6 de setembro de 2009

Blogueiros e leitores de Blog do Brasil, uni-vos!!!

Blogueiros e leitores de Blog do Brasil, uni-vos!!!

Reinaldo Azevedo

Estão querendo submeter a Internet a uma censura estúpida. Quer dizer que sites e blogs poderiam publicar anúncios de candidatos — e, nesse caso, não se equiparariam a TV e rádio —, mas não poderiam expressar opiniões a respeito dos mesmos, obedecendo, então, às restrições impostas à radiodifusão? Por quê? Internet, agora, é concessão pública? Censura à internet é coisa comum em Cuba, na China, na Coréia do Norte, não em país livre.

Não se tem uma Internet com essas restrições — ATENÇÃO!!! — em nenhuma democracia do mundo! É um cretinismo. É como querer represar o mar.

É evidente que, nesse caso, os males da liberdade se combatem como mais liberdade. Se os blogs A ou B tiverem opinião favorável ao candidato “X”, os blogs B e C defenderão o candidato “Y”. E assim por diante. O peso maior ou menor de uma opinião dependerá da credibilidade de quem escreve.

OS PARLAMENTARES NÃO ESTÃO SE DANDO CONTA DE QUE ESTÃO PRIVILEGIANDO, NA VERDADE, OS CRIMINOSOS. E É FÁCIL EXPLICAR POR QUÊ.

Os sites e blogs sérios, com nomes reconhecidos e hospedagem no Brasil, estariam submetidos a essas restrições. Já os vigaristas, os bandidos anônimos, estes poderão ter suas páginas hospedadas no exterior e pôr para circular seus ataques sem autoria. Jamais seriam alcançados pela lei. Ainda que a Justiça acabasse determinando que a página fosse retirada do ar, poder-se-ia fazer outra em minutos.

A proposta parece-me flagrantemente inconstitucional. Se aprovada, vai parar no Supremo, e não é possível que o Tribunal concorde com uma estupidez dessa magnitude. Nem por isso a coisa deixa de ser melancólica. Fico cá pensando na mentalidade das pessoas que acham que isso é realmente uma boa idéia…

Que gente autoritária! Que gente burra! Que gente cafona!

Imaginem que maravilha!

Digamos que eu escrevesse aqui um texto afirmando que as propostas de Marina Silva para o meio ambiente são inexeqüíveis, que ela é uma adversária do agronegócio, que, se eleita, o país corre o risco de ter de substituir os grãos por capim. O que devo fazer? Terei de inventar uma razão para, no mesmo dia, dar um cacete em Dilma Rousseff (PT) e em José Serra (PSDB), ainda que, nesse dia hipotético, eu não tenha um motivo especial para tanto?

Ou ainda: digamos que eu decida criticar o desempenho de Dilma na liderança do PAC. Terei de criticar também a capacidade gerencial de Serra e de Marina? Se eu disser que a lei antifumo de Serra é autoritária, devo, no mesmo post (ou terá de ser em outro), buscar os traços autoritários da candidata verde e também da outra, a, como direi?, vermelha?

Isso é um despropósito! Blogs, sites, páginas na Internet etc. têm seu ponto de vista, sua leitura de mundo, seu público. Sua graça e sua virtude estão na diversidade, sim. Mas a diversidade deve ser entendida no conjunto, no sistema. O que esses parlamentares pretendem? Páginas da mais pura esquizofrenia? Ora, se não gosto de um candidato porque estatista, devo, necessariamente, criticar um outro que não o seja?

Lembro que, nos EUA, essas restrições imbecis não existem nem para as TVs e rádios. E isso não impediu aquele país de eleger Clinton duas vezes, Bush duas vezes e, agora, Barack Obama.

É a liberdade que conduz à diversidade. O autoritarismo só produz autoritários.

Fonte: Blog Reinaldo Azevedo

Divulgação: www.juliosevero.com

Ministério da [in]Justiça do governo Lula quer controle rígido sobre a Internet

Brasil não assegura livre expressão, avalia OEA

Para entender as estratégias do governo para impor controle e censura na Internet, clique aqui.


3 comentários :

Haroldo disse...

Restrições serão comuns com o tempo.
Aos poucos as pessoas serão cada vez mais controladas. Não somente na internet, mas também na alimentação.
Olhando as notícias que são veiculadas na internet descobri algo que nunca tinha ouvido falar: o tal codex alimentarius. Pelo que vi não é nada bom. Desculpe sair um pouco do assunto, mas não pude evitar de falar sobre isso.

Jorge Fernandes disse...

Júlio,
definitivamente o Brasil está entregue à mesma ideologia esquerdista, com pequenas variações de grau. Que diferença há entre o PT e o PSDB que justifique um cristão a votar nos tucanos? Praticamente a mesma agenda ideológica está embutida em seus programas, o que não nos dá nenhuma opção.
Não existe um partido conservador no Brasil; há sim um ou outro parlamentar conservador, mas mesmo esses não são "visíveis" em seus partidos, exatamente porque a mentalidade relativista, pós-moderna de que a dúvida e o caos são os objetivos da nação estão presentes em suas cartilhas (ainda que não declaradamente, mas é óbvio os interesses de, primeiro, trazer o caos, depois a tirania ao país).
Li, não sei bem onde, que se houver 50% dos votos nulos + 1, serão marcadas novas eleições, e (agora vem o melhor) os candidatos que participaram do pleito anulado não poderão se candidatar novamente.
Pergunto: 1- Esta afirmação é verdadeira?
2- Não seria essa a única opção legítima do povo de mudar a ordem vigente, e de mandar um forte e tronitoante recado aos políticos deste país?
3- Por que nunca ouvi falar desse dispositivo, e, por que nós, cristãos, não o utilizamos como arma para fazer valer a justiça, a ordem, a ética e a moral no Brasil?
4- Essa não seria a nossa verdadeira independência?
Abraços.
Cristo o abençoe!
PS: Postei este comentário no blog "O Cristão Revoltado", também.

Anônimo disse...

Para saber um pouco mais sobre história, vejam este sítio muito interessante:

http://gloriadaidademedia.blogspot.com/2009/08/quer-fazer-uma-viagem-pela-genese.html

Muitos historiadores honestos não acreditam em mentiras criadas pelos inimigos do cristianismo, então vejam e tirem suas conclusões.