18 de dezembro de 2009

Lisa Miller recebe ordem de entregar custódia da filha para ex-amante lésbica

Lisa Miller recebe ordem de entregar custódia da filha para ex-amante lésbica

Kathleen Gilbert
VIRGINIA, EUA, 24 de novembro de 2009 (Notícias Pró-Família) — Um juiz de Vermont ordenou, na sexta-feira, que a custódia exclusiva da filha de 7 anos de uma mulher da Virginia seja transferida para a ex-amante lésbica da mulher até o fim deste ano.
Lisa Miller deu a luz sua filha Isabella por meio de inseminação artificial enquanto ainda vivia numa união civil com Janet Jenkins em Vermont, mas deixou Jenkins e o estilo de vida lésbico um ano depois. Jenkins, que não tem nenhuma ligação biológica ou legal com Isabella, mais tarde lutou para obter a custódia da filha de Miller através dos tribunais.
O juiz William Cohen decretou a ordem apesar de Miller ter insistido que Isabella mostrou sinais de trauma de visitas anteriores a Jenkins. Essas visitadas foram ordenadas pelo tribunal. Além disso, Isabella se queixou de que Jenkins a forçou a tomar banho nua com ela. For por esse motivo, de acordo com Miller, que ela se recusou a acatar as visitas ordenadas por Cohen.
Miller é obrigada a entregar Isabella até 1 de janeiro de 2010.
Mathew Staver, advogado de Miller, disse para o jornal Rutland Herald na sexta-feira que Miller recorreria da decisão de Cohen para o Supremo Tribunal de Vermont, enquanto está ao mesmo tempo recorrendo na Corte de Apelação de Virginia contra a execução das ordens de Vermont que estão em conflito com a lei da Virginia. O tribunal da Virginia ouvirá argumentos orais em 9 de dezembro em Alexandria.
“Certamente, não estamos contentes com a ordem. Penso que Lisa está devastada que o tribunal concederia custódia a Jenkins — uma pessoa que Isabella não conhece”, disse Staver. “A única pessoa que ela conhece é sua mãe”.
“Requisitaremos ao tribunal que adie a execução enquanto o recurso avança. É prematuro fixar datas enquanto o recurso está em andamento”.
Wendy Wright, presidente de Concerned Women for America, condenou a decisão, dizendo que o juiz de Vermont “mostrou pouca compreensão do caso ou sensibilidade para crianças” ao afirmar que “a mudança em custódia dos pais, que inclui mudar para uma nova casa, escola e estado para viver com uma estranha virtual, provocaria alguma interrupção para Isabella, mas nada que seria anormal para uma criança”.
“Essa decisão poderá influenciar batalhas de custódia muito além de Vermont”, disse Wright. “Essa decisão trata um parceiro numa união civil como equiparável a um pai biológico ou legal numa batalha de custódia”.
Para fazer contato respeitoso com o juiz Cohen:
Judge William D. Cohen
RUTLAND SUPERIOR COURT
83 Center Street, Suite 3
Rutland, VT 05701
(802) 775-4394
Related Links:
Protect Isabella Coalition
Lisa Miller's Facebook page 
Veja a cobertura relacionada de LifeSiteNews.com:
Lisa Miller ameaçada com perda de custódia se não entregar a própria filha para ex-amante lésbica
Traduzido por Julio Severo: www.juliosevero.com
Veja também este artigo original em inglês: http://www.lifesite.net/ldn/viewonsite.html?articleid=09112411
Copyright © LifeSiteNews.com. Este texto está sob a licença de Creative Commons Attribution-No Derivatives. Você pode republicar este artigo ou partes dele sem solicitar permissão, contanto que o conteúdo não seja alterado e seja claramente atribuído a “Notícias Pró-Família”. Qualquer site que publique textos completos ou grandes partes de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com em português tem a obrigação adicional de incluir um link ativo para “NoticiasProFamilia.blogspot.com”. O link não é exigido para citações. A republicação de artigos de Notícias Pró-Família o LifeSiteNews.com que são originários de outras fontes está sujeita às condições dessas fontes.

7 comentários :

marcelo victor disse...

Por causa da vida perversa dos pais, os filhos sofrem...
Aí está um belo exemplo do juízo divino e do pagamento pelo comportamento maligno de uma suposta "mãe", se é que a podemos chamar de "mãe" (talvez ela prefira ser chamada de "pai"...).

"Política sem medo" disse...

Caro Julio, ai esta mais uma decisao com uma clara inversao de valores. E a visao de um juiz que quer ser mais realista do que a realidade. Essa decisao passa muito longe do bom senso. Ao inves de ajudar a crianca a esquecer o passado vergonhoso da mae o juiz quer reascender nas suas lembrancas uma vergonha que qualquer crianca gostaria de esquecer. Deve ser um juiz nao muito fanatico na sua masculinidade esse Dr. Cohen!

Cachorro Louco disse...

Julio : Estamos viendo uma época de absurdos e sandices .Este é mais um exemplo terrível do poder que os homossexuais estáo assumindo.
Se deuxarmos a coisa rolar do jeito que está num futuro próximo seremos condenados por sermos heterossexuais .
Da mesma forma que temos de combater os comunistas que querem nos escravizar ,devemos combater esses gays loucos que pretendem fazer o que lhes der na telha .

Abraços

Marcia disse...

Realmente esta militância "gay", que digo de passagem, não deve representar toda a "classe" dos homossexuais, pois muitos discordam destas sandices,já alcançou todos os seguimentos desta sociedade mundana!
Deus nos fortaleça e tenha misericórdia, precisamos de uma "nova aliança", que se levantem profetas, mais profetas em nome de Jesus.
Paz a todos

Marco Teles disse...

É interessante que em alguns estados americanos, haja pena de morte para menores de idade, enquanto também podem acontecer fatos desse tipo. Precisamos pregar o evangelho, urgentemente.

Henrique Lima disse...

Outro assunto.
Nesta semana o caso que está chocando o Brasil é o do menino furado sistematicamente com agulhas pelo padastro e a mulher. O caso ocorreu no interior da Bahia. Tudo isso num rito religioso. Qual? A primeira vez que vi na tv, o caso, a reportagem falava que tudo era feito com orientação de uma "mãe-de-santo". Agora não se fala mais em "mãe-de-santo" e sim numa religiosa, num rito religioso.

É explícito o tratamento seletivo da imprensa com casos graves de religiões "afro". Qndo se trata de um crente/evangélico/protestante,fazer algo de ilícito, a crítica cai em cima chamando de fanáticos.

Mas, nesse caso tá toda a imprensa tratando o caso de modo perene.

http://g1.globo.com/Noticias/Brasil/0,,MUL1421042-5598,00-MEDICOS+RETIRAM+QUATRO+AGULHAS+DO+CORPO+DE+MENINO+DE+ANOS.html

Marcia disse...

No caso do menino c/ agulhas, hoje vi em um jornal da globo que ele tinha sido vitima de magia negra.
O caso é que as religiões afro hoje fazem parte da cultura deste Brasil sem Deus!