
Jesus disse que em sua vinda todos
lamentariam(Ap.1:7).
O povo de DEUS é aquêle que ouve a
voz do Espírito Santo(Mt.7:21-23),
profissão de fé,participar de religiôes não é o âmago da questão.

Anônimo disse...

Mas a CNBB não se pronunciou contra o "extermínio" do direito de propriedade também planejado pelos soviets petistas no seu tal plano de "direitos desumanos"... A razão é simples, até hoje, o MST é nutrido ideologicamente e financeiramente pela C.P.T e CNBB juntos. A I.C. não tem coerência. Enquanto foram os "idiotas úteis" o MST e o PT eram parceiros da I.C. nas invasões de propriedades alheias. Agora, que não precisa mais dos "idiotas úteis", a turba comunista dá-lhe um pé no traseiro. A I.C. deve ainda imaginar que os bandidos arruaceiros, assassinos e foras da lei do MST continua "lutar" por justiça divina quando cobiçam, invadem e destroem as coisas do próximo. Talvez agora que a pimenta vai-lhe arder nos olhos próprios, a I.C. comece a pensar que a pimenta que ainda ela ajuda a colocar nos olhos dos outros, não é refresco. Talvez agora a I.C pregue o Evangelho verdadeiro, e assim possa contribuir para extirpar este câncer do mundo chamado de socialismo/comunismo.

Edinei

Abbey disse...

Bem manifestado o comentário do Julio, hoje arrancam os cricifixos, depois renomeiam ruas, praças, cidades e estados com nomes de santos, noutra feita proibem o juramento nas audiências, depois vão acabar com os feriados religiosos, proibirão entrega de folhetos evangelísticos em ônibus, trens, metros, depois proibirão pregações em praças públicas, distribuição de Biblias em hoteis, escolas... depois quem sabe, a loucura e perseguição vai fazê-los mudar o nosso calendário, afinal ele tb é baseado sobre a fé cristã, que eles tanto odeiam! Só espero não estar mais aqui em breve, que Jesus venha logo, Maranata!

Tenho muita pena é de quem está com filhos pequeninos ou os tem em mente para ter... Duros tempos esses que estão por vir...

Roberto Domingos disse...

Sr. Edinei a CNBB e a CPT não representam, nunca representaram e com certeza nunca virão a representar a Igreja Igreja Católica. Não cabe a a CNBB discutir a posse da terra, caberia sim a CNBB discutir a questão do aborto e dos crucifixos e isto ela fez, a CNBB foi criada para dar suporte doutrinário aos Bispos e ao clero em geral, o que não faz, ela tem se ocupado de tudo, política, questões sociais e até ecologia, talvez por isso não sobre tempo para as questões da fé. Quanto ao Evangelho verdadeiro a Igreja o prega há dois mil anos, poderia me estender mais, porém não o farei.

Ekklesia disse...

Olá Julio severo.

Que o Senhor Jesus abençoe muito você.

Veja estes escritos. Não estou mais postando. Esses ficaram como últimos.

Um abraço
Rosângela

http://blogandooglobonarealidadeespiritual.blogspot.com/

Ferraz, E. G. disse...

Também acredito que o crucifixo é idolatria, mas não posso concordar com a imposição do governo do PT.

Tudo é muito sútil, porém fica claro que os objetivos desse programa são outros. Não se trata apenas de vetar as imagens de escultura dos católicos, mas os religiosos (evangélicos principalmente) como um todo.

É mais uma tentativa de extirpar os valores cristãos dos alicerces da Pátria.

Não é justo, nós evangélicos, defendermos só o nosso direito de expressar a nossa fé, esquecendo do direito de outros milhões de brasileiros.

Nós, evangélicos, também gostamos de criar (com apoio do Estado) as "praças da Bíblia", realizar as nossas "cruzadas" e "marchas" em locais públicos, promover as "semanas evangélicas" e diversos outros eventos e atividades. Não vejo nada de errado nisso (e acredito que a maioria dos evangélicos também não, até pelo contrário).

A Bíblia Sagrada está presente em muitos locais públicos, não tanto como eu gostaria e nem tanto como os crucifixos católicos, é verdade. Mas está e poderá continuar estando, se esse programa não impedir.

Esse programa prejudicará muito mais os evangélicos (pelo proselitismo agressivo) do que o catolicismo. Só cego não vê.

Espero que possamos acordar enquanto é tempo. A fragmentação do pensamento e da ação de uma sociedade é o sucesso de regimes totalitários.

"Primeiro levaram os comunistas e eu não protestei – porque não era comunista. Daí levaram os socialistas e eu não protestei – porque não era socialista. Depois foi a vez dos sindicalistas e eu não protestei – porque não era sindicalista. Então levaram os judeus e eu não protestei – porque não era judeu. Por fim levaram a mim – e não restou mais ninguém para protestar por mim.”
(Martin Niemoller, ministro protestante e sobrevivente de campo de concentração)

Ana Maria Zaiden disse...

E continuarão agindo como querem e todos continuarão a se calar e, quando protestarem, serão como cegos a guiarem cegos. Retirarão os Crucifixos dos locais públicos e muitos apoiarão. Esquecidos estão que foi na CRUZ que CRISTO morreu para remir os pecados da humanidade.
A Cruz, o Crucifixo não é mero objeto, símbolo cultural dos católicos; Nela, a Cruz, está o motivo da nossa salvação.
Olhemos todos para a Cruz de Cristo.
Supliquemos a Misericórdia Divina para nós e para toda humanidade pecadora.

Geraldo disse...

Sera que eles vao destruir o Cristo redentor tambem?

Anônimo disse...

MUITO PRAZER EM CONHECE-LO IRMAO JULIO.CONTINUE NESTA FÉ E CORAGEM,POIS DEUS É CONTIGO,GOSTARIA MUITO DE AJUDAR NO QUE FOSSE PRECISO,EU LOUVO À DEUS PELA SUA VIDA,E CREIO QUE ESSAS VIDAS QUE HJ Ñ ENTENDEM E NEM ACEITAM O AMOR DE DEUS,UM DIA VÃO CONHECER A VERDADE E SERÃO LIBERTAS,UM GRANDE ABRAÇO E A PAZ DO SENHOR JESUS.