17 de maio de 2009

Manobra política desesperada quer urgência na aprovação do projeto anti-“homofobia” PL 6.418/2005

Manobra política desesperada quer urgência na aprovação do projeto anti-“homofobia” PL 6.418/2005

População precisa se mobilizar urgentemente

Julio Severo

Atenção: Publique e distribua amplamente esta mensagem

Está tramitando na Câmara dos Deputados o PL 6.418/2005, de autoria do senador petista Paulo Paim. Esse projeto, que já foi aprovado no Senado, está parado desde julho de 2007 na Comissão de Direitos Humanos e Minoria da Câmara dos Deputados.

O texto original do senador Paim, que foi aprovado no Senado, fortalece a luta contra o preconceito no Brasil — em si só, já preocupante, pois o Brasil socialista anti-“preconceito”, que aceita radicais antissemitas como o presidente do Irã, vem usando leis anti-preconceito para perseguir até mesmo líderes cristãos que alertam contra a bruxaria (ops, “cultura” afro-brasileira). Mesmo sem tal lei absurda, um livro do Pe. Jonas Abib contra a feitiçaria foi proibido na Bahia.

Para piorar, ao chegar à Câmara dos Deputados, o projeto sofreu um implante gayzista, onde como relatora a Dep. Janete Pietá, do mesmo PT de Lula que quer a todo custo criminalizar palavras contrárias ao homossexualismo, introduziu no PL um substantivo anti-“homofobia” que é pior que o PLC 122/2006.

O PL 6.418/2005 original, que já previa o banimento e recolhimento de toda literatura que o governo considere preconceituosa, agora também prevê o banimento e recolhimento de toda literatura que o governo considere “homofóbica”. Tal medida cedo ou tarde implicará em sério risco para a publicação e distribuição da Bíblia Sagrada e livros evangélicos e católicos que tratem desfavoravelmente o homossexualismo. Aliás, mesmo sem tal lei draconiana, um livro evangélico contra o homossexualismo no Mato Grosso do Sul foi judicialmente retirado das lojas.

Com esse projeto aprovado, programas de TV e rádio que apresentem o homossexualismo de forma desfavorável ou negativa serão censurados e proibidos. Consequências adicionais, cedo ou tarde, serão: Pais precisarão de autorização estatal antes de levar filhos a reuniões que critiquem o homossexualismo, pois a crítica ao homossexualismo (não a glorificação do homossexualismo nas escolas públicas) será considerada problema grave e impróprio para menores.

Igrejas e escolas cristãs acabarão tendo de assinar documentos estatais se comprometendo a retirar crianças e adolescentes de reuniões onde o homossexualismo não seja tratado da forma que o Estado impõe. Crianças e adolescentes, que são cada vez mais expostos a aulas pró-homossexualismo nas escolas públicas, não mais poderão ser expostos a pregações ou programas que critiquem o homossexualismo sem permissão direta do governo e Conselhos Tutelares, sob risco de os pais serem presos ou perderem a guarda dos filhos. E adivinhe para quem o governo acabará entregando a guarda?

Mesmo sem o implante gayzista no PL 6.418/2005, as conseqüências são sérias. Enquanto as crianças serão forçadas nas escolas públicas a aprender sobre a bruxaria vinda da África (ops, “cultura” afro-brasileira), os valores cristãos não poderão ser ensinados como cultura.

Programas e projetos do candomblé e umbanda serão promovidos como “cultura”, enquanto que toda crítica à bruxaria será considerada como “racismo” e “discriminação”. Um pastor negro do Rio de Janeiro está sofrendo covarde perseguição do Ministério Público por causa de uma lei anti-“preconceito”.

O PL 6.418/2005 é um projeto tão ameaçador que merece ser denunciado por todos os meios de comunicação que se preocupam com o bem-estar social. O PT tentou colocá-lo para uma votação sorrateira em agosto de 2007, mas eu e o Dr. Zenóbio Fonseca preparamos um alerta nacional contra essa manobra. (Para ler nosso alerta da época, siga este link: http://juliosevero.blogspot.com/2007/08/alerta-gravssimo-o-brasil-est-sob-o.html)

Essa surpresa esquerdista desagradável só não teve êxito por causa dos olhos atentos de uma grande assessora evangélica. Graças ao excelente trabalho da Dra. Damares Alves, pudemos ter todas as informações confidenciais para conscientizar a população e dar uma “surpresa” para a manobra do PT.

Depois de nosso alerta, o projeto ficou parado. Fomos vitoriosos naquela batalha.

Agora, o monstro ressurge das sombras. Semana passada, líderes políticos assinaram um requerimento para que o PL 6.418/2005 anti-“homofobia” e anti-“preconceito” seja votado com urgência máxima no plenário da Câmara dos Deputados, sem nem mesmo antes ser votado na Comissão de Direitos Humanos e Minorias e na Comissão de Constituição e Justiça.

Aparentemente, acharam que, como o projeto estava parado há quase dois anos, todos já haviam esquecido. Começaram então a manobrar de novo.

Com a articulação do governo Lula, que apóia descaradamente a glorificação do homossexualismo e a criminalização de cristãos anti-sodomia, essa manobra tem tudo para ser aprovada no plenário da Câmara, sem maiores discussões.

Resta à população se mobilizar, antes que seja obrigada a engolir goela abaixo mais um “democrático” projeto do PT.

Quando o assunto é implantar leis contrárias à família e à vida, a esquerda não descansa. Essa é uma lição importante para todos os que defendem a vida e a família: Nunca descansar.

De que forma se mobilizar:

Escrevendo aos deputados. A lista completa dos emails deles está aqui, em formato Excel. Para fazer o download, é só clicar aqui.

Você pode também mandar mensagens aos deputados através do sistema automático da Câmara, clicando aqui.

Para ver o PL 6.418/2005 na íntegra, clique aqui.

Fonte: www.juliosevero.com

Para ler mais sobre esse assunto, veja:

Alerta gravíssimo: O Brasil está sob o sério risco de dar o último suspiro de liberdade religiosa

Presidente Lula buscará “criminalizar palavras e atos ofensivos à homossexualidade”

Irã, ódio aos judeus e o esquizofrênico governo Lula

Em busca dos altares antigos: Rejeitando as raízes de Israel e acolhendo as raízes afros

Lula quer Plano Nacional de Combate à Intolerância Religiosa

Pastor que incentivou criminoso arrependido a se entregar para a polícia cai na teia das leis anti-discriminação

Juiz brasileiro determina que livro de padre denunciando a bruxaria seja removido de livrarias

10 comentários :

Intuição Raciocínio disse...

Olá senhor Julio!
segue anexo o texto que mandei aos e-mails de todos os senadores:

Meu nome é Paulo Henrique dos Santos.
Venho colaborar com o trabalho do escritor e colunista da internet, Julio Severo, que vem fazendo denuncias graves e imprescindíveis sobre o PLC 122/2006, ou PL 6.418/2005, que condena toda posição contrária ao homossexualismo, e tem sido ignorado pela grande mídia, que faz apologia da destruição da família e demais instituições tradicionais, responsáveis pela construção dos fundamentos da verdadeira sociedade humana, na qual até um homossexual pode estar em paz. A igreja condena os atos homossexuais e não a homossexualidade. Escritores homossexuais tais como Proust e Julien Green ofereceram grande contribuição ao entendimento da natureza humana, sem deixarem de ser homossexuais. Em minha família dois parentes meus são homossexuais assumidos, mas nem por isso corroboram com estes movimentos absurdos e fetichistas que tem abundado no Brasil, e que tem provocado confusão na mente do povo brasileiro. O casamento está baseado na união sexuada e não sexual, como bem disse o professor Olavo de Carvalho, ou seja, criar leis para garantir direitos que não existem, neste caso para legitimar o microcosmo homossexual, só invertem o sentido da natureza humana e destroem a já debilitada capacidade de compreender do cidadão brasileiro.
Com meus melhores votos de confiança na inteligência e boas intenções de vossas senhorias...
Atenciosamente, Paulo.

Julio Severo disse...

Prezado Paulo, o PL 6.418/2005 não é o PLC 122/2006. O primeiro, está na Câmara dos Deputados; o segundo, no Senado. São dois projetos diferentes com ameaças semelhantes. Daí, quando derrotarmos o PLC 122/2006, teremos de derrotar também este e vários outros. A oposição na descansa. E nós?

Paulo Machado disse...

Tem hora que eu penso que é melhor eles aprovarem logo essa maldita lei; talvez só a grande confusão que ela irá causar em todos os meios da sociedade, é que poderá despertar a maior parte das pessoas para se conscientizarem do que se trata.

em todos os círculos, inclusive o evangélico, onde tento, alertar as pessoas, elas acham que eu estou exagerando.

enquando isso, a sociedade em geral, está aceitando tudo como uma evolução natural, sem se preocupar com as consequências.

A mudança no comportamento dessa sociedade já é uma realidade. Não dá mais para conversar com as pessoas sobre assuntos dessa natureza. o prejuízo está alto e crescendo de uma forma muito rápida.

acho que a aplicação da quase desconhecida técnica de mudança de comportamento "O Plano Das Seis Etapas" http://www.espada.ete.br/n1055.asp, está muito avançada.

Por isso, penso que somente um grande choque nessa sociedade entorpecida é que poderá despertá-la.

estamos correndo o risco de que; enquanto ficarmos por toda uma década brigando, a sociedade se tranforme de uma forma irrevesível. aí, mesmo se ganharmos, teremos perdido muito mais.

Paulo Machado disse...

o depoimento sobre direitos homosexuais do estilista, apresentador de programas e Deputado Federal Clodovil é um documento importante nessa luta. Todos os dois lados dessa luta deveriam conhece-lo

Herberti disse...

Pouco a pouco vai ficando claro que toda esta movimentação é muito mais que uma mera aprovação de leis em favor de minorias. É sim toda uma articulação de longa data, que esperou pacientemente a chegada ao poder para iniciar um processo de destruição dos alicerces da nação. Sob o pretexto de democracia e cidadania (vide Gramsci), um Estado totalitário está sendo pacientemente gerado nos trevosos abismos desta terra. Infelizmente para estas mesmas minorias (homossexuais inclusos), a felicidade da conquista vai durar muito pouco: como em todo processo revolucionário, eles servem apenas como massa de manobra. Quando não forem mais úteis, serão eliminados como os demais. Não haverá lugar para LGBTs no governo do anti-cristo. Satanás odeia os homos tanto quanto odeia os héteros, pois trabalha para a destruição de ambos. É a velha técnica do "dividir para conquistar".

Anônimo disse...

Sábias palavras as do Senhor Herberti!

Ricardo Cantini
São Paulo - Brasil
disse...

Infelizmente, a mídia faz questão de apresentar a posição dos Cristãos (de fato) como preconceituosa.

Em momento algum eles tratam de esclarecer que, amamos os homossexuais, mas não o homossexualismo. Cada um é livre para fazer da sua vida o que quer. Agora, querer, por imposição de uma lei, que todos concordem com as práticas inerentes a esse grupo e, pior, não possam discordar.....é simplesmente um absurdo!

A mídia nos acusa de preconceituosos, mas qual espaço ela nos dá para esclarecermos nossa real posição sobre esse assunto?

Parabéns pelo blog!

Convido-o a conhecer o meu:

htt://rcantini.blogspot.com

Anônimo disse...

NO ano de 2007 houve o CENSO 2007,mas só houve contagem de população em cidades até 170 mil habitantes.
Eu trabalhei como recenseador na zona rural no CENSO 2007.
A maioria das pessoas não chegou a ter conhecimento,mas eu como recenseador vi claramente, neste Censo 2007 dentre as perguntas habituais foi acrescentada uma nova e desavergonhada pergunta sobre casais.
A pergunta era :CASAIS DE MESMO SEXO.
Isto mesmo além de casais normais era registrado também ''casais do mesmo sexo" ou casais de lésbicas e gays.

Eu felizmente não encontrei nemhum "casal do mesmo sexo"para que tivesse que registra-lo,mas caso encontrasse ,eu não registraria tal barbaridade,mesmo que fosse punido pelo IBGE.
Tempos depois lendo um jornal sobe que fora registrados 17 mil "casais do mesmo sexo" no Brasil. (VER jornal : O Estado de MInas).
Este governo está acabando com o IBGE.
No ano de 2010 vai ter um novo censo englobando todas as cidades,de pequenas á metropôles com certeza vão voltar com a pergunta de ""casais do mesmo sexo " no censo de 2010.

Devemos nos lutar para que essa vergonhosa e suja pergunta Não volte mais a fazer parte das entrevistas.
Vamos pressionar o governo a não obrigar o IBGE a contabilizar os Casais gays e lésbicas do Brasil.
Tal contagem é profundamente imoral.
Procure o IBGE proteste e envergonhe eles sobre tal "Contagem",não deixe isto passar ''de liso'' sem enfrentar a indignação das pessoas de bem.

Jorge Victor disse...

Se essa lei fosse aprovada e eu fosse proibido de levar meus filhos em um lugar que falasse seriamente sobre homossexualismo, eu falaria com eles em casa.

Julio Severo disse...

É exatamente aí, Jorge, que entra o papel dos Conselhos Tutelares, que estão com uma atuação cada vez mais forte nas escolas, “orientando” as crianças sobre seus direitos e ensinando-as a delatar os pais pelo que ocorre dentro do lar.