30 de dezembro de 2009

Adultos canadenses educados em casa se saem excepcionalmente bem

Adultos canadenses educados em casa se saem excepcionalmente bem

Patrick B. Craine
LONDRES, Ontário, Canadá, 3 de dezembro de 2009 (Notícias Pró-Família) — Um novo estudo divulgado ontem pelo Centro Canadense de Educação em Casa (CCEC) revela que adultos educados em casa no Canadá se saem excepcionalmente bem em todas as áreas medidas da vida adulta, inclusive nível educacional, fidelidade religiosa, participação cívica e comunitária, satisfação da vida e renda.
O estudo, intitulado Quinze Anos Depois: Adultos Canadenses Educados Em Casa, entrevistou adultos cujos pais haviam respondido a um estudo de 1994 sobre educação em casa. No total, os pesquisadores coletaram 226 questionários. Variando da idade de 15 a 34 anos, os entrevistados responderam a perguntas sobre uma variedade de assuntos pelos quais o órgão de estatísticas canadense tem dados comparáveis de uma população mais ampla.
Os resultados foram surpreendentes, diz o CCEC.
O estudo revelou que, quando avaliados em comparação com os canadenses comuns, os adultos educados em casa têm mais envolvimento social e têm quase o dobro de probabilidade de votar em eleições federais. Sua renda média é mais elevada, com fontes de renda mais auto-suficientes, tais como investimentos e trabalho autônomo. Aliás, de todos os entrevistados, não havia casos de pessoas dependendo da assistência do governo como a principal fonte de renda.
Os entrevistados estão mais felizes em seu trabalho e acerca de suas vidas em geral. Eles também têm atividades recreativas mais variadas. O estudo observa, por exemplo, que os entrevistados “têm muito mais probabilidade do que a população comparável de ter lido livros e assistido a concertos de música clássica ou apresentações teatrais”. Em geral, ao refletir no valor de ser educado em casa, a maioria sentiu que era uma vantagem em sua vida adulta.
“Em termos de renda, educação, empreendimentos empresariais, envolvimento em sua comunidade e todas as outras características avaliadas, os adultos educados em casa não só se saem excepcionalmente bem, mas também fazem contribuições importantes para suas comunidades, declarou Paul Faris, presidente do CCEC. “Eles são o tipo de vizinhos que todos queremos”.
O estudo completo e um resumo estão disponíveis aqui.
Traduzido por Julio Severo: www.juliosevero.com
Veja também este artigo original em inglês: http://www.lifesitenews.com/ldn/2009/dec/09120305.html
Copyright © LifeSiteNews.com. Este texto está sob a licença de Creative Commons Attribution-No Derivatives. Você pode republicar este artigo ou partes dele sem solicitar permissão, contanto que o conteúdo não seja alterado e seja claramente atribuído a “Notícias Pró-Família”. Qualquer site que publique textos completos ou grandes partes de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com em português tem a obrigação adicional de incluir um link ativo para “NoticiasProFamilia.blogspot.com”. O link não é exigido para citações. A republicação de artigos de Notícias Pró-Família o LifeSiteNews.com que são originários de outras fontes está sujeita às condições dessas fontes.

5 comentários :

Jorge Victor disse...

A educação em casa é muito boa para quem tiver esta oportunidade, mas para a maioria das pessoas não seria assim. Na maioria das famílias os pais têm menos conhecimento para passar aos filhos e a maioria deles não teria renda suficiente para contratar um professor particular, por isso só uma minoria teria possibilidade de estudar em casa, nao é surprendente que pessoas estudaram em casa tenham melhor renda que o restante da população, é bem possível que sejam de famílias de boa condição financeira.

André Ricardo Costa disse...

Devemos nos organizar melhor para conquistar esse avanço no Brasil...

Precisamos de financiamentos, subsídios teóricos, força política...

Devemos nos organizar, no unir!!!

qualquer coisa, contem comigo!!

andre_ricardo86@hotmail.com

佐藤 Suely disse...

Ei, Júlio! Feliz 2010 pra ti e pra tua family!

Respeito a opinião do Jorge, mas não concordo muito; depois de pesquisar artigos aqui mesmo no blog Escola Em Casa, senti-me muito mais encorajada a educar meus filhos em casa, é muito simples; na verdade, a escola é que complica muito. Claro que exige-se esforço dos pais, mas nada que não se possa alcançar, mesmo os pais sendo pessoas mais "simples", sempre é um desafio para nós mesmos, os pais, e a gente acaba crescendo junto com eles, os filhos.
Agora, como disse o André, se nos unirmos e trabalharmos para criar materiais didáticos ( como há ricamente nos EUA, Japão etc.) em Português, será uma enorme ajuda, um grande avanço! Espero e oro continuamente para que aconteçamos!
Um grande abraço!

Renato disse...

ao contrário do que muitos pensam aqui, as crinças educadas em casa não são, freqüentemente, os filhos das famílias mais abastadas. Geralmente são filhos de pais preocupados ou com a violência, ou com a falta de bons conteúdos e bons métodos, na escola pública. Via de regra, as mães dessas crianças não trabalham fora embora, nessa época de internet muitas possam desenvolver atividades comerciais em casa. Há famílias de agricultores e pecuaristas, que tem mais tempo para dedicar aos filhos. Quando os pais não estão, os dois, ocupados numa atividade econômica que exija "bater cartão", é perfeitamente possivel que mesmo famílias pobres ou remediadas apliquem o sistema.

JOCAX disse...

Decreto sobre Direitos Humanos do Governo Federal,Um desabafo.

A imprensa e a midia está vociferando contra o decreto porque este abala seu poder.

Um dos itens do decreto diz:
.
'Elaborar critérios de acompanhamento editorial a fim de criar ranking nacional de veículos de comunicação comprometidos com os princípios de Direitos Humanos, assim como os que cometem violações.'
.
É natural que quem esteja no poder nao queira sair de la. Assim como quem tem o poder da midia sobre a opiniao publica tambem nao queira perde-lo ou diminuir tal poder.
.
Quantos ditadores resolveram permanecer no poder depois de experimenta-lo? Com os "donos da midia" tambem nao deve ser diferente, ninguem gosta de perder poder.
.
Hitler sabia bem da forca da propaganda da midia sobre a populacao em geral ao instituir o seu "ministerio da propaganda",pois a opiniao publica é facilmente manipulavel, e quem tem o controle da midia, da formacao da opiniao publica, pode tambem mudar o destino de um pais.
.

Foi o que aconteceu na eleicao de Collor aa presidencia quando disputava a presidencia da republica contra Lula, e às vesperas da eleicao uma certa emissora
manipulou os momentos do debate mudando talvez de forma definitiva o destino das eleicoes presidenciais e do país.
.
O que é interessante observar é que o governo -eleito democraticamente - deveria ser o representante natural do povo, e portanto, nada mais natural que o governo verificasse o que alguns orgaos da midia estao patrocinando.
.
A sociedade (representada pelo governo) deveria permitir que "meia duzia" de empresas que mantem o oligopolio dos meios de comunicacao "pintem e bordem" com a opiniao publica? impondo seus pontos de vistas particulares a milhoes de ouvintes, muitos dos quais menores de idade e sem um pingo de instruçao?
.
Os detentores do poder da midia alegam que o governo esta tentando inibir a democracia como se alguem da populacao tivesse realmente o direito de ir a um "Jornal" televisivo de grande audiencia e expor sua opiniao!!! A Opiniao dos donos da imprensa nao é a opiniao do povo. Essa alegada democracia nao existe!
.
Se a midia quer uma democracia verdadeira deveria abrir seu espaco editorial para que QUALQUER PESSOA do publico em geral pudesse expor seus pontos de vistas,
ou entao que o proprio governo ( REPRESENTANTE OFICIAL DA POPULACAO ) expusesse seus pontos de vistas em seu horario nobre, isso sim seria uma verdadeira democracia de opiniao publica e nao vociferar que "meia duzia" de empresas tenham o direito de comandar a opiniao publica a seu bel-prazer como se isso fosse uma democracia de opiniao.

O que ocorre na verdade eh que atualmente existe um CARTEL ELITISTA E DITATORIAL da midia que invoca justamente o "anti-democratismo" do decreto
para tentar manter seu poder ditatorial elitista de manipulacao da midia.

Se a midia fosse realmente democratica cederia seu espaco publico de grande audiencia para quem representa o povo:
O governo eleito democraticamente.