30 de novembro de 2009

CongressoEmFoco apela para defecação em símbolos e valores evangélicos e católicos

CongressoEmFoco apela para defecação em símbolos e valores evangélicos e católicos

Julio Severo
Fazendo verdadeiro abuso do direito de livre expressão, um tal de Marcelo Mirisola do site esquerdista CongressoEmFoco fez declarações patentemente anticristãs, dizendo:
Picaretagem chamada “Marcha para Jesus”.

Jesus: Nome maldito?

Nenhum holocausto e nenhuma calamidade humana poderia ser comparada à lavagem cerebral praticada hoje em dia nas assembléias e templos dos meganhas de Jesus, suposto filho de Deus.

Têm uns que dissimulam ataques epiléticos, enrolam a língua e atribuem o “idioma” ao Espírito Santo. Só falam português claro na hora de enfiar a mão na carteira dos incautos. Inacreditável.  E têm aqueles que usam cintos e sapatos brancos, que se dizem ex-pais de santo convertidos à palavra do Senhor. Sem falar nas versões pagode, rap, axé e o diabo a quatro que desfilaram na Marcha para Jesus. Que tristeza. Cadê o Ministério Público?

Igrejas, estádios de futebol, praças, ex-cinemas lotados. A “bispa” Sônia Hernandez e o seu marido, o “apóstolo Estevam”, são a síntese de todos eles.

Maldita bíblia que parece que foi escrita para ser mal interpretada.

E o pior de tudo: eles [os evangélicos] enfeiam suas mulheres, as destituem de tesão e as transformam em urubus encalacrados — extirpam o clitóris de suas almas submissas. Põem suas filhas para estudar nas Unibans da vida. O Jesus deles caminha sobre um mar de merda…

FRAUDE! Taí a lógica escarrada dos neopentecostais. Embora o Sudário seja uma relíquia (leia-se picaretagem católica), a engrenagem da trapaça é a mesma.

Em 20 séculos, repito, jamais as palavras de Jesus Cristo foi tão vilipendiada, jamais o filho de Maria foi tão filho da puta.
É bem fácil cuspir nos cristãos e em Jesus, pois os cristãos são muito tolerantes. Prova disso é que Mirisola e CongressoEmFoco não serão linchados nem sofrerão um ataque a bomba por suas palavras de baixíssimo nível moral contra evangélicos e católicos.
CongressoEmFoco tem toda liberdade de criticar quem quer que seja. Eu, como evangélico, também não apóio o mau testemunho do casal Hernandez e do Bispo Macedo e os critico em meu humilde blog. Mas nem por isso xingo os participantes da Marcha para Jesus, nem xingo Jesus. Aliás, penso que a Marcha para Jesus — tirando a presença de Marta Suplicy e outros políticos imundos — é um evento necessário para glorificar o nome de Jesus. Eu também não xingo Mirisola, nem Macedo, porque pessoas educadas sabem criticar sem apelar para a latrina.
Seria muito interessante ver o “destemido” Marisola defecar palavrões nos maometanos e em Maomé. Ou então que ele defecasse nos comunistas de Cuba ou em Fidel Castro. E quem acha que ele teria coragem de incomodar gente que sabe responder à altura?
Mergulhar o cérebro e a língua no vaso sanitário para atacar os cristãos é comportamento típico de Maria-mole sem criatividade.
No entanto, declarar que “nenhum holocausto poderia ser comparado à lavagem cerebral praticada hoje em dia nas assembléias e templos dos meganhas de Jesus” é o cúmulo da insanidade, pois o Holocausto original foi perpetrado pelo governo nazista (um regime que odiava radicalmente os valores judaico-cristãos) contra os judeus, um povo marcado pela religião judaica. Num só texto, Mirisola denigre, avilta e agride evangélicos, católicos e judeus.
São ataques desse tipo, feitos por semeadores profissionais do ódio, que acabam gerando atrocidades.
Os cubanos comunistas têm os mesmos sentimentos de Mirisola sobre a religião cristã. Os soviéticos também tinham.
Dê a um Mirisola o governo de Cuba, e os cristãos vão parar no paredón. Dê a ele o governo de uma União Soviética, e os cristãos vão parar nos gulags de tortura e morte.
Ou, no próprio Brasil, dá para imaginar o “arrojado” Mirisola dando aos militantes homossexuais o mesmo tratamento que ele deu aos cristãos, falando de lavagem cerebral feita pela militância gay ou então mencionando Luiz Mott, o líder máximo do movimento homossexual brasileiro, como “nome maldito” ou “filho da ****”? Contudo, Mirisola não é homem para brincar com fogo! E por falar em militantes homossexuais, na segunda edição do artigo, ele mencionou:
Acorda, Luis Mott! Já que o Ministério Público não vai fazer nada mesmo, você poderia entrar com uma ação qualquer contra esse povo do pé quebrado, a coisa vai ficar feia pro lado de quem dá a bunda. Tô avisando. Aliás, vai ficar feia pra todo mundo que se negar a aceitar o “Senhor Jesus”, esse rebotalho fascista filho das trevas e da feiúra.
Mott, que é acusado de defesa à pedofilia e de modo covarde expôs publicamente em seu site o que seria o endereço e telefone pessoal de Julio Severo, é tratado com pena de ouro por Mirisola. Não por casualidade, seu texto recebeu o apoio de sua colega de trabalho no CongressoEmFoco, Márcia Denser, autora de contos eróticos. Some agora a boca e coração de latrina de Mirisola, apoiado por uma autora erótica, apoiando um defensor da pedofilia, e o que temos? Pura e simplesmente: alguém que detesta profundamente o Cristianismo, a decência e a moralidade.
Qual é a jogada dele ao atirar pedras nos cristãos e suas manifestações e ao atirar rosas para Mott? É a segunda vez que ele ataca a Marcha para Jesus em CongressoEmFoco.
Um ano e meio atrás, precisei refutar Mirisola, pois ele fingiu não ver nenhuma diferença entre a Marcha para Jesus e a parada gay de São Paulo. Sobre os dois eventos, ele disse: “todos iguais, ordeiros, pacíficos e coloridos”. Precisei coletar relatos de jornalistas esquerdistas para tentar enfiar na cabeça esquerdopata de Mirisola a verdade da violência, drogas e álcool na parada gay. Mas com ou sem fatos irrefutáveis, Mirisola está cego de amor — pela agenda gay. E ele está cego de ódio — por tudo o que se chame pelo nome de cristão, seja evangélico ou católico.
Os cristãos deveriam cruzar os braços enquanto o ódio fumega das entranhas da intolerância anticristã? Claro que não. Eles precisam se mobilizar contra a tradição ateísta que os tacha de trouxas e tolos com todos os tipos de palavrões pesados, pois assim começaram Hitler e Stálin, primeiro com os judeus, depois com os cristãos. Assim fazem hoje os Mirisola: primeiro com palavrões e, depois, ações na primeira chance. Vamos esperar a progressão e culminação desse ódio irracional?
É possível criticar sem demonstrar ódio? Claro que sim. Meu blog faz críticas regulares a vários aspectos da Cristandade. O ponto de vantagem do Cristianismo é que, com toda a corrupção humana, um cristão é sempre levantado para fazer a diferença e mudar o curso, mesmo na corrupção da Cristandade. Mas quando o ateísmo reina, morre a esperança. Alguém já ouviu falar de um governo genocida ateu derrubado por outro ateu, que trouxe esperança para o povo? O maior regime ateu e assassino do mundo — a União Soviética — foi derrubado pelos esforços de cristãos como Ronald Reagan e Papa João Paulo 2.
É gente como Mirisola, defensor cego da parada gay, que hoje quer nos convencer de que o PLC 122/06 não representa nenhuma ameaça à liberdade e segurança dos cristãos. Se obtiverem êxito, eles rirão de nós e terão depois razões de sobra para nos chamar de trouxas. O ódio, desprezo e palavrões que eles usam agora é apenas uma amostra do que está para vir. Esse ódio não vai ficar para sempre somente em palavras.
Por duas vezes, o Apóstolo Paulo fez uso de seus direitos legais como cidadão romano para se defender de injustiças (cf. Atos 16:37 e Atos 22:25-28). Se não fizermos uso de nossos direitos constitucionais, correremos o risco de viramos trouxas diante do ódio dos Mirisolas, pois eles estão apenas esperando uma oportunidade para transformar seu ódio oficialmente em realidade. A aprovação do PLC 122/06 será um primeiro passo nessa direção.
Enquanto eles ainda não conseguiram poderes e leis para nos mandar para o paredón e para os gulags, é preciso lembrar a eles: a mesma Constituição que garante o direito de livre expressão de todos os cidadãos brasileiros de criticarem quem quer que seja também protege a todos os cidadãos brasileiros de ataques que, ultrapassando os limites da crítica e da decência, expressam desprezo, desrespeito e ódio a Jesus Cristo e aos seus seguidores evangélicos e católicos.
Leia mais:



Luiz Mott: Pedofilia já!

29 de novembro de 2009

Um mundo sem escolas públicas

Um mundo sem escolas públicas

Sam Blumenfeld
Como membro da Separation of School and State Alliance (Aliança Pela Separação entre Escola e Estado), que defende a revogação das leis de comparecimento obrigatório à escola e do financiamento público da educação, às vezes me pergunto como os Estados Unidos seriam se as leis de freqüência obrigatória fossem abolidas e o governo saísse do negócio e do ensino.
Minha resposta é que nós provavelmente poderíamos nos tornar a nação mais educada do mundo. Por quê? Porque quando você está no controle de sua própria educação, você dá o melhor de si e, nesses tempos de alta tecnologia e recursos infindáveis, o que há de melhor está disponível para quem quer se interesse.
 Vamos encarar o problema. As escolas públicas usam os livros didáticos mais maçantes para ensinar o que as crianças já enfadadas não se importam em saber. Na verdade, a maioria das escolas públicas nem sequer ensinam as crianças a ler satisfatoriamente. Eles usam métodos de ensino que criam uma leitura deficiente. Agora, se você estiver encarregado de ensinar seus filhos a ler, você usaria um método de alfabetização que produziria uma leitura deficiente? Claro que não. Você iria procurar um programa que produziria o sucesso na aprendizagem. Tais programas existem, não obstante o fato de muitas escolas públicas se recusarem a usá-los.
Nós tendemos a esquecer que os pais dos Founding Fathers (Fundadores da nação norte-americana) não eram obrigados a enviar seus filhos às escolas públicas do Rei George (monarca inglês cujo governo abrangia as colônias americanas). Havia total liberdade de ensino nas colônias, e é por isso que foi possível obter a melhor educação disponível — seja em casa ou em uma academia de propriedade de um indivíduo cujo trabalho era oferecer a melhor educação possível. E naquela época se entendia bem o que realmente significava educação. Primeiramente, é necessária uma base na Bíblia e a aprendizagem das línguas em que a Sagrada Escritura e a literatura teológica estavam escritas: latim, grego e hebraico. Significava o desenvolvimento das faculdades intelectuais, a capacidade de ler e de usar a linguagem. Entendia-se que o domínio da linguagem, que é a ferramenta básica do pensamento, seria a chave para o desenvolvimento intelectual.
Nas escolas públicas de hoje, os cérebros das crianças são embrutecidos pela utilização de métodos de ensino que parecem mais uma lobotomia pré-frontal não-cirúrgica. Crianças brilhantes e inteligentes são deliberadamente transformadas em idiotas mediantes métodos de ensinos calculados para fazer exatamente isso. Sabemos que as crianças são, por natureza, inteligentes, pois elas começam a aprender a sua língua materna pouco após o nascimento. Até o momento que elas estão prontas para ir à escola, elas dominam um vocabulário de milhares de palavras. Fazem tudo isso por si só, ouvindo e imitando as pessoas à sua volta, sem a ajuda de professores e escolas certificados pelo governo.
Todas as crianças, salvo aquelas com graves deficiências, nascem com uma faculdade natural de linguagem. Todas as crianças são, portanto, dínamos da aprendizagem de línguas, e a Bíblia nos diz o motivo. Deus nos deu o poder da fala, porque Ele queria se comunicar com aqueles que Ele tinha criado. Na verdade, a função primordial da linguagem foi a de permitir ao homem conhecer a Deus. Em outras palavras, o conhecimento de Deus foi o primeiro passo na educação de Adão. A segunda função da linguagem era permitir a Adão conhecer o mundo. É o que a Bíblia diz em Gênesis 2:19:
“Da terra formou, pois, o Senhor Deus todos os animais, o campo e todas as aves do céu, e os trouxe ao homem, para ver como lhes chamaria; e tudo o que o homem chamou a todo ser vivente, isso foi o seu nome.”
Em outras palavras, Deus fez de Adão um observador do mundo natural à sua volta, um cientista e um lexicógrafo — um expandidor da linguagem e um fabricante de dicionários. Então Deus deu Eva a Adão. A Bíblia diz: “Então Deus os abençoou e lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos; enchei a terra e sujeitai-a; dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu e sobre todos os animais que se arrastam sobre a terra.” Portanto, a linguagem agora deveria ser utilizada para conhecer aos outros, explorar, descobrir, cultivar, conservar e conquistar. E, finalmente, Adão usou a linguagem para conhecer a si mesmo, porque a linguagem é a ferramenta do pensamento, e usamo-la para o nosso diálogo interior, na solidão do nosso ser.
Educadores de verdade, com conhecimento bíblico avançado, sempre souberam que o desenvolvimento da linguagem e o seu uso são o propósito inicial da educação. Em Deuteronômio nós aprendemos as funções religiosas e sociais da educação: conhecer a Deus e transmitir às gerações futuras esse conhecimento, esse amor, essa admoestação. A língua é o que media a transmissão cultural e religiosa. A Bíblia, passada de geração a geração, é um testemunho do valor eterno da Palavra de Deus. Um sistema de ensino que nega essa verdade patente não pode ser aceito por um povo temente a Deus.
Lemos no Evangelho de João: "No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus." Assim, a palavra é a chave para tudo o que é de grande importância em nossas vidas. Mas a freqüência escolar obrigatória destruiu esse conhecimento fundamental e essa apreciação. Você não pode sequer mencionar a Palavra de Deus em uma escola pública. Se tivéssemos a liberdade de ensino, a Palavra de Deus poderia mais uma vez se tornar o centro da vida do povo americano.
Não há dúvida de que nos tornaríamos as pessoas mais educadas do mundo, porque deveríamos saber o que realmente é a educação e escolher os melhores meios para alcançá-la. Deveríamos reconhecer a nossa dependência de Deus para a sabedoria suprema. Deveríamos orientar as mentes de nossas crianças para que este mundo dado por Deus de incrível beleza, variedades e mistérios esteja aberto às suas curiosidades e interesses.
As escolas públicas de hoje privam as crianças do seu direito de ser aquilo que Deus as fez para ser. Esse é o pecado deles. Charlotte Iserbyt, em sua magnum opus, The Deliberate Dumbing Down of America, prova através de documentação exaustiva que os educadores seculares estão utilizando técnicas de adestramento animal desenvolvidas por cientistas comportamentais, as quais transformam as crianças americanas em estúpidos robôs, que respondem por reflexos a estímulos apresentados por uma autoridade imposta e atéia. As crianças estão sendo condicionadas a responder através de uma coerção, do mesmo modo previsto pelos seus treinadores. Assim como os animais treinados, elas não podem ter domínio sobre qualquer coisa.
Educação não é a mesma coisa que treinamento. Os animais podem ser treinados. Mas não podem ser educados.
O atual sistema de educação reduz o homem ao estado de animal para que lhe seja negado o conhecimento de que ele foi feito à imagem de Deus. Quando os seres humanos, especialmente as crianças, são treinados como animais, eles estão sendo negado o que é verdadeiramente humano sobre eles: sua capacidade de usar suas mentes independentemente de qualquer treinador. É crime privar as crianças de suas qualidades e capacidades humanas. Mas é isso o que está sendo feito em nome da School-to-work (Educação profissionalizante), Outcome Based Education (Educação baseada em resultados) e outros programas mais.
Agora, nossas escolas ensinam às crianças a educação para a morte, para o suicídio, para o sexo e para as drogas. Charlotte Iserbyt observou que tudo o que é ensinado antecedido da palavra "educação" não é realmente educação. Você não chama a leitura de educação para a leitura. Você não chama a aritmética de educação para a matemática. Você não chama a ortografia de educação ortográfica. Em outras palavras, o que eles estão realmente ensinando é morte, suicídio, sexo e drogas. Ao adicionar a palavra educação para estes assuntos, os educadores enganam os pais fazendo-os pensar que o que as escolas estão fazendo não é subversivo à saúde e ao bem-estar de seus filhos, mas sim algo benéfico. Entretanto, sabemos que não é.
Até quando os americanos vão permitir que seus filhos sejam privados de seus mais preciosos valores humanos? As famílias que educam os filhos em casa já não permitem, porém, essas famílias representam um percentual muito pequeno de famílias dos Estados Unidos. Mas seus números estão crescendo. Pouco a pouco, a educação escolar em casa está sendo divulgada.
Graças a Deus por isso!
Tradução: Mirna Santos Stival
Revisão: Rafael Resende Stival
Postado no Blog Salmo 12
Divulgação: www.juliosevero.com

28 de novembro de 2009

Ex-diretora de clínica de aborto descreve ter assistido à luta de um bebê em gestação antes de ser abortado

Ex-diretora de clínica de aborto descreve ter assistido à luta de um bebê em gestação antes de ser abortado

Kathleen Gilbert
BRYAN, Texas, EUA, 9 de novembro de 2009 (Notícias Pró-Família) — Abby Johnson, ex-diretora de clínica de aborto da Federação de Planejamento Familiar (FPF) que largou seu emprego durante esta recente Campanha 40 Dias pela Vida, descreveu neste final de semana para o entrevistador Mike Huckabee, da TV Fox News, sua experiência de conversão, que ocorreu depois de assistir à luta de um bebezinho em gestação para escapar do aborto a vácuo que acabou tirando sua vida.
O testemunho de Johnson havia recebido ampla atenção desde sua conversão dramática no mês passado na clínica da Federação de Planejamento Familiar de Bryan, Texas — o lugar em que nasceu a popular campanha de oração 40 Dias pela Vida cinco anos atrás.
Johnson diz que recebeu sua primeira oportunidade de testemunhar um aborto quando assistiu a um raro aborto guiado por ultra-som. Enquanto ela estava assistindo ao vídeo de ultra-som, ela diz ter distinguido o perfil da face do bebê de 13 semanas de gestação.
“Vi um perfil completo. Por isso, vi da face aos pés na máquina de ultra-som”, disse Johnson. “Vi a sonda entrando no útero da mulher, e naquele momento vi o bebê movendo e tentando se afastar da sonda”.
“E pensei: ‘Ele está lutando para sobreviver’”, disse Johnson. “E pensei: ‘É vida’. Quero dizer, ele está vivo… Minha mente estava pensando rapidamente, meu coração estava batendo rápido, e eu só estava pensando: ‘Oh, meu Deus, faça isso parar!’ Então de repente estava tudo terminado. Eu vi o bebê acabar de ser despedaçado, e estava tudo terminado”.
Johnson comentou que a imagem da criança a fez lembrar a imagem de ultra-som de sua própria filha de 12 semanas de gestação.
“Se os funcionários de clínicas vissem o que estava acontecendo na tela, eles correriam para fora dessas clínicas”, concluiu Johnson. “É isso o que a indústria do aborto não quer que seus funcionários vejam… eles não querem que as pessoas vejam o que está realmente acontecendo no útero da mulher”.
Veja a cobertura relacionada de LifeSiteNews.com:
'Planned Parenthood Pushes Abortion for Profit': Ex-Abortion Facility Director
http://www.lifesitenews.com/ldn/2009/nov/09110505.html
Director of Planned Parenthood at 40 Days for Life Birthplace Resigns after Watching Abortion Ultrasound
http://www.lifesitenews.com/ldn/2009/nov/09110204.html
Traduzido por Julio Severo: www.juliosevero.com
Veja também este artigo original em inglês: http://www.lifesitenews.com/ldn/2009/nov/09110911.html
Copyright © LifeSiteNews.com. Este texto está sob a licença de Creative Commons Attribution-No Derivatives. Você pode republicar este artigo ou partes dele sem solicitar permissão, contanto que o conteúdo não seja alterado e seja claramente atribuído a “Notícias Pró-Família”. Qualquer site que publique textos completos ou grandes partes de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com em português tem a obrigação adicional de incluir um link ativo para “NoticiasProFamilia.blogspot.com”. O link não é exigido para citações. A republicação de artigos de Notícias Pró-Família o LifeSiteNews.com que são originários de outras fontes está sujeita às condições dessas fontes.

27 de novembro de 2009

Blog Julio Severo em espanhol!

Blog Julio Severo em espanhol!

Julio Severo

Esta semana trouxe grandes desafios para mim e minha família. Com a data do nosso visto expirando num país, tivemos de viajar para outro, para onde não tínhamos nenhum contato. Chegamos todos resfriados, mas Deus nos sustentou. E Deus nos livrou de outros perigos também — sem dúvida nenhum com a oração dos muitos que intercedem.

Em tal momento crítico, em que parecíamos estar humanamente abandonados, o filósofo Olavo de Carvalho fez um apelo em nosso favor! Enquanto estávamos em plena luta para fazer uma viagem internacional, os ouvintes do programa de rádio do Olavo estavam sendo desafiados a contribuir para nossa "missão", que é alertar o Brasil sobre os perigos que estão ameaçando as famílias e as igrejas.

Ao amigo Olavo e sua esposa Roxane, um abraço carinhoso.

Outra boa notícia é que Maria Valarini, que vive na América Central, está gostando tanto do que lê no Blog Julio Severo que está, por amor aos leitores de língua espanhola, traduzindo alguns artigos meus para o espanhol. Por isso, criei a versão espanhola do meu blog, que se encontra aqui:

http://julioseveroenespanol.blogspot.com

Ajude a divulgar!

Ore para que essa mensagem necessária também alcance a Alemanha e outros países da Europa, que precisam ser tocados pelo mover de Deus. A religião cristã na Europa está morrendo, tanto católica quanto evangélica. É necessário um mover de Deus, com a participação de homens e mulheres que amam a Deus.

Na viagem internacional que fizemos esta semana, ao nosso lado havia um jovem americano. Como sempre, comecei a falar com ele sobre Jesus e ele me contou como foi criado como luterano, mas como é prática entre muitos luteranos, ele hoje não freqüenta nenhuma igreja. Expliquei-lhe que a religião não salva e que algumas igrejas luteranas já estão aceitando "pastores homossexuais". Desafiei-o a se abrir ao Espírito Santo. Só ele é vida.

Outro grande desafio é um convite que recebi tempos atrás. O gabinete de um deputado da Europa telefonou para mim dizendo como é necessário eu ensinar a eles como enfrentar a agenda gay. Ele quer me convidar para dar uma palestra num encontro europeu nos próximos meses.

Estamos aqui prontos para fazer a vontade de Deus para onde ele nos mandar.

E estamos aqui pela graça de Deus e pelo apoio de oração de muitos que participam lutando em lágrimas para que o Reino de Deus avance neste mundo. E o Reino de Deus não é Julio Severo nem outro homem. Sou apenas um servo deste Reino, que é o Governo indestrutível e invencível de Deus. Temos a maior alegria em servir ao Rei Jesus!

Fonte: www.juliosevero.com

Homem é demitido por dizer para colega de trabalho que conduta homossexual é errada

Homem é demitido por dizer para colega de trabalho que conduta homossexual é errada

"Se o casamento homossexual for legalizado em seu estado", avisou Vidala, "você poderá se demitido de seu emprego também, só por expressar sua convicção de que você discorda desse estilo de vida".

James Tillman

BOSTON, MA, EUA, 9 de novembro de 2009 (Notícias Pró-Família) — Um subgerente de uma loja Brookstone no Aeroporto de Logan, em Boston, diz que foi demitido de seu emprego por dizer a uma gerente que estava visitando que ele cria que o casamento lésbico dela era errado. Brookstone, porém, justificou suas ações se referindo à legalização do "casamento" de mesmo sexo em Massachusetts.

"Foi porque expressei minha convicção de que o homossexualismo é errado. Esse é o motivo por que fui despedido", Peter Vidala disse para MassResistance.org.

O incidente que levou à demissão de Vidala começou quando uma gerente que estava visitando disse para Vidala que ela estava se casando. Vidala a congratulou e perguntou onde ele (o marido dela) a levaria para a lua de mel. A outra gerente o corrigiu, dizendo "onde ela me levará".

"Eu não disse nada. Rapidamente mudei de assunto, e prossegui com meu trabalho" disse Vidala. Mas a gerente continuou a mencionar repetidamente sua "noiva" durante o dia inteiro.

"Não me senti à vontade, pois vejo esse tipo de conduta como imoral, pessoalmente", disse Vidala. E assim quando a gerente mencionou o "casamento" dela pelo que Vidala diz foi "pelo menos pela quarta vez", Vidala se sentiu compelido a falar.

"Com relação à homossexualidade, creio que é uma coisa ruim", Vidala diz que declarou para a gerente. Ele diz que ia continuar explicando que preferiria que ela não tocasse no assunto no ambiente de trabalho, mas ela começou a rir.

"Supere isso. Colega de trabalho, guarde suas opiniões para si mesmo", disse ela. Poucas horas depois Vidala foi suspenso; dois dias depois Vidala recebeu uma carta de demissão, que o acusava de "importunação" e de "impor" suas convicções nos outros.

No entanto, Vidala percebe a situação de forma diferente. Ele disse para o noticiário da Fox News que sentiu que a gerente conseguia ver as opiniões dele e que ela estava "intencionalmente incitando-o" a fazer comentários sobre o relacionamento dela.

"Ela sabia como me sinto sobre a homossexualidade", disse Vidala. "Quando você fala com alguém sobre algo assim, você quer seu apoio. Ela estava como que olhando para os meus olhos em busca dessa dica social para eu dizer 'estou feliz por você'. Mas eu realmente não poderia me sentir feliz por ela".

Contudo, talvez o que seja mais perturbador é que Vidala diz que a carta de Brookstone "citou o fato de que o tão chamado casamento homossexual é legal em Massachusetts. E é por isso que o que essa gerente, que estava acima de mim, conversou comigo sobre sua noiva não foi considerado importunação para Brookstone".

"Se o casamento homossexual for legalizado em seu estado", avisou Vidala, "você poderá se demitido de seu emprego também, só por expressar sua convicção de que você discorda desse estilo de vida".

Defensores do "casamento" homossexual têm há muito tempo negado que tal legalização prejudicaria aqueles que crêem que a conduta homossexual é errada. O caso de Vidal, porém, é mais um numa crescente lista de exemplos que parecem indicar o oposto.

Por exemplo, a conduta homossexual é ensinada como normal nas escolas de Massachussets. Os pais Robb e Robin Wirthlin perderam um processo contra a escola depois que seu filho que estava na segunda série foi ensinado acerca da conduta homossexual sem a permissão deles.

Até mesmo estados tais como o Novo México, onde o "casamento" de mesmo sexo não é legal, uma empresa fotográfica de casamentos perdeu um processo por se recusar a fotografar uma cerimônia de compromisso homossexual. De forma semelhante, uma associação metodista em Nova Jérsei perdeu sua condição de isenção de imposto de renda para parte de sua propriedade por recusar permitir que um "casal" homossexual usasse o salão ao lado da igreja para realizar uma cerimônia de união civil.

Vidala ficou também incomodado com um vídeo que Brookstone mostra a todos os funcionários novos para ajudar a ilustrar as políticas para o quadro de empregados. De acordo com Vidala, nele um homem que se descreve como gay diz que ficou ofendido ao escutar por acaso outro homem dizer: "Puxa, você sabe. Eu não me sentiria bem se um homossexual desse em cima de mim".

Vidala continuou: "Você poderia passar pela experiência de um tão chamado homossexual dar em cima de você [se você trabalha para Brookstone], e você não poderia dizer nada, pois ao expressar sua convicção de que o que ele está fazendo é errado, você o está importunando".

Veja as notícias relacionadas em LifeSiteNews.com

California Supreme Court Imposes Homosexual 'Marriage' on State
http://www.lifesitenews.com/ldn/2008/may/08051502.html

Christian Photographer Hauled before Commission for Refusing Same-Sex Job
http://www.lifesitenews.com/ldn/2008/jan/08013004.html

Catholic Activist "Banned for life" From Publicly Criticising Homosexuality
http://www.lifesitenews.com/ldn/2007/dec/07121306.html

Christian Couple Forced to Shut Down B&B for Refusing Homosexual Couple
http://www.lifesitenews.com/ldn/2001/may/01052302.html

The Case Against Same-Sex Marriage
http://www.lifesitenews.com/ldn/2004/feb/040223a.html

Traduzido por Julio Severo: www.juliosevero.com

Fonte: http://noticiasprofamilia.blogspot.com

Veja também este artigo original em inglês: http://www.lifesitenews.com/ldn/2009/nov/09110904.html

Copyright © LifeSiteNews.com. Este texto está sob a licença de Creative Commons Attribution-No Derivatives. Você pode republicar este artigo ou partes dele sem solicitar permissão, contanto que o conteúdo não seja alterado e seja claramente atribuído a "Notícias Pró-Família". Qualquer site que publique textos completos ou grandes partes de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com em português tem a obrigação adicional de incluir um link ativo para "NoticiasProFamilia.blogspot.com". O link não é exigido para citações. A republicação de artigos de Notícias Pró-Família o LifeSiteNews.com que são originários de outras fontes está sujeita às condições dessas fontes.

24 de novembro de 2009

Homossexualidade: há esperança e libertação fora da psicologia?


Homossexualidade: há esperança e libertação fora da psicologia?

Então por que alguns psicólogos cristãos falam e agem como se Jesus e o Evangelho precisassem depender da ideologia de Freud para ajudar homens presos no vício homossexual?

Julio Severo
Muitos séculos antes da invenção da ideologia da psicologia, o Cristianismo já oferecia esperança e saída para homens que se encontravam aprisionados aos vícios, pois Cristo era apresentado e visto como o centro da solução para todas as necessidades e conflitos humanos.
No entanto, o mistério moderno é como as igrejas vieram a se distanciar tanto dessa solução fundamental ao ponto de se acharem impotentes de continuar ajudando homens a sair do homossexualismo, temendo uma resolução do Conselho Federal de Psicologia (CFP) que não mais permite que seus profissionais façam uso de técnicas de condicionamento mental para essa finalidade.
Na verdade, as resoluções e decisões do CFP afetam exclusivamente seus próprios profissionais, não tendo nenhum efeito sobre a tradicional liberdade cristã de apresentar aos necessitados, inclusive homossexuais, o mesmo Jesus que vem há séculos curando, libertando e salvando todos os tipos de pecadores, sexuais ou não.
A psicologia reconhece sua necessidade de Cristo? Dificilmente, considerando o fato de que seu fundador Sigmund Freud (um judeu rebelde e revoltado contra Deus) fez questão de não centralizar Deus em sua invenção, nem a criou para glorificar o nome de Jesus.
Freud é para a psicologia o que Karl Marx (outro judeu rebelde e revoltado contra Deus) é para o socialismo.
Antes da invenção da psicologia, havia esperança para os homossexuais?
O Apóstolo Paulo pregava o Evangelho de Jesus Cristo (não o evangelho da prosperidade e muito menos o evangelho da psicologia) na cidade de Corinto, na Grécia antiga. No que se refere ao homossexualismo na sociedade, Corinto era um paraíso gay. E como era a mensagem de Paulo nesse contexto social? Ele mesmo diz:
“Não sabeis que os injustos não hão de herdar o reino de Deus? Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados [homossexuais passivos], nem os sodomitas [homossexuais ativos], nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus. E é o que alguns têm sido; mas haveis sido lavados, mas haveis sido santificados, mas haveis sido justificados em nome do Senhor Jesus, e pelo Espírito do nosso Deus”. (1 Coríntios 6:9-11 ACF)
Paulo deixa claro que havia todos os tipos de pecadores em Corinto. E ele também diz que na igreja que ele fundou nessa cidade, alguns viviam nesses pecados, inclusive no homossexualismo. E como todos esses pecadores foram libertos? Pela psicoterapia? Não. Por meio do nome de Jesus e do Espírito de Deus eles foram lavados — no sangue de Jesus Cristo —, santificados e justificados.
O nome de Jesus e o Espírito de Deus precisam da psicologia e suas técnicas de condicionamento para libertar os pecadores? A resposta é óbvia. Mas o que não é tão óbvio é que os psicólogos também precisam de Jesus para libertá-los de um emaranhado de filosofias humanas que apenas atrapalham sua relação com Deus e com o próximo e atrapalham hoje alguns cristãos e igrejas de viverem a realidade libertadora que está no nome de Jesus e o Espírito de Deus.
A maioria dos jovens cristãos que entra na psicologia se afasta de Deus e a maioria absoluta dos psicólogos está afastada de Deus, provando conclusivamente que a psicologia não aproxima ninguém de Deus. Pelo contrário, com essa ferramenta de condicionamento humano pode-se levar o indivíduo tanto a aceitar quanto rejeitar a homossexualidade. Se alguma moda social estranha surgir, o condicionamento poderia levá-lo a se aceitar como coelho, galinha, pato, marreco, etc.
O nazismo também tinha seus próprios psicólogos. O nazismo usava a psicologia para condicionar o povo alemão a admirar Hitler (que era homossexual) e odiar Deus, seus valores e seus seguidores. Mais modernamente, os socialistas estão usando a psicologia para condicionar o povo a admirar o homossexualismo e odiar como intolerantes e discriminatórios os padrões imutáveis e eternos de Deus sobre a homossexualidade e o casamento natural.
Talvez seja por isso que os militantes gays se recusem a aceitar as “curas” de homossexuais por meio psicoterapêutico. Com a psicologia, pode-se tanto “curar” quanto “descurar”. O que eles recusam reconhecer, porém, é que se a “cura” psicoterapêutica envolve manipulação mental, o tratamento para um homem se aceitar como homossexual não é em nada diferente de uma lavagem cerebral. Ao lutar para que o CFP apóie somente o homossexualismo, os ativistas gays admitem que querem o controle absoluto da psicologia como instrumento de manipulação mental e emocional.
No caso do Evangelho, o Espírito Santo não é uma ferramenta de condicionamento mental e emocional. Ele não é manipulação nem lavagem cerebral. Não é possível usá-lo para inclinar as pessoas para ou contra a homossexualidade. O Espírito Santo é uma Pessoa que ministra às necessidades dos homens e mulheres que se abrem para Jesus. Se ele conseguiu libertar homossexuais na igreja de Paulo, o que o impediria de continuar operando os mesmos milagres de salvação hoje?
Sem a psicologia Cristo pouco pode fazer pelos homossexuais? Esse é um desafio grande para as igrejas de hoje, principalmente quando a psicologia moderna legitima a homossexualidade e agora está embarcando na legitimação da pedofilia.
A resolução proibitiva do CFP afeta pastores ou padres que não são psicólogos? Então, por que alguns cristãos se preocupam como se o CFP tivesse amplos poderes para cassar ou censurar pastores e cristãos que pregam sobre a homossexualidade sem um diploma de psicologia? Desde quando eles precisam desse tipo de diploma para prosseguir o ministério de dois mil anos de Jesus e seus apóstolos, pregando e ministrando a todos os pecadores, inclusive homossexuais?
Para o seguidor de Jesus, o consultório de psicologia é um mero lugar estratégico para levar o paciente a Cristo, embora alguns cristãos ajam de forma contrária, usando o Evangelho como um meio de introduzir a psicologia na vida da igreja.
Alguns chegam a transparecer um temor infundado de que sem a psicologia o Evangelho poderia perder sua eficácia, como se a Igreja do Senhor Jesus Cristo não tivesse condições de ajudar os pecadores sem depender da ideologia de Freud. Eles se esquecem completamente de que a psicologia e outras filosofias humanas não são componentes indispensáveis ou necessários do Evangelho.
Eu não sou o primeiro nem o último cristão a apontar os perigos de se apoiar num Cristianismo pendurado na muleta de Freud. Entre os católicos, a psicologia e seus malefícios vêm há muitos anos sendo denunciados pelo Dr. Paul Vitz, católico e professor de psicologia na Universidade de Nova Iorque. Entre os evangélicos, a denúncia está vindo de outro professor de psicologia: o Dr. Martin Bobgan.
O cristão que não é psicólogo é livre para ministrar aos homossexuais, não estando sob nenhuma imposição profissional ou legal de encaminhar para psicólogos pró-homossexualismo homens que não querem sair do homossexualismo. Já os psicólogos cristãos estão debaixo de obrigações para com o CFP.
Quase vinte anos atrás, duas senhoras vieram à minha casa pedindo informações sobre onde morava o homem que fazia “benzimento”. Eu sabia que elas estavam se referindo ao meu vizinho pai-de-santo, mas imediatamente percebi que seria imoral e anticristão encaminhá-las a um centro de macumba. Por isso, eu lhes disse: “Eu sou um homem que dá benção!” Preguei o Evangelho a elas e orei ali mesmo abençoando-as e presenteando-as com literatura cristã grátis. Elas foram embora muito felizes.
Se eu fosse psicólogo, não seria diferente. Eu levaria essas senhoras a Cristo. Se elas não quisessem Cristo e quisessem o lesbianismo, assim como eu não poderia encaminhá-las a um centro de macumba, eu também não poderia encaminhá-las a um psicólogo pró-lesbianismo. E encaminhar a qualquer psicólogo seria como arriscar na roleta russa, seria um desserviço ao Evangelho, pois a maioria dos psicólogos segue os modismos e manias do CFP sobre a homossexualidade e outras questões importantes.
O cristão psicólogo que de fato quer ajudar homossexuais não precisa temer a resolução do CFP, pois em todo o tempo ele tem a liberdade de sair da esfera do CFP, renunciando publicamente à sua profissão para se dedicar a um chamado maior. A ele, como a todo cristão legítimo, resta fazer sacrifícios: se sua profissão exige o sacrifício dos valores e responsabilidades que Deus lhe deu de ajudar os necessitados ou se os valores de sua profissão exigem estar no mesmo nível de importância dos valores de Cristo, é melhor fazer como o Apóstolo Mateus, que sacrificou sua profissão de cobrador de impostos para pregar o Evangelho do Reino de Deus e escrever o Evangelho de Mateus.
Afinal, esse Evangelho pode ou não realizar muito mais do que cem mil tratamentos psicoterapêuticos?
Sem a psicologia, o que os cristãos psicólogos têm a oferecer aos homossexuais?
Há esperança e vida fora da psicologia?
Então por que alguns psicólogos cristãos falam e agem como se a resolução proibitiva do CFP fosse um grande impedimento para o próprio Jesus, como se sem a psicologia os homens presos no vício homossexual tivessem pouca ou nenhuma esperança de experimentar uma solução em Jesus e no Evangelho?
Leia mais:

23 de novembro de 2009

O socialismo, o islamismo e o inferno

O socialismo, o islamismo e o inferno

Julio Severo

Atualmente, a ideologia politicamente correta (que é mais uma das muitas máscaras do socialismo) condena não os criminosos, mas os crimes. Quando um maometano entra num lugar, grita "Alá é grande" e mata com bomba ou arma de fogo muitas pessoas, os jornalistas PCs (politicamente corretos) se limitam a dizer que "uma bomba" matou várias pessoas… Ou que a violência matou várias pessoas… Ou então, de forma igualmente genérica, que o terrorismo matou várias pessoas…

Protegendo os islâmicos e tirando a proteção de cristãos

Aliás, o mesmo socialismo que condena os cristãos conservadores como "fundamentalistas" e "fanáticos", protege o islamismo chamando-o de "religião de paz" — enquanto seus adeptos persistentemente tiram a paz e a vida de centenas de milhares de pessoas inocentes todos os anos.

Essa proteção, em boa parte, é um efeito da luta de alguns judeus socialistas ocidentais, que conseguiram estabelecer leis de proteção às minorias. Essas leis são hoje usadas por ativistas homossexuais e islâmicos para proteger seus próprios interesses e impor sobre as sociedades ocidentais a ideologia homossexual e islâmica. Quem paga a conta de tudo isso são os cristãos, que acabam sofrendo pressões e opressões de grupos diametralmente opostos.

Em contraste, os cristãos são rotineiramente perseguidos em países islâmicos. Mas, por incrível que pareça, agora os maometanos exigem uma lei internacional contra a "islamofobia", pois eles dizem que o islamismo precisa ser protegido das pessoas que não gostam do terrorismo e de terroristas criados pela "religião da paz". Os maometanos, com o apoio dos socialistas, aprenderam a tirar proveito da paranóia ocidental contra a intolerância, preconceito e discriminação e estão conseguindo perseguir e oprimir cristãos e judeus em seu próprio território.

Em matéria de paranóia, a mente islâmica radical em nada deixa a desejar à mentalidade socialista.

Mahmoud Ahmadinejad, o presidente do Irã que nega o Holocausto e diz querer destruir Israel, tem um governo que não vê problema algum em torturar e matar homossexuais. Mas Ahmadinejad nunca foi incomodado pelos mesmos grupos socialistas de direitos humanos que rotineiramente acusam os cristãos de "crimes" contra os homossexuais. Esses "crimes" cristãos não se referem a atos de violência real, mas exclusivamente opiniões que refletem a condenação da Bíblia às práticas homossexuais. Essa é a realidade socialista: silêncio para com o que o Irã islâmico faz, e muitas mentiras covardes contra os cristãos.

A visita do presidente do Irã ao amigo Lula no Brasil

Por falar em Ahmadinejad, ele estará visitando o Brasil no final de novembro. Ele será recebido de braços abertos pelo amigo socialista Lula.

Ahmadinejad financia grupos terroristas contra Israel, porque desconhece e rejeita a aliança de Deus com Abraão, Isaque e Jacó. Lula mantém amizade com Ahmadinejad porque… Por que? Escolha você a razão:

Lula não se importa com a aliança de Deus com Abraão, Isaque e Jacó.

Lula não se importa com as violações de direitos humanos dos cristãos no Irã.

Lula não se importa com as violações de direitos humanos dos judeus no Irã.

Lula não se importa com a tortura e assassinatos de homossexuais no Irã.

Lula não se importa com o patrocínio iraniano aos grupos terroristas muçulmanos contra Israel.

Você poderia apresentar uma lista longa de problemas na Ditadura Islâmica do Irã, mas Lula não se importa. Os socialistas são assim: eles não se importam com Deus, com valores morais, com inferno e até com seus próprios amigos socialistas — a não ser que tenham grandes interesses pessoais envolvidos. Não há nada mais importante para um socialista ambicioso do que promover a glória de seu próprio umbigo.

Socialista Shimon Peres visita socialista Lula

Tentando talvez amenizar a visita de Ahmadinejad ao Brasil, o presidente de Israel, Shimon Peres, tomou a iniciativa de visitar o Brasil antes de Ahmadinejad, no dia 10 de novembro. Contudo, Lula também não se importa com o fato de que Peres tenha os mesmos sentimentos "democráticos" socialistas com relação ao aborto e o homossexualismo.

Apesar da afinidade ideológica, moral, política e ética com Peres, Lula prefere a amizade de Ahmadinejad, que tem posições opostas a Lula e a Peres nas questões do aborto e homossexualismo. Lula deixaria de abraçar Ahmadinejad só porque o camarada socialista Peres não se sente bem com o desejo de Ahmadinejad de destruir Israel? Por algum motivo, Lula vê em Ahmadinejad mais um meio de promover sua própria glória.

Por sua vez, Shimon Peres pouco se importa com o fato de que, em quase oito anos de governo e tendo visitado vários países islâmicos vizinhos de Israel, Lula nunca tenha tido a menor disposição de visitar Israel. Em resposta ao descaso óbvio de Lula para com Israel, Peres disse: "Ele tem sua agenda e suas prioridades. Não tenho que lhe dar lições. Nós o consideramos um amigo. Nós nos conhecemos há muito tempo. Começamos na mesma trilha socialista. Então posso dizer que lembro dele 'desde a infância'. Ele tem seu próprio jeito de priorizar as coisas".

A mente socialista anda de mãos dadas com a paranóia — seja no Brasil, nos EUA e até mesmo em Israel. A mente socialista não se importa com o mal quando o vê. Quando um homossexual estupra um menino de 6 anos, o jornalismo socialista vê apenas um genérico "estupro contra uma criança", sem trazer identificações específicas comprometedoras para o movimento homossexual. Quando um terrorista islâmico mata inocentes, o jornalismo socialista aplica a mesma medida, noticiando apenas "a bomba que matou várias pessoas", ou o "terrorismo que matou várias pessoas", deixando o islamismo radical totalmente isento e protegido.

De forma oposta, qualquer crime contra um homossexual vira oportunidade para lançar sobre os cristãos uma culpa específica e detalhada pelo crime, mesmo que nenhum cristão esteja envolvido e mesmo que as circunstâncias do crime indiquem possibilidade de violência entre os próprios homossexuais. Isso faz parte da paranóia socialista.

A paranóia da ideologia da diversidade e tolerância

Em países em que o socialismo domina em plenitude, os inimigos do sistema são eliminados por qualquer e todo motivo. Veja Cuba, Coréia do Norte, etc. Em países em que a população está gradativamente sendo condicionada a abraçar o socialismo, a sociedade é primeiramente levada à paranóia. É pura paranóia aprovar leis que condenam cristãos pelo crime fictício de "homofobia", pois os cristãos não têm uma tradição de matar homossexuais. Mas assim agem Obama e Lula.

Nos EUA, o Ministério de Segurança Nacional de Obama diz que um terrorista verdadeiro se destaca por algumas características especiais: ele pode ser alguém que se opõe ao aborto e ao homossexualismo. A adesão ao islamismo não pode ser classificada como característica de terrorismo, pois os maometanos são minoria e merecem proteção. Portanto, embora todos os terroristas que atacaram os EUA em 11 de setembro de 2001 fossem islâmicos, e embora todos os terroristas que atacam Israel sejam islâmicos, a ética socialista manda ignorar esse fato, assim como manda esconder no noticiário a palavra "homossexual" ou "homossexualismo" em todos os crimes violentos em que meninos foram vítimas de um homossexual.

Proteger a diversidade e a tolerância à perversão no Brasil, EUA e Europa enquanto apoiando o Irã e outros países islâmicos que detestam a diversidade e a tolerância é marca registrada da paranóia socialista. Os socialistas podem criticar, condenar e xingar Deus e seus seguidores, mas para eles a diversidade e a tolerância são sagradas — apenas no Brasil, EUA e Europa, e jamais no Irã, Cuba, Arábia Saudita, etc. Sei disso por experiência, pois meu blog já esteve na mira do Ministério Público Federal (MPF) por críticas ao homossexualismo e ao islamismo. Em março de 2008, quatro jornalistas islâmicos de São Paulo entraram com queixa no MPF pedindo o fechamento do meu blog por preconceito ao islamismo, porque denunciei terroristas islâmicos.

Direito de livre expressão de criticar o homossexualismo e o islamismo? Isso é conversa de capitalista!

Em julho de 2007, na mesma época em que meu blog foi fechado por alguns dias por causa de acusações e calúnias dos ativistas homossexuais, denunciei que o site homossexual ParouTudo havia publicado um artigo defendendo abertamente a pedofilia. (Veja o texto pedófilo aqui: http://juliosevero.blogspot.com/2007/07/pedofilia-e-homossexualismo.html) Eu pedi que as autoridades investigassem e se mobilizassem, mas hoje, mais de dois anos depois, absolutamente nada foi feito. Esse é o vale-tudo da diversidade e tolerância onde até a pedofilia defendida por homossexuais é beneficiada?

O site ParouTudo continua no ar, sem nenhum problema, mas paira sobre meu blog o risco de ser fechado pelo MPF. Não é vergonhoso o Blog Julio Severo ser alvo de ações do MPF enquanto ativistas homossexuais defendem a pedofilia bem debaixo do nariz da "justiça" literalmente cega? É ou não é paranóico tirar o direito de livre expressão do Blog Julio Severo e manter o direito de livre expressão de sites homossexuais que defendem abertamente a pedofilia?

Por isso, se você acha paranóico Lula abraçar Ahmadinejad (cujo governo odeia cristãos, Israel e homossexuais), isso é socialismo. Se você acha paranóico Obama mirar com exclusividade cristãos conservadores que se opõem ao aborto e ao homossexualismo e isentar terroristas cuja identificação comum é a "religião da paz", isso é socialismo. Se você acha paranóico Shimon Peres se humilhar diante de um Lula que se alia a Ahmadinejad, isso é socialismo.

O Israel moderno, dominado pelo socialismo, tem paradas gays e aborto legalizado. Mas com toda essa incrível afinidade ideológica, Lula prefere Ahmadinejad, que não permite nem aborto nem homossexualismo na ditadura islâmica do Irã. Por amor à sua própria glória, um socialista — seja ateu, católico, islâmico ou evangélico — poderia entregar a própria mãe e a própria pátria ao diabo.

Os judeus rebeldes de Israel no passado, cujo testemunho de apostasia se encontra no Antigo Testamento, faziam pouco caso do inferno, para onde acabaram indo. Hoje, mesmo conhecendo em menor ou maior grau esse testemunho, Lula, Obama e Shimon Peres igualmente fazem pouco caso do inferno e se prostram diante do mesmo socialismo que está vendendo suas nações aos enganos mortais da ideologia homossexual, abortista e islâmica.

Fonte: www.juliosevero.com

Muçulmanos suicidas perdem para evangélicos e judeus suicidas

Paranóia esquerdista: Governo de Obama classifica de "potenciais terroristas" pessoas que são contra o aborto

Lula, o amigo de Ahmadinejad do Irã

Irã, ódio aos judeus e o esquizofrênico governo Lula

Lula surpreende o mundo com seu discurso sem precedentes sobre direitos humanos na ONU

O preço da elevada popularidade de Lula

Caio Fábio, Bispo Macedo, adultério e lavagem de dinheiro

Caio Fábio, Bispo Macedo, adultério e lavagem de dinheiro

Enfiando o rei Davi nos negócios escandalosos de um pastor e um bispo do Brasil

Julio Severo

Numa carta aberta para Caio Fábio anos atrás, relembrei-o que o Novo Testamento deixa claro que há condições e requisitos indispensáveis e obrigatórios para que um homem ocupe a posição de pastor. Uma dessas condições é ser irrepreensível.

Davi, João Batista, Herodes e alguns pastores brasileiros

Mas os seguidores de Caio não param de me enviar mensagens dizendo que se o rei Davi adulterou e era um homem segundo o coração de Deus, então Caio pode adulterar, pedir perdão e continuar na função pastoral. Caio está também perdoado se usar manipulação psicológica para dar sutil apoio ao aborto e ao homossexualismo, como ele já andou fazendo. Ele está igualmente desculpado se em seu passado de "papa evangélico" ele influenciava o povo evangélico a admirar Lula, sendo uma das maiores causas do devastador apoio evangélico ao político socialista que hoje usa a presidência do Brasil para impor o aborto e o homossexualismo na sociedade brasileira. Para Caio, na graça — ou mais propriamente, na sua Igreja Caminho da Graça — vale tudo.

Outro membro do Caminho da Graça me escreveu dizendo que Caio Fábio é um moderno João Batista. Sorte desse homem João Batista não estar aqui para se defender! Para quem não sabe, João Batista era filho de sacerdotes e pagou com a vida por ter repreendido o adultério e as corrupções do rei Herodes. Mas como tudo hoje está invertido, um moderno João Batista às avessas (com histórico de adultério perdoado pela "graça" versão Caminho da Graça) é que acabaria sendo repreendido por um Herodes.

É um fenômeno moderno pastores que se julgam na posição de João Batista, mas têm o caráter corrupto e adúltero de Herodes. São amantes do dinheiro e infiéis às suas esposas originais. Sem essa lamentável inversão, Deus pode realmente levantar profetas como João Batista para repreender os adultérios e corrupções dos modernos Herodes que estão na liderança da sociedade e das igrejas. O rei Herodes da "graça" made in Caminho da Graça que se cuide então.

O rei Davi não era sacerdote

Contudo, Davi é a vítima preferida dos que insistem em justificar as repreensibilidades das condutas dos Caios, Macedos e outros pastores. Mas eles ignoram um fato importante: Davi não era sacerdote. Em termos modernos, Davi não era pastor nem líder religioso. Havia na época de Davi os sacerdotes, que trabalhavam no cargo moderno de pastor. Eles ocupavam exclusivamente a função de liderança religiosa. Mais nada.

Por outro lado, Davi ocupava exclusivamente a função de liderança política. Ele era rei. Em termos modernos, ele era presidente. Mais nada.

As qualificações para sacerdote e pastor são muito mais elevadas do que as qualificações para presidente.

O sacerdote precisa ser irrepreensível. O pastor precisa ser irrepreensível. Davi era um homem segundo o coração de Deus como político. Mas se ele fosse sacerdote e pastor, ele teria a obrigação de ser irrepreensível. Como sacerdote e pastor, ele só poderia ser um homem segundo o coração de Deus com uma reputação e conduta irrepreensíveis. Ser irrepreensível é ter uma reputação excelente, é estar acima de acusações de caráter.

Além disso, o político Davi era casado com várias mulheres. Mesmo os sacerdotes da época dele não tinham várias esposas. Os sacerdotes tinham apenas uma mulher, e esse requisito continuou obrigatório para todos os pastores casados no Novo Testamento.

Bispo Macedo e o amor ao aborto e ao dinheiro

Com relação ao Bispo Edir Macedo, já tratei abundantemente do apoio dele ao aborto. É deplorável que um homem que se considere porta-voz de Deus defenda a matança legal de bebês em gestação. É deplorável que um homem que diz crer em milagres creia também no aborto. E é deplorável que um homem que se considere bispo lidere uma denominação que é alvo de freqüentes manchetes internacionais de corrupção e lavagem de dinheiro.

Por que Macedo e sua denominação lidam com o dinheiro de um modo que os expõe a escândalos? Com certeza, eles percebem o óbvio: o que o governo tira de impostos é muito mais do que o justo. E tentam proteger seu dinheiro com esquemas para desviá-lo da ganância estatal.

Macedo bem que poderia dar atenção ao exemplo de Tiradentes, que se revoltou contra o governo português pela cobrança de 20 por cento de impostos sobre os cidadãos do Brasil. Superando em muito a ganância do governo português, o atual governo brasileiro cobra quase 40 por cento de impostos, e só isso já deveria ser inspiração suficiente para motivar todos os pastores do Brasil a proclamarem jejuns, orações e ações contra esse roubo descarado. Mas em vez de orientar sua denominação e pastores a denunciarem esse imenso roubo estatal contra o Brasil, Macedo prefere apoiar o governo que rouba e recorrer a meios ilegais (pelos padrões do insaciável tubarão brasileiro do imposto de renda) para proteger sua imensa fortuna da voracidade estatal.

A Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) está pagando um preço alto por recorrer a esses meios. A IURD está na mira do Ministério Público Federal por remessa de dinheiro ilegal ao exterior. Nos EUA, a IURD está também sob investigação por suas estranhas e bilionárias transações financeiras.

O que Deus exige do pastor?

Compare agora o histórico desses dois homens (Caio Fábio e Bispo Macedo) com as exigências bíblicas para o homem que quer pastorear:

"Esta é uma palavra fiel: se alguém deseja o pastorado, excelente obra deseja. Convém, pois, que o pastor seja irrepreensível, marido de uma só mulher, vigilante, sóbrio, honesto, hospitaleiro, apto para ensinar; não dado ao álcool, não violento, não cobiçoso nem ganancioso, mas moderado, não contencioso, não avarento; que governe bem a sua própria família, tendo seus filhos em obediência, com toda a modéstia, pois se alguém não sabe administrar a sua própria família, como conseguirá cuidar da igreja de Deus? Ele também não deve ser novo convertido, para que, ensoberbecendo-se, não caia na condenação do diabo. Convém também que tenha bom testemunho dos que estão de fora, para que não caia em afronta, e no laço do diabo". (1 Timóteo 3:1-7)

Evidentemente, o rei Davi falharia em vários desses requisitos. De qualquer forma, esses requisitos não se aplicavam a ele, pois não são para políticos, mas apenas para pastores e bispos. No entanto, com seus problemas peculiares, nem o "Pastor" Caio Fábio nem o "Bispo" Edir Macedo têm um histórico irrepreensível na área de finanças e caráter. Eles podem ser políticos? Sim, provavelmente. Mal posso ouvi-los dizendo:

Caio e Macedo:
"Oba!!! Podemos ser políticos!"

Caio:
"Eu quero ser presidente! Tenho a experiência de ter sido o papa dos evangélicos do Brasil!"

Macedo: "Essa é para mim, Caio. Cai fora!!! Eu tenho a experiência de ser o maior magnata evangélico do Brasil. Tente ser senador!"

Caio:
"Buááá! Você está estragando meus sonhos! Só por isso vou fazer uma leitura psicológica de você no meu site para todos verem. Você vai ver!"

Macedo:
"Ah, é assim? Farei questão então que seu nome seja lembrado na próxima Sessão do Descarrego! Além disso, seus escândalos vão ser expostos no Jornal da Record!"

Brigas de família à parte, com seu caráter repreensível, ambos, como presidente e senador, estariam em seu habitat natural, no meio de muitos outros políticos que, em menor ou maior grau, vivem a mesma realidade moral e financeira deles.

O fato é que a ganância e as inclinações socialistas de Caio e Macedo — sem mencionar suas nefastas ligações passadas com Lula — os tornariam péssimos políticos cristãos. Eles podem ser pastores? Obviamente, nenhum dos dois nem sonha em largar do pastorado, mesmo não tendo a irrepreensibilidade que a Palavra de Deus exige.

Davi, Reagan e as desculpas de Caio e Macedo

Macedo e Caio têm uma desculpa: Já que Davi não tinha um histórico irrepreensível, eles também não precisam… Ufa! Eles respiram aliviados com essa santa muleta e santo amuleto! Será que o rei Herodes também usou a mesma justificativa para seu adultério e corrupções?

Eu admiro muito o rei Davi — apesar de seu adultério e assassinato covarde de Urias. Eu admiro muito o presidente Ronald Reagan — apesar de seu divórcio e recasamento. Ambos eram grandes políticos. Ambos fizeram proezas políticas e espirituais importantíssimas, cada um em sua própria geração. Davi derrubou Golias e elevou a nação de Israel. Reagan derrubou o Golias do comunismo soviético e honrou os EUA de forma tremenda. Mas seria difícil admirá-los se eles fossem pastores insistindo em não deixar o pastorado depois de um adultério, divórcio e recasamento, pois ser grande político não é a mesma coisa que ser um grande pastor. Ser pastor exige muito mais santidade do que ser presidente.

Por que? Porque um presidente dirige um povo, mas pastores segundo o coração de Deus podem influenciar presidentes e ajudar a formar uma nova geração de líderes políticos que dirigirão a nação. Pastores influenciaram de forma impressionante a fundação dos Estados Unidos, inclusive a vida de muitos presidentes americanos. O que seria de Reagan sem o Pr. George Otis, que em 1970 orou por Reagan e lhe disse profeticamente que ele seria presidente dos EUA?

Davi só se levantou como rei de Israel depois que o sacerdote Samuel o ungiu. Os Davis para a presidência do Brasil só surgirão com a ajuda de pastores ungidos e íntegros.

Entretanto, não é por amor à santidade e integridade que Caio e Macedo estão agarrados ao púlpito. Acima de tudo, eles têm suas razões pessoais para não deixar o pastorado…

A Bíblia não acertou na mosca quando disse que o amor ao dinheiro é a raiz de todos os males? Para Caio e Macedo, ser pastor e bispo é um negócio da China.

Fonte: www.juliosevero.com

Leia mais:

Lula e os evangélicos

Igreja Universal, Caio Fábio, camisinhas, aborto…

Caio Fábio se desnuda

Bispo Macedo e aborto

Aborto, homossexualismo, ambientalismo e Caio Fábio: Quantos mais caírem, melhor para o Caiu

A teologia da nudez

Reagan: um amigo sólido de Israel

O gari, o preso e o ladrão