23 de abril de 2009

Escritor evangélico fala sobre defesa armada

Escritor evangélico fala sobre defesa armada

Fala também sobre os horrores de crentes que são obrigados a ficar indefesos

Drew Zahn

© 2009 WorldNetDaily

O escritor Charl Van Wyk, que revidou tiros de terroristas que atacaram o culto de uma igreja, estará viajando nos EUA com testemunhos de seu ministério na África, inclusive sua experiência de primeira mão com igrejas cristãs que não estão preparadas para se defender.

O episódio com Van Wyk que ocorreu em 25 de julho de 1993, quando terroristas atacaram e mataram 11 pessoas e feriram 24 outras numa igreja na África do Sul, foi registrado no livro “Shooting Back: The Right and Duty of Self-Defense” [Revidando fogo: o direito e o dever de se defender].

Posteriormente, a polícia lhe disse que os terroristas confessaram que o plano deles era matar todos na igreja, possivelmente 1.000 pessoas ou mais, e a reação armada de Van Wyk foi considerada responsável por salvar muitas vidas naquele dia.

Contudo, por meio de seu ministério Frontline Fellowship, Van Wyk vem trabalhando em regiões que poderiam ser chamadas de áreas africanas “devastadas pela guerra”. O único problema é que no Congo, por exemplo, ninguém pode revidar e ninguém pode portar arma, como ocorreu quando ele estava armado durante o massacre na igreja evangélica St. James, podendo impedir um derramamento de sangue maior. Em vez de chamar esses lugares de “zonas devastadas pela guerra”, Van Wyk afirma que eles deveriam ser simplesmente chamados de “zonas de assassinato”.

Van Wyk faz um alerta acerca da situação triste das igrejas no Congo que ele viu, uma nação onde os criminosos carregam armas, mas as pessoas não têm nenhum direito de portar um revólver. Depois de entrevistar uma mulher cuja vila foi estuprada e aterrorizada por rebeldes armados e ficar sabendo de um pastor que foi enterrado vivo, sem que sua congregação nada pudesse fazer para se defender, Van Wyk escreveu uma carta ao editor no Congo:

“Seria muito difícil assassinos armados efetuarem tal tirania se as pessoas da localidade estivessem armadas e pudessem se defender”, escreveu Van Wyk. “Esse tipo de chacina só pode ocorrer em lugares em que os cidadãos não têm acesso a armas”.

Van Wyk estará viajando pelos EUA de 24 de abril até 12 de maio, com paradas em pelo menos sete estados e várias participações em programas de rádio e televisão. Quando fizer paradas em igrejas, provavelmente ele estará discutindo seu ministério entre crentes perseguidos na África, mas nas participações nos meios de comunicação, muitas vezes lhe pedirão para falar sobre o direito de portar arma nos EUA.

“Para criar uma nação segura, arme a população”, Van Wyk disse para WND. Referindo-se ao recente e muito noticiado massacre de mais de 12 imigrantes em Nova Iorque, ele acrescentou: “Um cidadão armado poderia ter feito a diferença ali”.

Embora Van Wyk confesse que há desvantagens de ter armas de fogo numa sociedade, ele diz que os legisladores deveriam considerar as vantagens.

“Quando foi a última vez que você ouviu falar que um assassino armado matou várias vítimas perto de uma delegacia ou de uma feira de exibição de armas, ou perto de qualquer outro lugar do mundo onde há muitas armas? É algo que você não ouviu. O motivo é porque os criminosos preferem vítimas desarmadas, ou alvos fáceis”, disse Van Wyk. “Não é de admirar que eles adorem o desarmamento — torna o trabalho deles muito mais fácil e seu ambiente de trabalho muito mais seguro”.

Em círculos cristãos, Van Wyk conclui, há uma necessidade maior de se armar para a própria defesa.

“O Apóstolo Paulo escreveu uma carta para Timóteo, ‘Mas se alguém não provê para os seus, principalmente para os membros sua própria família, ele negou a fé e é pior do que um descrente’”, comentou Van Wyk. “Provisão inclui prover segurança. Aliás, nosso Senhor Jesus ensinou: ‘Se você não tem uma espada, venda sua capa e compre uma’”.

Citando Jesus de novo, Van Wyk acrescentou: “’Você amará o Senhor seu Deus com todo o seu coração, com toda a sua alma, com todas as suas forças e com toda a sua mente’, e ‘seu próximo como a você mesmo’’, disse ele. “Será que estamos amando nosso próximo quando ficamos parados e nada fazemos quando ele está sendo assassinado ou uma mulher está sendo estuprada?”

A experiência de Van Wyk em regiões da África onde criminosos andam armados, mas os cidadãos não, melhorou sua perspectiva, mas ele avisa que os americanos não podem falhar no dever de proteger os direitos da Segunda Emenda [da Constituição dos EUA, a qual protege os direitos de porte de arma para todos os cidadãos].

“Estamos à beira de mudanças no mundo inteiro”, disse Van Wyk numa entrevista exclusiva com WND marcando o aniversário de 15 anos do que agora é conhecido como o Massacre de St. James. “A ONU tem um programa de desarmamento para remover as armas de fogo de todas as nações. Centenas de milhões de pessoas no mundo inteiro sofrem horrores de sistemas políticos, que estão impondo programas de desarmamentos baseados em opressão e mentiras”.

Ele acrescentou: “Na África do Sul, o Congresso Nacional Africano (de inspiração comunista) está impondo um programa de desarmamento politicamente motivado que deixará indefesos os cidadãos obedientes à lei… Neste exato momento no mundo inteiro está havendo uma guerra de cosmovisões na questão de desarmamento.

“Não temos escolha, a não ser a ação”, disse ele. “Os resultados do desarmamento podem de fato ser catastróficos. Por exemplo, Ruanda tinha políticas de desarmamento [na época dos massacres], assim como o Zimbábue de hoje. Este período da nossa história é decisivo. Será que os nossos filhos viverão como escravos ou como pessoas livres?”

Conforme WND noticiou no ano passado, Van Wyk foi obrigado a usar seu revólver uma segunda vez, quando deu de cara com uma gangue de assassinos com a intenção óbvia de fazer roubos ou seqüestros numa conferência na África do Sul.

Quando a atenção dos criminosos se desviou dele por uns instantes, ele pegou seu revólver. Ele gritou para eles para distrair a atenção deles do seu passageiro, e então abriu fogo, ferindo um dos três criminosos. Van Wyk e outros dois homens que foram alvos do crime saíram ilesos, mas o ministério Frontline Fellowship incorreu em despesas significativas para repor documentos como os passaportes roubados pelos criminosos.

“Creio firmemente que a ação mais bíblica que eu poderia tomar na hora era proteger a vida de meus irmãos e irmãs em Cristo contra aquele ataque violento. Aliás, se eu não tentasse protegê-los quando eu tinha a oportunidade de fazê-lo, eu teria quebrado os mandamentos das Escrituras”, disse ele.

“Como cristãos, nós temos não só o direito, mas também o dever de proteger os inocentes e cuidar daqueles a quem Deus colocou debaixo de nossa responsabilidade”, disse ele. “Há uma guerra de cosmovisões ocorrendo no mundo e as pessoas precisam compreender a ameaça e como elas podem fazer uma diferença”.

O testemunho de Van Wyk de como ele lutou contra um ataque terrorista contra sua igreja foi publicado em livro e DVD por WND, descrevendo 25 de julho de 1993, o dia que se tornaria conhecido na África do Sul como o Massacre de St. James.

Uma gangue de terroristas, armados até os dentes, atacou uma igreja cheia de cristãos indefesos. Mas Van Wyk estava na congregação e estava portando um revólver. Ele revidou o fogo. Os terroristas, que fugiram quando perceberam que havia um oponente armado, mais tarde explicaram que eles tinham planejado matar todas as pessoas da igreja.

Em seu livro “Shooting Back”, Van Wyk não só documenta o famoso e sangrento ataque, mas também oferece o primeiro estudo profundo da defesa da Bíblia para que as pessoas usem armas para se defender.

O livro foi transformado em documentário, disponível em vídeo — o primeiro a ser produzido pela nova divisão de filmes de WND.

Traduzido e adaptado por Julio Severo: www.juliosevero.com

Fonte: WND

Leia mais sobre desarmamento:

A irrelevância e o perigo das políticas socialistas de segurança

Pronasci: a insegurança em nome da segurança

Ricardo Gondim manda chumbo grosso

Vítima de sua própria escolha

13 comentários :

Marcelo disse...

Com certeza é valido um debate sobre o assunto. marcelolerecrer.blogspot.com/

Tiago disse...

Já pensou se essa moda pega.Assim diz o Senhor:"não por força ou por violência mas pelo meu Espírito".Crentes andando por ai armados revidando na bala é algo que não concebo biblicamente,até porque se o Senhor não guardar a cidade(A pessoa)em vão vigiam a sentinela,a meu ver a mensagem do evangelho da graça do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo,foi,é e sempre será pacífica. Tiago

Lucas Santos disse...

Julio, não sei não, mas e o caso de Pedro que cortou a orelha de Malco? Essa foi a reação de Jesus: "Então Jesus disse-lhe: Embainha a tua espada; porque todos os que lançarem mão da espada, à espada morrerão" Mt 26:47

Sei que só quem sabe é quem sente, mas será que armas são realmente a solução?

Sandro disse...

AT
Se o ladrão for achado roubando, e for ferido, e morrer, o que o feriu não será culpado do sangue. (Êxodo 22;2).

Mas, havendo alguém que odeia a seu próximo, e lhe arma ciladas, e se levanta contra ele, e o fere mortalmente, e se acolhe a alguma destas cidades, então os anciãos da sua cidade mandarão buscá-lo; e dali o tirarão, e o entregarão na mão do vingador do sangue, para que morra. (Deuteronômio 19;11 e 12).

NT
Porque os magistrados não são terror para as boas obras, mas para as más. Queres tu, pois, não temer a potestade? Faze o bem, e terás louvor dela.Porque ela é ministro de Deus para teu bem. Mas, se fizeres o mal, teme, pois não traz debalde a espada; porque é ministro de Deus, e vingador para castigar o que faz o mal. (Romanos 13;3 e 4).

Quando o valente guarda, armado, a sua casa, em segurança está tudo quanto tem. (Lucas 11:21).

No NT Jesus aponta para uma perfeição maior p/ evitar as mínimas ofensas que podem ser um primeiro passo para o homicídio ( Mt 5,22 ). O simples ódio pelo proximo já é homicídio (1 João 3,15).


Quando Jesus foi esbofeteado no julgamento de Anás, Ele não ofereceu a outra face, mas protestou dizendo:

"Se errei, mostra-me onde. Se não, porque me bates?"

Em outra ocasião Jesus falou para Pedro.

"Agora, quem não tem uma espada venda o manto e compre uma" (Luc.XXII, 36).

E ainda...

"Quando o homem valente, bem armado, guarda sua própria casa, ficam em segurança todos os seus bens" (Jesus Cristo, em Lucas 11:21)

VATICANO:

"Existe o direito à legítima defesa por meio das armas"

Até mesmo a Constituição Pastoral Gaudium et Spes afirma categoricamente:

"Em um mundo marcado pelo mal e pelo pecado, existe o direito à legítima defesa por meio das armas (Constituição Pastoral Gaudium et Spes, 79). Esse direito pode tornar-se um dever grave para quem é responsável pela vida dos outros, pelo bem comum da família ou da comunidade civil (Catecismo da Igreja Católica, nº 2265)".

"Quem derramar o sangue do homem,pelo homem o seu sangue será derramado;porque Deus fez o homem à sua imagem e semelhança."
(Gênesis 9 : 6)

1 Timóteo 5;8
Quem se descuida dos seus, e principalmente dos de sua própria família, é um renegado, pior que um infiel.

Danilo disse...

Muito coerente. Amor ao próximo também é protege-los dos que querem fazer o mal.

Julio Severo disse...

Prezado Lucas, para entender o episódio com Pedro, leia este texto, escrito por mim: http://juliosevero.blogspot.com/2006/01/ricardo-gondim-manda-chumbo-grosso.html

Os evangélicos têm sua origem na Reforma, e os reformadores Martinho Lutero e João Calvino eram plenamente a favor da defesa armada.

Na Bíblia, também não há nenhuma incompatibilidade.

O que temos hoje no Brasil é uma propaganda socialista de desarmamento da população civil.

O desarmamento foi amplamente praticado pelo comunismo e pelo nazismo, e os resultados foram catastróficos.

Para entender como a Bíblia e toda a tradição da Reforma apóiam a defesa armada, recomendo a leitura da excelente Teologia Sistemática, escrita pelo meu amigo Franklin Ferreira. Para adquiri-la, siga este link: http://juliosevero.blogspot.com/2008/11/julio-severo-recomenda-teologia.html

Muralha de Fogo disse...

Numa mão a "palavra" noutra uma "espada".

Numa mão você dá o "pão" noutra você esconde a " pau ".

Ao soldado israelense quando entra para o exército eles dão uma Bíblia e um fuzil

Julio Severo disse...

Olá, Tiago! Os dois versículos que você mencionou em seu texto foram escritos por homens de Deus que andavam armados... O que essas passagens querem dizer é que devemos confiar em Deus acima de tudo. Só porque confiamos em Deus não significa que devemos ter casas sem trancas nas portas, que devemos ficar de braços cruzados sem trabalhar, esperando que os alimentos venham do alto, etc.

Anônimo disse...

Caro Julio (Me Perdoe se for estupido) deixei de ser Evangangélico por varios motivos inclusive por esta forma bovina de nossos Pastores conduzirem o seu Rebanho Seria Uum bom Cristão em qualquer parte do mundo "Eu acho" Menos no Brasil aonde todos adoram ser decretados e marcados em suas testas com alvos e jogam nas cóstas de Deus tudo e qualquer problemas de suas vidas
Aqui quando o assunto é Defesa Armada Individual muitos Cristãos ja decoram aquela frase da Biblia "Não Mataras" eu sei é claro que não faremos mal a quem não nos fisser mal esta mais do que certo mais essa passividade ainda em nome Santo não pode ser correta sera que os "Politicamente Antipaticos" deixaram suas filhas e conjugues serem violentadas,Assaltadas,Sequestradas enquanto isso Iriam Rezar? Claro que um Homem crente em Deus pode livrar-se mais tem de agir
É impossivel esse proselitismo esquerdista dentro de nossas Igrejas
Uma Frase do Rev:Billy Graham em 1968 diz tudo
(Uma Arma de fogo Não pode ferir ninguem a menos que exista um ser Humano seja motivado pelo ódio,ganância ou preconceito assim essas controversias sobre armas transformaqn-se num problema espiritual embora leis restritivas sobre armas possam ter algum efeito em mostrar ao mundo que estamos preocupados com o problema da violencia,esta é realmente relacionada com o coração e tivéssem o desejo de matar e mutilar eles acharão um jeito com ou sem sem armas)
Cansei dos Evangélicos Brasileiros que criminalizam armasa enquanto
Aborto e Homoxualismo estão tomando conta do Pais
Se fosse Norte Americano
Poderia continuar a ser um verdadeiro Servo do Senhor no Brasil
não dá

Flavio Martins da disse...

Olá,
Graça e Paz!

Li este artigo e sinceramente não consigo relacioná-lo ao evangelho de Jesus...

Para refletir:
"Ouvistes que foi dito: Olho por olho, dente por dente. Eu, porém, vos digo: não resistais ao perverso; mas, a qualquer que te ferir na face direita, volta-lhe também a outra; e, ao que quer demandar contigo e tirar-te a túnica, deixa-lhe também a capa. Se alguém te obrigar a andar uma milha, vai com ele duas. Dá a quem te pede e não voltes as costas ao que deseja que lhe emprestes. Ouvistes que foi dito: Amarás o teu próximo e odiarás o teu inimigo. Eu, porém, vos digo: amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem; para que vos torneis filhos do vosso Pai celeste, porque ele faz nascer o seu sol sobre maus e bons e vir chuvas sobre justos e injustos." Evangelho de Mateus 5:38:45

A nossa luta é outra:
"Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para poderdes ficar firmes contra as ciladas do diabo; porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes." Epístola de Paulo aos Éfesios 6:11:12

A nossa arma é outra:
"Tomai também o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus" 6:17

Mergulhando em Deus disse...

Há na Palavra de Deus dois tipos de ensino sobre como se portar em meio a um mundo violento: através de passagens diretas sobre confiar no Senhor e através do estilo de vida dos profetas do AT e dos cristãos no NT e nestes dois mil anos de história.

Anônimo disse...

Queridos Irmãos e Amado Irmão Júlio Severo,

O artigo é bem simples. A Palavra de Deus é precisa. O estudo do original é facilitador até demais, para se entender os contextos. A História da Igreja e da Reforma também são deveras facilmente compreendidas.
Porém não vai adiantar muito "lançar pérolas", se os amados irmãos se deixarem persuadir pela política socialista e continuarem "bebendo" do cálice do marxismo.

Infelizmente, há muitos irmãos seguindo o evangelho de "karl marx" (em minúsculas porque é ele foi minúsculo) em detrimento do evangelho de JESUS CRISTO.

Nunca ouvi dizer que Graça para o Senhor Jesus fosse passividade, imobilidade, comodismo, ou outros "ismos".

Não me admira muitos errarem, "pois não conhecem as escrituras".
Quando a bíblia fala em exércitos de Deus marchando contra os inimigos, não são homenzinhos em passeatas segurando cartazes, com flores nas mãos e faixas com versículos de paz e amor.
"Filosofia socialista do CÃO" é essa que tem feito muitos "trocarem JESUS por Genésio".

Deus tenha misericórdia do Brasil.

Pr Ismael disse...

Thiago meu querido, mas vamos ao menos pensar, é o mínimo que podemos fazer. Você é homem, e homem é protetor da família.Você já teve sua casa invadida por uns marginais que violentaram sexualmente sua filha? Provavelmente não, graças a Deus. Com relação ao que diz o salmo citado, lembro, Deus guarda a cidade mas não mandou retirar a sentinela.abração.