19 de dezembro de 2009

Inglaterra tem “total direito” de ignorar pedido da UE para anular proteções religiosas

Inglaterra tem "total direito" de ignorar pedido da UE para anular proteções religiosas

Hilary White

LONDRES, Inglaterra, 25 de novembro de 2009 (Notícias Pró-Família) — Tribunais britânicos e o governo britânico não podem ser forçados a mudar suas normas de discriminação em emprego, "a menos que e até que" recebam ordens nesse sentido pelo Tribunal de Justiça da União Européia, diz Neil Addison, advogado e autor de um compêndio sobre a lei anti-discriminação. Isso significa, disse Addison, que a Inglaterra tem o "total direito" de ignorar a ordem decretada na semana passada pela Comissão Européia exigindo que o governo britânico elimine todas as proteções para os grupos religiosos com relação às leis de "orientação sexual".

Vladimir Spidla, Comissário da UE para Emprego, Assuntos Sociais e Oportunidades Iguais, decretou a "opinião equilibrada" na semana passada em que disse que o governo britânico havia "incorretamente" implementado a ordem anti-discriminação da UE. Spidla efetivamente ordenou que o governo suprimisse isenções para grupos religiosos com relação ao emprego de homossexuais. Ele escreveu: "Exortamos o governo britânico a fazer as mudanças necessárias na sua legislação anti-discriminação tão logo possível a fim de cumprir as normas da UE".

Num email para LifeSiteNews.com, Addison disse que a questão principal sobre a "opinião equilibrada" é se a Inglaterra tem a obrigação legal de seguir essas instruções como foi amplamente afirmado na imprensa britânica.

Em resposta ele indicou uma decisão de 2004 tomada pelo Supremo Tribunal Britânico, num caso entre muitos sindicatos britânicos e uma coalizão de grupos cristãos, que disse que a ordem da UE sobre discriminação havia sido incorretamente implementada nas Normas de Emprego Britânicas. Addison disse que considerando que nenhum ativista homossexual havia recorrido dessa decisão de 2004 ou no Tribunal de Justiça da UE ou no Supremo Tribunal da Inglaterra, que "essa decisão do Elevado Tribunal representa a posição legal".

"Numa sociedade governada pelo Estado de direito os tribunais decidem o que a lei é e uma opinião legal, por mais 'equilibrada' que seja, não pode anular ou ter precedência sobre uma decisão de um tribunal", disse ele.

Addison confirmou, porém, o que muitos líderes pró-vida haviam avisado sobre o efeito da ratificação do Tratado de Lisboa, que não importa quais leis sejam aprovadas por países individuais da UE, o que seus tribunais decidam, o Tratado de Lisboa dá ao Tribunal de Justiça o poder de anulá-las.

O governo britânico, disse ele, tem o "direito total" de ignorar a ordem da Comissão Européia, mas só "a menos que e até que o próprio Tribunal de Justiça da UE dê um veredicto sobre a questão".

"Eu iria mais longe e declararia que o governo britânico tem a obrigação legal e moral de ignorar a opinião da Comissão Européia onde essa opinião, como nesse caso, está em conflito com uma decisão do Elevado Tribunal".

Leia a cobertura relacionada de LSN:

All Public Displays of Christianity Could End with Italian Crucifix Ruling: Legal Expert

http://www.lifesitenews.com/ldn/2009/nov/09110901.html

Traduzido por Julio Severo: www.juliosevero.com

Fonte: http://noticiasprofamilia.blogspot.com

Veja também este artigo original em inglês: http://www.lifesite.net/ldn/viewonsite.html?articleid=09112501

Copyright © LifeSiteNews.com. Este texto está sob a licença de Creative Commons Attribution-No Derivatives. Você pode republicar este artigo ou partes dele sem solicitar permissão, contanto que o conteúdo não seja alterado e seja claramente atribuído a "Notícias Pró-Família". Qualquer site que publique textos completos ou grandes partes de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com em português tem a obrigação adicional de incluir um link ativo para "NoticiasProFamilia.blogspot.com". O link não é exigido para citações. A republicação de artigos de Notícias Pró-Família o LifeSiteNews.com que são originários de outras fontes está sujeita às condições dessas fontes.

2 comentários :

Henrique Lima disse...

http://henriquelimaa.blogspot.com/2009/12/midia-e-as-religioes.html

MARIA disse...

Prezado Júlio,

Acabo de ler algumas notícias em seu Blog e estou estarrecida com o avanço dessa coisa horrenda que é a defesa das práticas homossexuais como se fossem coisas normais e lindas! Vi o trailer do filme "Do Começo ao Fim". Que de desgraça!!! Meu Deus! Aonde chegaremos? Dou graças a Deus que existam pessoas como você para denunciar e gritar contra essa miséria toda que vai levando aos poucos a sociedade a um estado de putrefação! Também li sobre as perseguições que você sofre por causa da sua posição firme contra o avanço da chamada agenda gay. Pena que o seguimento evangélico está um tanto acanhado em relação a estas questões! Mas ao ler essas notícias percebo que precisamos nos levantar contra isso com mais veemência e sem medo. Acho que deve ser por isso que os cristãos não são perseguidos hoje em dia: porque estamos ficando calados enquanto o inferno investe pesado contra os valores da família e contra as crianças. Que Deus tenha misericórdia e que o Senhor continue te dando coragem para gritar!
A Paz de Cristo
Maria