9 de novembro de 2009

Católicos e ortodoxos expressam “tristeza” com a decisão dos luteranos suecos de aceitar o “casamento” homossexual

Católicos e ortodoxos expressam “tristeza” com a decisão dos luteranos suecos de aceitar o “casamento” homossexual

Matthew Cullinan Hoffman
ESTOCOLMO, Suécia, 26 de outubro de 2009 (Notícias Pró-Família) — Representantes da Igreja Católica e da Igreja Ortodoxa na Suécia estão se unindo aos luteranos conservadores que estão denunciando a recente decisão da Igreja Luterana da Suécia de realizar cerimônias de “casamento” homossexual, noticiou a Agência Noticiosa Católica.
Numa declaração conjunta, autoridades católicas e ortodoxas expressaram “tristeza” ao ficarem sabendo “da decisão do sínodo da Igreja da Suécia”, que é a maior organização religiosa do país.
“Em nossas igrejas e comunidades, não uniremos casais homossexuais, pois isso contradiz completamente a tradição da igreja e nossa visão da criação”, acrescentou a declaração, que também afirmou que a decisão “é um distanciamento não só da tradição cristã, mas também do ponto de vista da natureza do casamento que é típico de todas as religiões”.
Eles observaram que embora o diálogo com os luteranos vá continuar, “essa decisão da Igreja da Suécia aumentaria as diferenças”.
As opiniões dos representantes católicos e ortodoxos foram ecoadas por luteranos mais conservadores, tais como o Bispo Hans Stiglund, prelado do norte Suécia.
“Em meu modo de ver, o casamento é definido como uma relação entre homem e mulher sem nenhum espaço para uma relação entre parceiros do mesmo sexo”, disse ele.
De cada quarto suecos, três são membros da Igreja Luterana. A decisão de permitir “casamentos” homossexuais foi feita por representantes filiados aos partidos políticos nacionais, que são eleitos para uma assembléia nacional. A decisão foi aprovada por um voto de 176 contra 62 com 11 abstenções.
Embora as autoridades luteranas suecas estejam há anos “abençoando” uniões entre homossexuais, a nova decisão lhes permite chamar a união de “casamento”. Os pastores que tiverem objeções de consciência não serão obrigados a realizar a cerimônia.
Andrew Brown, do jornal esquerdista Guardian, expressou reservas sobre a decisão, comentando que a Igreja da Suécia passou agora dos limites até mesmo da ultra-esquerdista Igreja Anglicana.
“Fora da Igreja da Suécia, essa decisão com certeza levará a tensões nas relações ecumênicas”, escreveu Brown num recente editorial. “A Igreja Luterana Sueca em teoria compartilha seu sacerdócio com a Igreja da Inglaterra, por exemplo. Mas nenhum sacerdote inglês teria permissão de casar um casal gay e poucos iriam querer. Eles nem mesmo têm permissão de ter cultos de bênção. E, conforme mostram os detalhes do caso, virá a ser uma lição prática de como não separar a Igreja do Estado”.
Embora o líder da Igreja Luterana sueca, o arcebispo Anders Wejryd, tenha apoiado a decisão, até ele pareceu não ter se sentido bem com ela.
“De minha parte, a decisão certa foi tomada, mas consigo me identificar com os muitos que acreditam que isso foi longe demais”, disse ele numa coletiva à imprensa.
Traduzido por Julio Severo: www.juliosevero.com
Veja também este artigo original em inglês: http://www.lifesitenews.com/ldn/2009/oct/09102701.html
Copyright © LifeSiteNews.com. Este texto está sob a licença de Creative Commons Attribution-No Derivatives. Você pode republicar este artigo ou partes dele sem solicitar permissão, contanto que o conteúdo não seja alterado e seja claramente atribuído a “Notícias Pró-Família”. Qualquer site que publique textos completos ou grandes partes de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com em português tem a obrigação adicional de incluir um link ativo para “NoticiasProFamilia.blogspot.com”. O link não é exigido para citações. A republicação de artigos de Notícias Pró-Família o LifeSiteNews.com que são originários de outras fontes está sujeita às condições dessas fontes.


7 comentários :

Mente Conservadora disse...

Júlio, você acha que isso será uma tendência? Você acha que, com o passar dos anos, será uma tendência as igrejas cristãs casarem pessoas do mesmo sexo? Eu acho que, dentro de uns 50 anos, as igrejas que não o fizerem serão bastante perseguidas.

Anônimo disse...

A Igreja Luterana da Alemanha tem como presidenta uma mulher divorciada, muito liberal e se eu não me engano ela também é à favor da união de pessoas do mesmo sexo!

Lima

marcelo victor disse...

Apocalipse 17
16 E os dez chifres que viste na besta são os que odiarão a prostituta, e a colocarão desolada e nua, e comerão a sua carne, e a queimarão no fogo.
17 Porque Deus tem posto em seus corações, que cumpram o seu intento, e tenham uma mesma idéia, e que dêem à besta o seu reino, até que se cumpram as palavras de Deus.
18 E a mulher que viste é a grande cidade que reina sobre os reis da terra.

amaury disse...

não sei como é o interrelacionamento das igrejas luteranas dos diversos países.
mas é fato notório que a igreja luterana no Brasil e na América Latina é profundamente ligada ao ecumenismo, pois participa oficialmente de entidades como o Conselho Mundial de Igrejas (CMI) e o Conselho Latinoamericano de Igrejas (CLAI).

Anônimo disse...

Esse atigo também é muito interessante!

http://igrejauna.blogspot.com/2009/11/decadencia-do-protestantismo.html

Lima

Anônimo disse...

Bem apropriado a palavra tristeza entre aspas, pq ñ há igja onde se consagra mais homossexuais do q a igja católica. Claro, suas autoridades apenas ñ comentam q são homossexuais até q vários deles vão se revelando e caindo igual a dominós. Por isso, católicos e ortodoxos ñ teem autoridade moral nenhuma p/ falar das outras denominações. Católica, Ortodoxa, Luterana são todas farinha do mesmo saco.
Vadem retro!

FERROMODELISMO disse...

Ao ler os versículos que Marcelo escreveu aqui, a prostituta de fato é toda comunidade que trai a Deus. Está claro que é isso.