31 de dezembro de 2008

O que esperar de Barack Obama?

O que esperar de Barack Obama?

Julio Severo

Barack Obama teve uma das vitórias mais fáceis da história eleitoral mundial. Nunca um candidato político conseguiu ganhar o ambicionado apoio da ampla maioria da imprensa, que estava cativada e cativa da onda obâmica.

Muitas igrejas evangélicas, embaladas pela surpreendente propaganda promocional pró-Obama, terminaram igualmente cativadas e cativas da onda obâmica.

A promoção eleitoral transformou Obama num messias político com qualificações para preencher as necessidades e aspirações de cristãos, muçulmanos, budistas, ateus, comunistas, etc. O apelo messiânico, com a colaboração estratégica da mídia liberal, direcionou os olhos do público para longe da verdade política de Obama, mantendo a atenção deles somente nos slogans promocionais positivos.

Qual é a verdade política de Obama? Há muitos anos ele é militante pró-aborto e pró-homossexualismo. Isso significa então que a maioria dos eleitores dele tem sentimentos pró-aborto e pró-homossexualismo? Não. Há diferenças marcantes e colossais entre Obama e seus eleitores. Na Califórnia, que é um dos estados mais liberais nos EUA, a maioria dos eleitores votou em Obama, e a maioria também votou contra o “casamento” homossexual.

A imprensa vendeu ao público um Obama miraculoso, e o público comprou a imagem. Apesar disso, por honestidade e coerência, um político deveria respeitar a vontade de seus eleitores. A maioria deles já demonstrou que não quer ativismo pró-homossexualismo e pró-aborto. Obama irá respeitá-los?

Sem se importar com os sentimentos e vontade da população americana e de seus próprios eleitores, Obama vem fazendo nomeações de indivíduos pró-aborto e pró-homossexualismo para fazer parte do seu governo. Até mesmo indivíduos declaradamente homossexuais foram escolhidos para cargos altos.

Logo que Barack Obama for empossado como presidente dos Estados Unidos, Hillary Clinton se tornará secretária de Estado. Ela é considerada a “Dama do Aborto”.

Lembro-me dos anos em que Bill Clinton era presidente dos EUA. Seu governo promovia cruelmente o aborto na Organização das Nações Unidas (ONU). Seu governo também promovia o homossexualismo.

Por influência de um governo americano sob a presidência de um Clinton esquerdista, a ONU se tornou um real playground de feministas e esquerdistas. Cristãos que defendem a vida e a família eram ridicularizados e perseguidos por autoridades da ONU simplesmente por lutarem em defesa das crianças em gestação. O pesadelo está para continuar e será muito pior do que antes.

Barack Obama é o presidente mais pró-aborto que os Estados Unidos já tiveram. Ele promoverá o aborto de todas as formas possíveis. Será pior na ONU. Por que? Por que praticamente ninguém dá atenção ao que acontece na ONU. Daí, o que Obama fizer na ONU ficará longe dos olhos do público. E o que ele fizer na ONU será decisivo para fortalecer um governo mundial pró-aborto e pró-homossexualismo.

Será bem pior desta vez porque Obama será também o presidente mais pró-ONU que os EUA já tiveram. Obama e sua equipe acreditam que a ONU deve ser o supremo governo mundial. Ele crê realmente que cada país deve entregar sua soberania à ONU.

Mas será pior desta vez do que durante o governo Clinton precisamente porque a equipe de Obama na ONU será dirigida por Hillary Clinton, que tem muita experiência em lutar a favor do feminismo e aborto na ONU.

Para avançar sua agenda esquerdista radical, a ONU muito depende de líderes esquerdistas no governo americano. Por isso, durante o governo de Bush, a ONU não pôde realizar suas habituais conferências de controle populacional. De dez em dez anos, a ONU faz suas conferências de população: Bucareste, 1974; Cidade do México, 1984; Cairo, 1994. Mas nada houve em 2004, porque a ONU temia Bush e sua posição contra o aborto. No que se refere às verbas e recursos financeiros, o governo de Bush deixou a ONU passando fome durante 8 anos.

O que acontecerá a partir de 2009:

· A ONU realizará uma conferência mundial para lidar com a saúde das mulheres, a saúde maternal e a violência contra as mulheres. O propósito oculto dessa conferência, porém, será avançar o feminismo e um direito universal ao aborto.

· A ONU realizará uma conferência celebrando e avançando a Conferência de População do Cairo. Durante o governo Bush a ONU não realizou tal conferência por temer que Bush impediria a ONU de promover o direito ao aborto.

· A ONU realizará uma conferência celebrando e avançando a Conferência das Mulheres de Beijing. Durante o governo Bush a ONU não realizou tal conferência por temer que Bush impediria a ONU de promover o direito ao aborto.

· O governo de Barack Obama financiará o FNUAP, o Fundo de População das Nações Unidas, o principal órgão da ONU que promove o controle de população e o aborto no mundo inteiro.

· O governo de Barack Obama derrubará as leis que Bush instituiu proibindo que o governo americano financie os grupos ao redor do mundo envolvidos no aborto.

· O governo de Barack Obama investirá bilhões de dólares não só na promoção do aborto, mas também do homossexualismo, tanto nos EUA quanto ao redor do mundo.

Os tempos são difíceis. Mas os cenários difíceis não desanimam o intercessor, que se coloca nas brechas para orar e clamar diante de Deus. Os profetas ficam vigilantes para escutar a orientação que vem do alto e alertar o povo de Deus a dar atenção à mensagem da Palavra de Deus, não às mensagens ofertadas pela imprensa liberal.

Estes tempos são proféticos. As profecias da Bíblia estão se cumprindo, e temos a oportunidade de sermos usados profeticamente por Deus neste dias.

Mas muitos, sem perceberem, se deixam usar não por Deus, mas por forças das trevas que movem os cristãos e não cristãos a usar seu poder de voto para eleger criaturas ímpias. Depois, se queixam das políticas anticristãs pró-homossexualismo e pró-abortos instituídas pelos políticos eleitos por eles.

Os filhos de Deus devem recusar continuar entregando seu poder de voto aos ímpios. Esse poder deve ser entregue e consagrado a Deus. Nenhum político contrário a Deus e seus valores merece o voto de filhos e filhas de Deus. Errar no voto é dar oportunidade para Satanás colocar na liderança de uma cidade, estado ou país um homem ou mulher que, sendo eleito por maioria cristã, depois age como um oportunista traiçoeiro, promovendo legislação contra a vontade de seus eleitores.

Assim como Lula, Barack Obama chegou ao poder também com muitos votos cristãos. Por isso, é hora de os cristãos repensarem seu modo de votar. É hora de parar de promover o aborto e o homossexualismo por meio do voto, pois quando o cristão vota em políticos pró-aborto e pró-homossexualismo, ele também está promovendo essas perversões.

É hora de parar esse círculo vicioso. Sem voto cristão, os Obamas e Lulas não têm chance. Vamos então cortar as chances deles.

Vamos dar a políticos genuinamente cristãos a oportunidade de ocuparem posições de liderança na nação. Nosso voto pode ajudá-los. Por isso, na hora de votar, vamos depender da direção de Deus e entregar nosso voto somente para pessoas escolhidas por Deus.

Fonte: www.juliosevero.com

Para ler mais sobre Obama, clique aqui.

2 comentários :

Héber Pelágio disse...

Prezado Júlio:

O povo norte-americano deu oportunidade a um político genuinamente cristão ocupar a posição de liderança nos últimos anos e o resultado foi guerras, tortura e descalabro econômico. Já é hora de deixar de insistir.
O que ajudou realmente o Obama a a se eleger, como diria o Bill Clinton, foi " economia, estúpido"! enquanto os americanos viam seus filhos morrendo no Iraque, eles davam o maior apoio a um governo que comprometido com a defesa da "moral e dos bons costumes"; mas, no momento em que eles viram suas economias da vida inteira se evaporarem, rapidamente mudaram de idéia. Como dizia Maquiavel, "o homem esquece mais depressa a morte do pai" - ou, no caso, dos filhos - "do que a perda do patrimônio"!

FABIANO disse...

O comentário do prezado HÉBER PELÁGIO só vem confirmar o que está escrito: Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar um e amar o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom. (Mt 6:24). Se a maioria do povo americano, da qual se diz ser cristã, amasse de fato a DEUS, ela não votaria e elegeria Barack Obama, mas, infelizmente, o materialismo está tomando conta do coração de muitas pessoas ao redor do mundo, onde muitos valorizam, prezam e se preocupam mais com o que é material, concreto, e presente ao invés do espiritual(Deus ou diabo), abstrado(valores, atitudes e idéias morais) e futuro(céu ou inferno). Estamos vivendo no meio de uma sociedade tão debilidade que chora, geme e busca, se possível, o impossível para se livrar de um câncer, mas que, ao mesmo tempo, ri-se do inferno. LAMENTÁVEL, LAMENTÁVEL, LAMENTÁVEL... AURIFLAMA/SP