29 de setembro de 2009

Estados Unidos nega cidadania a adolescente que não quis receber a vacina HPV

Estados Unidos nega cidadania a adolescente que não quis receber a vacina HPV

Matt Anderson

16 de setembro de 2009 (Notícias Pró-Família) — Uma adolescente de 17 anos de idade que é imigrante britânica nos Estados Unidos teve negada a cidadania por recusar aceitar a polêmica vacina do HPV Gardasil, que é exigida de todas as pessoas do sexo feminino que imigram para os EUA.

Simone Davis, que é uma cristã devota, diz que não sabe o motivo por que ela tem de tomar a vacina, pois ela já fez o compromisso de permanecer virgem até o casamento.

“Tenho apenas 17 anos de idade e estou planejando ir para a faculdade e decidi não ter sexo de forma alguma logo”, ela disse para o noticiário de TV ABC News. “Não há possibilidade de eu pegar o câncer cervical. Portanto, não faz sentido tomar a vacina”.

Simone, que foi abandonada pela mãe enquanto ainda era bebê, hoje vive com sua avó por parte de pai, Jean Davis, em Port St. Joe, Flórida, EUA. Davis ganhou a custódia legal de Simone na Grã Bretanha quando Simone tinha 3 anos. Quando Jean imigrou para os Estados Unidos em 2000, a adoção não foi reconhecida até 2006. Agora, Davis está tentando ajudar Simone a se tornar cidadã americana.

Davis, que já tem a cidadania americana, diz que está preocupada com a segurança da Gardasil para sua neta/filha adotada.

“Se tivesse uma chance, eu escolheria não… para não haver risco algum”, diz Davis. “Sou cidadã e estou tentando fazer tudo de forma correta e legal e essa lei tira minha responsabilidade de mãe/avó e tira minha escolha”.

“Minha escolha de fazer uma decisão informada em prol da saúde da minha filha foi roubada… Como é que podem chamar esse país de Estados Unidos, a terra dos livres? Onde é que estão meus direitos como mãe?”

Simone está apreensiva com a segurança da vacina do HPV.

“Não quero receber essa vacina. Li muitas notícias sobre isso… muitas notícias de pais dizendo que a vida de seus filhos foi arruinada pela vacina”.

Conforme noticiou LifeSiteNews, a Gardasil é responsável por 47 mortes desde sua disponibilização em 2006. Em 2008, a Vigilância Sanitária dos Estados Unidos documentou 6.723 “casos adversos” relacionados à Gardasil; 1.061 foram considerados “graves”, e 142 considerados “de risco”.

O site do Centro Nacional de Informações de Vacinas faz uma lista desses problemas. Na lista, há a artralgia, a Síndrome de Guillain-Barre e ataques como efeitos adversos da vacina.

Barbara Loe Fisher, co-fundadora do CNIV, crê que ninguém tem de ser forçado a receber uma vacinação.

“Não apoiamos exigências de uso de vacinação para ninguém, quer para cidadãos americanos ou para quem quer se tornar cidadão americano”, Fisher disse para LifeSiteNews.

“O direito ao consentimento informado, de usar um produto farmacêutico que traz o risco de dano ou morte é um direito humano, e ninguém deve proibir essa moça de se tornar cidadã americana simplesmente porque ela não quer correr riscos com a vacinação do HPV”.

Fisher diz que testes como o exame de papanicolau eliminam a necessidade da vacina do HPV. “Não há motivo por que alguma mulher tenha de ser obrigada a tomar essa vacina como condição para se tornar cidadã dos EUA. A infecção do HPV é quase totalmente evitável com exames de papanicolau, os quais são rotina no sistema de saúde dos EUA desde a década de 1960”.

“Não dá para se justificar de forma alguma que mulheres que imigram para os EUA sejam forçadas a usar um produto farmacêutico como a vacina Gardasil que traz riscos que não são totalmente conhecidos ainda”.

Para mais informações sobre a Gardasil, por favor visite este site: www.nvic.org

Para expressar sua preocupação sobre esse caso, por favor faça contato com o Centro de Serviço dos Serviços de Imigração e Cidadania do Texas, que está cuidando do caso:

USCIS TSC
P.O. Box 850965
Mesquite, TX 751185-0965
tsc.ncscfollowup@dhs.gov

Traduzido por Julio Severo: www.juliosevero.com

Fonte: http://noticiasprofamilia.blogspot.com

Veja também este artigo original em inglês: http://www.lifesitenews.com/ldn/2009/sep/09091609.html

Copyright © LifeSiteNews.com. Este texto está sob a licença de Creative Commons Attribution-No Derivatives. Você pode republicar este artigo ou partes dele sem solicitar permissão, contanto que o conteúdo não seja alterado e seja claramente atribuído a “Notícias Pró-Família”. Qualquer site que publique textos completos ou grandes partes de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com em português tem a obrigação adicional de incluir um link ativo para “NoticiasProFamilia.blogspot.com”. O link não é exigido para citações. A republicação de artigos de Notícias Pró-Família o LifeSiteNews.com que são originários de outras fontes está sujeita às condições dessas fontes.

Nenhum comentário :