20 de dezembro de 2009

O império mundial da burla

O império mundial da burla

Olavo de Carvalho

Até umas décadas atrás, o jornalismo refletia a convivência, ora pacífica, ora conflitiva, das três forças que determinavam a sua orientação: o orgulho profissional dos jornalistas, que concorriam entre si na tarefa de informar mais e melhor; os objetivos econômicos dos empresários de mídia; e os diferentes interesses políticos que, através desses dois grupos, disputavam a hegemonia sobre as redações. A variedade das combinações possíveis, num ambiente de concorrência capitalista e liberdade democrática (mesmo em situações políticas não totalmente democráticas), demarcava os perfis dos diferentes órgãos de mídia, desde os grandes jornais e redes de TV até os tablóides de propaganda ideológica e os programas radiofônicos das mais modestas estações do interior.

Nos anos recentes, tudo mudou.

1) Por toda parte, a propriedade dos órgãos de mídia concentrou-se nas mãos de empresas multinacionais bilionárias, associadas ao projeto de governo mundial e dispostas a sofrer por ele até mesmo vultosos prejuízos financeiros, que por outro lado não as prejudicam de maneira alguma, de vez que são amplamente compensados por lucros obtidos em outros negócios. A tremenda queda de prestígio e a quase falência de jornais como o New York Times ou o Los Angeles Times não os induziu a mudar no mais mínimo que fosse as respectivas orientações políticas que puseram seus leitores em fuga: ao interesse financeiro imediato de uma empresa em particular sobrepõem-se os interesses estratégicos maiores dos grupos empresariais que a controlam de longe.

2) Desde que as maiores universidades, em quase todos os países do Ocidente, caíram sob o domínio de intelectuais ativistas imbuídos da mentalidade "pós-moderna" e "desconstrucionista", isso teve um efeito letal sobre a formação profissional dos jornalistas: a simples noção de objetividade jornalística não pode sobreviver num ambiente cultural onde a crença em verdades objetivas é tratada como um resíduo supersticioso de épocas bárbaras e um odioso instrumento de opressão capitalista. Se a obrigação dos intelectuais já não é mais buscar a verdade, mas apenas dar apoio a causas feministas, gayzistas, abortistas, globalistas e socialistas, mesmo aquele que não tenha grande entusiasmo pessoal por essas causas fica desprovido de um critério de veracidade pelo qual possa julgá-las, e acaba colaborando com elas, no mínimo, por omissão.

3) A convergência desses dois fatores gerou, como era de se esperar, a uniformização ideológica da mídia em escala mundial, transformando jornais, estações de rádio e redes de TV num maciço e coerente aparato de propaganda que cada vez menos admite divergências e cada vez mais se empenha em selecionar as notícias segundo sua conveniência política, desprezando cinicamente os critérios tradicionais de objetividade. O noticiário fraudulento, que num ambiente de concorrência capitalista normal acabava sempre sendo dissolvido pela variedade das abordagens jornalísticas mutuamente contraditórias, tornou-se a norma imperante, só contestada em publicações menores e em alguns sites de jornalismo eletrônico, facilmente neutralizados como "loucos", "teóricos da conspiração", "fofoqueiros da internet" etc.

Em resultado, os acontecimentos mais decisivos são freqüentemente mantidos fora do horizonte de visão do público, enquanto lendas, mentiras e imbecilidades úteis à causa comum do globalismo e da militância jornalística são alardeadas nos quatro quadrantes da Terra como verdades definitivas, sem que se ouça uma única voz de protesto contra a fraude geral. Trabalhando em uníssono com o show business, com as fundações culturais bilionárias e com os organismos administrativos internacionais, o jornalismo tornou-se pura propaganda, amparada num eficiente sistema de exclusão e boicote que só os mais valentes, cada vez mais raros, ousam enfrentar.

As grandes empresas jornalísticas já não têm nem mesmo a preocupação de camuflar a uniformidade mundial das campanhas que promovem: outro dia, 44 dos 56 maiores jornais do mundo publicaram o mesmo editorial, repetido em toda parte ipsis litteris, em favor da centralização do poder em escala mundial, para salvar o planeta de riscos aliás perfeitamente inexistentes.

Quase ao mesmo tempo, a Rede Globo, dominadora absoluta da audiência e portanto da formação da mentalidade pública neste país, exibiu novamente, como dado científico comprovado, o famoso gráfico de Al Gore, em que duas curvas, uma assinalando os aumentos das emissões de CO2, outra as elevações da temperatura terrestre, se superpõem harmoniosamente, "provando" a origem humana do aquecimento global.

Nos meios científicos, não há um só profissional idôneo que engula essa fraude grotesca. Todo mundo sabe que as curvas são similares, sim, mas que as elevações de temperatura antecedem e não se sucedem ao aumento das emissões de CO2 , isto é, que Al Gore inverteu propositadamente causa e efeito para fomentar a campanha do imposto mundial.

Já o escândalo do "Climagate", em que prestigiosos cientistas foram surpreendidos tramando falsificação de dados, vem sendo abafado por todos os meios possíveis: se você depender do New York Times ou da CNN para informar-se a respeito, não ficará jamais sabendo de nada, ou pelo menos terá a impressão de que a vigarice de alguns pesquisadores isolados não afeta em nada a confiabilidade das teses dominantes quanto ao aquecimento global. Impressão falsa. Philip Jones, Keith Briffa e Michael Mann, os pesquisadores de East Anglia pegos de calças na mão, são os principais autores dos dois relatórios da ONU que servem de base à campanha do imposto global, isto é, da extorsão global de três bilhões de dólares para salvar o mundo de uma ameaça forjada (v. http://www.telegraph.co.uk/comment/columnists/ christopherbooker/6738111/Climategate-reveals-the-most-influential-tree-in-the-world.html).

Do mesmo modo, os órgãos da "grande mídia" não publicam uma só linha quanto aos processos que a jornalista austríaca Jane Burgermeister está movendo contra a Organização Mundial da Saúde, o governo Obama e algumas poderosas indústrias farmacêuticas. As vacinas contra gripe suína, já obrigatórias em alguns Estados americanos, e que a presidência Obama pretende impor a todo o país, estão contaminadas com o vírus da gripe aviária, muito mais perigosa: é o que afirma Burgermeister, sustentando suas palavras com ações que não são de ordem a tornar a sua existência nem um pouco mais confortável (v. www.theflucase.com). Para impor a obrigatoriedade da vacinação, o governo americano e a OMS promoveram uma campanha alarmista, com forte apoio de jornais, TVs, universidades, instituições científicas e artistas de Hollywood, exagerando brutalmente os riscos da gripe suína. Agora, que as vacinas estão matando muito mais gente do que a própria gripe, a mídia e as autoridades se calam ominosamente, mostrando que não estão interessadas na saúde do público mas em proteger os autores de uma fraude genocida. E notem: os envolvidos nessa fraude são os mesmos apóstolos do imposto global, assim como os meios usados para ludibriar o público são os mesmos em ambos os casos: a propaganda maciça em escala mundial, travestida de "jornalismo", e a supressão sistemática dos fatos indesejáveis.

Cada vez mais, entramos num novo mundo onde não se poderá confiar em nenhuma instituição, em nenhuma autoridade, em nenhum prestígio, e onde cada um terá de buscar a verdade por seus próprios meios, se os tiver. Como a maioria não os tem, será cada vez mais difícil encontrar alguma diferença entre esse novo mundo e o império global da burla anunciado pelos profetas e pelo Falstaff de Verdi.

Fonte: Diário do Comércio, 14 de dezembro de 2009

Divulgação: www.juliosevero.com

4 comentários :

PAULO SANTOS disse...

Este texto, além das denúncias alarmantes, deve fazer acordar a igreja do Senhor Jesus para algumas verdades:
1- A Bíblia é a única fonte da Verdade e que
2- O Diabo não tem poder criativo, por isto não pode mudar suas estratégias contra o reino do Senhor Jesus.

Mateus 28:11-15:
E, quando iam, eis que alguns da guarda, chegando à cidade, anunciaram aos príncipes dos sacerdotes todas as coisas que haviam acontecido.
E, congregados eles com os anciãos, e tomando conselho entre si, deram muito dinheiro aos soldados, dizendo:
Dizei (ao povo):
Vieram de noite os seus discípulos e, dormindo nós, o furtaram.
E, se isto chegar a ser ouvido pelo presidente, nós o persuadiremos, e vos poremos em segurança. E eles, recebendo o dinheiro, fizeram como estavam instruídos.
E foi divulgado este dito entre os judeus, até ao dia de hoje.

Abbey disse...

Vc é bem corajoso, Júlio... Glória a Deus por isso, porque seu blog é lido e comentado por milhares de pessoas, e entre tantas, algumas darão ouvidos á essa verdade sobre a dominação do mundo por uma elite global que tem a séculos manipulado as massas. Nada pode dete-los, até porque está escrito na Biblia que assim será e assim é o plano de Deus para purificar a humanidade, mas nós podemos fazer com que alguns se tornem precavidos para não se contaminarem e serem facilmente manipulados de todas as formas como são.

Sobre o fim dos tempos a Palavra de Deus nos fala em Daniel 12:10 "Muitos serão purificados, e embranquecidos, e provados;
mas os ímpios procederão impiamente,
e nenhum dos ímpios entenderá,
mas os sábios entenderão"

Oro para que haja muitos sábios que possam entender o que significa assuntos como o Código Mundial Alimentar ( ou Codex Alimentarius ) que entra em vigor agora, no último dia deste ano de 2009, planejado desde a década de 60 (!) para se tornar realidade nos nossos dias, assim como o Programa chamado HAARP, ou os Chemtrails - rastos quimicos deixados por aviões na nossa atmosfera, ou a família Bildenberg - donos de todo esse mundo no qual somos - sem saber - seus marionetes, ou ainda a farsa do aquecimento global, a farsa da vacinacão obrigatoria, a farsa da destruição das torres gêmeas nos EUA, e a farsa da ida do homem à lua entre tantas outras farsas, enfim, o que significa a Nova Ordem Mundial, que de nova só tem o nome...

Oro para que cada vez mais irmãos se conscientizem do que tem sido preparado para a humanidade, que sáiam de diante da TV, que procurem se informar através de outros meios de comunicação - ( o youtube AINDA pode ser uma boa fonte de pesquisa, mas não por muito tempo... ) para que possam se proteger e ajudem a outros a se conscientizarem e se protegerem. Seu blog faz esse favor, e vc é muito corajoso em falar sobre esses temas que estão interligados uns aos outros, porque sabe que acende mais a ira do inimigo sobre sua vida... Mas o Senhor tem te protegido até aqui, e não será diferente daqui para frente, e mesmo que alguma coisa má aconteça a vc e a qualquer um de nós, o limite do inimigo de nossas almas é o nosso corpo físico, mas na nossa mente, no nosso espírito ele nao toca, nunca renderemos a ele o louvor e a adoracao que ele quer de nos, servos fieis do Deus Vivo!

Albino Junior disse...

Ótimo artigo!

Para os leitores do blog do Julio Severo, eu sugiro que entrem no site www.espada.eti.br/cutting.htm

Fiquem com Deus!

Albino Junior - www.retratosdaterra.blogspot.com

Renato disse...

Prezados

Albino Junior
e Abbey

Gostaria de comentar sobre o famoso site espada.eti.

Já obtive informações através desse endereço. Advirto, entretanto, que parece-me que seus editores nem sempre são suficientemente criteriosos na publicação de artigos. É sempre conveniente verificar várias fontes e, sempre que possível, fontes primárias.

Noto que muitas pessoas acreditam numa série de teorias sobre formação de quadrilha (chamada conspiração, no sistema legal anglo-saxão).
Ocorre que misturam coisas extremamente bem fundamentadas com outras que são pura fantasia. Exemplifico:
Sou engenheiro, tenho certo conhecimento de física e matemática, e tão logo comparei as argumentações dos aquecimentistas e dos cépticos, cheguei à conclusão de que o AGA é uma farsa, um absurdo científico, fundado na manipulação, na pressão econômica, e ignorância do público. A verdade sobre esse assunto é que não há a menor prova de que o recente aquecimento foi provocado pelo homem. É apenas variação natural, como sempre foi.

Também examinei os argumentos daqueles que negam que o homem esteve na Lua, em comparação com as respostas dos cientistas. E ficou claro, para mim, que as dúvidas quanto a esse assunto se fundam na ignorância. Os argumentos tem respostas lógicas perfeitametne convincentes e a maioria deles é fruto de extrema ignorância sobre ciências, como eu percebi tão logo os lí ou ouvi pela primeira vez. A pessoa sem conhecimentos básicos, tanto pode crer na mentira quanto descrer da verdade.

Recomendo que busquem conhecimentos básicos. Ter noção das ordens de grandeza é essencial, visão histórica abrangente também (falo de conhecimento de história, dos documentos e arqueologia que a sustentam, não de teorias a respeito da sociedade). E aprender um pouco de física e matemática é muito importante.