13 de março de 2008

O Preconceito da TV Globo

O Preconceito da TV Globo

Euder Faber

A história da Igreja Cristã é marcada por perseguições e todo tipo de discriminação. Durante o Império Romano os cristãos eram jogados às feras como parte do entretenimento das massas. Outros foram mortos ao fio da espada e lançados em tachos quentes, dentre outras barbaridades.

Na Idade Média não foram poucos que terminaram na fogueira. Hoje em diversos lugares do mundo a perseguição continua. Países como Coréia do Norte, Arábia Saudita, China, Irã, Cuba, Vietnã e outras dezenas de nações têm imprimido um intenso estado de perseguição e discriminação aos cristãos, onde muitos têm pago com o próprio sangue para não negarem a fé em Jesus.

No Brasil, em especial no Nordeste, muitos foram os relatos de perseguição no passado, onde muitas Igrejas foram apedrejadas, principalmente no interior da região.

Hoje temos assistido ao surgimento de outro tipo de perseguição. São leis que estão sendo preparadas e que, caso aprovadas, farão ressurgir o fantasma da perseguição, discriminação e preconceito, que no passado assolou muitos cristãos no Brasil.

Parte da grande mídia tem estado a serviço desses movimentos que visam amordaçar o discurso evangélico no país. Uma demonstração de tudo isso se deu na última quarta-feira, dia 12, onde em horário nobre a Rede Globo veiculou em uma de suas novelas (Duas Caras), uma das cenas mais discriminatórias e preconceituosas que se tem notícia na TV brasileira(http://duascaras.globo.com/Novela/Duascaras/Capitulos/0,,AA1674499-9156,00.html).

No capitulo da referida novela é mostrado uma turma, sendo comandada por um grupo de “evangélicos”, se dirigindo a uma casa onde dois homens e uma mulher mantêm um suposto triângulo amoroso — sendo um deles gays. Na cena vemos os “evangélicos” de Bíblia na mão e uma das “irmãs” gritando: “Nós vamos tirar o demônio de seu corpo e vai debaixo de pau e pedra”. Em outro momento se ouve uma delas dizer: “Eu sou a mão da força divina”. Daí, em certo momento, uma das “evangélicas” atira uma pedra na direção da mulher que estava sendo acusada de manter a aventura amorosa com os dois homens. Depois, ocorre a invasão da casa, onde os “crentes” gritam: “Quem não quiser arder no fogo do inferno me siga”. O desfecho da cena é lamentável. A “crente” por nome de Edvânia de faca na mão esfaqueia o colchão dizendo: “O sangue de Jesus tem poder”.

Mas o que mais chamou a atenção foi quando um dos homens que é apresentado como suposto homossexual, ao ser agredido, gritou: “O pecado está no preconceito, na intolerância, na violência”. Foi aí que revelou-se a intenção da referida cena. Essa frase dita pelo suposto gay é um dos chavões do movimento gay no Brasil, geralmente usada contra a Igreja Evangélica, que fundamentada na Bíblia repudia tal comportamento. Tudo isso faz parte da campanha que visa sensibilizar nossas autoridades para aprovação da denominada “Lei da Mordaça”, a dita lei anti-homofobia (PLC 122/2006 E PL 6418/2005). Tudo isso também faz parte de uma campanha ardilosa que visa jogar a opinião pública contra a Igreja e seus líderes, tachando-os de preconceituosos e intolerantes.

Todo o Brasil sabe da contribuição dada pela Igreja Evangélica ao país. Nosso povo também sabe que cenas como as que foram apresentadas nesta novela não condizem com a realidade. Onde já se teve notícia de que evangélicos insuflaram as massas contra os gays no Brasil? Muito pelo contrário: temos sim é pregado o arrependimento, o amor e o perdão para com essas pessoas, em relação Deus.

A Rede Globo agiu de forma maliciosa, discriminadora, preconceituosa e pejorativa em relação a todos os cristãos evangélicos de nossa nação, retratando-nos como fanáticos que desejam impor seu pensamento e seu estilo de vida à sociedade. São fatos como esse que nos fazem acender a luz amarela e percebermos que estamos caminhando para tempos de perseguição religiosa em nosso tão amado e querido Brasil. Lamentável.

Fonte: VINACC

Divulgação: www.juliosevero.com

Nota importante de Julio Severo: A TV Globo, na cena mencionada acima, passou de todos os limites toleráveis, porém não é a primeira vez que essa emissora realiza manobras para jogar a opinião pública contra os evangélicos, em benefício da aprovação de leis anti-homofobia que têm como objetivo eliminar o direito de expressão de quem não concorda com as práticas homossexuais. Veja os artigos:

O “discreto” apoio da Rede Globo aos projetos anti-homofobia

É só a Globo que apóia a Globo, o aborto e o homossexualismo?

8 comentários :

Jorge Nilson disse...

A maior raiva da Rede Globo é porque apesar de toda a perseguição contra os evangélicos, eles continuam crescendo. O Jornal A Tarde, o maior jorna do Norte/Nordeste do país, na matéria de capa de domingo, dia 09 de março, falou que o número de evangélicos em Salvador quadruplicou e o de católicos reduziu. Se a Rede Record fizesse isso em suas novelas em relação aos homossexuais ou a bruxaria que ocorre nos terreiros ocultistas, certamente no outro dia teriamos passeatas e processo contra a referida TV e contra os evangélicos. Infelizmente temos um ministério pastoral no Brasil muito fraco. As nossas Convenções não tomam nenhuma atitude. Algumas Ordens de pastores confederados só existem para dar apoio político aos seus candidatos. Quando algum pastor, no rádio ou na Tv falar rejeitando essa cena claramente PREECONCEITUOSA, logo logo alguém irá dizer que é hipócrita, que ele não deve falar em nome dos evangélicos.
Gente, o diabo está desesperado tentando calar a nossa voz e o crescimento dos crentes em todo o Brasil. Se em Salvador crescemos 4 vezes mais, que dizer do país inteiro? A rede globo tenta também barrar o crescimento da Record. Atacando os crentes, pensam eles, atacaremos a Record e a IURD.
É lamentával esse acontecimento, para a vergonha da IMPRENSA BRASILEIRA. Ninguém impedirá o crescimento do povo de Deus. Júlio, que tal orientar os cristãos em todo o Brasil a enviar respostas à Rede Globo sobre esse assunto. Oriente como fazer, pois nem todos sabem os caminhos para esse fim. Deixo aqui o meu protesto e rejeição a essa cena tão MENTIROSA, tão PRECONCEITUOSA, e tão cheia de FAVORITISMO AO HOMOSSEXUALISMO E A PROSTITUIÇÃO.

Sandra Aparecida disse...

É FÁCIL CONCORDAR COM ATAQUES À OUTRAS RELIGIÕES, O DURO É AGUENTAR QUANDO É NA SUA"

NÃO SABIAM QUE: "PAU QUE DÁ EM CHICO DÁ EM FRANCISCO"

Novela é ficção, chute na santa é vida real, diz executivo da Globo
da Folha Online
A Globo reagiu à reportagem da Record de ontem à noite, na qual a emissora atacou o "preconceito religioso" que a novela "Duas Caras" estaria promovendo (segundo a própria Record). Para o diretor da Central Globo de Comunicação (CGCom), Luis Erlanger, a atitude mostra como a Record é preconceituosa e confunde ficção com realidade.
"Chute na santa, campanha para acabar com as festas de São João etc., isto, sim, é coisa da vida real. O que se passa em "Duas Caras" é só uma ficção, afirmou Erlanger à Folha Online.
"O preconceito é deles (da Universal) que (automaticamente) colocam uma fanática desequilibrada como evangélica, e não o Aguinaldo Silva. Que, aliás, é um defensor de movimentos e de minorias."
A última reportagem de ontem no "Domingo Espetacular", com várias chamadas, criticou a trama de Aguinaldo Silva por ter levado ao ar uma cena na qual a personagem Edivânia (Susana Ribeiro) comandava uma tentativa de linchamento do triângulo amoroso formado pelos personagens Dália (Leona Cavali), Bernardinho (Thiago Mendonça) e Heraldo (Alexandre Slaviero). A Globo foi acusada abertamente de incitar o preconceito contra evangélicos. Há um detalhe: em nenhum momento a novela usou a palavra "evangélico", embora seja óbvio que Edivânia pertença à corrente.
No entanto, a reportagem da Record não citou que a Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), dona da emissora, tem histórico de ataques outras religiões, como o candomblé e o espiritismo, além da Igreja Católica.
Um dos principais best-sellers do dono da Record e líder da Iurd, bispo Edir Macedo, é o livro "Orixás, Caboclos e Guias - Deuses ou Demônios?". A obra diz que as religiões umbanda, candomblé, quimbanda e kardecismo são os "principais canais de atuação dos demônios, principalmente em nossa pátria".
O livro foi tirado de circulação em 2005 pela Justiça, a pedido da Procuradoria Geral da República, acusado de intolerância para com as religiões afro-descendentes.
Em entrevista à Folha Online, o promotor Almiro Sena Soares Filho, da Promotoria de Combate ao Racismo e à Intolerância Religiosa do Ministério Público Estadual da Bahia, afirma que, em Salvador, já houve casos de agressões de fiéis evangélicos a terreiros de candomblé.
Mas, segundo o promotor, os evangélicos também sofrem com a intolerância. "Tem gente que diz que evangélicos são otários e que os pastores são estelionatários. A gravidade é a mesma e esse preconceito é absurdo. Há gente boa e ruim em todas as religiões", afirma.
Para Soares Filho, a única saída para o conflito é a convivência harmoniosa entre as religiões. "Todas as religiões devem ser respeitadas".
A Folha Online procurou a Record, para comentar o caso. A emissora ainda não se pronunciou sobre o assunto.

Filipe Garcia disse...

Eu não assisto novela e nem mesmo me coloco diante de uma TV há muito tempo, mas estou a par de tudo o que tem acontecido de toda a repercussão em cima da novela Duas caras e de sua personagem Edivânia.

Sem dúvida, com o núcleo evangélico de Duas Caras, Aguinaldo Silva foi mais ousado que qualquer outro noveleiro da Globo ao abordar esse tema delicado. No entanto, temos que lembrar que ele não é totalmente parcial; pelo contrario, além da ala de “crentes do mal” – os fanáticos liderados por Edivânia, que usa cabelão, saia comprida e Bíblia embaixo do braço - o autor criou uma ala de “crentes do bem”, de atitude moderada e respeitável.

É notório que a Globo tem a antipatia de uma parcela dos evangélicos – e vice-versa. Mas, temos que deixar essa mania horrível de perseguição. Já cansamos de ver católicos sendo mostrados como radicais em várias outras novelas, - Tieta, por exemplo -, e não lembro de ter causado nenhuma “revolta”.

Vamos parar de besteira e viver e pregar o Evangelho que isso já é mais do que suficiente para mostrar que a personagem e quem quer que como ela aja não passa de um equivocado que não conheceu nem as Boas Novas e nem Jesus.

Samuel disse...

Eu também fiquei indignado com a forma com que a Globo retrata os evangélicos: para eles, nós somos todos uns pobretões ignorantes que tentamos impôr nosso estilo de vida aos outros.
Mas o fim mesmo foi no capítulo seguinte, em que um personagem pega a Edivânia pelo braço e diz com todas as letras: teus valores (e aqui ele se referia ao Cristianismo) não valem b* nenhuma.

Beto disse...

a grita dos 'evangélicos' é pura hipocrisia.
diante da opinião pública lhes agrada passar por 'perseguidos' para que o incauto cidadão simpatize com sua 'causa' e, de brinde, ainda ganha mais um convertido.
mas basta usar o Google para ver a quantidade enorme de textos e videos de 'evangélicos' difamando, caluniando e injuriando outras religiões. basta lembrar que tanto o Julio Severo quanto a VINAAC são os porta-vozes do movimento homofóbico dos 'coitadinhos' dos 'evangélicos'.
saiba, pobre bibliolatra e hipocrita 'evangélico', que os direitos são para todos, não apenas para vc e sua gente.

Anônimo disse...

Temos que nos indignar, nos informar e lutar pela clareza da verdade e elucidação. É lamentavel
o comentário do Sr. Beto que, deve se informar melhor, antes de falar daquilo que não tem conhecimento. Cristão verdadeiros não se deitam com as coisas do mundo.

mgascar disse...

A grita do evangélicos é hipocrisia?

A grita das outras vertentes sociais é legitima?

humm... Entendo...

Legal a forma "isonômica" como os evangélicos são tratados na mídia e na prática.

Anônimo disse...

Alguns afirmam: " quando é para atacar outras religiões, tudo bem, mas quando atacam evangélicos, é perseguição?"

Os livro e palavras ditas pelos evangélicos em relação a outras religiões nada mais é do que os próprios sacerdotes das mesmas pregam em suas cerimônias, pois todos sabem que algumas religiões afros pregam e incentivam o mal contra o próximo, e olha que aqui no Brasil é bem mais branda a forma como trabalham do que na África.

Evangélicos verdadeiros, que são maioria, não pregam o mal ou a violência, logo a novela e todo o lixo da Globo são coisas pré-conceituosas e injustas, e os que apoiam tais mentiras são igualmente fingidos.

As trevas reagem com indignação frente à luz,como bem vemos.