20 de novembro de 2008

Multidão agitada de homossexuais ataca física e sexualmente grupo cristão de oração

Multidão agitada de homossexuais ataca física e sexualmente grupo cristão de oração

Moradores do distrito de Castro, em San Francisco, buscam vingança contra Proposta 8

Matthew Cullinan Hoffman

SAN FRANCISCO, Califórnia, EUA, novembro de 2008 (LifeSiteNews.com) — Uma multidão agitada de homossexuais atacou física e sexualmente um grupo de cristãos que estava orando no Distrito de Castro da cidade de San Francisco na semana passada, em evidente retaliação pela recente derrota do casamento homossexual na Califórnia.

Os cristãos, um grupo de evangélicos que regularmente vai ao Distrito de Castro, que é predominantemente homossexual, para cantar cânticos e orar com as pessoas que passam, dizem que estavam segurando as mãos e cantando “Amazing Grace” quando uma multidão irada começou a empurrá-los e chutá-los, roubar os pertences deles, derramar café quente no rosto deles e atacá-los sexualmente.

“Tínhamos ido ali durante duas noites, apenas para cantar cânticos de adoração. Aparecia gente e ficava conosco, e nós orávamos por algumas pessoas”, disse uma participante num relato filmado na Casa de Oração Internacional em Kansas City (http://www.youtube.com/watch?v=DsxojbyAQGI), “mas na noite de sexta foi diferente”.

“Começamos a adorar, e era como entrar numa sala de estar. Estávamos com um violão, adorando Jesus, com muita tranqüilidade”, continuou ela. “E então apareceu um homem e do nada ele começou a gritar e dirigir palavrões contra nós, nos dando ordem para sair do Distrito de Castro, e ele disse para nossa líder ‘Por que vocês estão aqui?’ e ela disse ‘Estamos aqui para adorar a Deus e estamos aqui porque amamos vocês’”.

Essas palavras deixaram o homem furioso, e logo apareceram outros homens. Embora o grupo de cristãos não estivesse fazendo pregação, a mera presença de cristãos orando no Distrito de Castro foi o suficiente para provocar um furor de violência.

“Alguns homens vieram e trouxeram um pano imenso e nos cobriram com ele e nos encurralaram num canto, e começaram a gritar e lançar palavrões contra nós, cheios de ódio, e a multidão foi aumentando cada vez mais até que havia centenas de pessoas e os bares se esvaziaram, e nós estávamos completamente cercados por pessoas que estavam gritando contra nós”, relatou a participante.

“De repente, jogaram café quente no meu rosto e no rosto de outra amiga, e pensei que estavam jogando água fervendo em nós até que consegui sentir que o cheiro era de café, e alguém enfiou a mão e tomou a Bíblia da garota que estava do meu lado e ela disse ‘desculpa, mas essa Bíblia é minha. Poderia me devolver?’ e o cara bateu a Bíblia na cabeça dela e a empurrou ao chão, chutando-a em seguida”.

De acordo com o relato, membros da multidão começaram a empurrar o grupo e tocar apitos aos ouvidos deles. Eles tiraram fotos e disseram “nós somos quem somos, vamos matar vocês”. O grupo de cristãos fez um círculo e colocou as mulheres na parte do meio. E foi aí que a multidão homossexual se tornou cruel e perversa, disse a participante.

Embora a participante que aparece no vídeo não tenha dado detalhes, um usuário do YouTube que postou o vídeo da violência incluiu testemunho anônimo de um participante que afirmou que “os homossexuais estavam me tocando e me agarrando, e tentando empurrar coisas nas minhas nádegas, e até tentaram tirar minhas calças — basicamente tentando me violentar. Eu usei uma mão para segurar minhas calças, enquanto eu usava o outro braço para segurar uma das garotas. Os homens cristãos fizeram um escudo em volta das garotas e as protegeram”.

Depois que a polícia chegou com equipamento para enfrentar tumultos, a multidão ficou ainda mais agitada e começou a se lançar contra o grupo de oração, tentando impedir a polícia de proteger o grupo. Foi nesse ponto que a participante que aparece no vídeo disse que achou que ia morrer.

A polícia então insistiu em escoltar o grupo para fora do Distrito de Castro, declarando que era necessário preservar a vida dos membros do grupo de oração. Um vídeo no YouTube registra os minutos finais da escolta, mostrando homossexuais irados gritando palavrões, ameaçando os cristãos e tentando furar o bloqueio da polícia à força (veja o vídeo aqui http://www.youtube.com/watch?v=PrRxFoBSPng — as fotos desta página foram usadas do vídeo).

A TV KTVU, de San Francisco, noticiou que um homossexual afirmou que “os direitos dos cristãos foram respeitados. Eles tiveram a chance de ir e orar na calçada, e eu tive a oportunidade de expressar minha liberdade de expressão, que deixou claro que eles deveriam sair de minha vizinhança”.

O canal de televisão explicitamente atribuiu a ira da multidão homossexual à recente vitória da Proposta 8, o referendo na Califórnia que definiu o casamento como a união entre um homem e uma mulher. Peter LaBarbera, presidente de Americanos em prol da Verdade sobre a Homossexualidade, declarou para LifeSiteNews que os Estados Unidos estão começando a ver a face real do movimento homossexual depois da vitória da Proposta 8 na Califórnia.

“Basicamente, penso que o que estamos vendo é que o elemento homofascista do movimento gay está saindo do armário, e a ousadia deles vem do fato de que eles se enxergam como injustiçados, mas estou esperando e orando para que a conduta antidemocrática deles eduque os EUA e ajude os americanos a despertarem para as intenções reais desse movimento”, disse LaBarbera.

“Basta ter um pouquinho de lógica para entender a gravidade da situação. Se um grupo de cristãos conservadores atacasse sexualmente alguns gays e os expulsasse de uma cidade, haveria manifestações de revolta a nível nacional”, acrescentou ele.

LaBarbera disse que seu site continua a receber mais visitas com o crescimento do interesse em sua organização, que tem o compromisso exclusivo de combater a agenda política homossexual nos Estados Unidos.

Traduzido e adaptado por Julio Severo: www.juliosevero.com

Fonte: LifeSiteNews

28 comentários :

Auli disse...

A imagem no youtube fez-me lembrar
de quando criança,acompanhei a minha
igrja em cultos evangelísticos ao ar
livre,de como éramos insultados pela
população local.E não faz muito tempo.
Outra coisa a salientar,é perceber
o quanto essas pessoas reagem dessa
forma agressiva quando confrontadas
com o evangelho.

D. D. Farias disse...

A verdade do evangelho fere o pecado e o orgulho caído do homem sem Deus. Estes estão tão dominados pelo erro, que a ação deles é um desespero para calar a própria conciência. Só o Poder de Deus para libertá-las, ou infelizmente o inferno para solução, pois fato é: Nem todos são eleitos!

Anônimo disse...

Aqui no Brail, a coisa vai ficar feia, se o projeto plc 122/2006 e plc 6418/2005 forem votado no congresso nacional.
Estou na campanha contra estás plcs,enviando e-mail para deputado federais e senadores que não vote estas plcs.

marcelo victor disse...

Violência é crime em qualquer lugar do mundo e nada a justifica, conforme prescreve o ordenamento jurídico da grande maioria das nações (senão de todas).
É importante lembrar ainda que a lei estabelece excludentes de ilicitude, quais sejam: o exercício regular de direito, a legítima defesa, o estrito cumprimento do dever legal e o estado de necessidade.
Fora dos excludentes especificados acima, o uso da força física é injustificável.
Agora, é importante que todos nós entendamos que a PRUDÊNCIA é uma qualidade que deve acompanhar todos os seres humanos, incluindo aqueles que se dizem cristãos (principalmente nos tempos difíceis que atravessamos).
Em uma boa parte dos países, existe uma ampla liberdade de culto e o direito legal de obtenção de alvarás para a construção de templos religiosos, voltados para a adoração dos diferentes deuses.
Sabedores de que, principalmente nas grandes cidades, existem lugares em que normalmente se reúnem pessoas de determinadas correntes de pensamento, não é prudente que um grupo de indivíduos, que professa outro tipo de conduta ou fé, passe por ele ou perto dele (mesmo que seja em nome do “amor” ou de uma divindade).
Sabemos que, pelo caráter promíscuo dos espíritos dos homossexuais, é muito provável que em breve ocorra no Brasil e no mundo o que se passou com Ló e com a sua família quando da visita dos anjos de DEUS. Esse justo que se afligia pela abominação que o rodeava, quase teve sua casa invadida, não fosse a providência divina.
Porém, convenhamos, faltou prudência a esse grupo de pessoas que tomou a triste iniciativa de ir a um bairro próprio dos sodomitas para manifestar publicamente um pensamento contrário ao reinante naquele lugar.
Esse tipo de conduta além de ser arriscada tende a despertar sentimentos de ódio nas comunidades opostas, e, conforme o caso explicitado na matéria que comentamos, pode vir a ser considerada como um desafio pela outra parte, podendo gerar atos de violência mais greves (do que houve) e até mortes.
Para as manifestações de fé existem as casas dos fiéis e os templos (estabelecimentos próprios para a adoração), lembrando ainda que a Palavra de DEUS nos alerta a fazer tudo com ordem e decência (sem incomodar a vizinhança).
Quem quer respeito deve primeiramente aprender a respeitar o próximo (o que não significa compartilhar com suas práticas abomináveis). Caso contrário, estaremos contribuindo para que se estabeleça uma onda de violência e desrespeitos explícitos que poderão culminar inclusive em mortes trágicas.
Respeitosamente,
Marcelo Victor

William R. disse...

Oremos p/ que esse grau de intolerância não chegue ao Brasil, mas se chegar, que tenhamos forças em Cristo p/ resistir. Amém.

Rickinho disse...

Isso está acontecendo nos EUA, mas vcs vão ver isto de perto quando projeto daqui for vetado ! Eles vão fazer um carnaval de violência e as máscaras vão cair !

Roberto Domingos disse...

Nâo quero aqui defender o uso da violencia, mas o direito natural da resistencia, tudo de bom ou de mal que acontece nos Estados Unidos acaba chegando a colonia. O cristão não deve criar condições para a sua morte ; deve buscar , muito ao contrário , o entendimento , o diálogo , o perdão e a paz ; mas ele assume que , em determinadas circunstâncias , o valor maximo da sua fé , transcende os limites puramente naturais de defesa da própria existência . Entre viver humilhado , negando seus valores e seu Deus , o cristão prefere o sacrificio libertador. Contra o governante que ofende a fé é licito o tiranicidio (Catecismo da Igreja católica) http://www.vatican.va/archive/ENG0015/__P7W.HTM
Entre permitir calado a invasão e destruição da casa de Deus e a morrer defendendo a casa do senhor e a fé de meu batismo, prefiro a segunda opção.

ANTÔNIO CARLOS DE OLIVEIRA disse...

"Combatei, pela causa de Deus, aqueles que vos combatem; porém, não pratiqueis agressão (gratuita, desnecessária), porque Deus não estima os agressores. MATAI-OS onde quer se os encontreis e expulsai-os de onde vos expulsaram, porque a perseguição é mais grave do que o homicídio. Não os combateis nas cercanias da Sagrada Mesquita, a menos que vos ataquem. Mas, se ali vos combaterem, MATAI-OS. Tal será o castigo dos incrédulos". (Alcorão Sagrado, cap 2, vv. 190-193).

"Combatei-os até terminar a intriga, e prevalecer totalmente a religião de Deus. Porém, se se retratarem, saibam que Deus bem vê tudo quanto fazem". (Alcorão Sagrado, cap 8, vs. 39)

"Em verdade, Deus aprecia aqueles que combatem, em fileiras, por Sua causa, como se fossem uma sólida muralha". (Alcorão Sagrado, 61:4)

"Luta, pois, pela causa de Deus, porque só tu és responsável por ti mesmo; e esforça-te em estimular os crentes; quisesse Deus, conteria a fúria dos incrédulos". (Alcorão Sagrado, 4:84)

Deus só faz aquilo que é impossível ao homem fazer. Se ao homem foi dado o direito a auto-defesa, que se defenda. Deus só ajuda na adversidade.

"Feriram, pois, os judeus a todos os seus inimigos, A GOLPES DE ESPADA E COM MATANÇA E COM DESTRUIÇÃO; e fizeram dos seus aborrecedores o que quiseram. E, na fortaleza de Susã, mataram e destruíram os judeus QUINHETOS HOMENS... Os dez filhos de Hamã, filho de Hamedata, inimigo dos judeus, foram mortos; porém, ao despojo não estenderam a mão". (Livro de Ester 9:5-10).

A legitimidade à auto-defesa aqui está relatada, se abrirem mão é por pura tolice.

Antônio Ahmed Ramdan

Antunes disse...

Prezado Roberto Domingos, peço-lhe, por favor, que cite o parágrafo ou número do Catecismo da Igreja Católica, que segundo você, legitima o tiranicídio. Sou católico e gostaria dessa informação. Aproveito a oportunidade para lhe sugerir não indicar links para textos em inglês, pois a maioria das pessoas no Brasil não dominam a língua inglesa, incluso eu.

Antunes disse...

O link que o Roberto Domingos indica é para os parágrafos de número 2235 a 2237 do texto em inglês do Catecismo da Igreja Católica. Seguem em português os referidos parágrafos:

DEVERES DAS AUTORIDADES CIVIS

2235. Aqueles que exercem alguma autoridade, devem exercê-la como quem presta um serviço. «Quem quiser entre vós tornar-se grande, será vosso servo» (Mt 20, 26). O exercício da autoridade é moralmente regulado pela sua origem divina, pela sua natureza racional e pelo seu objecto específico. Ninguém pode mandar ou instituir o que for contrário à dignidade das pessoas e à lei natural.

2236. O exercício da autoridade visa tornar manifesta uma justa hierarquia de valores, a fim de facilitar o exercício da liberdade e da responsabilidade de todos. Os superiores exerçam a justiça distributiva com sabedoria, tendo em conta as necessidades e a contribuição de cada qual, e em vista da concórdia e da paz. Estarão atentos a que as regras e disposições que tomam não induzam em tentação, opondo o interesse pessoal ao da comunidade (24).

2237. Os poderes políticos são obrigados a respeitar os direitos fundamentais da pessoa humana. Administrarão a justiça como humanidade, respeitando o direito de cada qual, nomeadamente das famílias e dos deserdados.

Os direitos políticos inerentes à cidadania podem e devem ser reconhecidos conforme as exigências do bem comum. Não podem ser suspensos pelos poderes públicos sem motivo legítimo e proporcionado. O exercício dos direitos políticos orienta-se para o bem comum da nação e da comunidade humana.

http://www.vatican.va/archive/cathechism_po/index_new/p3s2cap2_2196-2557_po.html

Roberto Domingos disse...

Prezado Antunes
Os parágrafos de número 2235 a 2237 estão corretos, mas acrescento mais um parágrafo, peço desculpas para o link em lingua inglêsa.
Bendigamos ao Senhor

DEVERES DOS CIDADÃOS
2243. A resistência à opressão do poder político não recorrerá legitimamente às armas, senão nas seguintes condições:

1 – em caso de violações certas, graves e prolongadas dos direitos fundamentais;
2 – depois de ter esgotado todos os outros recursos;
3 – se não provocar desordens piores;
4 – se houver esperança fundada de êxito;
5 – e se for impossível prever razoavelmente soluções melhores.

Jorge Fernandes disse...

Pelo que estou lendo, devemos pegar em armas e destruir esses gays homicidas! Criar grupos paramilitares e eliminar toda oposição... Não posso crer que essa seja uma atitude verdadeiramente cristã. Será que ninguém percebeu a providência de Deus? Que os irmãos em S.F., segundo a soberania divina, foram salvos? Que nenhum deles estava armado? Que a reação foi de defesa e não de revide? Será que se ao invés de alguns poucos crentes fiéis houvesse um grupo maior os gays partiriam para o ataque? Será que se houvesse mais crentes presentes (ao invés de refestelados em suas casas, cinemas e escritórios), a patrulha gay não se recolheria?
Na Bíblia, o povo de Deus é chamado à obediência, e a jamais fazer justiça com as próprias mãos. No A.T. o que há é o JUÍZO de Deus sobre os povos, Ele usará Israel para julgar a iniquidade dos povos, assim como usou Ciro e Nabucodonosor para julgar, inclusive, o próprio Israel(em estado de teimosa e insistente desobediência).
No N.T. não vemos um só versículo "incitando" à violência. Pelo contrário, em Romanos 12.19 há a exortação de que não vinguemos a nós mesmos, pois a vingança pertence ao Senhor.
Esta é uma prerrogativa do Estado, e cabe a nós, unirmo-nos para, dentro da Lei, lutar pelos nossos direitos, sabendo que o mundo é injusto, e que, se for preciso, pagaremos com a própria vida (Paulo matou quantos inimigos que o apedrejaram, perseguiram, chicotearam, e por fim, o mataram?).
O que acontece é que, por muito tempo, acomodamo-nos a ser relapsos, omissos, inconversos, e facilmente enganados pelos apelos seculares, deixamos de agir corretamente, abandonamos a vida cristã em prol de uma vida mundana, aliamo-nos com o que de pior há no mundo. Somos desobedientes, e rejeitamos o Evangelho a maior parte do tempo em favor de uma convivência "pacífica" com o mal. E as consequências estão aí, batendo à porta. Diluimos o Evangelho, afastamos Cristo do dia-a-dia, limitando-o aos cultos dominicais (onde nem mesmo a Palavra é pregada, mas um arremedo dela), buscamos o edonismo, o poder, o marketing, e uma aproximação tão estreita com os valores seculares que quase não dá para nos distinguir.
O que acontece é que rejeitamos o Evangelho de Cristo, e isso não passaria impune. Como cegos em tiroteio, não sabemos o que fazer, e atiramos a esmo, esperando que uma bala não nos acerte.
Enquanto não nos voltar para Cristo e o Seu Evangelho, para a santidade e uma comunhão íntima com Deus, a refletirmos a luz em meio às trevas, estaremos fadados a ser tão injustos como o mundo. E este é o nosso maior pecado: negar o Senhor, testemunhando o quanto estamos distante dEle.
Que Ele nos dê sabedoria, que reflitamos à luz das Escrituras qual o nosso papel como discípulos do Filho Amado, assumindo cada um os seus pecados e culpa, voltando à obediência, sendo guiados pelo Evangelho, e não por nossas mentes caídas.

Julio Severo disse...

Prezado Jorge, o recurso da força por parte dos cristãos não é um ato de violência, mas uma medida extrema contra uma violência já iniciada. Lembra-se de Dietrich Bonhoeffer, o famoso pastor alemão oposto ao nazismo? Poucos sabem que ele fazia parte de um movimento de evangélicos que queriam matar Hitler. A mentalidade passiva de muitos cristãos não lhes permitia tal medida, porém já pensou como as coisas poderiam ser diferentes se um católico ou evangélico matasse aquele monstro nazista? É por esse motivo que a Alemanha nazista, assim como a Rússia comunista, impôs políticas de desarmamento civil. Uma população desarmada fica à merce de um governo desalmado. Os EUA tb são um excelente exemplo. Essa grande nação nasceu depois que evangélicos avivados pegaram em armas para derrubar o domínio britânico nas colônias americanas. Daí, se vê que no devido contexto, o uso da força é uma obrigação moral e espiritual, além, é claro, e primordialmente, das armas espirituais.

Antunes disse...

Prezado Roberto Domingos, obrigado pela gentileza em me responder. De fato, o parágrafo 2243 do Catecismo da Igreja Católica (CIC) que você cita é o da versão portuguesa on line do Vaticano. Contudo a versão portuguesa impressa para o brasil, apresenta uma tradução do texto oficial em latim com algumas diferenças. O porquê disso, eu não sei. Todavia, gostaria de citá-la, pois me parece menos sujeita a interpretações equivocadas.
Eis, portanto, a referida versão impressa:
"A resistência à opressão do poder político não recorrerá legitimamente às armas, SALVO SE OCORRERM CONJUNTAMENTE AS SEGUINTES CONDIÇÕES:
1)em caso de violações certas, graves e prolongadas dos direitos fundamentais;
2)depois de ter esgotado todos os outros recursos;
3)sem provocar desordens piores;
4)que haja uma esperança fundada de êxito;
5) se for impossível prever razoavelmente soluções melhores" (CIC, nº2243)
Catecismo da Igreja Católica, edição revisada de acordo com o texto oficial em latim, co-edição das Editoras Loyola, Vozes, Paulinas, Ave-Maria e Paulus, 9ª edição, página 586.

Antunes disse...

Certamente a conduta dos homossexuais em foco é totalmente deplorável e indigna de seres humanos! Por outro lado, concordo com Marcelo Vitor que os cristãos atacados fisica e sexualmente em São Francisco foram imprudentes e acrescento: ingenuos!

zeninguemaiqualquerdavida disse...

Fico pensando, se um grupo de gays transformassem uma praça em frente a uma igreja em um antro de sodomia - algo que não é nem um pouco difícil de se encontrar - e um padre ou pastor solicitasse gentilmente que o Estado os retirassem de lá, o que será que iria ocorrer com este homem?

Mas claro, em uma cidade sodomita existem areas onde um homem não pode ser cristão e rezar na calçada, a não ser que antes rasgue as partes da Biblia ou do Alcorão que condenam a sodomia. E isto é abertamente defendido pela mídia e pelo governo. Quer saber é hora de dizermos na cara dessa midia e desses governantes: "Vão para o inferno! Não temos nada com vocês!"

Os evangelicois e os católicos deveriam passar a fechar a porta das igrejas para politicos sodonazistas. Recentemente o Lula foi recebido pelo Papa, a Dilma inclusive usava vél sobre a cabeça. Ora bolas! O Papa deveria ter batido a porta da Igreja na cara dessa súcia. Ou se esta com nosco ou contra nós, está deveria ser a mensagem. Se uma religião quer ser levada a sério, primeiro o deve ser pelos seus dirigentes. Se o Para também é chefe de Estado, então que o recebe como chefe de Estado, fora da Igreja ou mande um preposto recebe-los.

Eu sei que se deve combater comportamentos e não pessoas, mas quando uma pessoa se funde de tal forma com o comportamento a ponto de julgar o comportamento como uma parte boa de si próprio. Ai você passa a combater pessoas sim senhor.

Antunes disse...

Sr. zenininguemaiqualquerdavida, o Papa Bento XVI recebeu o presidente Lula e sua comitiva no Palácio Apóstolico do Vaticano, e não em uma igreja, em razão de um acordo entre o Estado do Vaticano e a República Federativa do Brasil. Ademais, Nosso Senhor Jesus Cristo nos manda amar até mesmo nossos inimigos. E Ele mesmo foi criticado por receber os pecadores.

ANTÔNIO CARLOS DE OLIVEIRA disse...

Então, Simão Pedro, QUE TINHA ESPADA (ou seja, levava-a consigo), desembainhou-a e feriu o servo do sumo-sacerdote, cortando-lhe a orelha direita. E o nome do servo era Malco. Mas Jesus disse a Pedro: Mete a tua espada na bainha, não beberei o cálice que o Pai me Deu?" (João, cap 18, vv. 10-11)

Neste versículo, Jesus diz a Pedro para que volte com a arma à bainha, não lhe diz para que a lance fora, nem que se desfaça dela; mas que volte com arma para cintura.

"... não beberei o cálice que o Pai me Deus?"

Quem tinha de "beber o cálice" (ser morto) era Jesus, não os discipulos.

Que interessante... Um dos discípulos mais destacados de Jesus andava armado?

A espada era um instrumento muito usado para a defesa pessoal na Idade do Ferro Avançado. Produto caríssimo para aquela época, diga-se de passagem. Talvez objetivando defesa contra um animal de grande porte ou uma serpente peçonhenta. Quem sabe? Ou talvez, também, para a dissuadir bandoleiros, assaltantes e malfeitores em meio a desertos e montanhas.

E Jesus ainda lhes disse: Quando vos mandei sem bolsa, alforje ou sandálias, faltou-vos, porventura, alguma coisa? Eles responderam: Nada. Disse-lhes, pois: Mas, agora, aquele que tiver bolsa, tome-a, como também o alforje; E O QUE NÃO TEM ESPADA, VENDA A SUA VESTE (produto muito caro, com já disse)E COMPRE-A; porquanto vos digo que importa que em mim (não nos discípulos) se cumpra aquilo que está escrito: E com os malfeitores foi contado. Porque o que está escrito de mim terá cumprimento". (Lucas 22:35-36)

Se Jesus Cristo nesta passagem não está dizendo aos discípulos para se defender, eu deixo de ser muçulmano.

Anônimo disse...

Júlio,quem tem entendimento preste atenção.Devemos amar a Justiça e os injustiçados e os que se dizem justiceiros, por exemplo, estes loucos que clamam por justiça e querem justiça, que criticam a Bíblia e Paulo,principalmente em Romanos 1:18 em diante que diz que a ira de Deus se revela do céu contra toda a impiedade e perversão dos homens que detém a verdade pela injustiça.Quem neste caso de seu artigo clama justiça?Eles que perseguem e se dizem injustiçados, ou os valentes cristãos que são perseguidos e acuados?Rom 1:20.Se o que é de Deus, nós conhecemos pelo o que é manifesto, sua divindade,seus atributos invisiveis,eterno poder,eles realemente são indesculpáveis, pois não glorificam a Deus, não lhe dão graças,e quando vejo esta cena, vejo que realmente eles se tornam nulos em seu próprio raciocínio, seu coração é insensato e escuro Rom 1:21.Querem justiça e se acham sabios, mas tornam-se loucos Rom 1:22.Vejam como eles estão loucos!Tentam mudar a glória de Deus incorruptível em semelhança da imagem do homem corruptível,pois desonram seu corpo entre sí Rom 1:23,24 e a cada dia querem a força, na ignorância e nos manisfestos iguais a este que ainda virão, mudar a verdade de Deus em mentira Rom 1:25.....e o resto da história?Eles sabem mais do que ninguém!Rom 1:26,27,28,29,30,31,32
Só digo uma coisa que já está em Rom 2:Queridos, acumulas contra ti mesmo ira para o dia da ira da revelação do justo juizo de Deus que retribuira a cada um segundo o seu procedimento Rom 2:5-6.
Arrependei-vos de vossos pecados!

ANTÔNIO CARLOS DE OLIVEIRA disse...

O anônimo nos convoca: Arrependei-vos dos vossos pecados. Mas a quem este anônimo está a convocar? Aos pecadores empedernidos e convictos, ou àquelas pessoas que por uma ou outra circunstância da vida erraram e por isso anelam pelo arrependimento e pelo perdão de Deus?

Esse anônimo precisa entender que existe uma determinada espécie de gente que está se lixando para o que Deus diz ou não.

Eles querem viver no pecado, e ponto. Eliminar do caminho os indesejáveis que lhes apontam o caminho da verdade.

Com fúria de Deus ou sem fúria de Deus o que lhes interessa é destruir as religiões e os religiosos. Não tem discurso espiritual algum que dê jeito nessa gente.

Sendo assim, quando esses grupos de indivíduos alcançam tão alto grau de malignidade em suas consciências, eles só entendem um tipo de discurso: PORRADA.

Sendo assim, com essa gente não tem conversa: Se vierem arrancar um olho meu, estejam certos de que vou arrancar um olho deles; Se vierem para matar um servo meu, certamente vou matar um servo deles; se roubarem um camelo meu, vou arrancar-lhes a mão; Se matarem uma mulher de minha tribo, vou matar uma mulher da tribo deles; até que se emendem, e parem de fazer o mal.

silvio ricardo disse...

Depois desta derrota, os gays norte-americanos mostraram para o mundo inteiro ver que não são lá tão sensíveis e boa gente quanto a mídia mentirosa esquerdista quer que acreditemos. São todos uns animais sádicos dispostos a tentar impor pela violência as suas perversões ao resto da comunidade. Graças a Deus e ao trabalho de homens como Peter LaBarbera e Donald Wildmon, fundador e presidente da AFA, a família americana e o movimento conservador conseguiu uma grande vitória com a aprovação da Proposta 8 que bane o tal "casamento" gay.

Renato disse...

Quem entende que o cristianismo deve ser apenas uma religião de mansidão e passividade, que se deve sofrer sem reagir, abrindo mão da auto-defesa. Este então deve quando, por exemplo, acordar de noite e houver um ladrão na janela de sua casa forçando a entrada, este deve pegar o telefone e telefonar para a polícia, e então dizer: "alo polícia, é o seguinte, tem um ladrão aqui na minha casa, ele está tentando entrar, parece violento, e está armado. Mas estou lhes telefonando apenas para informar isto, peço entretanto que por favor, ocorra o que ocorrer vocês não mandem nenhum carro da polícia. Porque no N.T. não vemos um só versículo incitand à violência. Pelo contrário, em Romanos 12.19 há a exortação de que não vinguemos a nós mesmos, pois a vingança pertence ao Senhor. Isto porque o mundo é injusto, e que, se for preciso, eu pagarei com a minha própria própria vida , Afinal Paulo matou quantos inimigos que o apedrejaram, perseguiram, chicotearam, e por fim, o mataram? Por isso por favor eu peço, não mandem ajuda de viatura alguma."

Ora, o carro da polícia que sai com as sirenes ligadas em alta velocidade para lhe socorrer, é apenas o último elo de uma cadeia que começa com o reconhecimento de que você como cidadão tem o direito de defender a si próprio e aos outros. Mesmo que você não possua armas e seja manso e pacífico, no momento da necessidade se você liga para a polícia e pede que uma arma e um homem brabo e treinado para matar venham em seu socorro. Você ao chamar a policia esta portanto fazendo uso da filosofia farisaica que afirma que você deve se defender e responder a uma agressão. Mas por uma questão de medo ou covardia faz isto de forma indireta.

Sobre dizer que o cristão deve agir dentro da lei e não recorrer ao uso da força por conta própria. O problema é exatamente este. A lei é que esta sendo usada para agir contra o cristão. E agora? Quando a lei é contra o cristão, como este deve agir?

Por último gostaria de dizer que não recomendo a ninguém que reaja a estas agressões e provocações homossexuais. Digo isto não por estar em contradição ao que eu disse antes. Mas por uma questão de mera tática e estratégia. Já que este comportamento dos gays serve para desmacara-los, para mostrar aqueles que ainda são cegos quem os gays realmente são, quer tipo de "gente" são. Muitos ainda pensão que os homossexuais são pessoas maravilhosas, e que são as pobres vitimas de uma sociedade injustas. Ver gays invadirem igrejas, e agredirem cristãos é uma arma de mídia. Já que os desmacara e põe a nu o fascismo e a charalatanisse homossexual.

Sun Tzu disse: "Toda batalha é ganha no templo antes do campo de batalha".

Jorge Fernandes disse...

Como os outros comentaristas não me citaram nominalmente, ainda que o fizessem com sarcasmo e deboche ao distorcer sobre o que escrevi, referir-me-ei nominalmente somente a você.
Julio, eu disse alho e se entendeu bugalhos. Não sou contra o crente defender-se das agressões, nem que se deva morrer como mártir. Não sou romântico, nem tolo. Mas não sou leviano a ponto de imputar ao Evangelho o que não contém. O meu desafio continua: provem-me biblicamente que Deus nos autorizou a fazer justiça com as próprias mãos, mas, por favor, não retirem os versículos dos seus contextos, nem tentem isolá-los e fazer deles outra doutrina. Agora, se vamos colocar a Bíblia de lado, e viver cada um por si, avise-me para que eu não perca tempo. Pois sei que restará apenas impiedade, pecados, injustiça e insanidade.
O meu alerta foi quanto ao tom “guerrilheiro”, beligerante e incitativo à violência de alguns comentários. Foi contra isso que me levantei. Faremos então milícias armadas, e lutaremos até a morte com os inimigos? Tomaremos à força o poder? Expulsaremos do país os que nos desagradam? Reagiremos conforme eles reagem?... Estamos em trevas tão escuras que não vemos um palmo diante do nariz? Leiam Rm 12.19-21 e Gl 5.19-23, e me digam se é a isso que Paulo se refere. Pois não desprezo as Escrituras, e se não posso guiar-me pelo Evangelho de Cristo, não me interessa ser guiado por mais nada.
Qual a diferença entre a atitude dos gays americanos e o pensamento da maioria dos comentaristas deste post? Há, do ponto de vista bíblico, alguma diferença? Será que esses cristãos são realmente sal e luz no mundo, ou estão tão contaminados por ele que já nem sabem mais o que são? Ou nunca souberam?
Outra coisa, o futuro é fruto do passado, ele acontece antes, e se estes fatos ocorrem é porque os permitimos, ao negligenciar a Palavra, ao nos desviar dos princípios bíblicos, ao desprezar Cristo, e influenciar o mundo ao mesmo; esse estado de coisas não surgiu da noite para o dia, foi fomentando nas inúmeras vezes em que abandonamos os princípios cristãos em prol de uma imitação grotesca e barata do Evangelho. O tom nitidamente arrogante e de desprezo de alguns comentários exemplificam bem o que digo.
Júlio, para finalizar, não creio que Bonhoeffer seja o melhor exemplo. Prefiro espelhar-me no Senhor Jesus, nos apóstolos, e nos milhares de cristãos que foram martirizados nas arenas e na Inquisição romanas, testemunhando aos pagãos a fé e a confiança inabaláveis em Deus; ou nos milhares de irmãos perseguidos e massacrados nos países islâmicos e comunistas ao redor do mundo. Isso é cristianismo. O resto, barbárie disfarçada de justiça.

Anônimo disse...

Antonio Carlos, me refiro a todos os que cometem pecados!A mensagem é para aqueles que creem ou não, que dão valor a palavra ou não!João Batista exortava a todos, até altos governantes como o Rei Herodes ao arrependimento!Enquanto a sua posição de Talião, é sua posição e pensamento, vc não pensa assim?O que posso fazer?Respeitar, apensar de não concordar!Fica na paz do Senhor dos Exércitos!

Roberto Domingos disse...

Prezado Jorge Fernandes.
Tenha a absoluta certeza de que não houve deboche ou sarcasmo com relação a seu post, às vezes nos esquecemos que somos de igrejas diferentes, o Antonio Carlos é Muçulmano, eu sou católico, o Júlio é Evangélico e por aí vai, tentamos defender o que nos une, já que muitas vezes um enorme fosso nos separa. A Bíblia Católica não é igual a Protestante, muitas vezes até a interpretação das passagens é diferente, sei que conheces as diferenças, digo isto para pessoas de outras religiões que podem estar confusas. "SE SÃO CRENTES, PORQUE DISCORDAM TANTO".
Não encontrei minha versão do Ferreira de Almeida, mas mesmo assim vou citar Lucas na versão da Bíblia Católica, se houver diferença no texto me corrija.
No Novo Testamento em Lucas 22:36, encontramos: "Disse-lhes, pois: Agora porém, aquele que tem uma bolsa, tome-a, como também aquele que tem um alforje; e o que não tiver uma espada, venda seu manto para comprar uma". Nosso Senhor encorajou seus discípulos a terem proteção para uso em autodefesa.
Agradeço ao Júlio pela paciência que muitas vezes deve ter tido com os posts dos não evangélicos.
Um fraterno abraço do amigo Roberto.

marcelo victor disse...

Sr Roberto,
O Senhor no diz pelo seu Espírito para nos revestirmos das armaduras de DEUS, cuja espada é a Sua Palavra.
Isso Ele fala para os seus "escolhidos" (muitos chamados e poucos escolhidos, lembra?) e não para o mundo, cuja grande parte ignora Sua existência e outra não quer nem saber do Seu poderoso nome.
A uns é dado conhecer os mistérios do Reino dos Céus e a outros não, de acordo com a soberana vontade e pré-ciência de DEUS.
Mais do que as Palavras ditas pelo divino Mestre, Ele nos deu o exemplo...será que esse exemplo não foi o suficiente para nós? Teria Ele que vir em pessoa novamente para ensinar o que já ensinou?
Sua doutrina já está determinada nas Escrituras Sagradas e dela não se pode tirar ou acrescentar nada, sob pena de condenação eterna.
Convenhamos, se Ele ensinou ao mundo o caminho da violência, então definitivamente falamos de outro Cristo e de outra Bíblia.
Respeitosamente.

Roberto Domingos disse...

Prezado Marcelo Vitor
Não falamos de falamos de outro Cristo e mas com certeza de Bíblias de religiões diferentes. Não concordo com muita coisa que é dita aqui, mas respeito sua opinião. Percebi que últimamente estamos nos degladiando (falo dos frequentadores do Blogs), faz algum tempo que fujo dos Blogs Católicos por aí, onde se fala de mariolas e abóbrinhas, os tópicos OFF-TÓPICS são os comentados, alienação total, aqui nos degladiamos. Acredita que através sómente de orações se chega ao objetivo, eu acredito que só com orações e muito trabalho venceremos esta batalha. O Imperador Romano Constantino venceu uma batalha importante depois de uma visão. Segundo a tradição religiosa, na véspera da batalha teve uma visão de uma cruz nos céus, com a frase "In hoc signus vinci" (com este simbolo vencerás). Obedecendo a visão acrescentou as águias romanas romanas dos estandartes o simbolo dos cristãos. Com a vitoria de Constantino terminaram as perseguições aos cristãos e devagar se implantaram medidas que nos favoreceram. É nesta ação que acredito. Que Deus abençoe todos nós.

Anônimo disse...

Prezado Julio Severo:

1.O relato é mesmo chocante e um alerta para o “pessoal”que acha que isso foi só um incidente isolado. As estatísticas já apresentadas nesse site mostram que não! Sodomitas praticando violência contra cidadãos que pagam impostos, que têm o direito de ir e vir, que têm o direito de prestar culto religioso e, ainda, que têm assegurado o direito de livre expressão, conforme assegura a Constituição. O drama vivido pelo patriarca Ló e sua família repetido ao vivo e a cores em pleno século XXI. Nada mudou.

2. Como se não bastasse o terror imposto por marginais às comunidades pobres de todo mundo (nas favelas, nos guetos, nas periferias, etc), agora surge mais essa modalidade de escrescência social - tarados querendo impor “toque de recolher” aos cidadãos heterossexuais! Isso é crime!

3. O triste é que a moda pode pegar por aqui se depender da grande maioria de cidadãos apáticos e “politicamente corretos”; de políticos vendidos; da mídia anticristã e, infelizmente, de religiosos ignorantes acerca dos deveres e das prerrogativas do Governo humano, delegados por DEUS para PROTEGER a sociedade, claramente expressos na Bíblia Sagrada.

4. O apóstolo Paulo, cristão que pagou o preço por “amar ao próximo como a si mesmo”, não deixou qualquer dúvida acerca da necessidade e a legalidade de punição severa para os que praticam violência premeditada contra inocentes (Romanos 13:1-7).

5. Espero que as autoridades americanas identifiquem e prendam esses criminosos e, ainda: que as vítimas (no caso os cristãos) não “confundam-alhos-com-bugalhos”. Ou seja, que em nome do amor cristão não se omitam, e cooperem com a Justiça – e deponham em juízo contra esses criminosos, a fim de que sejam condenados e mofem na cadeia, para o bem de todos.
Abraço fraterno,
Paulo Ceroll.