10 de março de 2008

Adiada decisão histórica que determinará se bebês em gestação são ou não pessoas

Adiada decisão histórica que determinará se bebês em gestação são ou não pessoas

Presidente socialista Lula anuncia apoio às pesquisas com células-tronco que matam embriões

Matthew Cullinan Hoffman

BRASÍLIA, BRASIL, 5 de março de 2008 (LifeSiteNews.com) — Uma decisão histórica para determinar se os embriões humanos são ou não pessoas foi adiada por uma formalidade, parando a votação em 2 a 0 contra o reconhecimento dos embriões como pessoas humanas.

Crê-se que o juiz que parou a votação, Carlos Alberto Menezes, está ganhando tempo antes de lançar um voto em favor do reconhecimento dos embriões humanos como pessoas. Ele pediu vista, que é uma oportunidade de analisar os fatos antes de lançar seu voto, o que lhe dá dez dias para pesquisar uma resposta aos dois juízes anteriores.

A votação está considerando uma “ação de inconstitucionalidade” apresentada contra a Lei de Biossegurança, aprovada em 2005, que permite pesquisas com células-tronco embrionárias. Tais pesquisas destroem os embriões humanos para coletar suas células-tronco, as quais os defensores afirmam que poderiam acabar levando a curas de doenças, embora até hoje não se tenha descoberto nenhuma.

De acordo com grupos pró-vida do Brasil, um voto contra a ação, e contra o reconhecimento dos embriões humanos como pessoas, poderia estabelecer um precedente que legalizará totalmente o aborto.

A maioria dos onze juízes do Supremo Tribunal Federal, inclusive Menezes Direito, foi nomeada pelo presidente socialista Lula e seu antecessor, igualmente um socialista, e são vistos como geralmente favoráveis às pesquisas com células-troncos. Dia 4 de março, Lula anunciou seu próprio apoio para se permitir tais pesquisas, mas afirmou que ele não estava tentando influenciar o voto dos juízes.

“Favoreço a aprovação de células-tronco, pois o mundo não pode proibir o conhecimento científico que poderia salvar a humanidade de muitas coisas, mas não posso criar expectações enquanto o Supremo Tribunal Federal está se reunindo. Todos os juízes estão bem preparados para votar”, disse Lula num comunicado à imprensa dia 4.

A alegação de que as pesquisas com células-tronco poderiam curar doenças, a qual foi repetida amplamente na imprensa brasileira, nunca foi provada. Até hoje, nenhum desses métodos foi aprovado para uso nos Estados Unidos, embora as pesquisas com células-tronco adultas, que não matam embriões humanos, tenham resultado em muitos tratamentos experimentais bem-sucedidos.

Traduzido e adaptado por Julio Severo: www.juliosevero.com

Fonte: LifeSiteNews

Nenhum comentário :