7 de julho de 2009

Muçulmanos suicidas perdem para evangélicos e judeus suicidas

Muçulmanos suicidas perdem para evangélicos e judeus suicidas

Evangélicos e judeus dão aos muçulmanos radicais lições de autêntico suicídio

Julio Severo

Um homem-bomba, que mata muitas pessoas explodindo veículos no esforço de chamar atenção, é também chamado de terrorista suicida. O islamismo radical detém o monopólio desse estranho suicídio que, em vez de matar e destruir exclusivamente o autor e outros terroristas semelhantes, mata inocentes.

O alvo preferencial dos terroristas muçulmanos são judeus e cristãos. Mesmo quando uma bomba explode matando alguns muçulmanos, a meta é acabar atingindo os EUA e Israel. Mas se fossem suicidas autênticos, eles atacariam apenas seus próprios irmãos muçulmanos.

Talvez eles precisem de aulas de judeus e cristãos. Provavelmente, ninguém saiba provocar mais destruição suicida entre judeus e cristãos do que os próprios judeus e cristãos.

Quer provas?

Com seus homens-bombas, os muçulmanos conseguem arrasar um trem, explodir um avião, um posto policial ou destroçar um ônibus com criancinhas, mas nunca conseguiram desestabilizar o que tanto querem: os governos de Israel e dos EUA.

Os cristãos conseguiram ambas as coisas. Com seu esquerdismo suicida, os homens-bombas evangélicos explodiram os fundamentos evangélicos dos EUA, que foram edificados por evangélicos comprometidos com Deus e com a moral cristã. Compromisso e moralidade foram destroçados da atual realidade americana. Os homens-bombas evangélicos fizeram um trabalho perfeito. O “evangélico” Hussein Obama está aí como prova.

As “bombas” dos suicidas evangélicos não são fisicamente explosivas, mas, ideologicamente, são devastadoras. São feitas para colocar no pedestal ocidental o “evangelho de Karl Marx”.

A Europa “cristã” já sucumbiu diante desse falso evangelho, que coloca o Estado no lugar central de Deus como Supremo Provedor na vida das pessoas, famílias e sociedade. A Organização das Nações Unidas (ONU), que foi criada pelo presidente americano Franklin Delano Roosevelt, um protestante esquerdista aliado do ditador Stálin, representa um Estado global imenso, cheio de tentáculos, e um pedestal mundial para esse evangelho.

Esse Estado global, que quer um suicídio global através de políticas internacionais defendendo o aborto, o homossexualismo e outras perversões como direitos humanos inalienáveis, está se impondo a nível mundial no lugar central de Deus como Supremo Provedor na vida das pessoas, famílias e sociedade. A única fonte de resistência ao governo mundial e pagão da ONU eram os evangélicos conservadores americanos — espécie em extinção hoje no governo dos EUA.

Os EUA foram fundados por evangélicos perseguidos como país para abrigar cristãos perseguidos. Depois da ação dos homens-bombas evangélicos, tudo o que sobrou foi Obama e uma nação americana irreconhecível, que se coloca vergonhosamente ao lado de Fidel Castro e outros ditadores marxistas.

Os EUA foram fundados por evangélicos perseguidos que amavam Israel, e um de seus mais importantes presidentes modernos, Ronald Reagan, foi um dos maiores apoiadores de Israel — sem mencionar um grande opositor do aborto legal. Depois da ação dos homens-bombas evangélicos, tudo o que sobrou foi Obama e uma nação americana empenhada na sacralização e proteção mundial do aborto e do homossexualismo.

Quem disse que os cristãos não são exemplos de suicídio?

Mas eles não estão sozinhos.

Há judeus que detestam Israel tanto quanto os terroristas suicidas do islamismo, e que conseguem fazer estragos muito maiores para os judeus do que mil Osamas Bin Laden.

Os judeus socialistas do mundo inteiro, assim como todos os socialistas do mundo inteiro, rejeitam os propósitos de Deus. O judeu socialista americano Tony Kushner declarou: “Eu queria que o Israel moderno não tivesse nascido”. Ele é autor de uma famosa peça teatral que faz propaganda homossexual. Ele também chama o estabelecimento do Estado de Israel “uma calamidade histórica, moral e política para o povo judeu”.[1]

George Soros, o bilionário judeu esquerdista, passou anos tentando remover da Casa Branca presidentes americanos que mostrem o mínimo de apoio a Israel e aos valores cristãos que fazem parte integral da fundação dos EUA. Ele e outros poderosos judeus esquerdistas americanos investiram milhões de dólares durante anos para que a esquerda se apossasse da Casa Branca. O socialista Obama na presidência é uma grande vitória para eles.

Depois da ação dos homens-bombas judeus, tudo o que sobrou foi Obama e uma nação americana que quer a todo o custo amizade com os mortais inimigos de Israel e ao mesmo tempo impor sobre Israel a obrigação imoral de entregar parte de seu território e a própria Jerusalém aos “palestinos”.

Muito diferente dos muçulmanos e muito parecido com os cristãos, as “bombas” dos judeus não são explosivos materiais. São um produto “made in Karl Marx”, com consequências infinitamente mais devastadores do que um ataque terrorista muçulmano contra um ônibus ou prédio.

Graças aos suicidas cristãos e judeus, a Terra Prometida está sob pressões e opressões que impõem o plano de Obama, da ONU, dos “palestinos” e outros sobre Israel. Nesse plano, todos têm vez e voz, menos o Deus que já determinou tudo desde o começo, com fronteiras e limites bem definidos e imutáveis.

Israel é uma nação criada há milhares de anos para glorificar a Deus. A ONU, que foi criada para glorificar a si mesma e restabeleceu modernamente Israel, não reconhece a Deus nem Seus planos para o mundo e muito menos Seus planos para Israel. Se até mesmo judeus como George Soros e Tony Kushner querem o suicídio Israel, o que esperar então da ONU?

É alguma novidade o papel suicida dos judeus? Já no Antigo Testamento, os maiores opositores aos planos de Deus para os judeus e sua Terra Prometida eram os próprios judeus. No plano político, o Antigo Testamento mostra como rei após rei de Israel se rebelava contra Deus e Sua vontade. Quem é que pode se esquecer de Acabe e outros reis judeus que estavam cometendo o suicídio de sua própria nação? Depois de milhares de anos, nada mudou. Karl Marx, um judeu ex-protestante convertido ao satanismo, é o criador do socialismo, provavelmente a ideologia destrutiva que mais gerou protestantes, católicos e judeus suicidas no mundo. Graças ao socialismo, há tantos judeus e cristãos suicidas hoje quanto havia no Antigo Testamento.

Então por que os muçulmanos radicais estão tão preocupados? Por que eles gastam tanto dinheiro em bombas e terrorismo? Há séculos eles lutam para conquistar o Ocidente “cristão” e destruir Israel. Mesmo com elevados investimentos em terrorismo, eles mal arranharam a superfície do Ocidente ou de Israel. Contudo, a vitória que eles tanto querem está vindo, mas não por causa de seus próprios esforços e terrorismo. Está vindo pelas mãos de cristãos e judeus que, com suas ações e tolices, odeiam os planos de Deus.

O mundo muçulmano em geral aprova e elogia as ações de terroristas muçulmanos contra o Ocidente “cristão” e contra Israel. Por sua vez, a maioria dos cristãos aplaude líderes cristãos e judeus esquerdistas que com suas ações e tolices estão levando o Ocidente “cristão” e Israel ao suicídio. E em vez de condenarem o terrorismo muçulmano, esses líderes o desculpam. Quer aceitem ou não, eles são os maiores aliados do terrorismo muçulmano mundial.

O Ocidente “cristão” e Israel podem sobreviver ao terrorismo muçulmano, mas dificilmente conseguirão sobreviver às ações e tolices de cristãos e judeus esquerdistas suicidas, que têm o apoio incondicional da ONU e da União Européia.

O Brasil não sofre nenhuma ameaça do terrorismo muçulmano, mas graças às ações de católicos e evangélicos esquerdistas suicidas, hoje o Brasil tem um presidente socialista amigo de Fidel Castro, Hugo Chavez, ONU, Obama e dos países muçulmanos inimigos de Israel. Tal qual o “protestante” Obama, o “católico” Lula tem paixão pela propagação da ideologia suicida do aborto e do homossexualismo.

O Brasil, que é o maior país católico do mundo, é vítima da teologia da libertação, que vem libertando católicos e evangélicos do Evangelho de Jesus Cristo para escravizá-los ao “evangelho” segundo Karl Marx. Os governos espiritualmente suicidas do Brasil de Lula e dos EUA de Obama são frutos de teologias espiritualmente suicidas entre católicos e protestantes.

O tradicional ódio e ataques terroristas muçulmanos contra os EUA irão desaparecer, pois os cristãos e judeus esquerdistas suicidas conseguiram colocar na Casa Branca alguém para agradar não somente a eles, mas também aos terroristas muçulmanos do mundo inteiro. Falta agora aos judeus esquerdistas suicidas aplicar em Israel o mesmo golpe, colocando na presidência de Israel um Hussein Obama, para fazer a vontade da esquerda e do islamismo.

Por isso, se lhe disserem que entre os muçulmanos há os maiores suicidas do mundo, duvide. Se lhe disserem igualmente que quem está destruindo o Ocidente e Israel é Osama Bin Laden e o terrorismo muçulmano, não acredite.

Os cristãos e judeus suicidas esquerdistas fundaram a ONU, afundaram a Europa “cristã” e estão afundando os EUA “cristãos”. Perto deles, os terroristas muçulmanos são apenas cachorrinhos vira-lata.

Existe saída para o esquerdismo que assola entre cristãos e judeus, escravizando e ameaçando nações? Existe solução para o terrorismo muçulmano? Há um meio de escapar da “salvação” que Obama, Lula, a ONU e cristãos e judeus suicidas esquerdistas estão oferecendo ao mundo?

A única salvação para os cristãos, para os judeus e para os muçulmanos é o maior Judeu de todos os tempos: o Rei Jesus Cristo.

Veja também a versão em inglês deste artigo: Muslim suicides surpassed by Protestant and Jewish suicides

Fonte: www.juliosevero.com

[1] http://www.wnd.com/news/article.asp?ARTICLE_ID=47804

12 comentários :

Jesser Medeiros disse...

Concordo com tudo que você escreveu meu caro Julio.
Infelizmente, para todo cristão que lê a Bíblia,é daí pra pior. As escrituras estão se cumprindo e a coisa vai apertar mais ainda. Resta-nos continuar fazendo a vontade de Deus sendo arautos de sua palavra.

Júlio Lins disse...

Obama: evangélico maçom, né? Igual Martin Luther King.

Edgar de cesaro disse...

Fico cade vez mais emocionado e agradecido a Deus por tê-lo conhecido Julio. Brilhante abordagem da problemática, e com a coragem que só um verdadeiro homem inspirado por Cristo poderia ter.Bravo guerreiro !!!

lcp disse...

Concordo com quase tudo que diz nesse texto Julio, so não concordo quando diz que a nossa destruição (leia-se Ocidente) vem por mãos ou ações de homens; Na verdade tudo que acontece e ainda ira acontecer na palavra está. ex: Mt.24

Abraço, fica com D'us.

Anônimo disse...

O suicídio na islam é proibido. Toda a pessoa que tira sua vida conscientemente comete um pecado contra Deus. Martírio é o sacrifício da própria vida pela causa de Deus. A diferença entre uma e outra situação é abissal. Muitos dos chamados homens bomba são meros suicidas. Porém, ainda existem muitos indivíduos dispostos a morrer pela causa de Deus que não necessariamente amarram uma bomba na cintura, apenas arriscam a vida numa batalha, o que também é considerado martírio pela causa de Deus.

Isaias Medeiros disse...

Um texto muito contundente, porém equilibrado.
Alguém precisa pôr "o dedo na ferida", principalmente porque a cristandade está carente de pessoas corajosas, e com sobra de marketeiros, oportunistas e covardes

Parabéns, Júlio, que continues influenciando positivamente os cristão do Brasil e do mundo.

Aprendiz disse...

"Graças ao socialismo, há tantos judeus e cristãos suicidas hoje quanto havia no Antigo Testamento."

Entendi o que você quis dizer, mas faltou revisão.

Além disso, acho que você deveria ser mais sintético. Dizer em cinco palavras o que a maioria diz em dez é a marca de um bom articulista.

Anônimo disse...

O "livro sagrado" dos muçulmanos tbm condena o suicídio, tal qual a Bíblia. Porém, o "livro sagrado" deles permite o suicídio e o assassinato em caso de sacrifício pela fé islâmica. O que é demoníaco. Já a Bíblia fala em dar a vida pelo irmão, por amor. O artigo, desnuda a estupidez dos "cristãos do mundo Ocidental" e sua insanidade em compactuar com o mundo caído. Tenho certeza de que, as virgens néscias são cada vez mais reveladas nos nossos dias do que no passado.
Mais uma vez, um brilhante artigo. Deus guarde a ti e tua casa.

chadia disse...

Gostaria de dizer que eu concordo quando voce fala que os governos mundiais estao contra os planos de DEUS, que eles aprovam o aborto, o homussexualismo, as guerras, a opressao, a fome e mil coisas mais.
Mas agora eu te digo, quem esta no poder???? Sao na maioria (ruins)judeus,e (ruins)cristaos que apoiam tudo isso, e tambem (ruins) muculmanos.
Os bons muculmanos sao contra isso(aborto, homosexualismo,drogas..)ou seja nao estao contra o que DEUS quer, muito pelo contrario.
Agora de uma coisa estou certa, mesmo atitudes ruins de cristaos, judeus ou muculmanos, a culpa nao e da religiao e sim da pessoas que seguem de forma errada.
Vc protege tanto Israel...srrs, mas nao ve que eles sao os proprios donos dos mercados de juros, de dinheiro sujo, de drogas, bebidas..etc....ah e media tb.
Entao ou vc esta de um lado ou de outro..
Sou contra pessoas que matam outras inocentes, como uma explosao num metro por exemplo, isso sao pessoas que nao seguem o islamismo.
Do outro lado sou totalmente a favor de defesa se for atacado, como muitas vezes acontece, no Libano mesmo, onde Israel ficou 23 anos, se o povo se defender isso nao e terrorismo...afinal o hezbollah por exemplo so foi criado depois de muitos anos que Israel ficou aqui matando as pessoas e ate estuprando meninas.
Acontece que a midia ocidental sempre quer taxar todo muculmano de bin laden...ou de alcaida, porque novamente a midia esta na mao de alguns..srrs
Enquanto todo mundo aplaude o filminho americano, ou Disney world, as criancas morrem de fome na africa, mas infelizmente pessoas no mundo inteiro nao enxergam que atras de uma manipulacao total, uma manipulacao de massas, uma ilusao, existe um mundo sangrento, de criancas com fome, pobreza geral, violencias, crimes, estupro, drogas, prostituicao,alccol, perdicao,e tudo que ha de mal.....e isso sim e contra o que DEUS quer....

Ou seja eu mudaria seu titulo...
MUCULMANOS, CRISTAOS, JUDEUS, quem sao os verdadeiros culpados?

Infelizmente a midia que chega ate voces, e apenas o que eles querem que voce pensem.

O islam nao e terrorismo, o cristianismo nao e a favor de aborto e nem o judaismo.

Porem, judeus ruins, matam inocentes, fazendo um terrorismo uniformizado, fazendo da roubada terra, porque na verdade a terra sempre foi dos cananeus..srs
fazendo da terra, um estado que serve ao diabo, e nao a DEUS.
Por outro lado cristaos ruins, acabam ficando no meio termo, se calando diante de situacoes absurdas porque estao manipulados, e manipulando sem percer.

E para finalizar muculmanos ruins, por nao saberem o que a propria religiao diz, queimam o filme da propria religiao, dando margem e apoiando a "mentirosa midia ocidental".

E no final de tudo, nos apenas vemos televisao, e mudamos de CNN, Globo e SBT, sem falar as vezes nos pulinhos na Record. Nunca sabemos nada, porque temos uma midia mentirosa, nossa unica arma e nossa mente.

Quando eu sei muito bem de um assunto, e vejo a midia mostrando de forma totalmente incompleta e distorcida, porque e um grande problema se eu falar algo de forma imcompleta, ou ser parcial...fico pensando o que sera daqueles que nao sabem de nada sobre isso, apenas acreditarao....

Os judeus, cristaos e muculmanos se destroem, porque muitos nao fazem o que DEUS quer.

Que entao o mundo passe a julgar as pessoas individualmente, e nao as religioes, afinal generalisacoes sao palavras na boca de ignorantes.

Eu tenho um estudo, sobre a midia ocidental e oriental, porque fui privilegiada em estudar no ocidente e oriente. Quando voce pode ver os dois lados, sua visao fica muito mais ampla.

Julio Severo disse...

Prezada Chadia

Não quero desmerecer seu estudo sobre a mídia ocidental e oriental nem sua experiência de ter estudado no Ocidente e Oriente, nem a forma como agora você vê os dois lados.

Com tal experiência, você chegou à conclusão de que “nossa mídia é mentirosa”. Concordo com você!
Eu não tive a experiência que você teve, assim como Jesus e seus apóstolos também não tiveram. Eles dependiam basicamente da sabedoria e direção do Espírito Santo.

No caso da mídia, o bom senso já pode dizer muito. Se a mídia é mentirosa — e eu concordo —, o que essa mídia diz sobre os conflitos entre Israel e seus vizinhos islâmicos? A Globo, Record (que é “evangélica”) e outros elogiam Israel?

Você entende o que quero dizer? É evidente que você sabe que, no mundo islâmico, que é enorme, o noticiário é 100% contra Israel. Embora seja verdade que há uma elite judaica no mundo ocidental, dá para se concluir que a mídia ocidental é 100% pró-Israel? Isso é impossível! Os judeus da elite — como George Soros — trabalham na promoção da esquerda mundial, muitas vezes pondo em grave perigo Israel. Soros é um dos grandes responsáveis pela eleição de Obama, que quer um Estado palestino na terra que Deus deu a Abraão, Isaque e Jacó. Obama está se aproximando do mundo islâmico e pressionando Israel de todos os lados. Lembre-se: Obama é a escolha de um poderoso judeu.

No caso do Líbano, espero que você se lembre de que somente Israel estava na defensiva. Grupos islâmicos usavam o sul do Líbano para atacar Israel e depois de muito tempo Israel decidiu agir. E você diz que o agressor Hezbollah estava na defensiva?

E os exemplos são muitos. A mídia do mundo muçulmano prega 100% que Israel foi o agressor. A mídia ocidental prega praticamente a mesma coisa. E Obama, o escolhido do judeu socialista Soros, aceita tradicionais grupos terroristas islâmicos como “na defensiva”.

Julio Severo disse...

Olha, eu adoraria ver líderes muçulmanos condenando abertamente Israel por coisas que merecem ampla condenação. Israel merece ser condenado por aborto e homossexualismo. Mas isso a mídia ocidental não faz. Nem a mídia do mundo muçulmano. A mídia ocidental limita-se a condenar Israel nos mesmos termos que a mídia muçulmana o condena.

Você sabia que apesar de o Sudão estar cometendo, há anos, atrocidades contra os cristãos, o país que recebe mais condenação na ONU é Israel? E a mídia ocidental: age diferente? Enquanto a mídia ocidental “mentirosa” ocupa-se condenando Israel, o Sudão islâmico prossegue na sua carnificina.

Eu também adoraria que líderes muçulmanos se levantassem contra a rotineira perseguição aos cristãos nos países islâmicos.

Eu acho que os muçulmanos têm coisas importantes para passar ao Ocidente. O Ocidente perdeu o conceito de justiça. Enquanto a Arábia Saudita elimina os pedófilos, o Ocidente os cria às dezenas de milhares. A Arábia Saudita é um país cuja legislação poderia em pontos importantes oferecer exemplo de justiça ao Ocidente.

Veja outra coisa: Os muçulmanos têm sua capital sagrada, na Arábia Saudita. Os católicos, no Vaticano. Eu como evangélico, e acima de tudo como seguidor de Jesus Cristo, tenho como única capital a Nova Jerusalém, que está com Cristo.

Quanto aos judeus, eles têm Jerusalém. Mas nem os muçulmanos (que são do Oriente), nem o Vaticano (que é do Ocidente) aceitam isso. Mas eu creio na Palavra de Deus: Jerusalém e Israel são dos judeus — integralmente.

Eu tenho de aproveitar e falar dessas coisas, pois quer você admita ou não, agora cada vez mais a elite ocidental é ou muçulmana ou pró-muçulmana. Mas mesmo quando essa não era a situação, os judeus esquerdistas pouco representavam para apoiar Israel, preferindo semear o caos tanto contra Israel quanto contra os cristãos.

Com um domínio muçulmano na mídia ocidental, pouca coisa vai mudar para Israel e para os verdadeiros cristãos. A perseguição continuará. Pena que você não tenha lido nada a respeito disso em seu estudo.

Seja como for, você sabe muito bem que, se você, como moradora de um país islâmico, criticar o islamismo, você pode perder sua vida. Tente fazer isso na Arábia Saudita ou no Sudão. Tente criticar o islamismo entre os palestinos. Mas se você, como moradora do maior país católico do mundo (que é o Brasil), criticar o catolicismo, sabe o que lhe acontecerá? No máximo, você será criticada também, sem maiores conseqüências.

Quanto à mídia brasileira, nada será feito contra você como muçulmana, se você decidir criticar o catolicismo ou os evangélicos. A mídia brasileira, que é essencialmente esquerdista, malha o catolicismo e qualquer outra forma de Cristianismo o tempo inteiro, mas sem aplicar semelhante tratamento ao islamismo, talvez por temor. Criticar católicos e evangélicos não traz conseqüências sérias, mas criticar o islamismo pode trazer morte.

Apesar disso, espero um dia poder conhecer a Arábia Saudita.

El Misionero Matsuura Junichiro disse...

Seguinte, gente. Dezenove não é vinte.

Brincadeirinha...

Muçulmanos: filhos do capeta endemoninhados.

"Judeus" esquerdinhas: filhos do capeta endemoninhados.

"Cristãos" esquerdinhas: filhos do capeta endemoninhados.

Feminazistas: filhas do capeta endemoninhadas.

Gayzistas: filhos do capeta endemoninhados.

Ou se convertem, ou vão para o inferno!!!!

Simples assim