19 de junho de 2009

Supremo Tribunal Federal recusa ouvir apelo de grupo pró-vida condenado por chamar uma ativista pró-aborto de “abortista”

Supremo Tribunal Federal recusa ouvir apelo de grupo pró-vida condenado por chamar uma ativista pró-aborto de “abortista”

Matthew Cullinan Hoffman, correspondente na América Latina

ROMA, 17 de junho de 2009 (Notícias Pró-Família) — O Supremo Tribunal Federal do Brasil manteve a validade de uma decisão condenando uma organização pró-vida por chamar uma antropóloga pró-aborto de “antropóloga abortista” numa legenda abaixo de uma foto da mulher, tirada enquanto ela debatia a favor da legalização do aborto.

A palavra “abortista” em português é comumente usada para se referir a indivíduos, grupos ou ideologias que defendam a legalização do aborto, um dos quais é a antropóloga Débora Diniz Rodrigues. Contudo, um tribunal inferior havia decidido que a linguagem “gravemente ofende a dignidade e a honra pessoal dela”.

O tribunal ordenou que a foto e a legenda fossem removidas (veja a página original com a foto removida aqui).

Com a decisão do Supremo Tribunal Federal de recusar ouvir o caso, a decisão contra a organização pró-vida brasileira Pró-Vida de Anápolis permanecerá de pé.

O Pe. Luiz Carlos Lodi da Cruz, presidente da organização, comentou para LifeSiteNews.com (LSN) que “o episódio mostra que a perseguição religiosa está agora em andamento em nosso país. Quem quer que deseje defender a vida tem de estar preparado para tudo”.

Embora os juízes do julgamento original tivessem condenado o Pró-Vida de Anápolis por chamar Débora Diniz de “abortista”, o Pe. Lodi disse para LifeSiteNews que “os juízes foram incapazes de dizer qual outra palavra poderia (ou deveria) ter sido usada”.

Depois da decisão do Supremo Tribunal Federal de não ouvir o caso, “nada mais há que se fazer”, de acordo com Lodi. “Fomos condenados na primeira instância, na segunda instância e não fomos recebidos pelo Supremo Tribunal Federal”.

A decisão abre ainda outro precedente contra a liberdade de expressão no Brasil para as organizações pró-vida e pró-família. Proeminentes ativistas e organizações pró-família vêm sendo freqüentemente colocados como alvo de investigação e processos por parte do governo brasileiro em anos recentes.

Em maio, autoridades governamentais anunciaram planos de censurar declarações na televisão denunciando a conduta homossexual, afirmando que elas não são apropriadas para menores de 18 anos de idade. Tal programação será retirada do horário do dia para depois do horário das 23h, e conterá um “aviso” imposto pelo governo.

Além disso, o presidente Lula recentemente deu um discurso diante de ativistas homossexuais, prometendo continuar trabalhando para aprovar a lei anti-“homofobia” que os críticos acusam completamente eliminará o direito de se criticar a conduta homossexual no Brasil.

Links relacionados:

Página do Pró-Vida de Anápolis com foto e legenda removidos:

http://www.providaanapolis.org.br/abomoral.htm

Decisão do Supremo Tribunal Federal de rejeitar apelo:

http://www.stf.jus.br/portal/processo/verProcessoAndamento.asp?numero=548048&classe=RE&origem=AP&recurso=0&tipoJulgamento=M

Cobertura anterior de LifeSiteNews:

Governo brasileiro busca remover programação cristã “homofóbica” de TV do horário do dia
http://noticiasprofamilia.blogspot.com/2009/05/governo-brasileiro-busca-remover.html

Governo brasileiro busca remover programação cristã “homofóbica” de TV do horário do dia
http://juliosevero.blogspot.com/2009/05/governo-brasileiro-busca-remover.html

Proeminente ativista pró-família Julio Severo foge do Brasil para escapar de acusações de “homofobia”
http://juliosevero.blogspot.com/2009/04/proeminente-ativista-pro-familia-julio.html

Homossexuais brasileiros entram com ações legais por crime de ódio contra cristãos brasileiros
http://juliosevero.blogspot.com/2007/11/homossexuais-brasileiros-entram-com-aes.html

Grupos gays brasileiros lançam múltiplas ações legais para silenciar a oposição cristã
http://juliosevero.blogspot.com/2007/08/grupos-gays-brasileiros-lanam-mltiplas.html

Traduzido por Julio Severo: www.juliosevero.com

Fonte: http://noticiasprofamilia.blogspot.com/2009/06/supremo-tribunal-federal-recusa-ouvir.html

Veja o artigo original aqui: http://www.lifesitenews.com/ldn/2009/jun/09061712.html

Copyright © LifeSiteNews.com. Este texto está sob a licença de Creative Commons Attribution-No Derivatives. Você pode republicar este artigo ou partes dele sem solicitar permissão, contanto que o conteúdo não seja alterado e seja claramente atribuído a “Notícias Pró-Família”. Qualquer site que publique textos completos ou grandes partes de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com em português tem a obrigação adicional de incluir um link ativo para “NoticiasProFamilia.blogspot.com”. O link não é exigido para citações. A republicação de artigos de Notícias Pró-Família o LifeSiteNews.com que são originários de outras fontes está sujeita às condições dessas fontes.

5 comentários :

Roberto Domingos disse...

Enquanto prevalecer na mais alta corte do País, o critério atual de nomeação, não teremos gente séria e capaz julgando de forma honesta e descompromissada. O critério de nomeação atual é que leva ao famoso "É dando que se recebe", os brilhantes juristas que no passado engrandeceram aquela casa, devem se torcer no túmulo diante de tudo o que temos presenciado.

Anônimo disse...

Caro Júlio:

Felizmente eu não nasci com o dom de defender ou atacar qualquer que seja a causa em questão.

Gosto dos resultados intelectuais desses debates pois ampliam a minha capacidade de raciocínio e percepção da realidade.

No meu tempo, pelo menos até meus 21 anos de idade, em que o Brasil era uma ditadura militar, havia-se pouca coisa para discutir e para se engajar.

As únicas causas com as quais eu me engajava eram as minhas próprias como ter uma profissão, ganhar bem, ter um emprego, etc.

Eu vejo nesse tempo o Brasil como um paraíso onde quem gostava de ir à igreja ía, quem não gostava não ía e ninguém tinha nada com isso.

Parece-me que a democracia acabou mostrando uma faceta do povo que eu desconhecia: o autoritarismo moral.

Um grupo se enche de razão a fim de justificar sua própria moral e quer atacar a moral do outro grupo para enfraquecê-la, pois sendo a moral do grupo alheio superior à do atacante pois promove mais resultados e bem-estar individual aos seus membros.

Essa característica a gente só percebe num país democrático pois minha família nuclear tinha esse comportamento mas por encontrar eco nos ditames da ditadura quem acabava sempre cedendo era o elo mais fraco do grupo, ou seja, eu.

Como vê, caro Júlio, a única coisa que nós que valorizamos o individualismo, já que acima de tudo o cristão busca em primeiro lugar sua salvação individual e somente em segundo lugar a salvação alheia, temos que fazer é aprender a cultivar nossos valores pessoais longe das vistas dos invejosos.

Se com isso o Brasil perde estou pouco me lixando pois antes o Brasil perder do que eu perder a minha paz.

Abraços.

marcelo victor disse...

Srs,
Será que estamos bem próximos da situação em que se encontravam sodoma e gomorra quando desceu fogo do céu e consumiu tudo, ou será que a situação vivida naquela ocasião conseguia ser pior do que a dos dias atuais?
O que nos falta para que se iguale a hipocrisia, a mentira e a perversidade reinantes em todos os ramos da sociedade de então?
Pelo que consta nas Escrituras, nem os magistrados e governantes daquelas cidades se salvavam, mas estavam totalmente corrompidos. Por certo essas figuras ilustres da vida pública puxavam as filas nas procissões gay e outros eventos demoníacos.
Não duvidem, mas...é provável que nas próximas procissões gay alguns juristas renomados, governantes empossados, religiosos praticantes e outras personalidades (com ou sem barba) abrilhantem tais eventos, até com trajes típicos.
Quem viver verá!

marcelo victor disse...

Srs,
Vocês acreditam de fato que o homem atual tem condições morais de julgar seus semelhantes? Será que um curso de faculdade e a aprovação em um concurso conferem ao homem condições morais para tal? Tais cidadãos (os juristas) não são membros da mesma sociedade corrompida, viciada e falida (sob o ponto de vista dos valores cristãos) da qual fazem parte os demais cidadãos deste país? Porque eles teriam a prerrogativa de serem diferentes dos demais?
Basta lembrarmo-nos de alguns escândalos divulgados pela imprensa, envolvendo a classe de juristas deste país, para constatarmos que ninguém está acima de qualquer suspeita (nem eles).
Será que uma boa pesquisa entre os membros do judiciário deste país não nos revelaria o caráter das pessoas que estão à frente das decisões das nossas vidas?
É possível que tenhamos grandes surpresas se houver uma pesquisa séria a esse respeito.
Possivelmente encontraríamos muitos sodomitas, abortistas, lésbicas, um bom número de separados, divorciados e outros casos condenados pela Escritura.
Se estendêssemos tal pesquisa à classe dos legistas deste país, então é possível que os absurdos, aberrações e desvios superassem todas as expectativas.
Mais do que isso, vocês acham que o homem tem condições de formular leis justas, especialmente no que se refere às punições para aqueles que não as cumprem?
Há de fato algum senso de justiça no homem, ou será que na grande maioria dos casos cada um “puxa a brasa para a sua sardinha”, inclusive nas classes julgadas mais nobres da sociedade?
Parece-me que, com o crescimento da imoralidade e da falta de vergonha do homem, de todos os níveis sociais (vide proliferação da sodomia, da quantidade de abortos, da separação de casais, do desvio de verba pública, da impunidade explícita, etc), a tendência é que as leis punitivas sejam cada vez mais brandas, a fim de possibilitar cobertura e proteção para alguns cidadãos moralmente deturpados, ocupantes de cargos de relevância na sociedade.
Dessa forma, vocês não acham que seria conveniente que o país adotasse as leis estabelecidas nas Escrituras Sagradas como norma suprema e como fiel conduta para uma sociedade que se diz cristã?
Após o julgamento de um cidadão (no molde dos padrões atuais, mesmo lento e tendencioso), restaria ao infrator, receber a sentença estabelecida na Lei de DEUS: olho por olho, dente por dente, quebradura por quebradura, vida por vida...
Sendo o Senhor DEUS justo (dono de ordenanças igualmente justas) e o homem mentiroso desde o princípio, hipócrita e defensor dos próprios interesses, nada melhor do que ouvir Aquele que julga com justiça e conhece Sua criação.

Obs: temo que com esse pensamento eu possa vir a ser chamado de muçulmano, inclusive por algumas pessoas que se dizem cristãs.

Digi-Alchemist disse...

Todo abortista é hipócrita por definição. Sejam-no setenta vezes mais os que vierem a nos contra-atacar!

Só digo uma cousa: a integridade nacional está em perigo. O Brasil, se não deixar esse infame caminho, estará sujeito a Implacável Juízo d'Aquele que Vive Eternamente!

Acorda, Brasil!

ou melhor:

"Sai dele, povo meu, para que não participes das iniquidades deles, para que os castigos deles não te alcance também!"

A Hora está a chegar. Estás preparado(a)?

O Tempo está a se findar. Não é possivel desarmar este mecanismo destruidor da moral e dos bons costumes. Tememos que a única saída será apagar tudo, reiniciar do zero.